segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Sem folia! Depois de quatro dias de folga, Botafogo volta aos trabalhos


Jogadores puderam aproveitar o final de semana de Carnaval e agora viram a chave para a sequência da temporada. Na reapresentação, um trabalho físico leve no Nilton Santos



Nada de bola: treino desta segunda-feira priorizou a recuperação física (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Passado o final de semana do Carnaval, o Botafogo se reapresentou na tarde desta segunda-feira, no Estádio Nilton Santos. Em campo, os atletas realizaram apenas um trabalho físico, visando a recuperação para a sequência do ano. Desde que o time retorna do Paraguai, os atletas receberam quatro dias de folga para descansar e recuperar as energias, visto que a equipe só volta a entrar em campo no dia 12 de março, contra o Volta Redonda, na Taça Rio.

O grande destaque da atividade foi a presença de Montillo em campo. O meia - que havia sido cortado da viagem para o Paraguai por conta de lesão - está recuperado e já treinou com o restante dos seus companheiros. O goleiro Jefferson subiu ao campo antes do restante do grupo e fez um treino à parte.

O técnico Jair Ventura já havia destacado que, nessas quase duas semanas sem jogos, a expectativa é de realizar uma espécia de "nova" pré-temporada com o elenco, já que o período em Domingos Martins foi encurtado pela participação nas fases inicias da Libertadores. Assim sendo, ele poderá recuperar atletas antes lesionados e testar novas alternativas de jogos para o seu Botafogo.

Fonte: GE/LANCE! Rio de Janeiro (RJ)

Com hiato entre jogos, Botafogo volta a focar no Carioca e na Libertadores


Primeira jogo da competição internacional é no dia 14 de março. Depois, somente no meio de abril. Nesse meio tempo, Glorioso terá calendário livre na fase decisiva da Taça Rio


Em meio a maratona de jogos, elenco alvinegro resistiu e se classificou na Libertadores (Foto: Divulgação)


Se na Taça Guanabara o Glorioso entrou quase em todos os jogos com o time reserva - salve a exceção da estreia nela, contra o Madureira - na Taça Rio a tendência é de que o Botafogo jogue com o que tem de melhor no torneio que vai definir os semifinalistas do Campeonato Carioca. E isso se dá por conta de um hiato que o clube terá entre os jogos da competição e a partida no torneio que é prioridade dos comandados de Jair em 2017: a Copa Libertadores.

Depois da estreia contra o Estudiantes-ARG, no dia 14 de março, no Estádio Nilton Santos, o Glorioso só volta a entrar em campo pela competição um mês depois, no dia 13 de abril, contra o Atlético Nacional, na Colômbia. Nesse meio tempo entre os jogos, o Botafogo fará as cinco partidas finais da Taça Rio, que vão decidir os semifinalistas do Estadual, que se classificam pela soma dos pontos. A tendência é de ver um time mais focado no Carioca nesse período.

- Desculpa aqueles que acharam que o planejamento não estava certo, mas o planejamento estava certo. Abrimos mão de algumas competições, do Carioca, mas nosso objetivo principal foi alcançado - disse Jair Ventura depois da vaga no Paraguai, contra o Olimpia, lembrando dos reservas na Taça Guanabara.

Vale ressaltar que a classificação para a fase decisiva do Carioca se dá pelo acumulo de pontos do clube nos dois turnos da competição. Por enquanto, o Botafogo está com sete pontos somados, na quinta colocação, atrás do Madureira, que tem 10. Para chegar as semifinais, o Alvinegro precisaria cortar essa vantagem nas seis rodadas que tem por disputar agora, na Taça Rio.

Mesmo sem ser a prioridade alvinegra em 2017, o time segue vivo nas duas competições do início de temporada. Em uma, com muito suor e eliminando dois gigantes do continente. Na outra, cambaleando com os reservas. Agora, o mês de março pode ser a chance de entrar com tudo nas duas frentes.

A SEQUÊNCIA DE JOGOS DO BOTAFOGO:

​14.03 - Estudiantes-ARG - Libertadores
19.03 - Vasco - Taça Rio
22.03 - Fluminense - Taça Rio
26.03 - Bangu - Taça Rio
29.03 - Portuguesa - Taça Rio
​02.04 - Resende - Taça Rio
​09.04 - Semifinal - Taça Rio
13.04 - Atlético Nacional - Libertadores


Fonte: LANCE! Rio de Janeiro (RJ)

Helton Leite ou Gatito? Fartura de goleiros contrasta com drama de 2007


Com dupla em alta, disputa pela camisa 1 do Botafogo - enquanto Jefferson não volta -, está acirrada. Há uma década clube vivia situação bem diferente debaixo das traves



A classificação contra o Olimpia em Assunção abriu novamente o debate. Afinal, quem deve ser o titular do gol do Botafogo? Enquanto Jefferson se recupera de uma lesão no braço esquerdo, Helton Leite e Gatito se alternam debaixo das traves. Fartura? Situação bem diferente da de uma década atrás.

Hoje, somente Jair Ventura pode responder quem é o camisa 1 do Botafogo. Gatito foi contratado para ser titular, perdeu a posição para Helton Leite, que foi bem, mas se lesionou e abriu brecha para o paraguaio brilhar em Assunção. Com três defesas de pênaltis, Gatito voltou como herói do Paraguai. Como Jefferson só deve retornar no Campeonato Brasileiro, a disputa está aberta. 

Helton Leite e Gatito. Ambos foram bem contra o Olimpia (Fotos:Vitor Silva / SSpress / Botafogo)

Situação bem diferente da de dez anos atrás. Em 2007, o Botafogo formou um bom time, liderou por várias rodadas o Campeonato Brasileiro, mas pecou pela de segurança embaixo das traves. Foram quatro tentativas de goleiros. Nenhuma vingou.


Relembre os goleiros do Botafogo em 2007

Max foi uma das tentativas do Botafogo em 2007
(Foto: Agência O Globo)
Max - Falhou na Copa Sul-Americana, na derrota para o River Plate, em Buenos Aires por 4 a 2. O resultado eliminou o time carioca na Copa Sul-Americana. No Brasileiro, falhou até mesmo numa cobrança de pênalti - contra o Náutico em Recife.

Roger - começou a jogar logo depois da derrota para o River Plate, mas também não passou confiança. Quando contratado, havia a suspeita de uma lesão no ombro. Roger ficou muito tempo no departamento médico. Quando jogou, não foi bem.

Julio César - Hoje no Fluminense, era visto como promessa do clube e variava atuações. Grandes defesas e falhas. Falhou no gol de Cleiton Xavier na Copa do Brasil de 2007, no Maracanã - partida que ficou marcada pelo erro da auxiliar Ana Paula de Oliveira. Também falhou feio num gol do Náutico (no Maracanã) no Brasileirão daquele ano.

Marcos Leandro - foi contratado às pressas junto ao Olaria durante o Brasileiro em meio à crise dos goleiros do Botafogo. A estreia foi justamente no jogo que valia a liderança da competição, contra o São Paulo, no Maracanã. O Botafogo perdeu, e ele falhou no gol da equipe paulista. Depois teve raras chances. Era um nome totalmente desconhecido na ocasião.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com/Rio de Janeiro