quarta-feira, 15 de março de 2017

Sassá marca, e reservas empatam com o Nova Iguaçu em jogo-treino


Atacante é o destaque da atividade na tarde desta quarta-feira, no campo anexo do Estádio Nilton Santos. Titulares fizeram trabalho regenerativo e saíram mais cedo



Um dia após a vitória por 2 a 1 diante do Estudiantes, na estreia da fase de grupos da Taça Libertadores, o Botafogo já voltou a campo. Na tarde desta quarta-feira, os reservas empataram em 1 a 1 com o Nova Iguaçu, no gramado anexo do Estádio Nilton Santos. O destaque da atividade ficou para o atacante Sassá, que marcou o gol alvinegro.

Sassá durante o treino do Botafogo no campo anexo do Nilton Santos (Foto: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)


Assim como na última sexta-feira, quando os reservas golearam o Santa Cruz-RJ por 6 a 0, Jair Ventura aproveitou outro jogo-treino para avaliar e dar mais ritmo aos jogadores que não vem sendo muito utilizados. Os titulares fizeram trabalho regenerativo no interior do estádio.


Assim, Jair começou com Saulo; Marcinho, Renan, Emerson e Gilson; Lindoso, Fernandes e João Paulo; Guilherme, Joel e Sassá. O último, que entrou no segundo tempo na partida contra o Estudiantes, se destacou e marcou o gol do Botafogo, após receber na entrada da área e bater cruzado sem chances para o goleiro.


Na etapa final, Jair fez algumas modificações e voltou com Saulo; Marcinho, Rabello, Emerson e Yuri; Dudu Cearense, Fernandes e Pachu; Joel, Tanque e Gorne. O jogo ficou mais equilibrado, tanto que o Nova Iguaçu conseguiu o empate após cruzamento na área e finalização de Luiz Felipe.


O Botafogo volta a treinar na manhã desta quinta-feira, no campo anexo do Estádio Nilton Santos. A próxima partida do time será contra o Vasco, às 18h30 (de Brasília), pela segunda rodada da Taça Rio.


Fonte: GE/Por Felippe Costa/Rio de Janeiro

Amadurecimento, puxão de orelha e pedalada: Sassá renasce no Botafogo


Reintegrado e inscrito na Libertadores, atacante ganha nova chance e vai bem contra o Estudiantes. Renovação está em pauta. Jair diz que estava "arrasado" com situação








A bicicleta foi de Roger, o gol decisivo de Pimpão e o aniversário de Jair. Teve outro personagem, no entanto, que deixou o Nilton Santos nesta terça-feira com largo sorriso no rosto. Sassá não foi protagonista, mas tem motivos para comemorar. É certo dizer que, na vitória por 2 a 1 sobre o Estudiantes, o atacante retomou sua história no Botafogo. Uma trajetória de gols, porém, recentemente machada por problemas disciplinares e contratuais.

O nome gritado pela torcida, pedaladas, participação no gol da vitória e elogios de Jair: há tempos Sassá não vivia uma noite como a de terça. Reintegrado ao elenco e inscrito na última sexta-feira na Libertadores, o camisa 29 voltou a sentir o gostinho de jogar pelo Botafogo. Fora alguns minutos com a equipe reserva diante do Boavista, ele não entrava em campo com o time principal desde 11 de dezembro, quando causou infantilmente a expulsão de Airton contra o Grêmio e viu seu ostracismo em General Severiano começar.

- Aqui no Botafogo eu sei o carinho que a torcida tem por mim. No final do ano, eu errei algumas coisas, mas agora estou mais maduro. Acho que os mesmos erros não vou cometer mais. Espero ter uma crescente e poder voltar a jogar – disse Sassá, que substituiu Montillo aos 23 do segundo tempo, e dez minutos depois iniciou a jogada do gol de Pimpão.

Sassá entrou no segundo tempo e foi bem (Foto: Satiro Sodré / SSpress / Botafogo)

A retomada, no entanto, não foi simples. Por conta de excessos na visão da comissão técnica, o atacante ficou fora da Pré-Libertadores. A intenção era negociá-lo, mas o Botafogo não recebeu ofertas interessantes. A única – recusada – foi de R$ 5 milhões do Lokomotiv Moscou. Valor considerado baixo pela diretoria.

Encostado, Sassá sofreu. De solução passou a ser problema para o Botafogo. Empenho nos treinos e muitos puxões de orelha depois, o atacante voltou a receber uma oportunidade nesta terça-feira. Além de uma conversa no mês passado com o presidente Carlos Eduardo Pereira, um duro papo com Jair Ventura foi decisivo para o atacante voltar a ter chances.

- Tive uma conversa bem dura com o Sassá. Mas não posso revelar. Ele sabe, mas preservo meus atletas. Ele é como um filho. Eu estava arrasado pelo Sassá não estar em seu melhor momento. Ele me deu o meu primeiro titulo no sub-20. Agora fico muito feliz por ele estar com a cabeça no lugar, e tenho certeza que ele vai ajudar muito o Botafogo. Quem ganha é o Botafogo. Um jogador que não tínhamos com essa característica - elogiou Jair Ventura.


Renovação em pauta

Sassá e Botafogo apararam as arestas, mas o futuro do atacante ainda é uma incógnita. Após recusar a ofertas dos russos, o Botafogo apresentou proposta de renovação até dezembro de 2019. Os valores variam de acordo com metas, como o número de participações em jogos. O atacante tinha o prazo até a última semana para responder, o que não ocorreu. Mesmo assim, foi inscrito na Libertadores. Em julho ele pode assinar pré-contrato com outro clube. Seu contrato vai até dezembro.


Tua estrela solitária nos conduz, faça também parte deste time! CLIQUE E ASSOCIE-SE! (Foto: Divulgação)


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar e Thiago Lima/Rio de Janeiro

Botafogo mantém marca importante diante de argentinos no Brasil


Triunfo diante do Estudiantes continua com série invicta do clube carioca quando recebe os hermanos em solo brasileiro



Foto: AFP

Além de evidentemente fazer com que a equipe começasse bem na fase de grupos da Copa Libertadores depois de ter superado dois grandes desafios (Colo-Colo e Olimpia), o Botafogo manteve uma importante escrita ao bater o Estudiantes por 2 a 1 na noite de ontem (14).


Essa foi a quarta oportunidade em que a equipe alvinegra recebeu um argentino em seus domínios e, pela quarta vez, o time atualmente comandado por Jair Ventura não saiu derrotado, estando ainda invicto diante dos hermanos quando atua em solo brasileiro.

Nas outras três oportunidades, o Fogão venceu o River Plate por 1 a 0 pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana de 2007, empatou em 2 a 2 contra o próprio Estudiantes nas quartas da Sula de 2008 e, pela Libertadores de 2014, ganhou do San Lorenzo por 2 a 0 ainda na fase de grupos.

De todas as partidas em questão, apenas diante do Ciclón a equipe de General Severiano não atuou no Engenhão, já que a partida na época foi transferida para o Maracanã devido a obras que estavam sendo realizadas na casa do clube da Estrela Solitária.

O próximo desafio do Botafogo pela Liberta será no dia 12 de abril para enfrentar nada menos do que o atual campeão Atlético Nacional em Medellín. Antes, o elenco terá que jogar por toda a fase de grupos da Taça Rio e a semifinal do torneio estadual.


Fonte: Lancenet/Por Alberto Barbosa  

Com gol de bicicleta, Botafogo vence na estreia da fase de grupos da Liberta


Roger faz gol parecido com o que Pimpão marcou contra o Olimpia, e o próprio camisa 11 faz o segundo do Glorioso na vitória por 2 a 1 contra o Estudiantes



Roger faz o primeiro gol do Botafogo contra o Estudiantes na vitória por 2 a 1,
 lembrando Pimpão contra o Olimpia (Foto: André Durão)
Se for tranquilo não é o Botafogo. Em um jogo tenso, em que o Alvinegro teve mais dificuldade em casa nesta Libertadores, o Glorioso conseguiu se sobressair ao Estudiantes e venceu os argentinos por 2 a 1 nesta terça, no Nilton Santos. Apesar da vitória, o jogo não foi dos melhores para o Botafogo, que mostrou dificuldade em construir as jogadas.


Por mais que o Alvinegro tenha mantido mais a bola no primeiro tempo, foi o Estudiantes quem levou mais perigo. Com o time argentino bastante fechado, o Glorioso tentava mais lançamentos em direção à área, não construía tanto as jogadas e também não arriscava de longe.


Já o Estudiantes conseguiu chegar duas vezes com perigo ao gol do Botafogo: a primeira em chute de Lucas Rodríguez que passou muito perto da trave de Gatito e uma boa defesa do goleiro paraguaio. Até que, aos 33, Marcelo cruzou na área, Bruno Silva dá um voleio para a pequena área e Roger dá uma bicicleta, à la Pimpão, e abriu o placar para o Alvinegro.

Rodrigo Pimpão comemora o segundo gol do Botafogo contra o Estudiantes (Foto: André Durão)

Nos últimos 45 minutos, o Botafogo chegou a ameaçar o time argentino antes do gol de empate. Mas a cabeçada de Bruno Silva que explodiu no travessão não valia porque o volante estava impedido. Aos 16, Marcelo deu carrinho forte em Viatri e recebeu amarelo. Na cobrança, Otero acertou a gaveta de Gatito, que até tocou na bola, mas não conseguiu evitar o gol dos hermanos.


A partir daí o Estudiantes começou a tomar mais conta do jogo. O domínio argentino durou somente até os 33 minutos, dessa vez no segundo tempo. Sassá, que entrou no lugar de Montillo, apagado, fez jogada pela esquerda, cruzou rasteiro na área e Camilo bateu para o gol, mas a bola explodiu na defesa. Na sobra, Pimpão recebe, domina, gira e bate no canto direito de Andújar. A bola ainda toca caprichosamente na trave antes de estufar a rede do goleiro do Estudiantes.

Tua estrela solitária nos conduz. Faça parte deste time. CLIQUE AQUI! (Foto: Divulgação)


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com/Rio de Janeiro