terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Cobiçado por Flu e Inter, Alemão comemora renovação: "Sou do Fogão"


Lateral-direito não teme maior concorrência com volta de Luis Ricardo e chegada de Jonas e projeta Libertadores: "Fiz parte desta conquista e quero fazer desse sonho"



Cabeça no Botafogo! Alemão namora pôster com sua foto
 uniformizado durante as férias (Foto: Divulgação)
O novo contrato ainda não foi assinado, mas Alemão já fala como jogador do Botafogo pelos próximos três anos. Na semana passada, o clube aceitou a exigência do Bragantino em receber à vista e nos próximos dias vai pagar R$ 600 mil por 70% dos direitos econômicos do ala de 26 anos. Cobiçado por Fluminense e Internacional durante a novela por sua renovação, ele vibrou com a valorização pessoal, e ainda mais com a permanência em General Severiano.


– Muito feliz em ter renovado com o Botafogo. Feliz também por terem outros clubes grandes interessados em mim, mostra que fiz um bom trabalho. Ainda não assinei o contrato, mas está tudo certo. Sou do Fogão por três anos.


Contratado às pressas para substituir Luis Ricardo, lesionado, Alemão virou titular absoluto de Jair Ventura na reta final do Campeonato Brasileiro. Mas em 2017 terá maior concorrência no setor: o antigo dono da posição está recuperado e deve voltar na pré-temporada; além disso, o Botafogo foi buscar outro lateral-direito no mercado e trouxe Jonas, do América-MG. Nada que o assuste. Ele prevê uma briga boa e saudável para o Alvinegro.


– A briga será boa, sempre bom ter esse concorrência entre nós companheiros. Vou dar meu melhor sempre, com honestidade nos trabalhos, cabe ao treinador analisar quem está melhor no momento, sendo assim quem só tem a ganhar com isso é o Botafogo – analisou.


Para matar a saudade, lateral reencontra a bola com a garotada do seu bairro em Taboão da Serra (Foto: Divulgação)

Com a permanência garantida, Alemão não esconde a ansiedade para jogar a Libertadores, enquanto passa as férias com a família em Taboão da Serra, no interior de São Paulo. O maior torneio da América do Sul enche os olhos do lateral, que o vê como um "sonho".


– Claro que todo jogador sonha em disputar uma Libertadores, não foi o fator principal mas ajudou muito, pois fiz parte desta conquista e quero fazer parte desse sonho sendo recompensado disputando a competição – admitiu o jogador, que tem 10 partidas pelo Alvinegro, todas como titular, e duas assistências.


Com a contratação de Jonas semana passada, o Botafogo passa a ter cinco laterais para a posição: Alemão, Luis Ricardo, Jonas, Marcinho e Diego, que será emprestado. Ao todo, o Alvinegro já contratou seis reforços para a equipe em 2017: Montillo, Roger, Gatito Fernández, João Paulo, Gilson e Jonas, além de ter renovado com Emerson Silva e Igor Rabello. Outro jogador que o clube tenta prorrogar o vínculo é Victor Luis, emprestado pelo Palmeiras.


Fonte: GE/Por Thiago LimaRio de Janeiro

Botafogo encaminha venda de Luis Henrique para o Atlético-PR


Negociação tende a ser selado nesta terça-feira e Glorioso deve minimizar prejuízo


Luis Henrique teve início meteórico, mas não teve bom rendimento em 2016 (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Está chegando ao fim a passagem de Luis Henrique pelo Botafogo. Após a segunda investida do Atlético-PR, o atacante de 18 anos vai mesmo defender a equipe de Curitiba, rompendo um contrato que terminaria em maio. Nesta terça-feira a venda deve ser selada, com o Glorioso permanecendo dono de um percentual dos direitos econômicos do atleta.

Em 2015, quando o Alvinegro precisou, encontrou Luis Henrique ainda no time sub-17, mas em grande fase. Ele estreou e, na Série B, teve grande início. Até o fim do ano, de contrato prolongado, continuou regular. Mas a queda de rendimento, em 2016, foi bruta.

Enquanto não conseguia contratar um centroavante, o Botafogo tinha em Luis Henrique o titular dos primeiros treinos da pré-temporada. Porém, um a um, os concorrentes foram passando à frente do jovem. Ribamar, Sassá, Canales e até Vinícius Tanque terminou o ano com mais espaço.

Em meio a tudo isso, o tamanho do talento de Luis Henrique passou a ser colocado em dúvida, internamente, assim como incerta ficou a vontade de ambas as partes renovarem o vínculo. Ao mesmo tempo, um atleta com idade para estar nas divisões de base, sem jogar, é prejudicial ao desenvolvimento dele mesmo e ruim para o patrimônio do clube, que se desvaloriza.

O Atlético-PR surgiu pouco antes do fim da janela de transferências, interessado em levar a então joia alvinegra. Sem sucesso naquela ocasião, o Furacão buscou a promessa novamente para 2017. É onde o futuro do jogador vai acontecer.

CONVERSA COM A ROMA

Até meados deste ano, era Tanara Farinhas, mãe de Luis Henrique, quem o representava. Em seguida, com o jogador já sem espaço e o início da troca de farpas entre ela e a diretoria, o ex-jogador Sávio passou a agenciar o atleta. Neste meio tempo, entretanto, a Roma se interessou no futebol da revelação alvinegra e iniciou conversas para levá-lo à Itália. Não houve conclusão.


Fonte: Lancenet/Felippe Rocha/Rio de Janeiro (RJ)