quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Chape surpreende na Ilha e encerra série invicta de 7 jogos do Botafogo


Equipe catarinense vence por 2 a 0 no Rio de Janeiro e frustra os mais de 10 mil alvinegros que foram à Arena. Time de Jair Ventura não marca há três jogos





O roteiro parecia pronto. Embalado e invicto há sete jogos, o Botafogo recebeu a Chapeconese, na Ilha do Governador, na noite desta quarta-feira, na expectativa de encaminhar a vaga na Libertadores. A equipe catarinense, no entanto, tinha outros planos. Mesmo com a cabeça na Sul-Americana, a Chape estragou a festa alvinegra e venceu por 2 a 0, com gols de Kempes e Sérgio Manoel.


O resultado não foi trágico para o Botafogo, mas diminuiu a gordura na briga por uma vaga na Libertadores. Com 55 pontos, o time de Jair Ventura segue na quinta colocação, mas pode ver seus adversários por um lugar no G-6 se aproximarem. A equipe volta a campo no domingo, quando visita o líder Palmeiras, em São Paulo. Tranquila, a Chapecoense chegou a 49 pontos e subiu para a 10ª posição. 

Kempes marcou o primeiro gol da Chape (Foto: André Durão / GloboEsporte.com)

Com dois times intensos e muito fortes na marcação, era de se esperar um início de jogo sem muitas chances. A partida começou equilibrada, mas o Botafogo tinha mais iniciativa. Neilton quase marcou ao driblar o goleiro, mas se enrolou com Lindoso. Aos poucos, no entanto, a Chape colocou a bola no chão e passou a tomar conta. Kempes teve duas boas oportunidades. Na terceira, ele guardou de cabeça, após cruzamento de Cleber Santana. Camilo ainda acertou a trave em cobrança de falta, mas a equipe catarinense foi em vantagem para o intervalo.


O Botafogo voltou com outra postura e se lançou ao ataque. O goleiro Danilo fez ao menos três grandes defesas em chutes de Pimpão e Neilton e cabeçada de Camilo. O problema foi que a equipe carioca deixou muito espaço para contra-ataques. E em um deles, após belo lançamento de Tiaguinho, Sérgio Manoel ganhou na corrida de Emerson e tocou na saída de Sidão para ampliar: 2 a 0. A partir daí o que se viu foi pressão do Botafogo, mas sem qualquer organização. Os três jogos sem marcar pesaram, e o time, muito nervoso, perdeu muitos gols. A melhor chance, novamente, foi com Camilo, que acertou a trave mais uma vez. 


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com/Rio de Janeiro

Jair lamenta derrota para Chape, mas ressalta: "Não mexe na classificação"


Técnico reconhece que revés em casa foi ruim, mas destaca gordura adquirida na briga por vaga na Libertadores e pede reação contra o Palmeiras




Jair Ventura Botafogo (Foto: André Durão)
A derrota em casa por 2 a 0 para a Chapecoense encerrou a série invicta de sete jogos, mas não mudou a colocação do Botafogo no Campeonato Brasileiro. Apesar do resultado, a equipe segue na quinta colocação, próxima da classificação para a Libertadores. Para o técnico Jair Ventura, é hora de levantar a cabeça, não se abater e pensar na partida contra o Palmeiras, no domingo, em São Paulo.

- Estávamos invictos há sete jogos, não tem hora boa para perder. É sempre ruim, mas agora com final do campeonato os jogos vão ficando mais dramáticos, muito mais difícil para todas as equipes. Bom que conseguimos uma gordura, e não mexe na zona de classificação. Agora vamos trabalhar para encarar o líder - disse o treinador, após a partida.

Sobre o jogo, Jair Ventura elogiou a Chapecoense e disse que o adversário mereceu a vitória nessa quarta-feira.

- Aconteceu que a Chapecoense veio dentro de uma estratégia e foi muito feliz. A gente trabalhou ontem só bola parada, sabíamos da força da equipe deles. Conseguiram gol na bola parada, não é desculpa, é mérito deles. O Botafogo tentou, foi para cima, botou mais um meia, mas acabamos levando o segundo em contra-ataque. Resultado ruim jogando em casa dentro das nossas pretensões. Mérito da Chapecoense hoje.





Outros trechos

JOGO COM PALMEIRAS
Dificílimo, eles brigam pelo título, mas o Botafogo já mostrou força jogando contra grandes equipes também. Palmeiras vai buscar o gol o tempo todo, acaba criando espaço para a gente. De repente vão ter até mais chances de gol, não que não criamos hoje, tivemos mais posse, mas não vou usar como desculpa.

ALERTA LIGADO COM JEJUM DE GOLS?Já está desde o primeiro jogo que não conseguimos fazer o gol. Não tem hora boa para perder, agora na parte final bom que conseguimos uma gordura, não mexe na zona de classificação. Agora é trabalhar e encarar o líder. Agora a situação inverte, o time deles que vai jogar para cima, vai dar espaço para a gente. Ganha sempre quem é o mais eficiente, não quem tem mais posse. Já ganhamos jogos não jogando tão bem e já perdemos jogando melhor.

PESA O EMOCIONAL?
O emocional está tranquilo. Tem máximas no futebol que são verdades, quando o Camilo chutou aquela bola que bateu na trave, no chão e não entrou sabia que não era nosso dia. Mas não é desculpa, vamos buscar um grande jogo com Palmeiras lá.

QUEBRA DA INVENCIBILIDADE
O que era sete passa a ser três sem vencer. A gente convive bem com isso, sabe das nossas responsabilidades. Vamos buscar outra fase de vitórias, que são importantes para as nossas pretensões no campeonato. A gente queria ganhar, mas todos os times que estão tentando vencer em casa nem sempre conseguem. Temos feitos bons jogos fora, pensar para a frente, trabalhar e tentar fazer um grande jogo lá. A Chapecoense veio numa situação mais leve, pensando na semifinal da Sul-Americana, méritos deles, parabéns para o Caio (Júnior, técnico da Chapecoense).

FINALIZAÇÕES
A gente treina finalização, mas tem que ser mais eficiente, mais frio no terço final do campo. Somos muito competitivo, mas no segundo terço tem que ser um gelo, frio. Tivemos chances: Pimpão chutou, goleiro fez boas defesas, bola na trave...

BOLA AÉREA
Mesmo com o Vinícius (Tanque) a gente iria levar desvantagem nessa jogada aérea. Fizemos um treino só de bola parada ontem, mas vocês descobriram. Se pegar os números da Chapecoense, eles sofreram muitos gols na área de cruzamentos pelo alto. Apensar da boa estatura da defesa, têm um pouco de dificuldade. Nossa estratégia era a bola no chão, jogamos sem esse 9 específico.

SITUAÇÃO DE JEFFERSON

Fiquei sabendo agora por alto, estava concentrado hoje e sempre peço que não incomodem muito, só com situações do jogo. Não sei como vai ser, o que foi.

SE TIVESSE BRUNO SILVA?
Nós iríamos começar com três volantes, situação que estamos treinando. Tinha uma variação com o Diogo (Barbosa), mas pela sequência, falta de ritmo. Quando se reinventa e dá certo, mérito do treinador. Hoje a gente tentou e não deu certo.

TRÊS VOLANTES CONTRA O PALMEIRAS?

Vou estudar ainda, observar melhor o Palmeiras. Estava vendo muito jogos da Chapecoense, agora é virar a chave e buscar uma estratégia. Mas não necessariamente com três volantes, vamos ver.


Fonte: GE/Por Thiago Lima/Rio de Janeiro

Jefferson fará nova cirurgia e troca médico do Botafogo por especialista



Bernardo Gentile/Do UOL, no Rio de Janeiro




Jefferson foi submetido a uma cirurgia no braço esquerdo em maio e a previsão de retorno aos gramados era prevista para o fim de agosto. Agora, no meio de novembro, o jogador ainda não está recuperado e terá que voltar para a mesa de cirurgia. A intervenção foi feita pelo chefe do departamento médico do Botafogo, Luiz Fernando Medeiros, que foi descartado pelo goleiro do Alvinegro para o segundo procedimento.

Ele procurou um especialista em ombro e cotovelo e que sugeriu nova cirurgia. A decisão foi tomada junto com o Luiz Fernando, que acompanhará o procedimento, mas não será o responsável dessa vez. A nova intervenção se fez necessária já que Jefferson continuava sentindo muitas dores no local.

Tal situação tem incomodado Jefferson, muito irritado com a demora em retornar aos gramados. Com a nova parada, a previsão do goleiro de volta é de quatro a seis meses após a cirurgia, ainda sem data marcada. Com isso, ele ficaria de fora da Libertadores, em caso de classificação do Botafogo.

O período fora faz com que o Botafogo intensifique ainda mais as conversas pela permanência de Sidão no clube. O contrato do goleiro acaba em dezembro e o Alvinegro tenta a ampliação do vínculo.

Fonte: Uol

Pé na forma e na Libertadores! Contra a Chape, Bota tenta gol após 204 min


Com cenário favorável na Arena, Alvinegro recebe segunda pior defesa do Brasileirão para refazer as pazes com a rede, abrir seis pontos no G-6 e encaminhar classificação




Qual a melhor receita para acabar com um jejum de gols? Se for enfrentar uma defesa muito vazada, o Botafogo tem uma chance de ouro para fazer as pazes com a rede depois de 204 minutos em branco e reencontrar o rumo das vitórias. O time que mais sofreu gols no Campeonato Brasileiro é o Santa Cruz, com 59 bolas na rede, mas a Chapecoense, adversária desta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília) na Arena, tem o segundo pior número no quesito, com 52 gols sofridos – embora o rival tenha tomado só três nos últimos sete jogos, entre Série A e Copa Sul-Americana. Hora de acabar com a seca e a pressão sobre os atacantes?


– Eles estão bem tranquilos, nosso clima é muito bom. Não vão ser dois jogos sem marcar que vão pressionar eles. O Neilton vem treinando bem, o Pimpão também. É muito comum fora do futebol quando a bola não entra falar em treinar finalização, mas trabalhamos isso sempre, desde a pré-temporada – defendeu o técnico Jair Ventura, que sem seu artilheiro Sassá, suspenso, vai repetir a dupla de ataque com Neilton e Pimpão.


Apesar do jejum de gols, o cenário é totalmente favorável ao Alvinegro: o time está invicto a sete jogos; tem a melhor defesa do returno com apenas cinco gols sofridos em 15 partidas; volta a jogar na Arena, onde tem 69% de aproveitamento em 2016 – 74% se levar em consideração só a Série A –; e ainda enfrentará um adversário com time misto. Por estar envolvida na semifinal da Sul-Americana e já livre do risco de rebaixamento, a Chapecoense veio ao Rio de Janeiro sem cinco de seus titulares: Giménez, Gil, Hyoran, Ananias e Bruno Rangel.


Além de colocar o pé na forma, o Botafogo pode pôr um pé na Libertadores: se vencer o seu duelo nesta quarta, e o Corinthians não ganhar o Figueirense no Orlando Scarpelli duas horas depois, o time de Jair Ventura abrirá seis pontos para o primeiro colocado fora do G-6, restando três jogos para o fim. Antes de a rodada começar, as chances de classificação já eram de 95%, segundo o matemático Tristão Garcia. No entanto, precisa mudar seu próprio retrospecto contra a Chapecoense: foram apenas três confrontos na história, com uma vitória e duas derrotas.

Provável escalação contra a Chape tem dúvida entre volta de Diogo ou permanência de Bruno Silva (Foto: Arte Esporte)


BOTAFOGO X CHAPECOENSE

Local: Arena Botafogo, Rio de Janeiro (RJ)
Data e horário:quarta-feira, 19h30 (horário de Brasília)
Escalação provável:Sidão; Alemão, Carli, Emerson e Victor Luís; Airton, Lindoso, Bruno Silva (Diogo Barbosa) e Camilo; Neilton e Pimpão
Desfalques:Jefferson, Canales e Luis Ricardo (DM), além de Sassá (suspenso)
Pendurados: Sidão, Airton, Carli, Emerson, Neilton, Pimpão, Bruno Silva, Victor Luis, Dudu Cearense, Emerson Silva, Anderson Aquino, Fernandes, Renan Fonseca e Tanque
Transmissão: SporTV (menos RJ) e PFCI (com Jader Rocha e Lédio Carmona),e Rádio Globo FM 98,1, Globo AM 1220, CBN FM 92,5 e CBN AM 860 (com Evaldo José, Dé e Carlos Eduardo Éboli)
Arbitragem: Dewson Freitas da Silva (PA) apita o jogo, auxiliado por Márcio Gleidson Correira Dias (PA) e Helcio Neves (PA)


Fonte: GE/Por Thiago Lima/Rio de Janeiro