segunda-feira, 31 de julho de 2017

Jefferson inicia transição, mas tendência é que Gatito siga contra o Palmeiras


Recuperando-se de edema na coxa, goleiro vai a campo, mas dificilmente volta na quarta; Leo Valencia aguarda regularização para estrear






Fora no sábado, Jefferson também sobe para o treino. Goleiro tinha dores na coxa. Recuperado, Helton Leite também vai treinar #gebota


Após folga no domingo, o Botafogo se reapresentou na tarde desta segunda-feira, no Nilton Santos. Em campo, algumas novidades. Entre elas, Jefferson. Fora contra o São Paulo por conta de dores na coxa, o goleiro treinou, iniciou a transição, mas dificilmente volta contra o Palmeiras.


Com isso, Gatito segue no gol do Botafogo no jogo de quarta-feira. Quem também estará em campo é Bruno Silva. Após cumprir suspensão, o volante treinou e é nome certo no próximo compromisso.


Dos titulares, apenas dois não foram a campo. Victor Luis foi liberado para registrar a filha Isis, que nasceu na sexta. Desgastado, Matheus Fernandes ficou na academia, mas a princípio não preocupa.


Enquanto os titulares realizaram apenas um rápido treino físico, os demais trabalharam com bola. Entre eles, Leo Valencia. Com a situação do visto de trabalho resolvida, o chileno depende apenas do nome no BID da CBF para estrear. Para estar em campo contra o Palmeiras, seu nome precisa ser registrado até às 19h desta terça.


Alguns jogadores em recuperação apareceram no treino. Recuperado de um corte sofrido em dividia com Vinícius Tanque em um treino, Helton Leite trabalhou com os demais goleiros. Arnaldo iniciou a transição em campo. Bochecha e Jonas, que romperam os ligamentos cruzados do joelho no início do ano, fizeram trabalho à parte.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar, Rio de Janeiro

Botafogo sugere torcida única contra Fla na Copa do Brasil. CBF ainda tenta Maracanã


Diante de intenção da PM em restringir a 5% carga de ingresso para torcedores visitantes, presidente alvinegro diz crer que o melhor seria apenas público mandante. Bandeira de Mello é contra





O presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, levantou a ideia de que os clássicos contra o Flamengo pelas semifinais da Copa do Brasil sejam disputados com torcida única. A sugestão veio após o mandatário alvinegro tomar ciência da intenção do Gepe (Grupamento Especial de Policiamento em Estádios), da Polícia Militar, em determinar que, por questões de segurança, sejam disponibilizados apenas 5% de ingressos para a torcida visitante, em vez de 10%, como é o mais comum. Para o dirigente, diante desse cenário, é melhor que haja apenas torcedores dos clubes mandantes nos estádios.


- Se o Gepe confirmar esta posição de 5%, acho que a gente podia evoluir para torcida única. Porque 5% vai demandar um aparato de segurança e uma possibilidade de conflito muito maior do que se a gente tiver torcida única nos dois jogos. Isso é uma coisa que o comando da Polícia Militar podia refletir e fazer uma experiência - disse Carlos Eduardo Pereira após o sorteio dos mandos de campo das semifinais, nesta segunda-feira, na sede da CBF.



Estádio Nilton Santos - Botafogo (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Consultado pelo GloboEsporte.com, o presidente do Flamengo rechaçou a ideia de torcida única para os confrontos:


- Sempre contra. Somos a favor da convivência pacífica e harmoniosa entre torcedores de clubes diferentes - disse Eduardo Bandeira de Mello.



Ilha do Urubu antes de Flamengo x Coritiba (Foto: Amanda Kestelman/GloboEsporte.com)

O sorteio dos mandos de campo foi realizado nesta segunda-feira, na sede da CBF. A princípio, os jogos serão em suas respectivas casas, Estádio Nilton Santos e Ilha do Urubu. O sorteio dos mandos de campo foram realizados nesta segunda-feira, na sede da CBF. O Alvinegro abre em casa dia 16 de agosto e o Rubro-Negro decide em seu mando, no dia 23.


CBF tenta convencer clubes a realizar jogos no Maracanã





#CopaDoBrasil É clássico e vale vaga na final! 16/08 no Niltão e 23/08 na Ilha do Urubu. Muita história em jogo!!!


Nas redes sociais, a CBF já anuncia as partidas para Nilton Santos e Ilha do Urubu. Nos bastidores, porém, a entidade ainda tem esperança de convencer os clubes cariocas de realizar os jogos no Maracanã. Neste caso, segundo o regulamento, em partidas de clubes da mesma cidade no mesmo estádio, o critério de gol fora de casa não seria levado em consideração. A definição dos locais de partida precisa ser feita até dez dias antes da data dos confrontos, segundo o Estatuto do Torcedor.


A última cartada da CBF pelo Maracanã dificilmente irá para frente. O Botafogo não abre mão de exercer o direito de mandar a partida em seu estádio.


- A posição do Botafogo é que o jogo será no Nilton Santos. Temos um estádio de primeira linha, para 45 mil espectadores, com totais condições de receber a partida e, principalmente, com compromisso com os 34 mil sócios-torcedores dos clubes. Não tenho como tirar esse jogo de lá. Sem falar que os custos com o Maracanã beiram o absurdo. Seria perder dinheiro. A hora que cobrar que os dirigentes sejam profissionais, essa é uma das horas que precisamos ser profissionais. Não podemos fazer um jogo apenas por diletantismo no Maracanã e perder dinheiro - argumentou CEP.



Bandeira de Mello, por sua vez, disse não ter intenção de jogar no Maracanã enquanto não houver a resolução da questão da concessão do estádio - ainda no aguardo de nova licitação:


- Não no momento. Apenas quando for definida a questão da concessão - limitou-se a dizer o presidente do Flamengo.



Estádio do Maracanã (Foto: Divulgação/Flamengo)


Fonte: GE/Por Felipe Siqueira*, Rio de Janeiro/* Colaborou Raphael Zarko

domingo, 30 de julho de 2017

Diretor do Corinthians, sobre zagueiro do Botafogo: "Esta semana deve fechar"


Flávio Adauto afirma que clubes conversam e podem concluir negociação nos próximos dias. Jogador já pode assinar pré-contrato, mas Timão quer liberação imediata




Em busca de um reforço para a zaga, o Corinthians pretende concluir nos próximos dias a negociação com o Botafogo pelo zagueiro Emerson Santos, de 22 anos. O Timão tem encaminhado um acordo com o jogador, mas ainda discute a liberação dele com a diretoria do clube carioca.


Flávio Adauto, diretor de futebol corintiano, confirmou as tratativas com o Glorioso e demonstrou otimismo:


– Nos falamos e estamos esperando agora uma resposta do Botafogo. Negociação, termos financeiros, aquele negócio de conta para lá, conta para cá... Acho que esta semana a gente deve fechar isso aí – declarou, depois do empate em 1 a 1 com o Flamengo, neste domingo, na Arena.



Emerson Santos, do Botafogo, interessa ao Corinthians (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Na última quinta-feira, o empresário e os pais do defensor estiveram no CT Joaquim Grava. Ele está livre para assinar um pré-contrato desde o início do mês, mas a diretoria corintiana quer tê-lo agora e não pretende entrar em litígio com os botafoguenses. Os cartolas do Timão também afirmam que, além de Emerson, há outros nomes na mira.


Desde a lesão de Pablo, que ficará um mês e meio afastado do Timão por um problema muscular, o clube recebeu diversas indicações de nomes de zagueiros. Hoje atuando por rivais, dois nomes foram oferecidos e rejeitados na sequência: Cleber, do Santos, que atuou pelo Timão de 2013 a 2014, e Lucão, do São Paulo, que hoje aparece na lista de negociáveis.


Fonte: GE/Por Bruno Cassucci, São Paulo

Análise: apagão assusta e deixa lições no Botafogo para sequência de 2017


Em um primeiro momento não há razão para alarde. Time faz bom jogo, mas paga caro pela falta de atenção (e fôlego) nos minutos finais contra o São Paulo. Motivos, lado positivo e lições






 Melhores momentos de Botafogo 3 x 4 São Paulo pela 17ª rodada do Brasileirão


O momento do Botafogo é especial, o time vive lua de mel com a torcida, mas a derrota para o São Paulo assustou. Nem tanto pelo revés em casa, mas pela forma como aconteceu. Um apagão a partir dos 39 do segundo tempo transformou a tranquila vitória por 3 a 1 em um preocupante tropeço por 4 a 3. Mas o que houve? O episódio pode atrapalhar a sequência da temporada?


Em um primeiro momento não há razão para maiores desdobramentos. A torcida ficou chateada, de certa forma em choque, mas não vaiou o time. Afinal, há três dias os mesmos jogadores conseguiram uma classificação maiúscula contra o Atlético-MG na Copa do Brasil. Além disso, a equipe estava invicta há sete jogos.


E de certa forma isso pesou. Mais pelo cansaço do que pela ressaca da classificação. Jair e os jogadores não fizeram alarde quanto ao resultado. Segundo o treinador, não é momento de cobranças, mas de passar tranquilidade e confiança.



Jair Ventura viu time desgastado e disse que time corrigirá erros para a partida contra o Palmeiras (Foto: André Durão)


O que houve com a defesa?

Ponto forte do Botafogo desde o ano passado, a defesa não foi bem contra o São Paulo. Há quase um ano, desde a derrota por 5 a 2 para o Cruzeiro na Copa do Brasil, o Alvinegro não sofria quatro gols no mesmo jogo.


Não dá, no entanto, para apontar culpados. O jogo foi aberto, o São Paulo finalizou 21 vezes, mas fora os gols no fim e o pênalti defendido, Gatito pouco trabalhou. A defesa não vinha comprometendo até o apagão. Fica o alerta.


A culpa é do cansaço?

O calendário não tem sido amigo do Botafogo e cobrou seu preço neste sábado. O time se portou bem ao longo do jogo, mas perdeu o fôlego no fim. Victor Luis e Roger, por exemplo, cansaram e pediram para sair. Faltou combustível, mas não dá para culpar apenas o lado físico.


De fato, Jair citou o cansaço, mas não justificou a derrota apenas pelo aspecto físico. Faltou, no fim, organização e atenção. E o São Paulo, que teve uma semana inteira para treinar, soube aproveitar. Pulmão do time, Bruno Silva (suspenso) fez falta.



Apagão custou caro. Botafogo sofreu três gols nos sete minutos finais (Foto: Reprodução)


Por que caiu tanto no fim?

Além do aspecto físico, o Botafogo se desorganizou com algumas mudanças. Substituto de Marcos Vinícius, Guilherme deu novo gás, marcou um gol, mas deixou o time mais exposto.


Com Victor Luis e Roger exaustos, Vitor Lindemberg e Brenner estrearam. Não houve falhas individuais, Jair avisou que não buscará culpados, mas pesou o desentrosamento dos estreantes, até pela questão de posicionamento. O Botafogo se assustou com o segundo gol e ficou acuado. O São Paulo cresceu e aproveitou. Mérito também para a equipe de Dorival.


Lado positivo



Lado positivo: ataque fincionou e marcou três gols pelo segundo jogo seguido (Foto: André Durão)


A derrota no fim ofuscou o bom rendimento do ataque. Conhecido por ser um time de muita marcação e poucos gols, o Botafogo marcou três vezes pelo segundo jogo seguido. Enquanto teve fôlego, o setor de criação foi muito bem. O time teve até oportunidades para marcar mais gols.


Derrota nunca é bom, mas o Botafogo perdeu na hora que podia perder. O clube não quer abrir mão do Brasileiro, precisa pontuar agora, mas o resultado é recuperável. Fica a lição para a sequência da temporada, especialmente em jogos classificatórios e decisivos da Libertadores e da Copa do Brasil.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar, Rio de Janeiro

sábado, 29 de julho de 2017

Jair ressalta "situação física" do Botafogo em virada do São Paulo: "Apagão nosso"


Alvinegro chegou a estar vencendo jogo por 3 a 1 até 39 minutos do 2º tempo, mas permitiu a reação da equipe paulista




Melhores momentos de Botafogo 3 x 4 São Paulo pela 17ª rodada do Brasileirão


Jair Ventura classificou como "apagão" a derrota de virada do Botafogo para o São Paulo por 4 a 3 neste sábado no Estádio Nilton Santos, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Alvinegro chegou a estar vencendo o jogo por 3 a 1 até os 39 minutos do 2º tempo, mas permitiu a reação da equipe paulista.


- Jogo de muitos gols, muito aberto. Conseguimos a virada, depois o São Paulo virou em um apagão nosso. Tem a situação física. Contra o Atlético-MG fomos muito bem. Hoje teve cansaço no final. Victor e Roger pediram para sair. Teve um apagão, com três gols em 7 minutos. O jogo foi bom, mas não para o Botafogo - ressaltou.



Jair Ventura em Botafogo x São Paulo (Foto: André Durão)


Apesar da virada amarga, o treinador buscou ver o lado positivo. Jair lembrou que pela segunda vez consecutiva, o Botafogo anotou três gols na mesma partida. No meio da semana, o time venceu o Atlético-MG por 3 a 1 e conseguiu uma vaga nas semifinais da Copa do Brasil.


- Sofremos quatro gols, mas marcamos três. Saldo de um. Segundo jogo seguido que marcamos 3 gols. Não vamos buscar fantasmas. Não tem erros individuais, não tem culpado. Estávamos há sete jogos sem perder. Não foi nada para se assustar. Muito cedo para falar - ressaltou.



Com a derrota, o Botafogo estacionou nos 24 pontos e na 7ª colocação. No entanto, pode fechar a rodada em 10º lugar, em caso de vitórias de Vasco, Cruzeiro e Chapecoense. O São Paulo, por sua vez, dormirá fora da zona de rebaixamento neste sábado.


Confira mais tópicos da coletiva de Jair Ventura

Jogo de altos e baixos
Crescemos na partida com o pênalti defendido e fizemos o gol. Depois o São Paulo cresceu. Foram altos e baixos, mas o São Paulo venceu. Perdemos o jogo, mas tivemos bons momentos. No final eles tiveram o melhor momento e conseguiram a vitória


Pedido de apoio, não de cobranças

Quanto a gestão de pessoas, não é hora de cobrar. É hora de passar incentivo. Esses jogadores que sofreram quatro gols são os mesmos que vão jogar contra o Palmeiras. Não tem vilão ou culpado. Foi só um gol de diferença. Claro que vamos corrigir os erros, mas também tivemos coisas boas.


Cansaço pesou

O jogo estava igual, mas estávamos mais cansados. Não é desculpa, até porque sempre vamos jogar quarta e domingo. Mas ficou evidente que quando poupamos contra o Atlético-GO, voltamos mais inteiros. Mas isso não foi o mais importanteO São Paulo não jogou durante a semana. Entraram Nem e Marcos Guilherme, jogadores rápidos. Dorival mexeu muito bem. Não conseguimos ficar com a bola. Mérito do São Paulo.


Sem reclamação

Quero deixar claro que em nenhum momento reclamo de disputar 3 competições. Lutamos para isso. Mas em algum momento a gente iria sentir.


Promessa de reação contra o Palmeiras
Quando jogamos em casa queremos sempre dar alegria à torcida. Mas não procuramos vilões. Vamos corrigir os erros e vir forte contra o Palmeiras.


Apoio a Abel Braga, que perdeu o filho neste sábado

Quero deixar o meu apoio para toda a família do Abel. Queria dar um grande abraço em toda a família. Momento complicado. Estamos todos tristes. O Abel é um cara que todos gostam. Quero dar um beijo no coração da família.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar, Rio de Janeiro

São Paulo bate o Botafogo com virada épica e agora seca para seguir fora do Z-4


Comandado por Cueva e pelos estreantes Hernanes e Marcos Guilherme, Tricolor faz 4 a 3 na equipe carioca e fica momentaneamente em 15º lugar; Bota segue fora do G-6



Botafogo e São Paulo certamente fizeram neste sábado, no Engenhão, no Rio de Janeiro, um dos melhores jogos do Brasileirão. O duelo terminou com uma vitória épica do Tricolor, de virada, por 4 a 3, com um gol de Cueva, um de Hernanes e dois de Marcos Guilherme. O time carioca já tinha conquistado uma virada por 3 a 1 depois de ter saído perdendo, com dois gols de Marcos Vinícius e um de Guilherme. Mas o time paulista foi valente, não desistiu e conquistou o primeiro triunfo fora.


A vitória tira temporariamente o São Paulo da zona do rebaixamento. Agora com 19 pontos, o time sobe para a 15ª colocação. Esse cenário, porém, pode mudar com o complemento da rodada. Com 24 pontos, o Botafogo permanece em sétimo lugar, mas também pode perder posições.


CLIQUE AQUI E veja a tabela do Brasileirão


Na próxima rodada do Brasileirão, o Botafogo joga mais uma vez em casa. O time carioca recebe o Palmeiras na quarta-feira, às 21h45, no Engenhão. O São Paulo volta a campo apenas quinta-feira, contra o Coritiba, às 19h30, no Morumbi. Os dois jogos serão válidos pela 18ª rodada.



Hernanes dá salto mortal depois de fazer gol em sua estreia pelo São Paulo (Foto: André Durão)


O jogo


O duelo entre Botafogo e São Paulo estava morno até os 17 minutos do primeiro tempo, quando o Tricolor aproveitou vacilo da defesa do time carioca para abrir o placar. Cueva recebeu de Pratto, fez jogada individual e contou com trapalhada de João Paulo com Gatito Fernández para abrir o placar. A reação do Bota não demorou. Dois minutos depois, Marcos Vinícius chutou colocado da entrada da área e empatou. Mais tarde, aos 25, o meia arriscou de longe e contou com falha do goleiro da equipe paulista. Após a virada dos cariocas, o São Paulo tentou reagiu, mas perdeu boas chances.



Na segunda etapa, o São Paulo partiu para o ataque com todas as forças na tentativa de melhorar o resultado. Depois de muito insistir, teve pênalti polêmico de Joel Carli em Wellington Nem. Cueva bateu mal, e Gatito Fernandéz defendeu, aos 22. Um minuto depois, o Botafogo, em contra-ataque, ampliou com Guilherme, após passe de Luis Ricardo. O Tricolor não desistiu e continuou ofensivo. Até que aos 38 o estreante Marcos Guilherme diminuiu de cabeça. Hernanes, outro estreante, comandou a jogada do terceiro gol e empatou aos 41. Renascido em campo, o São Paulo conquistou a virada com golaço de Marcos Guilherme após passe de Cueva: 4 a 3.



Um dos gols do Botafogo visto por trás do gol defendido por Renan Ribeiro (Foto: André Durão)


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com, São Paulo

Rodada #17: tudo o que você precisa saber sobre Botafogo x São Paulo


Há sete jogos invito e embalado pela classificação na Copa do Brasil, Alvinegro recebe a equipe paulista, que projeta deixar a zona de rebaixamento na estreia de Hernanes




(Foto: )

Botafogo e São Paulo abrem neste sábado, às 16h, no Nilton Santos, a 17ª rodada do Brasileirão. O duelo evidencia momentos opostos dos dois clubes. Invicto há sete jogos (5 na competição), o Alvinegro planeja voltar ao G-6, contra o adversário que marcou a estreia de Jair Ventura. A equipe paulista, por sua vez, vai em busca da vitória para deixar a zona de rebaixamento.


Transmissão: Premiere e Premiere HD (com Daniel Pereira e Ricardo Rocha)



(Foto: )


Botafogo - técnico Jair Ventura

Embaldo pela classificação para as semifinais da Copa do Brasil, o Botafogo retoma as atenções para o Campeonato Brasileiro. O time vem de dois empates fora de casa. A principal novidade será a volta de Gatito no lugar de Jefferson, com fadiga muscular. Marcos Vinícius deve pintar no meio na vaga de Bruno Silva, suspenso. Regularizado, Brenner pode fazer sua estreia.


Sétimo colocado, com 24 pontos, o Botafogo projeta voltar ao G-6 - zona de classificação para a Libertadores - nesta rodada. A ideia é pontuar ao máximo antes da maratona de jogos decisivos em agosto, pela Libertadores e Copa do Brasil.


Quem está fora: Jefferson (fadiga muscular); Emerson Santos (poupado); Arnaldo, Jonas, Marcinho, Bochecha e Airton (DM); Leo Valencia (ainda não foi inscrito); Bruno Silva e Gilson (suspensos).


Pendurados: Arnaldo, Dudu Cearense e Roger.


Provável escalação do Botafogo (Foto: GloboEsporte.com)


São Paulo - técnico Dorival Júnior

No São Paulo, a grande novidade será a reestreia do volante Hernanes, que veste novamente a camisa 15 do Tricolor após sete anos. O Profeta mostrou nos treinos que disputou durante a semana que está bem fisicamente e, por isso, foi escalado ao lado de Cueva, que foi mantido no meio-campo. Quem perdeu a posição foi o argentino Jonatan Gomez. Nas demais posições, a equipe do Morumbi terá a base que empatou com o Grêmio, na última segunda, por 1 a 1.


O que anima o elenco é a possibilidade do clube sair da zona de rebaixamento nessa rodada. Para isso acontecer, são dois cenários: se vencer no Rio, Avaí e Atlético-PR não podem ganhar seus jogos contra Palmeiras e Vasco. Se empatar, catarinenses e paranaenses terão que perder.


Quem está fora: Morato (cirurgia no joelho direito, só volta em 2018), Lucas Fernandes (estiramento na coxa esquerda), Denis (tendinite no ombro esquerdo), Junior Tavares (edema na coxa direita) e Lugano (não relacionado por excesso de estrangeiros).


Pendurados: Cícero, Cueva, Lucas Pratto, Rodrigo Caio e Wellington Nem.




Provável escalação do São Paulo (Foto: GloboEsporte.com)



(Foto: )


André Luiz de Freitas Castro (GO) apita o jogo, auxiliado por Bruno Raphael Pires (GO) e Leone Rocha (GO).


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com, Rio de Janeiro

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Com edema muscular, Jefferson não enfrenta o São Paulo, e Gatito volta


Goleiro sente a coxa esquerda e será poupado. Gatito Fernández tem retorna ao posto de titular do Alvinegro




Jefferson está fora da partida contra o São Paulo, neste sábado, no Estádio Nilton Santos. O goleiro tem um edema na coxa esquerda e será vetado. No entanto, o clube informou que não se trata de um problema grave. Liberado pelo departamento médico, Gatito Fernández volta a ser titular do Botafogo após 20 dias de ausência.



Gatito Fernandez treina sem limitações e volta ao Botafogo no lugar de Jefferson (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Após mais de um ano em recuperação de duas cirurgias no cotovelo, Jefferson retornou ao Botafogo em 9 de julho, contra o Atlético-MG, pelo Brasileiro, depois que Gatito entrou no departamento médico por causa de um corte na perna durante a vitória sobre o Nacional do Uruguai, pela Libertadores.


Jefferson disputou seis partidas consecutivas com o Botafogo invicto - três vitórias e três empates - até sofrer o problema muscular. Ao mesmo tempo, Gatito se recuperou da contusão e voltou a ficar em condição de ser utilizado pelo técnico Jair Ventura.


Por conta da fadiga muscular, Jerfferson não foi a campo para treinar nesta sexta-feira. O goleiro permaneceu em tratamento no departamento médico, enquanto Gatito treinou sem limitações.


Escalação provável do Botafogo contra o São Paulo: Gatito, Emerson Santos, Carli, Igor Rabello e Victor Luis; Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes, João Paulo e Marcos Vinicius; Rodrigo Pimpão e Roger.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Rio de Janeiro

Botafogo resolve impasse de visto, e Valencia fica perto de ser regularizado


Polícia Federal do Brasil recebe documento do Chile, jogador consegue visto de trabalho e depende apenas de regularização na CBF para ficar à disposição de Jair





O Botafogo acredita ter superado o último obstáculo que impedia a regularização de Leo Valencia. No final da tarde desta sexta-feira, o jogador enfim conseguiu seu visto de trabalho e depende apenas da regularização na CBF para estrear.


A Polícia Federal do Brasil recebeu mais cedo do Ministério das Relações Exteriores do Chile o documento que confirma que o jogador já cumpriu sua pena. Com o documento em mãos, o departamento jurídico do clube agiu rápido e conseguiu o visto para Valencia.



Leo Valencia treina no Botafogo à espera do visto de trabalho (Foto: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)


O clube está confiante de que a partir de agora restam poucos detalhes para que Valencia seja incluído no Boletim Informativo Diário da CBF e possa ser relacionado para os jogos. A tendência é de que ele fique à disposição de Jair Ventura a partir do duelo contra o Palmeiras, na próxima quarta-feira.


Por conta de um processo por agressão à ex-mulher, Leo Valencia foi condenado a cumprir pena alternativa no Chile. Por isso ele está tendo dificuldades para conseguir o visto de trabalho no Brasil no MInistério do Trabalho.


Semana passada, o botafoguense Rodrigo Maia, que é presidente da Câmara dos Deputados e primeiro na linha sucessória da Presidência da República, entrou no circuito e ligou, segundo o jornal O Globo, para o secretário-executivo do Ministério da Justiça, José Levi.


O pedido de Maia foi para que o amigo ajudasse a agilizar o processo do jogador botafoguense, que desembarcou no Rio de Janeiro no útlimo dia 9, desde então, aguarda pela sua regularização.


Fonte: GE/Por Felippe Costa e Marcelo Baltar, Rio de Janeiro

O preço do sucesso: com maratona à frente, Bota terá de poupar no Brasileiro


Time terá nove jogos até o fim de agosto, e clube planeja priorizar fases decisivas da Libertadores e da Copa do Brasil em determinados momentos.






Botafogo terá nove jogos até o fim de agosto (Foto: André Durão)

Vitória maiúscula, classificação... O momento é excelente, mas o Botafogo não tem tempo para comemorar. E muito menos para descansar. Avançar nas principais competições é o objetivo, mas tem seu preço. Até o final de agosto, serão nove jogos. Alguns deles decisivos.


Maratonas ao longo da temporada não são novidades para o Botafogo. No entanto, a medida que as competições vão se afunilando, a importância das partidas aumenta. E com isso quem deve pagar o preço é o Campeonato Brasileiro. Em agosto, a tendência é que Jair Ventura volte a poupar jogadores em alguns jogos.


- Não podemos correr riscos. Não posso ir contra a fisiologia. Teremos que poupar. É uma pena. Teremos que abrir mão dos titulares em alguns jogos do Brasileiro, que é um campeonato que queremos ir bem. Mas ninguém consegue jogar na mesma intensidade segunda, quarta e domingo. Infelizmente, teremos que poupar em algum momento - lamentou Jair Ventura.


A MARATONA ALVINEGRA

29/07 - Botafogo x São Paulo (Nilton Santos) - Brasileirão
02/08 - Botafogo x Palmeiras (Nilton Santos) - Brasileirão
06/08 - Cruzeiro x Botafogo (Mineirão) - Brasileirão
10/08 - Botafogo x Nacional (Nilton Santos) - Libertadores
13/08 - Botafogo x Grêmio (Nilton Santos) - Brasileirão
16/08 - Botafogo x Flamengo (Rio de Janeiro) - Copa do Brasil *
20/08 - Ponte Preta x Botafogo (Moisés Lucarelli) - Brasileirão
23/08 - Flamengo x Botafogo (Rio de Janeiro) - Copa do Brasil *
27/08 - Bahia x Botafogo (Arena Fonte Nova) - Brasileirão

Fonte: * Os mandos da Copa do Brasil serão definidos em sorteio na segunda


De fato, o mês de agosto será intenso. Além do Brasileirão, o Botafogo terá jogos decisivos na Libertadores e na Copa do Brasil por três semanas seguidas: Nacional-URU, no dia 10, e os duelos contra o Flamengo, nos dias 16 e 23.


A boa notícia é que seis dos nove jogos até o fim de agosto serão no Rio de Janeiro. Portanto, o clube terá apenas três viagens neste período: Cruzeiro (Belo Horizonte), Ponte Preta (Campinas) e Bahia (Salvador).


Fonte: GE/Por Felippe Costa e Marcelo Baltar, Rio de Janeiro

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Corinthians se reúne com agente e tenta a contratação de zagueiro do Botafogo


Empresário e os pais de Emerson Santos, de 22 anos, estiveram no CT Joaquim Grava nesta quinta para conversar com a direção. Timão tentará acordo com os cariocas




O Corinthians possui negociações com o zagueiro Emerson Santos, de 22 anos, vinculado ao Botafogo até dezembro. Com acordo de renovação emperrado com o clube carioca, o jogador surgiu como opção para reforçar a defesa do Timão. Ele fez apenas dois jogos pelo Brasileirão.


Nesta quinta-feira, a diretoria do Timão recebeu a visita do empresário e dos pais do jogador no CT Joaquim Grava. No encontro, as partes discutiram um possível acordo, que ainda depende de uma conversa com o Botafogo. Em junho, ele também teve o nome ligado ao Timão em uma suposta troca com o atacante Luciano, hoje no Panathinaikos, da Grécia. O negócio não evoluiu.


Apesar de estar livre para assinar um pré-contrato desde o início de julho, o Corinthians vai procurar o clube carioca para tentar um acordo de liberação imediata sem custos. A negociação pode envolver o meia Alan Mineiro, jogador que agrada ao técnico Jair Ventura, e que defende o Vila Nova por empréstimo na Série B.



Emerson Santos pode ser o reforço para a defesa do Corinthians (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Revelado pelo Botafogo, o zagueiro subiu para os profissionais na Série B em 2015, mas ganhou espaço no ano passado, com Ricardo Gomes. Ele foi titular durante quase todo o ano e ajudou o clube a conquistar uma vaga na Libertadores.


Em janeiro, por conta do impasse na renovação, foi afastado do time e chegou a ficar fora da lista da Libertadores. Nos últimos meses, ele recebeu poucas oportunidades. Na quarta-feira, atuou como lateral-direito na vitória do Fogão por 3 a 0 contra o Atético-MG, pela Copa do Brasil.


Fonte: GE/Por Bruno Cassucci, São Paulo

Brenner é apresentado e espera reencontrar bom futebol do início do ano


Envolvido em troca com Camilo, ex-atacante colorado chega ao Rio de Janeiro para ser sombra de Roger. Artilheiro do Campeonato Gaúcho, ele fica no Botafogo por empréstimo até o fim de 2018






Brenner foi apresentado pelo gerente Antônio Lopes no Botafogo (Foto: Felippe Costa)


Último reforço anunciado, Brenner foi apresentado oficialmente nesta quinta-feira. No clube desde a semana passada, o atacante vestiu a camisa de jogo pela primeira vez, agradeceu a recepção dos compaheiros e falou sobre a disputa com Roger pela camisa 9.


Envolvindo na troca com com o Inter por Camilo, o centroavante avisa que chega a General Severiano para somar.


- Roger jogou muito ontem. Chego para somar, quero ajudar o Botafogo... Só quem ganha isso é o Botafogo. Temos três competições e precisamos ter um grupo forte. Agora é saber aproveitar essas oportunidades que o Jair for me dar.


Brenner chega ao Rio de Janeiro para reencontrar o bom futebol do início do ano. Ele foi artilheiro do Campeonato Gaúcho, mas depois perdeu espaço no Inter.


- Vivi um grande começo de ano no Internacional e é difícil falar o que aconteceu. Perdemos o Gaúcho contra uma equipe pequena. Depois vim perdendo espaço... É complicado falar disso. Não estava tendo oportunidade e optei pelo Botafogo. Espero ajudar.


Confira outros tópicos da coletiva:


Momento do Botafogo

- É diferente. O Botafogo vem vivendo um ótimo momento, todo mundo me recepcionou muito bem e só tenho a agradecer. Espero retribuir dentro de campo.


Jair Ventura
- No dia que meu representante deu como certa a negociação, ele disse que o Jair queria falar comigo. Mas não deu para conversarmos. Teve muita influência na minha vinda, pois é um dos melhores do Brasil. A gente sempre quer trabalhar com os melhores.


Características

- Sou um atacante de área, mas sei jogar por trás. Não gosto de ficar muito parado na área. Dentro do jogo a gente precisa criar alternativas. Não vejo problemas em jogar junto com o Roger.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Rio de Janeiro

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Com 1º tempo impecável, Botafogo faz 3 no Galo e avança na Copa do Brasil


Com gols de Carli, Roger e Gilson, equipe carioca elimina o Atlético-MG, após derrota por 1 a 0 no primeiro jogo, e se classifica para a semifinal





Com um jogo praticamente perfeito no primeiro tempo, o Botafogo carimbou sua vaga para a semifinal da Copa do Brasil. Jogando no Estádio Nilton Santos, nesta quarta-feira, o time da estrela solitária venceu o Atlético-MG por 3 a 0, após perder o primeiro jogo por 1 a 0 em Belo Horizonte, e, agora, terá pela frente o vencedor de Flamengo ou Santos, na próxima fase do mata-mata. O resultado complica mais ainda o momento vivido, que acabou de trocar de comando, mas que não mostrou mudanças.



Rodrigo Pimpão, Carli e Rodrigo Lindoso comemoram gol do Botafogo (Foto: Vitor Silva / SS Press / Botafogo)


O Fogão virou a vantagem que o Atlético-MG conquistou no Horto ao vencer por apenas 1 a 0. Na primeira etapa, Carli e Roger colocaram o Botafogo em uma situação bastante confortável. Quando o Atlético-MG apertou a pressão em busca do gol da classificação, nos minutos finais do segundo tempo, Gilson, em um contragolpe fatal, fez o terceiro dos donos da casa e garantiu a vaga.


O jogo

O Botafogo mostrou seu cartão de visitas logo aos cinco minutos. Depois de uma pressão inicial, Carli aproveitou chute errado de Bruno Silva e, sozinho na área, desviou para explodir de alegria o Estádio Nilton Santos pela primeira vez. Aos poucos, o Atlético-MG equilibrou às ações e segurou o ímpeto dos donos da casa. Usando o lado direito, o Bota criava suas principais chances de perigo e, justamente no setor, chegou ao segundo gol. João Paulo cruzou na medida para Roger, que ganhou de Gabriel e testou para o fundo do gol, dando a vantagem que o time precisava ainda na primeira etapa.



Victor não consegue segurar cabeceio de Roger, no estádio Nilton Santos (Foto: Vitor Silva / SS Press / Botafogo)


Disposto a ter melhor sorte em seu primeiro jogo no comando, Micale sacou Robinho e Yago, após o intervalo, dando lugares para Rafael Moura e Rafael Carioca. No entanto, o Atlético-MG mudou pouco seu jogo, com muitos toques de bola, mas sem chances de gol efetivas. Já o Botafogo contava com grande noite de Roger para puxar os contragolpes e levar perigo ao gol de Victor. A partir dos 20 minutos, o Galo aumentou a pressão e passou a chegar com mais força, principalmente em jogadas do lado esquerdo, com Fábio Santos e Cazares. No entanto, não obrigou Jefferson a fazer nenhuma defesa e ainda viu Gilson, em um contra-ataque perfeito, nos acréscimos, fazer o terceiro e jogar a pá de cal na vaga.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com, do Rio de Janeiro

Jair celebra primeiro tempo "impecável" e destaca importância do planejamento


Técnico diz que atuação na etapa final contra o Atlético-MG foi uma das melhores desde que assumiu a equipe: "Nosso time estava muito leve, descansado"





Os gols de Botafogo 3 x 0 Atlético-MG pelas quartas de final da Copa do Brasil


Após a boa partida contra o Atlético-MG e a vitória por 3 a 0 que garantiu vaga na semifinal da Copa do Brasil (confira os gols no vídeo acima), Jair Ventura celebrou o planejamento feito pelo Botafogo até o jogo decisivo. Para o técnico, foi importante o time chegar descansado para reverter a vantagem construída pela equipe mineira no jogo de ida.


- Planejamento. Poupamos os titulares contra o Atlético-GO (pelo Campeonato Brasileiro) e corremos riscos. Por causa do planejamento, vencemos. Nosso time estava muito leve, descansado. Isso foi muito bom para nossa grande performance. É logico que tem a entrega dos atletas, grandes responsáveis, mas dentro de um planejamento.


Jair ainda elogiou bastante a atuação de seus comandados na etapa inicial nesta quarta-feira no Nilton Santos.


- Um dos meus melhores primeiros tempos desde que assumi o Botafogo. Impecável. Os atletas estão de parabéns. No segundo, o time ficou mais com a bola. Não pedi para recuar, mas o Atlético-MG entrou no jogo. Entrei com o Guilherme e com o Gilson - reumiu.



Jair Ventura durante a vitória por 3 a 0 do Botafogo sobre o Atlético-MG no Nilton Santos (Foto: André Durão)


Confira outras respostas de Jair Ventura:


Formação do Atlético-MG
- Temos um estudo muito forte do adversário. Ficou essa dúvida com a mudança de treinador. A imprensa acabou ajudando com essa situação de que não entraria com o Rafael Moura. O Micale mudou um pouco o sistema. Foi uma situação que tivemos dois minutos para identificar e conseguimos. Criamos muito dentro dessa situação. Eles perderam em estatura. E aproveitamos as bolas paradas.


Motivação
- Nossa preleção foi em cima disso. Sempre tem um tema. Qual o tema? Falei: “Zagallo”. Faltam cinco. Estamos muito próximos. Nossa análise fez um vídeo maravilhoso. Campeonato começou com 92 equipes. Estamos no caminho. Temos limitações financeiras, mas não limitações de entrega e de vontade.


Opções na escalação
- Eu tenho o Luis Ricardo que é da posição e entro com o Emerson. Se eu perco, eu sei que terei uma conta para pagar. Mas não posso abrir mão do que eu penso. Mas é legal quando você faz o que não seria o mais comum e as coisas acontecem. Depois entrei com o Gilson no meio. É legal, é gratificante.


Superação
- Trabalhamos para não sofrer. Mas nem sempre dá. Às vezes a gente faz um gol e muita gente acha que a gente para de jogar. Derrubamos um dos melhores elencos do país. Jogadores na faixa de R$ 700 mil e R$ 1 milhão por mês. Dois jogadores desses pagam nossa folha salarial.


Poupar jogadores
- Temos nossos indicadores. Não podemos correr riscos. Se eu coloco o Luis Ricardo teria uma grande chance de lesões. Não posso ir contra a nossa fisiologia. Teremos que poupar. É uma pena. Teremos que abrir mão do Brasileiro, que é um campeonato que queremos ir bem. Mas ninguém consegue jogar na mesma intensidade segunda, quarta e domingo. Infelizmente, teremos que poupar em algum momento.


Fonte: GE/Por Felippe Costa e Marcelo Baltar, Rio de Janeiro

terça-feira, 25 de julho de 2017

Gatito segue fora, e Jefferson será titular no jogo decisivo contra o Atlético-MG


Goleiro paraguaio está sendo prepaparado para o duelo diante do São Paulo, no próximo sábado, pelo Campeonato Brasileiro. Jefferson segue como titular





Jefferson e Gatito Fernández, goleiros do Botafogo (Foto: Divulgação)


Não será dessa vez que Gatito Fernádez voltará ao gol do Botafogo. Se recuperando de um corte no joelho, o paraguaio será poupado do confronto diante do Atlético-MG, nesta quarta-feira, no Estádio Nilton Santos, pelas quartas de final da Copa do Brasil. A notícia foi dada pela Rádio Globo e confirmada pelo GloboEsporte.com.


A comissão técnica do Botafogo prepara a volta do goleiro para o jogo contra o São Paulo, no próximo sábado, pelo Campeonato Brasileiro. Com isso, Jefferson permanece como titular.


Com a derrota por 1 a 0 no jogo de isa, o Botafogo precisa vencer por dois ou mais gols de diferença para avançar para as semifinais. O empate garante a equipe mineiro. Se o placar for o mesmo do Independência, a decisão será nos pênaltis.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar, Rio de Janeiro

Carli minimiza fase do Atlético-MG e sonha com título no ano: "Esse grupo merece"


Zagueiro do Botafogo diz que momento ruim do Galo não influenciará na partida de quarta, pela Copa do Brasil, e elogia postura do elenco, que perdeu peças importantes como Montillo e Camilo





Carli em jogo contra o Coritiba (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


O técnico Jair Ventura, do Botafogo, já disse em diversas oportunidades que o time encara cada jogo como uma decisão e não tem como ser diferente na próxima quarta-feira, contra o Atlético-MG, no Estádio Nilton Santos. O confronto vale uma vaga nas semifinais da Copa do Brasil.


O Botafogo perdeu por 1 a 0 no jogo de ida, em Belo Horizonte, e precisa reverter o resultado em casa. Pelo momento ruim que atravessa do Atlético-MG, o torcedor pode até achar que a situação favorece o alvinegro carioca, mas isso não passa pela cabeça dos jogadores.


- Procuramos não pensar muito nisso. O nosso grupo está muito concentrado nesse jogo e não levamos em consideração o retrospecto do time adversário. O objetivo principal é fazer uma boa partida. Se fizermos isso, a chance de classificação é maior - disse o zagueiro Joel Carli.


Aos 30 anos, Carli vive o melhor momento da carreira e tem no Botafogo a chance de comemorar um grande título como profissional, já que atuou em equipes de menor expressão na Argentina. O zagueiro fala da possibilidade.


- Esse grupo merece um título. A nossa equipe sempre deixa o máximo dentro de campo em todo o jogo e isso acaba deixando um time mais perto das vitórias. Mas sabemos da dificuldade que teremos. O Atlético-MG tem uma grande equipe e conta com jogadores renomados. É mais uma partida complicada.


Perdas de jogadores importantes



Carli e Montillo tinham grande amizade no Botafogo (Foto: Twitter/Botafogo)


E o elogio ao grupo não é exagerado. O elenco vem mostrando muita superação na temporada, principalmente com as constantes ausências de jogadores lesionados e outros que deixaram o clube, como são os casos de Sassá, Montillo e Camilo. Carli cita a entrega em campo como receita para essas adversidades.


- A vontade da equipe dentro dos jogos. Todos os atletas se ajudam dentro de campo e sabem o que precisa ser feito. Mesmo perdendo grandes jogadores como Camilo e Montillo, a equipe permanece forte. Queremos fazer história com a camisa do Botafogo. Mas precisamos pensar em uma partida de cada vez. E o próximo jogo será contra uma grande equipe, mas estamos preparados.


Antes de encarar o Atlético-MG, às 19h30 (de Brasília), na quarta-feira, o Botafogo ainda treina no fim da tarde desta terça, no campo anexo do Estádio Nilton Santos.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Rio de Janeiro

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Presidente do Botafogo freia expectativa da torcida por reforços: 'Orçamento está muito apertado'


Já com Valencia e Brenner contratados, Carlos Eduardo Pereira admite a dificuldade financeira do clube para trazer mais atletas. Empate com o lanterna incomodou




Carlos Eduardo Pereira está no último ano do primeiro mandato como presidente do Alvinegro (Foto: Vinícius Britto)


Especialmente após o empate com o Atlético-GO, lanterna do Campeonato Brasileiro, no último domingo, parte da torcida do Botafogo ficou preocupada. A opção do técnico Jair Ventura de poupar os titulares por conta do duelo contra o Atlético-MG, nesta quarta-feira, pela Copa do Brasil, causou apreensão em relação ao real poder do elenco alvinegro. Contudo, o presidente do clube, Carlos Eduardo Pereira, avisa que dificilmente novas contratações serão feitas.

- Eu não colocaria muitas expectativas porque o nosso orçamento está muito apertado. Temos como prática não reagir a resultados. A prioridade do clube (no momento) é a Copa do Brasil, e foi um empate, fora de casa, no Campeonato Brasileiro. Os reforços devem estrear contra o São Paulo: Brenner e Valencia. Se surgir outra possibilidade será bom, mas eu não colocaria como prioridade imediata - entende o mandatário.

Apesar do otimismo do presidente em relação a Valencia, o chileno ainda espera a obtenção do visto de trabalho por parte da Polícia Federal. No caso dele, que sofreu processo no país natal, um parecer do Ministério da Justiça do Brasil é necessário. Espera-se que até o fim da semana a situação esteja resolvida. Para atuar contra o Tricolor Paulista, ele precisará estar no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF até sexta-feira.

No fim de semana, o jornal O Globo publicou que até o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, estaria envolvido na busca pela liberação do atleta de forma ágil. O mandatário do Glorioso não vê problema.

- Não chega a ser uma surpresa (o processo de Valencia). O caso está num trâmite da legislação brasileira, está no Ministério, e o presidente Rodrigo Maia é um botafoguense sempre engajado. Se há uma possibilidade de fazer um pedido dentro da regra (não vejo problema) - ponderou.


Fonte: GE/Felippe Rocha/Rio de Janeiro (RJ)

Brenner faz seu 1° treino com bola; Pimpão deixa campo com dores no tornozelo


Diretoria alvinegra espera regularizar o atacante, que veio do Internacional, para a partida contra o São Paulo, no sábado, pelo Campeonato Brasileiro





Após o empate em 1 a 1 com o Atlético-GO, o elenco do Botafogo desembarcou no fim da tarde desta segunda-feira no Rio de Janeiro e foi direto para o treinamento no Estádio Nilton Santos. A grande novidade do dia foi a presença do atacante Brenner em campo.


Emprestado pelo Internacional, o jogador treinou pela primeira vez com os companheiros e mostrou bom aproveitamento na atividade de finalização, que também foi realizada por Roger e Valencia. Assim como o chileno, o clube espera regularizá-lo a tempo do próximo jogo do Brasileiro, contra o São Paulo, no sábado.



Brenner participou de treino com bola no Botafogo (Foto: Felippe Costa/GloboEsporte.com)


Cabeça no Galo

Enquanto isso, as atenções do Botafogo estão voltadas para a partida de quarta, contra o Atlético-MG, que vale uma vaga nas semifinais da Copa do Brasil. Na atividade desta segunda, Jair também fez um trabalho de ataque contra defesa e, num determinado momento, armou a defesa com Emerson Santos, Carli, Rabello e Victor Luis.


Gatito treinou normalmente e tem grandes chances de voltar ao gol alvinegro. O paraguaio, inclusive, participou dos trabalhos de ataque contra defesa, quando a linha defensiva foi formada com jogadores titulares.


Pimpão sente e assusta


Pouco antes do término da atividade, Rodrigo Pimpão sentiu o tornozelo direito e saiu de campo com uma bolsa de gelo no local. O atacante desceu para o vestiário. O treino desta terça servirá para ter uma análise melhor em relação a sua participação na quarta ou não.


Após perder o jogo de ida por 1 a 0, o Botafogo precisa vencer por dois gols de diferença para avançar para a próxima fase da Copa do Brasil. A vitória por 1 a 0 leva a decisão para os pênaltis. Empate dá a vaga ao time mineiro. O confronto está marcado para quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Rio de Janeiro

domingo, 23 de julho de 2017

Em jogo fraco tecnicamente, Atlético-GO e Botafogo não saem do empate


Alvinegro, que atuou praticamente com todos os reservas, abriu o placar com Vinícius "Tanque", mas acabou sofrendo a igualdade após erro na saída de bola





Melhores momentos de Atlético-GO 1 x 1 Botafogo pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro

Em um jogo tecnicamente fraco, Atlético-GO e Botafogo, que começou apenas com um jogador titular (Bruno Silva), empataram em 1 a 1, na noite deste domingo, no Estádio Olímpico de Goiânia, em Goiás, em jogo válido pelo Brasileiro. Os gols foram marcados por Vinícius "Tanque" e Paulinho.


Como fica?


Com o resultado, o Botafogo vai aos 24 pontos, e o Atlético-GO aos nove. Na próxima rodada, o Dragão visita a Chapecoense, domingo, na Arena Conda. Já o Alvinegro recebe o São Paulo, um dia antes, no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro.


Atlético-Go domina o primeiro tempo


Na última colocação no Campeonato, o Atlético-GO aproveitou os desfalques do Botafogo e começou melhor. Logos aos 15, Walter descolau belo lançamento para a área. Andrigo deixou escapar, mas a bola sobrou para Jorginho, que desviou e mandou para fora. O primeiro tempo foi marcado pelo domínio do Dragão, que parava na boa marcação do Alvinegro.


O único ataque do Botafogo aconteceu aos 40. ViníciusTanque recebeu na direita e achou Guilherme no meio. O atacanteu cruzado, a bola desviou e saiu pela linha de fundo.


Jogo melhora

Assim como na etapa inicial, o Atlético-GO esteve melhor no segundo tempo, tanto que quase abriu o placar aos três minutos. Walter pegou sobra na entrada da área e soltou a bomba. Jefferson espalmou para o lado.


O Botafogo respondeu com um gol aos 23. Gilson recebeu na ponta esquerda e cruzou na cabeça de Vinicius, que marcou. O Atlético-GO não se abateu e empatou sete minutos depois. Dudu Cearense saiu errado, Paulinho ficou com a bola e tocou para Jorginho. O camisa 10 rolou para o meio, e Diego Rosa, em posição duvidosa, dividiu com Emerson Silva, que cortou mal e deixou para o próprio Paulinho concluir: 1 a 1.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com, Goiânia, GO

Rodada #16: tudo o que você precisa saber sobre Atlético-GO x Botafogo



Times se enfrentam na noite deste domingo, às 19h, no Olímpico de Goiânia. Enquanto os cariocas buscam uma vaga no G-6, o Dragão tenta se reabilitar após jejum de oito jogos




(Foto: Infoesporte)


O jogo

Atlético-GO e Botafogo se enfrentam vivendo climas totalmente diferentes. Lanterna com apenas oito pontos, o Dragão não vence há oito jogos e vem de goleada vexatória diante do Sport, no meio de semana. O técnico Doriva foi demitido e dá lugar ao assistente João Paulo Sanches. O Alvinegro, por sua vez, chega em alta. Invicto há quatro partidas, o time carioca é sétimo colocado com 23 pontos e persegue o G-6.


Transmissão: Premiere



(Foto: )


Atlético-GO - técnico João Paulo Sanches

A escalação do Dragão pode ser considerada uma incónita. A delegação rubro-negra retornou de Fortaleza apenas às 21h de sexta-feira e João Paulo Sanches comandou apenas uma atividade antes do duelo contra o Botafogo. A atividade foi realizada com portões fechados, e o treinador não revelou a equipe titular que pretende levar a campo.


Desfalques: todos à disposição.

Pendurados: André Castro, Andrigo, Walter, Igor e Marcão




(Foto: GloboEsporte.com)



Botafogo - técnico Jair Ventura

Desgastado por dois jogos nesta semana (segunda e quinta) e de olho no Atlético-MG pela Copa do Brasil, o Botafogo terá um time muito modificado neste domingo. Quatro jogadores estão suspensos: Emerson Santos, Carli, Igor Rabello e Pimpão. Além deles, a comissão técnica decidiu poupar Lindoso e Roger. Até por isso, alguns jovens do sub-20 foram chamados para compor o banco


Desfalques: Jonas, Marcinho, Airton, Gatito, Bochecha e Arnaldo (DM); Brenner e Leo Valencia (ainda não foram inscritos); Lindoso e Roger (poupados).


Pendurados: Arnaldo, Bruno Silva e Gilson




(Foto: GloboEsporte.com)




(Foto: Infografia )


Caio Augusto Vieira (RN) apita a partida em Goiânia. Flávio Barroca (RN) e Vinícius de Lima (RN) serão os auxiliares.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com, Goiânia

sábado, 22 de julho de 2017

Do osso ao filé: Lindoso exerce liderança silenciosa e celebra renovação no Botafogo


Um dos poucos remanescentes da Série B no atual elenco, ex-meia se firma como primeiro volante e capricha na saída de bola: 92,3% de acerto de passes no Brasileirão






Rodrigo Lindoso renovou na semana passada por mais dois anos (Foto: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)


Jogador discreto, que não aparece tanto para a torcida, Rodrigo Lindoso pode dizer que conhece bem o Botafogo. Nos seus dois anos no clube, roeu o osso na Série B, vivenciou a ascensão na Série A e agora saboreia o "filé mignon" da Libertadores.


Um dos jogadores com mais tempo de clube no atual elenco, Lindoso renovou na semana passada por mais dois anos. O novo vínculo vai até dezembro de 2018. Ele será poupado contra o Atlético-GO, no domingo.


- Foi bom. Dá tranquilidade. Mas, é claro, traz mais responsabilidade. Como já venho desde 2015, é a minha segunda renovação. Isso faz parte do belo trabalho que eu venho fazendo e da minha dedicação ao clube. Seguiu tudo como eu planejava - disse o jogador.


Com 90 jogos e sete gols pelo Botafogo na bagagem, Lindoso, hoje, é um dos líderes do elenco. Não uma liderança de muitas palavras e cobranças, mas sim algo exercido no dia a dia, por quem é próximo de todo o grupo.


- Já vivi muita coisa. O Jair já me deu a faixa de capitão quando o Carli e o Jefferson não estão. Isso é bom, uma responsabilidade que gosto. Sinto que tenho uma parcela de importância. Mas aqui tem jogador que chegou há pouco e tem a última palavra. Não tem vaidade. Nosso capitão Jefferson, que é um ídolo do clube, não tem vaidade. Então o grupo em si é o mais importante - elogiou.


Lindoso alternou entre titulares e banco no início da temporada, mas firmou-se na equipe principal após a lesão de Airton. Desde então vem se destacando pela eficiência nos passes. No Brasileiro, ele tem 92,3% de acerto.


- É importante, até pela minha origem de meia. O meia, o camisa 10, tem que ter um passe mais apurado, saber o momento certo, a força... Então quando você recua, essa característica acaba te ajudando. Hoje em dia, mesmo ali atrás, os atacantes pressionam a saída de bola, mas é diferente. Acho que esse meu papel é importante para a equipe. Fico feliz. Tanto o passe curto, quanto o mais longo, é a minha principal característica como jogador



Rodrigo Lindoso marcou contra o Sport, na última segunda-feira (Foto: André Durão)


Confira outros trechos da entrevista.

Gol diante do Sport
Quando você trabalha e se dedica, as coisas tendem a acontecer. Aconteceu essa situação de renovação, e no jogo seguinte marquei um gol, ajudei a equipe. Quero aproveitar esse momento. A gente sabe que no futebol tudo muda rápido. Quero manter essa boa fase por mais tempo o possível.


Boa fase ajudou na renovação?
Sem dúvida. Costumo dizer que o atleta, quando joga poucos minutos, é muito complicado para mostrar o trabalho. No início do ano joguei alguns jogos e outros não. Agora estou tendo uma sequência muito boa, apesar de cansativa pela quantidade de jogos. Isso me dá confiança.


Imune a lesões?
Sempre tive o histórico de poucas lesões. Sei que estamos sujeitos a isso. No início do ano o pessoal da preparação física e o departamento médico levou muitas pancadas. Mas a culpa nunca foi deles. Creio que isso é o acaso do futebol, outros clubes também têm quatro ou cinco jogadores machucados.


Ficou um foco no Botafogo. Um dos fatores que influenciam o fato de eu não machucar é justamente a preparação. É de se elogiar o pessoal da fisiologia e da preparação física, que pouco aparece. Mas eles têm uma importância muito grande na nossa recuperação.



Apresentado ao lado de Serginho em 2015, Lindoso chegou sem badalação. Hoje, é um dos jogadores mais antigos do elenco (Foto: Marcelo Baltar / GloboEsporte.com)


Hora do filé
O Neilton, que é meu amigo particular, foi especulado no Botafogo antes de ir para o Vitória. Brinquei com ele. “Você roeu osso aqui com a gente. Vem para cá para o filé”. Eu venho desde 2015, no início da recuperação do Botafogo. Saímos da Série B, voltamos para a Série A e logo em seguida a Libertadores. Vivemos um bom momento e temos que prolongar isso. Não sabemos até quando vai durar. Temos que manter os pés no chão e tentar manter esse bom momento


O que vai acontece no final do ano?
Temos um grupo muito bom. Acho que a gente merece um título. Estamos fazendo por merecer.



Com a filha Valentina na assinatura da renovação de contrato (Foto: Divulgação)

Paixão pela filha
Fico doido para chegar em casa, ver minha filha (Valentina, de 1 ano), quando volto das viagens. Até pela idade dela. Ela é a coisa mais importante da minha vida. É claro que a gente tem nossa profissão, mas a filha é a minha vida. Tudo o que eu faço é para ela.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar, Rio de Janeiro

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Condenação no Chile atrasa visto, e Valencia ainda não tem data para estrear


Condenado a cumprir pena alternativa por conta de agressão a ex-mulher, reforço do Botafogo ainda não conseguiu visto de trabalho. Clube aguarda liberação nos próximos dias




Principal reforço do Botafogo na janela, Leo Valencia não tem previsão para estrear. Sem visto de trabalho, a situação do chileno ainda não foi regularizada na CBF. Um antigo problema em seu país tem atrasado o processo.


Processado por agressão a sua ex-mulher, Leo Valencia foi condenado a cumprir pena alternativa no Chile. A situação, aparentemente, já foi resolvida em seu país, mas tem atrasado a questão do visto de trabalho do jogador no Brasil. A informação foi revelada pelo Esporte Interativo.



Leo Valencia ainda não foi regularizado pelo Botafogo (Foto: Twitter oficial do Botafogo)


O Botafogo tenta fazer com que o jogador cumpra o restante da pena alternativa no Brasil. O caso está no Ministério da Justiça. Os advogados do clube já apresentaram toda a documentação e estão confiantes que a situação será resolvida nos próximos dias.


- Não conto com eles para domingo (Brenner e Valencia). A situação do Valencia é um pouco mais enrolada – disse Jair Ventura, descartando qualquer possibilidade de contar com os reforços contra o Atlético-GO.


Apesar de ter vindo do exterior, Leo Valencia chegou ao Botafogo sem vínculo com outro clube. Ele estava livre no mercado após o fim do contrato com o Palestino. Até por isso, o meia poderá ser inscrito após o fechamento da janela internacional, nesta quinta-feira.


O nome do atleta, de acordo com o Botafogo, também já consta no TMS (Transfer Matching System) da Fifa.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com, Rio de Janeiro

Botafogo ainda não terá Leo Valencia e Brenner contra o Atlético-GO


Chileno ainda não conseguiu visto de trabalho e não foi regularizado na CBF. Ex-colorado ainda passará por exames no Rio e tendência é que fique à disposição contra o São Paulo




Melhores momentos: Atlético-PR 0 x 0 Botafogo pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro


O Botafogo tem quatro jogadores suspensos, tem jogo importante pela Copa do Brasil na próxima semana, mas ainda não será desta vez que Jair Ventura poderá contar com os novos reforças para rodar o elenco. Brenner e Leo Valencia não vão reforçar a equipe contra o Atlético-GO, no domingo.


São situações distintas. Leo Valencia chegou ao clube há duas semanas, mas ainda não está regularizado. O chileno ainda não conseguiu o visto de trabalho e por conta disso seu nome ainda não consta no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF.



Leo Valencia ainda não foi regularizado (Foto: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)


Apesar de ter vindo do exterior, Leo Valencia chegou ao Botafogo sem vínculo com outro clube. Ele estava livre no mercado após o fim do contrato com o Palestino. Até por isso, o meia poderá ser inscrito após o fechamento da janela internacional, nesta quinta-feira.


- Não conto com eles para domingo. A situação do Valencia é um pouco mais enrolada – disse Jair Ventura.


Recém-contratado, Brenner desembarcou no Rio de Janeiro nesta quinta-feira, ainda passa por exames e não se juntará à delegação alvinegro em Goiânia. O atacante ficará no Rio de Janeiro e é provável que fique à disposição para o jogo contra o São Paulo, no dia 29.



Brenner chega ao Rio para assinar com o Botafogo (Foto: Globoesporte.com)


Fonte: GE/Por Gabriela Ribeiro, Curitiba, PR

Jair elogia entrega do Botafogo no empate em Curitiba: "Não foi um resultado ruim"


Treinador frisa que seu time jogou para vencer, mas um ponto fora de casa não pode ser desprezado. Comandante alvinegro volta a falar em se reinventar após novos desfalques





Melhores momentos: Atlético-PR 0 x 0 Botafogo pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro


O Botafogo deixou a zona de classificação da Libertadores, mas não pode considerar o 0 a 0 contra o Atlético-PR fora de casa um mal resultado. Após a partida, Jair Ventura reforçou a dificuldades de jogar na Arena da Baixada, elogiou o adversário e destacou a entrega da equipe.


- O Botafogo joga para vencer, mas jogar aqui é sempre muito difícil. Apesar de o Atlético-PR estar próximo da zona de rebaixamento, empatou com o Corinthians. Eles vêm numa crescente. É uma equipe com tradição, grande elenco. Foi o melhor mandante no ano passado. Não é um resultado ruim, não - disse o treinador.




Jair Ventura (Foto: Gabriela Ribeiro)

Jair ainda lamentou o fato de o chute de Guilherme, nos acréscimos, não ter entrado, mas reiterou a importância do ponto fora de casa.

- Acabou não pegando a curva. Aquela bola que a gente tira e bate de chapa, acabou indo reto. Tinha que bater de chapa. Não fez a curva e não entrou. Mas foi um lance que a gente criou. Empate nunca é bom, mas jogando fora e as circunstâncias, foi um bom resultado.


Outros trechos


Entrega

É uma marca da nossa equipe, esse jogo coletivo. Tenho jogadores fantásticos que são super aplicados dentro do jogo. Facilita muito a vida do treinador. Os atletas são sempre os protagonistas, e eles vendem cada jogo muito caro. Jogo muito truncado, poucas oportunidades.


Sequência e desgaste

A gestão, o trabalho com setor de fisiologia. O número e a tendência dos atletas, a todo tipo de lesão. Às vezes, mesmo o atleta fazendo uma boa partida, você tem que tirar. Você vê o Pimpão, saiu com cãibra e estava assim até agora. Temos um elenco bem enxuto, mas vamos firmes em todas as competições. Isso tem um preço, principalmente na parte física. Mas a gente leva cada jogo como uma grande decisão para que a gente possa dar alegria para a torcida.


Desfalques

Tem que se reinventar, a gente vai mostrar a força do nosso enxuto elenco. Aqueles que estiverem em condições físicas de disputar esse jogo fora. A gente sempre busca o melhor time.

Nota: Cari, Rabello, Pimpão e Emerson Santos estão suspensos


Fonte: GE/Por Gabriela Ribeiro, Curitiba, PR

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Em jogo morno e final elétrico, Atlético-PR e Botafogo empatam sem gol


Em partida equilibrada, times deixam melhores oportunidades para os minutos finais, mas não saem do 0 a 0 em Curitiba



O jogo foi pegado, disputado, equilibrado... Faltou, no entanto, inspiração (na maior parte do jogo) a Atlético-PR e Botafogo, no empate sem gol, na noite desta quinta-feira, na Arena da Baixada. Em partida movimentada, mas em que nenhuma equipe realmente mostrou vontade de vencer, o 0 a 0 foi o placar mais justo em Curitiba. As melhores chances ficaram para os acréscimos, quando os dois times tiveram chances para decidir.

Um pouco melhor para o Botafogo, por estar em uma situação mais confortável no Brasileiro. Com o empate, o Alvinegro chegou a 23 pontos, mas caiu uma posição (7°) e saiu da zona de classificação para a Libertadores. O Furacão, por sua vez, está em 17°, com 17, e é o primeiro time fora da zona de rebaixamento.

As duas equipes voltam a campo no domingo. Enquanto o Atlético-PR recebe a Ponte Preta, às 19h, na Arena da Baixada, o Botafogo visita o Atlético-GO, no mesmo horário, em Goiânia.



Atlético-PR e Botafogo fizeram jogo equilibrado em Curitiba (Foto: Marco Oliveira/Site Oficial)


Sonolento

Chances de gols foram poucas, mas o Atlético-PR foi melhor no primeiro tempo. Com Sidcley inspirado, o Furacão avançou pela esquerda e criou as melhores oportunidades em cima de Emerson Santos, improvisado na lateral. Aos 5, Sidcley achou Pablo livre para cabecear para a boa defesa de Jefferson.

Apesar do maior volume, as chances ficaram por aí. Aos 30, Nikão puxou contra-ataque e achou Jonathan sozinho na área. O lateral saiu na cara de Jefferson, mas sentiu lesão muscular e não conseguiu concluir e foi substituído por Cascado. O Botafogo, por sua vez, chegou duas vezes com Pimpão e Roger, mas sem muito perigo.


Faltou o gol...


O panorama não mudou muito na segunda etapa. O Atlético-PR com a bola, mas pouco produtivo. O Botafogo, por sua vez, esperava, mas não conseguia encaixar contra-ataques. Aos poucos, no entanto, o clube carioca mudou a postura e começou a ameaçar. Matheus Fernandes perdeu um gol incrível. Guilherme, que entrou no lugar de Roger, também teve duas boas oportunidades.

A grande chance, porém, foi do Furacão. Jefferson espalmou chute forte de Nikão. No rebote, Ederson quase mandou para as redes, mas Victor Luis cortou de forma providencial. No fim, Emerson Santos foi expulso, e as equipes se soltaram. Aparentemente, guardaram o melhor para o fim. Guilherme mandou um chute rente à trave. Nikão também levou muito perigo de fora da área. O placar, porém, não se movimentou na Arena.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com, Curitiba, PR

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Brenner fala de saída do Inter, prevê volta de gols e elogia Bota: "Feliz para todo mundo"


Centroavante deixa o Inter para defender o Botafogo, em negócio que envolveu a transferência de Camilo ao Colorado, com contrato por empréstimo até dezembro de 2018




Brenner não esconde a empolgação com a mudança de ares do Inter para o Botafogo. Envolvido numa troca entre os dois clubes, com a chegada de Camilo ao Colorado, o centroavante revelou expectativa com a chance de disputar a Libertadores pelo Fogão e de encerrar a má fase pessoal na temporada em solo carioca.


O centroavante fez sua última fala como atleta colorado após sua despedida do Beira-Rio, nesta terça-feira, na vitória por 1 a 0 sobre o Luverdense, pela 15ª rodada da Série B, em que permaneceu no banco de reservas. No discurso, ainda preferiu adotar o "se", mesmo com todo negócio encaminhado.


– Não venho tendo (espaço) e se caso ocorrer a minha ida para o Botafogo, claro que todo o jogador quer. O Botafogo joga Libertadores e tudo mais. Por uma série de coisas, não só por um fator. Dependendo do que vai acontecer para ficar feliz para todo mundo – disse o atleta, sem confirmar o negócio, já tratado publicamente pelos clubes.



Brenner está de saída para o Botafogo (Foto: Eduardo Deconto/GloboEsporte.com)


A mudança de ares vem a calhar para Brenner devido ao momento pessoal. O jogador até mantém o posto de artilheiro da equipe no ano, com 13 gols em 26 jogos, mas não balança as redes desde abril, quando marcou ainda pelas quartas de final do Gauchão, na vitória por 3 a 1 sobre o Cruzeiro-RS, no Beira-Rio. Não anota um gol há 14 jogos.


– O que que vou te falar. É complicado eu dar essa resposta. Eu não venho atravessando bom momento. Não só eu, como a equipe. Vem acontecendo essa falta de gols. Vai passar. Os gols vão voltar a acontecer. Tem que ter cabeça tranquila. A risada amarelada é porque, como vocês disseram, sou o artilheiro. Tenho 25, 26 jogos e 13 gols. Então não é média ruim. Cada dois jogos um gol. Não dá para se falar muito. É bola para frente. Cabeça boa – diz o jogador.



Na negociação, o jogador defenderá o Botafogo por empréstimo até dezembro de 2018, ao passo que o meia rumará ao Beira-Rio em definitivo, em troca ainda de uma dívida antiga do clube carioca pelo lateral Marcelo Cordeiro. O Fogão ficará com 50% do percentual de uma futura venda de Camilo e com 20% de uma tratativa envolvendo Brenner.


Brenner foi contratado pelo Inter ainda no ano passado, após se destacar no Gauchão pelo Juventude. O jogador teve de se recuperar de uma lesão muscular da época do Juventude e só atuou, de fato no segundo semestre, tendo poucos minutos em campo na campanha para o rebaixamento à Série B. Em 2017, o jogador iniciou a temporada como reserva, mas ganhou a confiança de Antônio Carlos Zago ao empilhar gols no primeiro semestre. Gols que, inclusive, cessaram após o estadual. Agora, busca nova vida no Botafogo.


Fonte: GE/Por Tomás Hammes, Porto Alegre

Jefferson assina renovação, e contrato com o Botafogo vai até o fim de 2018


Goleiro voltou de lesão recentemente e em tido boas atuações. Desejo do goleiro é encerrar a carreira no Alvinegro



Ídolo da torcida alvinegra, Jefferson estendeu seu vínculo por mais um ano com o Botafogo. O novo contrato, assinado na manhã desta quarta-feira, vai até o fim de 2018. Aos 34 anos, o goleiro tem o desejo de encerrar a carreira em General Severiano, onde tem 431 partidas e é ídolo da torcida.



Jefferson assinou o novo contrato nesta quarta-feira (Foto: Divulgação)


As conversas pela renovação começaram há pouco menos de um mês, após Jefferson voltar a ser relacionado. O assunto foi tratado pelo MFD, empresa que cuida da carreira de Jefferson. A ideia inicial era de um vínculo até 2019. No entanto, em comum acordo, as partes decidiram acertar por mais um ano. O salário do goleiro será mantido.


Após mais de um ano parado e duas cirurgias por conta de uma lesão no braço esquerdo, Jefferson voltou a jogar no dia 9 de julho. Ele foi destaque no empate com o Atlético-MG e defendeu até pênalti. O camisa 1 também esteve em campo na vitória por 1 a 0 sobre o Fluminense, na semana passada, e no triunfo por 2 a 1 diante do Sport, na última segunda.


Fonte: GE/Por Felippe Costa e Marcelo Baltar, Rio de Janeiro

terça-feira, 18 de julho de 2017

Camilo vai ao treino se despedir e acertará a saída do Botafogo nesta terça


Clubes já têm entendimento e negociação será finalizada nesta noite. Alvinegro terá antiga dívida com o Inter, referente ao lateral Marcelo Cordeiro, abatida






Camilo deixa o Estádio Nilton Santos (Foto: Marcelo Baltar)


Camilo não joga mais no Botafogo. O meia esteve no treino da tarde desta terça-feira, no Estádio Nilton Santos, apenas para se despedir dos companheiros antes de seguir para Porto Alegre e ser anunciado como reforço do Internacional.


O clube carioca receberá Brenner, que será emprestado até dezembro de 2018, e terá uma antiga dívida de R$ 362 mil, referente ao lateral Marcelo Cordeiro, abatida. A troca será definitiva, mas o Botafogo manterá 50% dos direitos de seu camisa 10 e ficará com 20% do atacante.


As conversas ocorrem desde a semana passada e se intensificaram após Camilo ficar no banco contra o Fluminense. Na última sexta-feira, o diretor executivo do Inter, Jorge Macedo, esteve no Rio de Janeiro para acelerar o processo.


Camilo tinha contrato com o Botafogo até maio de 2018 e já estava em processo de renovação, mas a investida do Colorado, na última semana, mudou o rumo das negociações. O jogador não se sentia valorizado em General Severiano, mesmo reconhecendo que não está com o bom rendimento de antes.



Brenner vai jogar no Botafogo (Foto: Ricardo Duarte / Divulgação, Inter)


Artilheiro do Campeonato Gaúcho, com sete gols, Brenner perdeu espaço no Inter com a contratação de William Pottker. Ele tem contrato até 2020 com o Colocado. Aos 23 anos, o atacante também chamou a atenção do Nantes, da França.


Fonte: GE/Por Felippe Costa e Marcelo Baltar, Rio de Janeiro

Após quase um ano ausente, Luis Ricardo volta a jogar pelo Bota: "Frio na barriga"


Lateral entra no lugar de Arnaldo, que sai com problemas musculares e é dúvida para a próxima partida contra o Atlético-PR. Técnico Jair Ventura comemora o retorno do lateral







Longe de partidas oficiais desde que fraturou o tornozelo esquerdo em setembro do ano passado, Luis Ricardo, enfim, voltou a jogar pelo Botafogo na noite desta segunda-feira, na vitória por 2 a 1, diante do Sport, no Estádio Nilton Santos.


O lateral, que começou no banco de reservas, acabou entrando após uma lesão do companheiro de posição Arnaldo. Assim que foi chamado pelo técnico Jair Ventura, a torcida do Botafogo comemorou bastante e mostrou o quanto ele é querido.


- Estou muito feliz. Foi um jogo importante, quase um ano parado, mas Deus tem tempo para todas as coisas. Fui presenteado. Aquele frio na barriga, pois sabia da responsabilidade. Lamento apenas a lesão do Arnaldo.



Arnaldo manda mensagem para Luis Ricardo (Foto: Intagram)


Na coletiva de imprensa após o jogo, o técnico Jair Ventura comentou o retorno de Luis Ricardo aos gramados e lembrou de um elogio do ex-técnico Caio Júnior.


- Estou muito feliz pelo Ricardo. O jogo que se machucou era o líder de assistências do Botafogo. Era o capitão naquela oportunidade. Lembro que o meu amigo Caio Júnior, que agora está no céu, disse após aquele jogo que o Luis era jogador de Seleção. Existia uma dúvida de como ele voltaria. Tenho certeza que ele está feliz.


Confira, abaixo, mais assuntos abordados com o jogador:

QUASE UM ANO DA CONTUSÃO
- Lembro de cada detalhe, um passe para o gol de bicicleta do Camilo. Se tivesse com uma gravata no escritória não teria acontecido isso (risos).



Luis Ricardo Botafogo (Foto: Andre Durão)


JOGOS PELA TELEVISÃO

- Ficava em casa vendo eles jogando... Eu sentia junto. Hoje foi uma emoção grande. Nosso time não estava fazendo uma boa partida, mas o montante acabou facilitando para sair a vitória.


PENSOU EM PARAR?
- Em nenhum momento. A minha dúvida era como eu voltaria. Os profissionais aqui do Botafogo foram ótimos, a diretoria me deu tranquilidade.... Claro que não estou 100%, mas hoje mostrou que tenho tudo para evoluir.



Luis Ricardo, Botafogo (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


TITULAR CONTRA O ATLÉTICO-PR?

- Estamos sendo provados todos os dias e venho treinando para jogar. Se eu for esperar jogos fáceis, não vou jogar. Estou treinando para que a oportunidade chegue. É assim que o homem cresce.


CARINHO NO RETORNO

- Fui para o exame de doping e demorei para chegar no vestiário, mas recebi um abraço do Carli. Encontrei nosso outro capitão, que é o Jefferson. Ele se disse muito feliz por mim. O Carinho do grupo quando entrei foi demas. A família Botafogo é isso ai.



Auxiliar de Jair, Emilio Faro abraça o lateral Luis Ricardo (Foto: Felippe Costa)


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Rio de Janeiro