domingo, 8 de janeiro de 2017

De olho em "final" da Libertadores, Botafogo corre com preparação


Com estreia no Campeonato Carioca antecipada, alguns jogadores retornarão do Espírito Santo antes dos demais. Jair Ventura se diz otimista: "Bola pra frente"



Jair Ventura começa a planejar início de temporada
 do Botafogo, de olho na Liberta (Foto: MARCOS
 CUNHA/FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)
Com uma semana a menos de pré-temporada por conta do adiamento da última rodada do Brasileirão de 2016, o Botafogo será obrigado a apressar sua preparação para a Libertadores. Afinal, a primeira partida contra o Colo Colo é em 1º de fevereiro, em duelo válido pela fase eliminatória da competição. Com seis contratações e buscando mais três nomes, a comissão técnica terá de antecipar algumas etapas da preparação num ano considerado muito importante. O técnico Jair Ventura se diz motivado, mas ao mesmo tempo com a consciência de que missão não é fácil.


- Agora é 2017, estaca zero... Na Copa do Mundo você faz vários jogos para chegar a uma final, mas a nossa final já é antes. Vamos ter 14 dias de preparação para estrear no Carioca e Libertadores dias depois. Mas é bola pra frente. A gente deve estar sempre buscando o melhor para dar alegrias aos torcedores. A gente vive um momento delicado no Brasil, essa situação de roubalheira, um pais quebrado... E saber que mexe com a paixão de várias pessoas e que pode levar alegria para elas é gratificante.


Com a antecipação da estreia do Botafogo do Campeonato Carioca para 25 de janeiro, Jair Ventura se vê com um trabalho ainda mais complicado a fazer. Além de não poder contar com jogadores na forma ideal, será obrigado a antecipar o retorno de alguns atletas do Espírito Santos (local da pré-temporada) para o Rio de Janeiro, visando à partida contra o Madureira. Está em jogo também a possibilidade de escalar, ou não, alguns titulares. A tarefa será encontrar um equilíbrio entre a busca pelo ritmo de jogo e a preocupação de não haver desgaste antes do primeiro jogo pela Libertadores.


- Vai depender muito da condição física de cada atleta. Vamos estrear no Carioca com a equipe que estiver melhor para aquele momento. Sabemos que não podemos correr risco por lesão. Tem as férias, e cada jogador volta numa situação diferente. Temos que avaliar com o departamento médico como está cada um para colocar em campo os melhores em condição – explicou o treinador.


Fonte: GE/Por Felippe Costa e Gustavo Rotstein/Rio de Janeiro

'Dor de cabeça' boa: o panorama dos volantes do Botafogo para esse ano


Com muitas opções e jogadores que terminaram o ano em alta - além de revelações do clube - Jair tem "dúvida" boa para escalar os volantes alvinegros. Airton vê união e elogia



Rodrigo Lindoso, Airton e Bruno Silva compuseram a trinca de volantes do clube em 2016 (Foto: Reprodução)

Se tem uma posição com a qual o Botafogo não precisa se preocupar neste início de ano é a de volante. Isso porque, ao contrário do que é mais frequente, não apenas os titulares e um ou outro reserva começam o ano com moral. A disputa promete ser bastante acirrada este ano, visto que os seis componentes do grupo terminaram a última temporada com moral. Surge, então, a primeira “dor de cabeça boa” para Jair Ventura.

Unanimidade no setor, Airton caiu nas graças da torcida no ano passado e segue como um dos pilares do meio-campo alvinegro. No decorrer de 2016, compôs a área central com Bruno Silva - mais aberto pela direita - e Rodrigo Lindoso - pelo lado esquerdo - formando assim uma trinca de volantes em diversos jogos do Brasileiro.

Nesse meio tempo, chegou Dudu Cearense para qualificar ainda mais o setor. Com boa técnica e até gol decisivo - como na vitória por 3 a 2 contra o Atlético-MG - Dudu ganhou a confiança de Jair no elenco e fortalecer a posição em 2017. E essa forte concorrência é vista de forma positiva no plantel alvinegro.

– Não vejo uma disputa, mas sim muita união, estamos sempre nos ajudando. Acho que o professor Jair vai saber escolher o que é melhor para o grupo. Seja com dois ou três volantes, todos estão prontos – destaca Airton, ao LANCE!

Para qualificar ainda mais a posição, Bochecha e Matheus Fernandes - campeões brasileiros sub-20 - subiram para os profissionais e também devem receber oportunidades no decorrer da temporada.

– Sempre bom mesclar juventude e experiência, cadência e velocidade. O Botafogo só tem a ganhar com isso – completou Airton.

AS OPÇÕES PARA A POSIÇÃO DE VOLANTE:

Airton
Responsável pela saída de bola e pela proteção a defesa, ele foi um dos pilares do Botafogo em 2016 e caiu nas graças da torcida alvinegra. Dentre as opções, aparece como o mais provável entre os titulares.

Bruno Silva
Além dos cinco gols, Bruno Silva era um dos responsáveis pela criação das jogadas alvinegras pela direita. Marcou cinco gols em 2016 e um deles foi o que garantiu a vaga para a Libertadores.

Rodrigo Lindoso
Era a terceira peça da trinca de volantes com Airton e Bruno Silva. Quando Airton não estava disponível, conseguia cumprir a função de primeiro volante.

Dudu Cearense
Vindo do Fortaleza, o volante encontrou seu espaço dentro do elenco e ganhou chances com Jair. Foi titular em alguns jogos e chegou a marca um gol pelo clube, na vitória por 3 a 2 contra o Atlético-MG.

BochechaPrimeiro volante do time que foi campeão Sub-20, Bochecha se destaca pela marcação e pela troca de passes, ditando o ritmo do meio-campo do time.

Matheus Fernandes

Mais adiantado, o volante de 18 anos chegava ao ataque com qualidade no período em que esteve no Sub-20. Desta forma, dá outra opção para Jair quando o comandante quiser um meio mais técnico.

Fernandes busca retomar seu espaço no elenco com Jair:

Dentre as opções de volante para Jair Ventura no atual elenco, uma outra possibilidade surge em Fernandes. Contudo, o jogador - que já desempenhou função de meia em alguns jogos pelo clube - precisará se recuperar da última temporada, quando acabou preterido e teve uma lesão que o deixou afastado dos gramados durante quase todo o segundo turno do Glorioso no Brasileirão.

Revelado pelo clube, Fernandes estreou pelos profissionais do Botafogo em 2015, quando o técnico ainda era Rene Simões. Desde então, vinha sendo bastante utilizado por Ricardo Gomes, chegando a ser titular em alguns jogos no começo da campanha do time neste Brasileirão.

Contudo, ele acabou perdendo espaço com a chegada de Jair e a chegada de Dudu Cearense, ficando para trás mesmo de nomes como Bochecha e Matheus Fernandes, que vieram do Sub-20 no ano passado. Agora, ele busca recuperar seu posto e provar a importância dentro do elenco. Em 69 jogos com a camisa alvinegra, Fernandes marcou oito gols.


Fonte; GE/Felippe Rocha e Vinícius Britto/Rio de Janeiro (RJ)