domingo, 19 de agosto de 2018

Botafogo recebe o Galo no Nilton Santos no encerramento do 1o. turno do Brasileirão




(Botafogo de Futebol e Regatas)
Se a estreia de Zé Ricardo no comando técnico do Botafogo não foi da forma que a gente esperava - com uma vitória sobre o Paraná, lanterna do campeonato -, a sua primeira vez no Nilton Santos foi memorável.

Diante de mais de 35 mil apaixonados alvinegros, o time se portou muito bem em campo e fez o resultado que precisava diante do Nacional (PAR) sem passar sufoco. Com Renatinho na vaga de Pimpão - a única mudança no time que só empatou contra o Paraná -, o Glorioso dominou a partida desde o seu início, pressionou o adversário durante os 90 minutos e marcou duas vezes, coisa que não se via desde a vitória sobre o CAP, em meados de junho, pela 12a. rodada. Com a vitória por 2 a 0, passou às oitavas de final da Copa Sul-Americana - competição que agora substitui a saudosa Copa Conmebol que o Glorioso venceu em 1993 ao bater o Penharol (URU) numa disputa de pênaltis no Maracanã após empates (1 a 1 e 2 a 2) nos dois jogos finais. Por isso "Queremos o Bi".



O Botafogo vence o Nacional-PAR com gols de Lindoso e 
Valencia e está classificado para as oitavas da Sul-Americana
(@Esp_Interativo)

Rodrigo Lindoso marcou o primeiro de cabeça (37'/2o.T), escorando uma cobrança de falta muito bem cobrada por Valencia pela direita e o segundo, num chute certeiro do próprio Valencia (43'/2o.T) - o destaque da partida -, de fora da área sem chances para o goleiro. Um resultado expressivo, à altura da torcida que, atendendo ao chamado do clube, encheu o Nilton Santos colocando o maior público do Bota nesse ano no estádio - Pagantes: 33.891; Presentes: 35.788; Renda: R$ 362.285,00.

Voltando ao Campeonato Brasileiro, o Bota encara outra realidade no jogo que marca a 19a. rodada - metade da competição . A de que precisa pontuar em todos os jogos daqui pra frente para se afastar o quanto antes da zona perigosa. Mesmo ocupando a 10a. colocação na tabela, com 22 pontos, está apenas a três pontos do Vitória (19) que abre a zona de rebaixamento.  


Se liga em como ficou a tabela do Brasileirão após a última 
partida da 18° rodada! (@FoxSportsBrasil)
Neste domingo, às 16h, o Alvinegro encerra o 1o. Turno do campeonato recendo o Atlético Mineiro no Nilton Santos. O time mineiro vai muito bem das pernas. Ocupa a 5a. posição na tabela, com 30 pontos, e vem de uma vitória convincente por 3 a 1 sobre o Santos de Cuca, no Independência. 

O Bota faz uma boa campanha jogando em casa, bem diferente do desempenho quando joga fora. Dos trinta pontos disputados como visitante, conquistou apenas seis. Empatou com o Sport, Bahia e Paraná e venceu o Vasco em São Januário. O aproveitamento pífio de 20% é muito abaixo do aceitável e precisa ser melhorado.

Já em casa, dos vinte e quatro pontos disputados como mandante, conquistamos dezesseis. Vencemos Grêmio, Fluminense, CAP e Chape e empatamos com Palmeiras, Vitória, Ceará e Santos. Nesse caso, o aproveitamento é de 66,6%, o que é bem razoável. Hoje as chances de manter esse desempenho será dificultada pelo Galo mas o time vem motivado pelo resultado contra o Nacional e a vitória é plenamente possível. No Brasileirão unificado, jogamos contra eles 55 vezes. Vencemos 21 vezes, empatamos 17 e sofremos 17 derrotados, com 85 gols pró cariocas e 82 pró mineiros.

No cômputo geral do campeonato, o aproveitamento do Bota é de 40,7% - limite baixo para conseguirmos os 46 pontos teoricamente necessários para um time se manter na Série A. Após 18 rodadas e pelo que o time vem apresentando sob o comando de Zé Ricardo, há margem para crescimento na campanha. Foram cinco vitórias, sete empates e seis derrotas até agora. De mesma forma, a média de gols continua baixa. Em 18 jogos marcamos 18 vezes enquanto nossa defesa foi vazada 22 vezes. O saldo continua negativo em 4 gols.

Ainda sem poder contar com Jefferson, João Paulo, Kieza, Leandrinho e Igor Cássio entregues ao DM; Gatito Fernández e Marcos Vinícius preservados e ainda na transição, Zé Ricardo deve manter a base do time com apenas duas modificações. Marcinho (terceiro amarelo) e Matheus Fernandes (expulso) cumprem suspensão e devem ser substituídos por Luis Ricardo e Jean respectivamente. 

Se a tendência se confirmar, o time deve entrar em campo com a formação abaixo.


FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO X ATLÉTICO-MG


Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 19 de agosto de 2018 (Domingo)
Horário: 16h (de Brasília)

Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (SP)
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Bruno Salgado Rizo (SP)

BOTAFOGO: Saulo, Luis Ricardo, Joel Carli, Igor Rabello e Moisés; Jean, Rodrigo Lindoso, Renatinho e Leonardo Valencia; 
Luiz Fernando e Rodrigo Aguirre
Técnico: Zé Ricardo

ATLÉTICO: 
Victor, Emerson, Leonardo Silva, Iago Maidana, Fábio Santos; José Welison, Matheus Galdezani, Juan Cazares e Nathan; Yimmi Chará e Ricardo Oliveira
Técnico: Thiago Larghi


sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Botafogo e Erik, atacante do Atlético-MG, estão em fase final de negociação


Segundo anúncio no site oficial, faltam exames médicos para que o atleta, pertencente ao Palmeiras e emprestado ao Galo, assine com o Alvinegro




O Botafogo está perto de contar com mais um atacante para o seu elenco. Segundo divulgou o clube em nota no site oficial, Erik (24 anos) - que pertence ao Palmeiras e está emprestado ao Atlético-MG - está em fase final de negociação. De acordo com o clube, faltam exames médicos para a assinatura do contrato.


Erik chega ao Rio na próxima segunda-feira para realizar os exames e, se aprovado, assina até o fim deste ano. Anderson Barros tentou a contratação do atacante quando o dirigente ainda trabalhava no Vasco e também neste ano, já pelo Botafogo. O anúncio deve ser na mesma segunda-feira do exame médico.



Erik está no Atlético-MG, emprestado pelo Palmeiras (Foto: Bruno Cantini/ Atlético-MG)


Erik surgiu no Goiás em 2014, quando marcou 17 gols em 47 jogos. No ano seguinte continuou no clube e em 48 partidas, balançou as redes 19 vezes. Em 2016, foi contratado pelo Palmeiras, mas não deixou saudades. Naquele ano e em 2017, jogou 44 vezes e marcou apenas três gols. Nesta temporada, foi emprestado ao Atlético-MG e adicionou dois gols ao currículo em 25 partidas. Seu último jogo foi pela nona rodada do Brasileirão, no empate em 3 a 3 com a Chapecoense.


Caso assine, Erik será o oitavo atacante do elenco. O Botafogo ainda conta com Aguirre, Brenner, Ezequiel, Kieza, Lucas Campos, Pachu e Rodrigo Pimpão.


Fonte: GE/Por Fred Gomes, Rio de Janeiro

Valencia se destaca, Botafogo vence com méritos e renova sua confiança


Chileno comanda a vitória diante do Nacional-PAR na noite desta quinta-feira, no Estádio Nilton Santos, que recebeu mais de 35 mil torcedores




André Durão/GloboEsporte.com



Melhores momentos: Botafogo 2 x 0 Nacional pela segunda fase da Copa Sul-Americana


Depois de resultados ruins, lesões inesperadas, demissão de treinador... O Botafogo começou a transformar um momento de incerteza em esperança. A vitória por 2 a 0, na noite desta quinta-feira, sobre o Nacional-PAR, traz muito mais do que a classificação na Sul-Americana, mas também um novo ânimo ao grupo e, principalmente, ao torcedor que compareceu em grande número e deu um show no Estádio Nilton Santos.


Dois gols de Lindoso para valer um

Como era de se esperar, o Botafogo, apoiado por mais de 35 mil pessoas, começou o jogo em cima do Nacional. Diferentemente do jogo contra o Paraná, Zé Ricardo apostou em uma equipe com mais homens no meio de campo e colocou Renatinho na vaga de Pimpão. Assim, o Botafogo conseguiu ter mais a bola naquele setor.


A primeira grande chance veio aos 19. Rabello ganhou disputa de cabeça na área, e a bola sobrou livre para Rodrigo Lindoso marcar, mas a arbitragem já marcava irregularidade no lance. O Nacional se fechava todo e apostava nos contra-ataques.


De tanto pressionar, o Botafogo chegou mais uma vez com perigo aos 37. Leo Valencia cobrou falta na área, e Lindoso subiu mais do que a zaga para cabecear no canto direito do goleiro paraguaio, que não teve chances.



Moisés, Botafogo x Nacional-PAR, Nilton Santos (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)


Botafogo ainda melhor no segundo


Zé Ricardo optou por não fazer mudanças na equipe e deu certo. O Botafogo voltou ainda melhor no segundo tempo. Destaque para Valencia, que teve uma de suas melhores atuações com a camisa do clube. Aos seis, por exemplo, Luiz Fernando tocou para Renatinho, que se livrou da marcação, cortou e chutou prensado. Na sobra, Valencia pegou de primeira e mandou na trave.


Ao contrário de Renatinho, o chileno chamava para si a responsabilidade, mas não era retribuído por Aguirre, que teve uma participação sem grande brilho. Zé Ricardo mudou o ataque, pois sabia da importância de se fazer mais um gol para tranquilizar as coisas.


Brenner e Pimpão entraram. Ovacionado por parte da torcida, Pimpão esteve muito bem. Puxou os contra-ataques e aumentou o poder de fogo do time, que perdeu muitas chances (foram 12 no total) e quase sofreu o empate em uma jogada rápida na área, mas o paraguaio chutou para fora.


Para coroar o bom rendimento na noite, Valencia foi o responsável pelo alívio dos alvinegros. No fim do jogo, ele aproveitou um passe na entrada da área e arriscou. A bola entrou no canto do goleiro e confirmou a classificação para a próxima fase.



Torcida deu show no Nilton Santos (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)


Pontos fortes

Apenas um susto na partida
Laterais, principalmente Moisés, apoiaram e marcaram muito bem
Boas mexidas de Zé Ricardo
Presença em grande número da torcida


Pontos fracos

Em certos momentos, espaço entre os volantes e o ataque
Erro de finalizações

Agora, o Botafogo esquece a Sul-Americana e se volta completamente para a disputa do Campeonato Brasileiro. Domingo, às 16h (de Brasília), o Alvinegro recebe o Atlético Mineiro, no Estádio Nilton Santos e precisa vencer para se afastar da zona do rebaixamento.


Fonte: GE/Por Felippe Costa e Fred Gomes, Rio de Janeiro