quarta-feira, 19 de abril de 2017

Jair confirma Pimpão e compara Barcelona ao Atlético Nacional: "Mais competitivo"


Atacante se recupera de desconforto na coxa e está à disposição para a partida desta quinta-feira. Treinador deve manter a mesma equipe que venceu na Colômbia






Muito bem humorado, o técnico Jair Ventura concedeu entrevista coletiva no fim da tarde desta quarta-feira e confirmou apresença de Rodrigo Pimpão, na partida contra o Barcelona de Guayaquil, nesta quinta, pela Libertadores. Recuperado de um descoforto muscular na coxa esquerda, o atacante é uma das apostas do treinador para surpreender o adversário, que, segundo ele, é mais competitivo do que o Atlético Nacional.


- É o mesmo sistema no 4-2-3-1, mas com uma força física maior. Vejo um time mais competitivo também. Nosso objetivo é equiparar isso. O jogo será de duas equipes com bastante força física e quem tiver mais frieza levará a melhor. Falta muita coisa para acontecer, mas com um bom resultado poderemos dar um passo grande para a classificação.


Jair Ventura não revelou a estratégia que pretende adotar na partida desta quinta-feira, no Estádio Monumental, mas dificilmente deve fugir da escalação que venceu o Atlético Nacional, na Colômbia. Invicto na competição até agora, ele descarta qualquer favoritismo no Grupo 1.


- Não pensamos em favoritismo. São muitas equipes boas e com um poder aquisitivo até maior. Vejo um grupo equilibrado e todas as equipes têm chances. Caso a gente consiga vencer, também não estaremos classificados. Pelo nível de competitividade, a classificação deve ser para o final da fase. Está muito equilibrado.


Confira outros pontos abordados na coletiva

Da luta pelo rebaixamento para uma Libertadores

- Bom, né? Com os pés no chão. Quando assumi na zona do rebaixamento, eu sabia que nosso time não era um dos piores do Brasil. Hoje não é porque estamos disputando uma grande competição podemos nos considerar os melhores. O mundo do futebol é assim. Você vai do céu ao inferno muito rápido. Espero que o Botafogo possa voltar a lutar sempre pela Libertadores. Esse é o trabalho que nossa gestão está querendo, depois que assimiu um clube arrasado em dívidas. Daqui a alguns anos poderemos responder com propriedade que somos os favoritos. Espero estar aqui.


Falta de reconhecimento do Monumental (Chuva)

- São coisas do futebol e não podemos lamentando, vamos lá. Não é o ideial, pois queríamos fazer o reconhecimento do estádio, mas deu para trabalhar o que estava planejado. Vamos com força máxima amanhã.


Chuva caiu forte na tarde desta quarta-feira na cidade de Guayaquil (Foto: Felippe Costa)


Derrota na final da Taça Rio

- Não fez mal. Antes do jogo do Vasco, nós tínhamos cinco vitórias consecutivas. Estou muito orgulhoso de todos os jogadores, mesmo com um time de meninos. Nós acabamos com um a menos e tomando um gol aos 41 minutos de bola parada. Fizemos um jogo de igual para igual e é um motivo de muito orgulho para o treinador.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, GloboEsporte.com, Guayaquil, Equador

Fora por pelo menos um mês, Montillo propõe abrir mão de salário até voltar


Principal reforço do Botafogo em 2017, meia anda inconformado com dificuldades na volta ao futebol brasileiro e pede para não receber no departamento médico, mas clube quer continuar pagando






Montillo desencantou pelo Botafogo logo na estreia, mas desde então vive jejum de gols




O mais crítico alvinegro com relação à principal contratação do clube para 2017 é o próprio Montillo. Com apenas um gol – em amistoso contra o Rio Branco-ES em janeiro (veja no vídeo acima) – e duas assistências em 12 jogos com a histórica camisa 7 do Botafogo, o meia argentino sabe que ainda não rendeu o que pode. Para piorar, as lesões vêm o prejudicando nestes primeiros meses do ano. A mais recente delas, no músculo posterior da coxa direita, vai deixá-lo de molho por pelo menos um mês. Inconformado com as dificuldades em seu retorno ao futebol brasileiro após três temporadas na China, o jogador de 33 anos procurou a diretoria.


Com uma das maiores remunerações do clube ao lado do ídolo Jefferson, Montillo propôs abrir mão de seu salário nos períodos em que estiver no departamento médico. A atitude do meia foi considerada louvável internamente em General Severiano, mas o presidente Carlos Eduardo Pereira agradeceu e recusou a oferta. A diretoria passou que o considera um jogador indispensável, símbolo da reestruturação do Botafogo, e que continuará pagando os seus vencimentos normalmente e oferecendo as condições necessárias para seu melhor rendimento.


Post de Montillo no Instagram tem foto do filho Santino todo uniformizado de Botafogo (Foto: Reprodução)


A pessoas próximas, Montillo tem se mostrado muito chateado por não estar conseguindo brilhar no Botafogo. Quando sentiu a lesão atual durante um treino no Nilton Santos, deixou o estádio às lágrimas. Além disso, há questionamentos na mídia e em parte da torcida sobre a incapacidade de jogar junto com Camilo – o técnico Jair Ventura ainda não encontrou uma formação ideal para encaixá-los melhor. Mas apesar de tudo, o camisa 7 não se desanima e encontra forças na própria família. Na terça, postou na internet uma foto de seu filho Santino e a mensagem:



– Vou voltar muito mais firme e muito mais forte. Eu agradeço todo dia em ter esse torcedor que sempre está me puxando para cima. Vamos que vamos – escreveu Montillo.



Fonte: GE/Por Thiago Lima, Rio de Janeiro