segunda-feira, 6 de março de 2017

Apesar da reclamação, Botafogo fica com mais dinheiro do que Fla e Flu na final


Botafogo fica com mais dinheiro do que Fla e Flu na final




O borderô da partida entre Flamengo e Fluminense mostra uma renda total de R$ 1.258.830,00, mas o melhor negócio do domingo foi para o Botafogo, que tem a concessão do Engenhão. O clube de General Severiano, apesar de todo o esforço para que a partida não fosse realizada no local e das reclamações de que o Maracanã teria condições de receber o confronto, abocanhou R$ 200.000,00 pelo aluguel do estádio, mais do que a quantia que os dois finalistas levaram para casa. Isso sem contar receitas de estacionamento e camarotes, 100% dos alvinegros, e bares - clube recebe uma porcentagem.

O time das Laranjeiras, campeão, levou R$ 183.358,05. O Flamengo, que ainda teve uma penhora de R$ 27.503,71 e arcou com a despesa de antidoping de R$ 6.680,00, ficou com R$ 149.174,35. A Ferj, por sua vez, ficou com R$ 121.377,00.

Um número que chama atenção é de confecção, venda e pré-venda de ingressos: R$ 138.871,70, mais até do que a despesa operacional do estádio: R$ 124.750,00. Ainda houve cobrança de R$ 20.000,00 de taxa de iluminação. O total gasto com segurança privada foi de R$ 51.000,00.


Fonte: GE/BASTIDORES FC/por Vicente Seda

Victor Luís brinca com lesão: 'Graças a Deus não foi a mão do Gatito'



Lateral sofreu uma luxação no dedo indicador da mão direita, e vem treinando com proteção. Goleiro paraguaio volta a ser titular após a contusão de Helton Leite


Victor Luís está com dois dedos da mão direita imobilizados, após a luxação no indicador (Foto: Felippe Rocha)


Na última sexta-feira, o lateral-esquerdo Victor Luís deu um susto na torcida alvinegra ao cair de mau jeito e precisar deixar o treinamento com dores na mão direita. Mas o que houve na verdade foi um pequeno trauma, uma luxação no dedo indicador. Desde sábado ele vem trabalhando com uma proteção no local, mas, hoje, ele até brinca com o percalço.

- Nada demais, uma pequena luxação. Nada que me tire do jogo ou dos treinamentos. Ainda bem que foi na mão, não foi no pé. E graças a Deus não foi a mão do Gatito - sorriu o camisa 6.

Bate na madeira. Uma nova lesão do goleiro paraguaio causaria uma tremenda dor de cabeça para a comissão técnica. No último jogo, contra o Olimpia, ele foi herói, mas entrou no segundo tempo porque Helton Leite sentiu o quadríceps. Antes, ele próprio já havia sido desfalque. Saulo e Diego são outras opções enquanto Jefferson não volta.

O único momento em que as mãos são essenciais para Victor é para executar arremessos laterais. E por mais que, às vezes, jogadas nasçam desta forma, ele não vai ser desfalque pela dor que ainda sente para efetuar este movimento.

- Fizemos alguns treinamos e incomodou um pouco. Se na hora do jogo não der para fazer o arremesso, outro jogador vai fazer a jogada treinada - disse.


Fonte: Lancenet/Felippe Rocha/Rio de Janeiro (RJ)

Carli, Marcelo ou Emerson Silva? Trio disputa 2 vagas na zaga do Botafogo


Com a volta do argentino, Jair terá de deixar alguém fora. Dor de cabeça para o treinador, uma vez que os 3 foram bem quando testados. Marcelo é sacado em treino




O treino deste sábado no Nilton Santos deixou claro: está aberta a disputa na defesa do Botafogo. Marcelo foi sacado do time, que treinou com Carli e Emerson Silva entre os titulares. Mas afinal, qual deve ser a dupla de zaga alvinegra?

Pergunta que o técnico Jair Ventura terá de responder nos próximos jogos. Emerson Silva e Marcelo deram segurança nas primeiras partidas da Libertadores, mas Carli retornou bem de lesão e recuperou seu status de titular e capitão alvinegro.


Em Assunção, contra o Olimpia, Jair não precisou optar por dois deles. Com Jonas suspenso, Marcelo foi deslocado para a lateral, e Carli retornou à zaga ao lado de Emerson Silva. A disputa, agora, está aberta. Ao julgar pelo treino de sábado, a experiência falou mais alto, e os dois mais velhos saíram na frente.

 
Joel Carli, Marcelo e Emerson Silva disputam vagas na zaga do Botafogo (Foto: Editoria de Arte)

– É uma situação muito boa, todos os treinadores querem ter jogadores do mesmo nível para as posições. Se tiver dois ou três dá para ficar tranquilo em perder jogador por cartão, lesão... Jogo se ganha com um time, agora, campeonato se ganha com elenco. Por isso é importante ter jogadores do mesmo nível - disse Jair Ventura, há cerca de 20 dias, prevendo a disputa por vagas na zaga do Botafogo.


Veja as situações dos concorrentes


Carli
O xerifão alvinegro é inquestionável na defesa do Botafogo. Fora do início da temporada por conta de uma contratura muscular, o argentino retornou ao time contra o Boavista e foi titular diante do Olimpia. Pesa a seu favor a eficiência e a liderança. Na ausência de Jefferson, ele é o capitão do Alvinegro. Aos 30 anos, disputou 32 jogos e marcou dois gols pelo clube.

Emerson Silva
Presente em todos os jogos em que Jair Ventura utilizou a equipe principal em 2017, Emerson Silva conquistou o status de titular. Experiente, foi bem em todos os jogos e não se abateu com um gol contra diante do Colo-Colo, em Santiago, logo no início do jogo. A tranquilidade é seu ponto forte. Foi o capitão do time na ausência de Carli. Pelo Botafogo, disputou 38 jogos e marcou um gol. Tem 33 anos.

 
Emerson Santos, Renan Fonseca, Carli, Marcelo, Emerson Silva e Igor Rabello: zagueiros do elenco do Botafogo 
(Foto: Divulgação / Botafogo)

Marcelo

Ao contrário dos concorrentes, tem juventude e velocidade a seu favor. A oportunidade caiu em seu colo com os problemas da zaga no início do ano, e Marcelo não decepcionou. Pelo contrário, surpreendeu pela personalidade em jogos tão importantes na Libertadores. Virou xodó da torcida. Pesa contra o fato de ainda não ter sido testado pelo lado esquerdo, onde joga Emerson Silva. Aos 21 anos, disputou sete jogos e marcou um gol.


Outros concorrentes
Além do trio, Jair Ventura conta com outros zagueiros no elenco. Com 100 jogos pelo Botafogo, Renan Fonseca não foi inscrito na Pré-Libertadores e corre por fora. Ele disputa uma das cinco vagas que abrirão na fase de grupo. Igor Rabello participou de quase todos os jogos do Carioca e foi bem. Titular em 2016, Emerson Santos vem treinando normalmente, mas está afastado até resolver sua situação contratual. Kanu, do time sub-20, foi inscrito no estadual.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar e Thiago Lima/Rio de Janeiro