quarta-feira, 17 de maio de 2017

Jair "ignora" vantagem do empate e dá recado a Sassá: "Futuro depende dele"


Dependendo do resultado entre Barcelona de Guayaquil e Estudiantes, o Alvinegro poderá garantir vaga nas oitavas de final da Libertadores com um ponto diante do Atlético Nacional




Jair Ventura dirante o treino do Botafogo no Estádio Nilton Santos (Foto: Vítor Silva/SSPress/Botafogo)



O Botafogo tem tudo para garantir na noite desta quinta-feira sua vaga antecipada para as oitavas de final da Taça Libertadores da América. Para isso, o time poderá até empatar, caso o Barcelona vença o Estudiantes momentos antes em duelo no Equador. Porém, o técnico Jair Ventura não se apega a isso. Segundo ele, o time vai entrar em campo para vencer o Atlético Nacional sem se preocupar com o resultado no Estádio Monumental.


- Vamos tentar a classificação antecipada, pois ainda temos um jogo. Essa possível vantagem pelo empate, caso aconteça, deve ficar para o final da partida. O Botafogo tem que entrar com inteligência, pois sabemos da força do Atlético Nacional. Vamos jogar o jogo para vencer. Vamos buscar ter equilíbrio. Perdemos o último jogo em casa e já vimos onde erramos. Tenho certeza que o nosso eterno Nilton Santos estará nos ajudando nesse jogo.


Perguntado da importância dessa classificação, o treinador lembrou do esforço feito pela diretoria para manter uma estrutura e deixar o elenco em condições de realizar um belo trabalho.


- A classificação representa muito. Nós temos um investimento muito curto. Todo mundo quer um Botafogo com grandes nomes, mas só temos que elogiar essa diretoria, que deixa os salários em dia. Temos que ter os pés no chão. O que adianta contratar grandes nomes e atrasar os salários? Tenho certeza que em alguns anos conseguiremos voos maiores.



Sassá trabalhou à parte e deixou o estádio após 50 minutos (Foto: Felippe Costa/GloboEsporte.com)


Confira outros tópicos da coletiva

Problemas fora de campo
- Faz parte do gestor. O grande desafio do treinador é ser o gestor. Vai ser assim na minha carreira toda. Já esperava isso antes de ser efetivado. É normal. Foi ontem, é hoje e vai ser assim bo futuro. Faz parte.


Sassá
- O que eu tinha que falar do Sassá falei na última coletiva. O futuro depende dele. A decisão já tinha sido tomada e eles (jogadores) ficaram sabendo depois


Última vitória contra o Atlético Nacional

- Lembrança é que esses jogos nos deram a chance de brigar na competição. Ainda temos dois jogos para resolver nossa classificação. É muito difícil vencer todos os jogos, acontece no mundo inteiro. Fica a lembrança desses jogos fora de casa e do que somos capazes de fazer.


Últimas jogos

- Os resultados oscilaram, mas nosso modelo de jogo não. Não podemos achar que está tudo errado. Na vida tudo é equilíbrio. Esse é o grande segredo do futebol e da vida para todos nós. Vamos ter uma outra postura e fazer um grande jogo.


Substitutos de Montillo e Emerson Silva
- Se você olhar bem a relação, não vai ter muito segredo (risos). Estamos em uma situação difícil devido às lesões, mas não deverá ter muitas novidades. A vida do treinador é isso. Buscar alternativas dentro do elenco. A gente tem que dar um jeito e fazer um grande jogo amanhã para conseguir a classificação.


Volta de Montillo
- Não foi uma lesão muito séria, como as do Jonas, Gustavo (Bochecha) e Marcinho, mas ele tem que ir no tempo dele. Ele paga o preço por ter vindo de um campeonato diferente como é o da China. A intensidade aqui é maior. Começamos o ano mais cedo como o Atlético-PR. A nossa grande final foi a Pré-Libertadores. Se nós não tivéssemos acelerado, não estaríamos disputando esse jogo de amanhã. Passamos por duas equipes muito técnicas. Estamos pagando o preço pelo desgaste no início do ano. Agora é tentar equilibrar.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, GloboEsporte.com, Rio de Janeiro

Sem treinar, Montillo desfalca o Bota na Libertadores; Sassá fica 50 min no clube


Argentino ainda trata inflamação na panturrilha e está vetado para partida desta quinta, contra o Atlético Nacional. Afastado pela diretoria, atacante faz apenas trabalho na academia






Última vez que Montillo foi visto foi caminhando em campo semana passada (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafog)



O último treino antes da partida valendo vaga nas oitavas de final da Libertadores confirmou mais dois desfalques para Jair Ventura. Além de Airton e Marcelo, suspensos, o técnico não terá ainda os retornos de Montillo e Emerson Silva, que continuaram sem ir a campo nesta quarta-feira e estão vetados para o duelo com o Atlético Nacional, da Colômbia, às 21h45 (de Brasília) desta quinta, no Nilton Santos. Sassá também está fora, mas por opção. Envolvido em polêmicas e em imbróglio para renovação de contrato, o atacante foi afastado pela diretoria e treina à parte.


Montillo não disputa uma partida oficial desde abril e segue no trabalho de fisioterapia, tratando uma inflamação na panturrilha. Já Emerson Silva está com dores no joelho após pancada. A situação de Sassá é diferente. Após uma segunda-feira turbulenta, com cobrança da torcida e rumores de saída do Botafogo, ele não treinou com o grupo, ficou no estádio por cerca de 50 minutos e saiu sem falar com ninguém. O jogador aguarda definição sobre o futuro. Cruzeiro e Palmeiras são possíveis destinos do atacante, que pode ser envolvido numa troca por Neílton.



Afastado, Sassá ficou 50 minutos treinando à parte e foi embora (Foto: Felippe Costa/GloboEsporte.com)


O Botafogo tem sete pontos no Grupo 1 da Libertadores e joga pela vitória contra os colombianos para garantir a vaga antecipada às oitavas de final, mas também pode se classificar com um empate, desde que o Estudiantes não ganhe do Barcelona de Guayaquil no Equador. Na última rodada, o Alvinegro encara o Estudiantes, na Argentina.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Rio de Janeiro

Não só Sassá... Bota tem mais jogadores "à venda" para aliviar folha e poder contratar


De olho em atacantes e apertado financeiramente, Alvinegro tenta abrir margem no caixa para arcar com eventuais maiores salários. Nomes como Joel e Renan Gorne estão fora dos planos



Ainda não começou a temporada de barcas no futebol brasileiro, porém, aos poucos o Botafogo vai conseguindo desinchar seu elenco. O plantel chegou a ter 42 jogadores no início do mês, mas o número já foi reduzido para 37 depois de: os retornos de Diego e Igor Cássio para o sub-20; a rescisão de contrato de Marquinho; e os empréstimos de Yuri e Dierson para Criciúma e Vejle FC, da Dinamarca, respectivamente. O próximo a sair pode ser Sassá, que está afastado do grupo e desperta o interesse de Palmeiras e Cruzeiro. Porém, há outros nomes "à venda" no Alvinegro.



Fora dos planos, Joel tem sete jogos e um gol pelo Botafogo (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Entre quem está fora dos planos, destaca-se Joel. Indicação de Jair Ventura, o atacante camaronês de 23 anos chegou ao Botafogo emprestado pelo Cruzeiro até dezembro, mas não se firmou: até agora, fez apenas sete partidas e um gol. Ele chegou a entrar no último jogo, contra o Grêmio, mas não mudou a opinião em General Severiano de que não convenceu. Outro nome é Renan Gorne. O centroavante de 21 anos subiu ano passado, mas não tem moral com o treinador e até hoje não estreou pelo profissional. Um empréstimo é visto com bons olhos.


Vinicius Tanque seria mais um candidato à barca, mas com a possível saída de Sassá ele passaria a ser o reserva imediato de Roger e pode ter mais oportunidades. Ainda no setor de ataque, Pachu, também de 21 anos, recebeu mais chances com Jair, só que foi mal em todas e pode acabar sendo cedido a outra equipe. Mais experiente entre a garotada, apesar de mais novo, com 20 anos, Leandrinho recém-recuperou de lesão e ainda não voltou a jogar. Porém, quando poderia aproveitar o espaço deixado pelo lesionado Montillo, anda em baixa internamente.


Apesar de estar fora da relação de inscritos na Libertadores, Renan Fonseca tem prestígio no elenco. Mas está no fim da fila entre os zagueiros, o que pode fazer o Botafogo aceitar liberá-lo em caso de proposta, só que seu alto salário pesa contra uma negociação. A folha salarial do clube gira em torno de R$ 3,5 milhões e os pagamentos estão em dia, mas a corda financeira ainda está no pescoço. Sem dinheiro para contratar, o Alvinegro espera abrir uma folga no caixa para investir em maiores remunerações, como por exemplo a de Neilton, um dos alvos.


O atual elenco alvinegro tem 19 jogadores com contrato só até dezembro. São eles: Joel, Airton, Dudu Cearense, Emerson Santos, Emerson Silva, Sassá, Gilson, Guilherme, Igor Rabello, Jonas, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Lindoso, Roger, Saulo, Vinicius Tanque, Montillo, Victor Luis e o ídolo Jefferson. O Botafogo planeja chegar até julho, quando os atletas poderão assinar pré-contratos com outros clubes, com a ampliação de vínculo de todos que fazem parte dos planos da comissão técnica de Jair Ventura.


Fonte: GE/Por Felippe Costa e Thiago Lima, Rio de Janeiro