quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Palmeiras acerta novo empréstimo de Erik ao Botafogo


Atacante volta ao clube carioca, onde foi bem em 2018, e fica até o fim do ano



O Palmeiras acertou nesta quarta-feira um novo empréstimo do atacante Erik ao Botafogo. O jogador já havia defendido o clube carioca em 2018, mas se reapresentou ao Palmeiras e vem treinando no elenco comandado por Luiz Felipe Scolari.


O empréstimo é válido até o fim de 2019 – Erik tem contrato com o Palmeiras até dezembro de 2020.



Erik chegou a posar para as fotos oficiais do Palmeiras em 2019 — Foto: Palmeiras/Divulgação


O Palmeiras aguardava propostas do exterior por Erik e optou por cedê-lo novamente a um clube ao qual já está adaptado. Emprestado ao Botafogo na metade de 2018, o atacante fez cinco gols e deu quatro assistências em 17 jogos, sendo um dos grandes responsáveis pela arrancada que tirou o Alvinegro da ameaça de rebaixamento e o classificou para a Copa Sul-Americana.


O Botafogo vinha tentando o novo empréstimo desde o fim do ano passado. No mesmo momento, o Palmeiras contratou o volante Matheus Fernandes, titular do clube carioca no Brasileirão.


Revelado pelo Goiás, Erik custou cerca de R$ 13 milhões ao Palmeiras, que adquiriu 60% dos direitos econômicos do atacante no fim de 2014.



Erik teve boa passagem pelo Botafogo no segundo semestre de 2018 — Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo


Fonte: GE/Por Tossiro Neto — São Paulo

Canhoto, 21 anos, 1,90m e tímido: da base para o profissional, Helerson mira espaço no Botafogo


Zagueiro campeão nas categorias inferiores se diz ansioso por estreia na equipe principal e revela idolatria por companheiro da base alvinegra




Na base do Botafogo, Helerson conquistou inúmeros títulos, dentre eles o Campeonato Brasileiro Sub-20 em 2016. Agora, aos 21 anos, o zagueiro canhoto de 1,90m busca repetir o sucesso das últimas temporadas na equipe profissional. Depois de treinar com o time principal no ano passado, o jogador espera ter oportunidades em 2019 e se diz preparado para mostrar o seu valor.


- A gente está tendo uma preparação interessante. Agora, com a saída do Rabello, pretendo ter o meu espaço para evoluir o máximo possível.


''Bate a ansiedade pela estreia sim, há muito tempo que espero essa oportunidade. Tenho me preparado da melhor forma para quando ela chegar, eu estar bem'', disse.




Helerson fooi titular no jogo-treino contra o Madureira — Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo


No profissional, Helerson conta com a experiência de Joel Carli para desenvolver o seu futebol. O jovem zagueiro tenta aproveitar ao máximo a convivência com o argentino, mas revela que também observa atento um jogador com quem conviveu na base alvinegra.


- Procuro aproveitar diariamente a experiência do Carli, ouvir os conselhos e crescer. A base do Botafogo conseguiu conquistar alguns títulos, e alguns jogadores chegaram ao profissional. Yuri (emprestado ao Figueirense), Marcelo, Bochecha, Marcinho... Procuro me inspirar neles, no começo da carreira deles. Da minha posição, Thiago Silva é um atleta que eu admiro bastante e, dos que eu convivo hoje, é o Marcelo. Um cara que joga pelo coletivo.


Titular no jogo-treino contra o Madureira no último fim de semana, quando o Botafogo foi derrotado por 1 a 0, Helerson já pode estrear no próximo domingo, quando o time enfrenta a Cabofriense, em Macaé, pela primeira rodada da Taça Guanabara. Para o zagueiro, será mais fácil enfrentar os adversários do que encarar os microfones.


- Existe a possibilidade de eu jogar sim, mas nada foi definido ainda. Quando a oportunidade chegar, eu vou estar preparado e dar meu melhor. Sou mais tranquilo, reservado, mas dentro de campo muda um pouco. Acho bem mais fácil jogar do que dar entrevista (risos).



Zagueiro do Botafogo apontou Thiago Silva como um de seus ídolos — Foto: Reprodução


Veja mais do papo com Helerson:

Ser canhoto pode ser uma vantagem?

- Acho que sim (ser canhoto pode ajudá-lo na disputa pela titularidade), hoje são poucos zagueiros canhotos e eu tenho essa facilidade. Os que chegam vão somar para o grupo também, é o que o professor decidir.


Zé Ricardo

- Gosto muito dos trabalhos que o Zé Ricardo passa, muitos deles já tinha feito na base. Estou familiarizado já.


Gatito Fernández


- Dá muita tranquilidade jogar com o Gatito na cobertura ali atrás. Não queremos deixar nada passar, mas se passar ele está lá para ajudar.


O "Boletim da Janela" fez o desafio para a repórter Amanda Kestelman: qual o Botafogo ideal entre as versões de 2018 e 2019? Confira o resultado!




Fonte: GE/Por Emanuelle Ribeiro e Fred Gomes — Rio de Janeiro

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Para se eternizar no Botafogo, Gatito mira títulos, e bi do Carioca é o primeiro objetivo


No início de sua terceira temporada com a camisa alvinegra, goleiro brinca com gírias cariocas e diz que se sente em casa no Brasil: "Sinistro (é minha preferida)"




Outros clubes tentaram contratar Gatito Fernández, mas o goleiro decidiu permanecer no Botafogo, com quem tem contrato até o fim de 2020. Referência e um dos jogadores mais experientes do Alvinegro, o paraguaio quer marcar seu nome na história do clube e mira conquistar títulos, começando pelo bicampeonato carioca.


- Não sei se vai ser do tamanho do Jefferson, porque ele ficou muito tempo aqui, mas gostaria de fazer uma linda história como ele fez. Essas histórias do futebol devem ser copiadas, são coisas boas. Sou feliz aqui no Botafogo. Minha mente sempre foi continuar, sei que houve sondagens. Se não for algo bom para o Botafogo, acho difícil eu sair daqui.


- Quero conquistar títulos aqui. É a minha maneira de entrar na história do clube. Dá (para ganhar o Estadual), o Botafogo tem que sempre estar buscando títulos, até pela camisa do clube. Todo mundo vai estar de olho na gente esse ano.



Gatito Fernández concedeu coletiva nesta terça — Foto: Fred Gomes/GloboEsporte.com


+ Gatito deixa treino do Botafogo antes do final, mas esclarece: "Não foi nada demais"


Gatito vai para sua terceira temporada com a camisa do Botafogo em 2019. Depois de dois anos vivendo no Rio de Janeiro, o goleiro já fala muito bem o português. E, como bom carioca, até adotou algumas gírias. O paraguaio elegeu a sua favorita durante a entrevista coletiva desta terça-feira.


- Gosto muito do Brasil, tanto que nas minhas férias eu voltei para o meu país, mas voltei para o Brasil ainda nas férias. Procuro pegar o português, as gírias também. Nem taxista consegue me ludibriar hoje (risos). (Gíria preferida é) Sinistro (chiando).


O Botafogo estreia no Campeonato Carioca no próximo domingo, dia 20 de janeiro, às 19h, contra a Cabofriense, em Macaé.



Outras aspas de Gatito:
Compromisso com o Botafogo
- Feliz, porque já conheço o clube, cada vez mais adaptado ao Botafogo. A pré-temporada está sendo muito boa, fazendo trabalhos muitos bons e já misturando com a parte tática. Treinos muito intensos, e eu particularmente estou gostando bastante. Tive sondagens de vários clubes, mas sempre falei que minha cabeça sempre foi no Botafogo. Se fosse algo interessante para mim e para o Botafogo, seria interessante. Mas minha cabeça está aqui.


Mudanças no elenco
- A gente perdeu grandes atletas. Perdemos o Erik, que fazia diferença bem grande na frente, mas os companheiros chegaram bem. Alex Santana teve destaque no Paraná, Alan é bem dinâmico, com bom passe. O Gabriel é rápido na defesa. São jogadores pontuais. Ferrareis têm o um contra um muito bom. Eles podem nos ajudar muito. A gente vai trabalhar para ter um time bem equilibrado e para que a gente não sinta falta dos companheiros.


Diego Cavalieri

- É bom pra gente. Grande goleiro, com muita experiência, jogou fora do país. Ganhou muitos títulos no Brasil. Ele chega para somar, estou vendo que é um grande companheiro. Junto com o Diego (terceiro goleiro) , essa competição também é muito boa pra gente.


2018 foi um bom ano, apesar da lesão
- Começamos bem, campeões cariocas, mas depois tive a lesão. Mas, como acabei o ano e jogando no mesmo nível, fiquei feliz. Ganhei meu primeiro título no Brasil e continuei no mesmo nível depois de ficar meses fora. Acho que foi um ano bom.


Importância da permanência de Zé Ricardo


- Seria muito bom pra gente, ele conhece o grupo, e a gente gosta do método de trabalho dele. Claro que pode não ser fácil receber uma boa proposta, mas facilita a vida dos jogadores. O treinador nos conhece, sabe o que pode nos pedir. Seria muito boa a continuidade dele.



Liderança junto ao elenco
- Ajudá-los é no dia a dia, falando com eles (mais jovens) que eles devem jogar da maneira que gostam. Eles têm que tomar as próprias decisões. Se estão no grupo profissional, eles têm qualidade. Têm bastante personalidade também. Sou bem tranquilo. Quando percebo algo, chego perto e falo com eles. É a minha maneira.


Fonte: GE/Por Emanuelle Ribeiro e Fred Gomes — Rio de Janeiro