quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Jogadores do Botafogo admitem "gostinho de quero mais" e projetam volta à Liberta


Mosaicos, estádios cheios, clima de final... Ingredientes seduzem alvinegros, e João Paulo, Victor Luis, Gatito e Pimpão reforçam confiança em vaga: "É clube para jogar a Libertadores, como nós vimos"





Mosaicos, festas, grandes jogos... Libertadores vai deixar saudades (Foto: Satiro Sodré / SSpress / Botafogo)


Estádios cheios, mosaicos, ingressos e copos personalizados, clima de final a cada jogo... A Libertadores vai deixar saudades não só nos torcedores, como também entre os próprios jogadores. Em General Severiano ou Nilton Santos, nunca foi proibido admitir que disputar o principal torneio da América do Sul tinha uma sensação diferente.


E agora, após 14 jogos eletrizantes e a dolorosa eliminação nas quartas de final para o Grêmio, os atletas alvinegros não escondem que ficou um "gostinho de quero mais". Como por exemplo Pimpão, que aguçou sua veia goleadora na Libertadores e se tornou o maior artilheiro do clube na história do torneio com cinco gols, empatado com Jairzinho e Dirceu na década de 70.


– Do tanto que a gente lutou, batalhou para chegar onde chegou, nós não merecíamos sair como saímos. Mas de cabeça erguida, é pensar no Brasileiro para conquistar a vaga novamente. Porque o Botafogo é clube para jogar a Libertadores, como nós vimos – disse o atacante.


– Temos que buscar de novo, vamos batalhar para conseguir essa classificação, estamos pertos, não abandonamos o Brasileiro. É gratificante ver um grupo como esse, estar disputando uma Libertadores com homens, com jogadores que lutaram do início ao fim.

Gatito se consagrou na Libertadores e virou titular do Botafogo até com a volta de Jefferson (Foto: Reprodução)Gatito se consagrou na Libertadores e virou titular do Botafogo até com a volta de Jefferson (Foto: Reprodução)Gatito se consagrou na Libertadores e virou titular do Botafogo até com a volta de Jefferson (Foto: Reprodução)
Outro que teve enorme destaque na Libertadores e se valorizou foi Gatito Fernández. O goleiro paraguaio brilhou em vários jogos, em especial na classificação do Alvinegro para a fase de grupos após superar o Olimpia, do Paraguai, na disputa por pênaltis: ele defendeu três cobranças.


– Todos não davam nada por nós, e chegamos até esta fase, vencendo adversários grandes, com histórias. A gente vinha fazendo um bom campeonato na Libertadores, mais uma vez o time mostrou que tem muita qualidade. Estamos tristes, mas orgulhosos do grupo. Temos que levantar a cabeça e continuar buscando o lugar mais alto no Brasileiro, e novamente no ano que vem poder estar na Libertadores – projetou o goleiro.


Victor Luis disputou sua primeira Libertadores. O lateral-esquerdo estava no Palmeiras durante a participação do Alviverde no torneio do ano passado, porém, não entrou em campo nenhuma vez. A oportunidade apareceu no Botafogo, onde o ala disputou 13 das 14 partidas do Alvinegro na competição e correspondeu. Apesar do futuro ainda incerto no clube, ele quer voltar ao torneio.




– Nosso objetivo é classificar novamente porque sabemos que podemos. A equipe tem que se fortalecer cada vez mais, mostrar nossa força e classificar de novo, pois é onde o Botafogo merece estar – destacou um emocionado lateral, que elogiou o plantel.


– Esse grupo aqui é de homens, de guerreiros. Temos orgulho de olhar para o lado, de trabalhar com cada um aqui dentro. Perdemos a batalha? Perdemos, mas o que nos dá ânimo é ter um companheiro forte do lado Temos que nos dar as mãos e continuar firmes e fortes.


João Paulo foi o maior investimento do clube para a Libertadores (Foto: Thiago Lima)João Paulo foi o maior investimento do clube para a Libertadores (Foto: Thiago Lima)João Paulo foi o maior investimento do clube para a Libertadores (Foto: Thiago Lima)
Maior investimento do Botafogo para a Libertadores, João Paulo, contratado por R$ 3 milhões junto ao Santa Cruz, também ficou marcado pela garra na competição, terminando por vezes os jogos com ferimentos e toucas de natação na cabeça. O volante, que vem sendo improvisado como meia, pediu desculpas ao torcedor pela eliminação, mas já vislumbra a chance de retornar ao torneio.


– Fica o nosso pedido de desculpas ao torcedor, a gente também queria muito passar para a semifinal. Era muito possível, a gente enxergava isso. Mas já foi feito um trato no vestiário para buscar a Libertadores em 2018. É possível, estamos bem colocados e temos jogado bem.



O Botafogo pode sonhar com a Libertadores? Claro, afinal, o time é sétimo colocado no Campeonato Brasileiro e já está na zona de classificação para a competição do ano que vem – apesar de ser G-6, como Flamengo ou Cruzeiro, ambos na frente do Alvinegro na Série A, conquistará a Copa do Brasil, uma vaga a mais se abre.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar e Thiago Lima, Porto Alegre

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Quartas da Libertadores: tudo o que você precisa saber sobre Grêmio x Botafogo


Após 0 a 0 no Nilton Santos, equipes decidem vaga na semifinal a partir das 21h45 desta quarta-feira, na Arena; Tricolor aguarda Luan, e Jair tem alternativas para armar time




(Foto: Infoesporte)


Após um empate em 0 a 0 de muita luta e cautela no Estádio Nilton Santos, Grêmio e Botafogo voltam a se enfrentar no "jogo do ano", válido pela volta das quartas de final da Libertadores, nesta quarta-feira, às 21h45, na Arena. Em condições de igualdade e com a disputa bem aberta, as duas equipes duelam não só para avançar à semifinal, mas para manter vivo o sonho de fazer história com um título continental e, assim, coroar a temporada.


O embate tem tudo para ser bem mais franco e menos estudado do que a partida da ida. Os estilos de jogo distintos das duas equipes, aliás, devem prevalecer ao longo dos 90 minutos. A tendência é de que o Grêmio, dono de um futebol de posse de bola e ofensividade, tente propor o jogo contra um Botafogo disciplinado e com muita marcação para buscar o contra-ataque. Após o empate sem gols no Rio, o Tricolor precisa vencer para avançar. O Glorioso se classifica com qualquer empate com gols marcados. Um novo 0 a 0 leva a decisão para os pênaltis.


Transmissão: TV Globo para RJ, RS, SC, MG, ES, GO, TO, MS, MT, BA, SE, PB, RN, CE, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF (com Luis Roberto, Junior, Maurício Saraiva e Leonardo Gaciba) e SporTV (com Milton Leite e Mauricio Noriega)




(Foto: Infografia)


Grêmio - técnico Renato Portaluppi

Após ver a distância ao líder Corinthians voltar a ser de 10 pontos no Brasileirão, o Grêmio dirige todas as suas energias para o sonhado tri da América. E com dois focos bem específicos, capazes de atrair todas as atenções nos últimos dias. O Tricolor trabalha pesado para garantir a recuperação de Pedro Geromel e Luan, baixas no jogo de ida, para esta quarta-feira. A amostra dos treinos indica o zagueiro como presença quase certa na decisão. O camisa 7, porém, apresenta estágio mais atrasado e segue o tratamento intensivo até a partida. Seu retorno – a confirmar – é vital para fomentar o setor de criação e reverter o retrospecto recente com gols marcados em apenas um dos últimos sete jogos.



Grêmio x Botafogo campinho Grêmio (Foto: Reprodução)


Quem está fora: Maicon e Douglas (lesionados); Cristian (não está inscrito)

Pendurados: não há


Botafogo - técnico Jair Ventura

Se o Grêmio tem problemas, o Botafogo terá força máxima - apenas quem está há muito tempo no departamento médico não estará à disposição. Cabe a Jair Ventura escolher seus titulares. O treinador, no entanto, faz mistério. Após cumprir suspensão no primeiro jogo, Victor Luis tem o retorno garantido. O meio de campo, no entanto, ainda é uma incógnita. Lindoso deve recuperar a posição. Nesse caso, Leo Valencia e João Paulo disputam uma vaga.

Quem está fora: Airton, Jonas, Marcinho e Leandrinho (DM).


Pendurados: João Paulo e Matheus Fernandes.



Campinho Botafogo x Grêmio (Foto: GloboEsporte.com)





(Foto: Infografia )


Patrício Loustau apita a decisão, auxiliado por Juan P. Belatti e Ezequiel Brailovsky. O trio é da Argentina.


Fonte: GloboEsporte.com, Porto Alegre

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Jair vê equilíbrio e minimiza favoritismo do Grêmio: "Ninguém nos convidou até aqui"


Sereno, treinador não revela time, cita diferença de investimento, mas destaca força e amadurecimento do Botafogo. Como estímulo, torcedores entregam compilação de críticas à equipe




O que tinha que ser feito foi feito. o Botafogo está pronto para o jogo do ano, contra o Grêmio, nesta quarta, às 21h45, pelas quartas de final da Libertadores, em Porto Alegre. Na noite desta terça, Jair Ventura fez os últimos ajustes e comandou treino fechado de reconhecimento na Arena.


Na coletiva de imprensa, Jair passou serenidade e citou o amadurecimento do Botafogo ao longo do ano. Também fugiu de polêmicas. O Grêmio leva vantagem por decidir em casa? O técnico prefere não apontar favorito. O treinador aponta equilíbrio no confronto, mas ressalta que o Botafogo não chegou por acaso às quartas de final da Libertadores.


- Vejo o Grêmio com o futebol mais vistoso, e eles se equiparam com a gente na competitividade. Estão fazendo um ano fantástico, mas o Botafogo também tem suas forças, ninguém nos convidou até aqui. Mas a expectativa é de um jogo equilibrado - disse o treinador, na sala de imprensa da Arena do Grêmio.



Jair Ventura durante o treino do Botafogo em Porto Alegre (Foto: Wesley Santos/Agência PressDigital)


O treinador, no entanto, minimizou o favoritismo apontando por parte da imprensa. No desembarque em Porto Alegre, torcedores alvinegros levaram aos jogadores uma compilação de críticas de jornalistas gaúchos à equipe carioca.


- Eu tenho defeito de ser muito sincero. Se você olha o investimento do Botafogo, não pode apontar o Botafogo como favorito. Mas é uma reconstrução, 2015 estávamos na Série B. A gente não fica chateado quando a imprensa não nos coloca entre os favoritos por conta do investimento. Mas se analisar trabalho, performance, temos algo de diferente.



O certo é que Victor Luis volta ao time após cumprir suspensão no jogo de ida. As dúvidas, porém, estão no meio-campo. Lindoso volta após boa partida contra o Santos? Se voltar, quem sai? João Paulo? Leo Valencia? Dúvidas que provavelmente serão desfeitas apenas minutos antes do jogo.


- Não posso dizer ou estaria dando a resposta. Amanhã explico a escolha depois do jogo. Mas é claro que já tenho o time (risos).


Devido ao 0 a 0 no Rio de Janeiro, o Botafogo joga por uma vitória simples ou um empate com gols para avançar às semifinais. Caso se repita o placar da primeira partida, a vaga será conhecida na decisão por pênaltis.



Torcedores entregaram cartazes aos jogadores com compilação de críticas à equipe por parte da imprensa (Foto: Reprodução)


Outros trechos da entrevista

Ausência ou não de Luan
A gente sabe da situação do Luan, não temos essa informação (se vai jogar), mas sei que Grêmio é tão forte com ou sem Luan. Jogamos sem ele e foi bastante difícil. Mesmo se Luan e Geromel estiverem aptos, a dificuldade será a mesma.


Ambiente leve
Mesmo de todos os jogos. Sempre falo em equilíbrio, busco isso mesmo nos grandes jogos, e esse clima é transmitido no vestiário. Clima é leve, até mesmo quando perde, algumas pessoas acham que vai acabar o mundo quando perde, mas não. Clima pesado é muito ruim, então levamos com muito trabalho, mas nos momentos antes e depois do treino são muitos felizes.


Estratégia
A gente sabe da força do Grêmio em casa, mas sabemos também que não dá para jogar só na transição. Temos nossa estratégia, estamos maduros na Libertadores, começamos antes dos demais na Pré-Libertadores. Mais um grande desafio, grande jogo, decidindo fora. Gol qualificado só serve para o Botafogo agora, vai ter momento de marcar em cima, transição, jogo apoiado.


Grupo merecedor
Sou um felizardo já de estar participando, mas queremos sempre mais. Seria muito egoísta, mas não para mim, e sim para o Botafogo. Instituição gigante, de 100 anos, que não tem esse título. Torcida merece, grupo merece. Sabemos também que para conquistar, tem que estar sempre participando. Fico feliz a disputar e brigar.


Torcida adversária
Será um grande jogo. A gente sabe da força da torcida, a nossa também fez grande festa.


Favoritismo
Não tem favorito, quem for mais efetivo, errar menos, vai conseguir a classificação.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar e Thiago Lima, Porto Alegre

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Bota embarca cascudo e confiante para decisão: “Não vamos jogar por uma bola”


Jogadores citam experiências ao longo do ano, admitem aprendizado com erros na Copa do Brasil e prometem outra postura: “Vamos atacar e fazer nosso trabalho sem medo de errar”






Elenco do Botafogo está confiante na classificação (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

O Botafogo se reapresentou, treinou e embarca para Porto Alegre na noite desta segunda. Na bagagem, confiança para o jogo contra o Grêmio, quarta-feira, pela Libertadores. O retrospecto em decisões e de bons jogos fora de casa ao longo da temporada tem um peso.


- Temos que acreditar no que viemos fazendo o ano todo. Vem dando certo. Acho que nos acostumamos com grandes jogos. Desde janeiro enfrentamos mata-matas. Fizemos grandes jogos fora de casa. Temos sim uma casca. Criamos uma maneira inteligente de jogar fora. Temos que nos apegar nisso – disse João Paulo, horas antes do embarque para Porto Alegre.


Ninguém está iludido. É consenso no Botafogo que será uma batalha em Porto Alegre contra o Grêmio, com expectativa de mais de 50 mil pessoas no estádio. O time de Jair, no entanto, leva o aprendizado da eliminação na Copa do Brasil para Libertadores. Todos têm o mesmo discurso: a equipe não pode abdicar do ataque.


- Sofremos contra o Flamengo, deixamos a desejar, e aprendemos com nossos erros. Jogamos abaixo. Temos que jogar o nosso futebol. Então temos que nos arriscar um pouco. Não vamos jogar por uma bola, vamos atacar o Grêmio e fazer nosso trabalho sem medo de errar. Na Copa do Brasil, não erramos tanto. O Flamengo teve uma chance e aconteceu. Acho que deixamos de fazer – frisou Lindoso.


Time cascudo em seu melhor momento

Assim como João Paulo, Lindoso aponta a experiência em decisões neste ano como grande trunfo. Para volante, o Alvinegro chega ao jogo contra o Grêmio em seu melhor momento.


- Nossa equipe mudou bastante desde as primeiras decisões. O time evoluiu fisicamente, ganhou entrosamento. Hoje chegamos em um momento bem diferente. Tudo o que aconteceu conosco foi de extrema importância. Hoje já estamos mais cascudos e bem preparados.



Rodrigo Lindoso vê um Botafogo mais "cascudo" (Foto: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)


O Botafogo viaja na noite desta segunda para Porto Arena. Nesta terça-feira, às 19h, o time faz treino de reconhecimento na Arena do Grêmio. Na quarta, os clubes decidem uma vaga nas semifinais da Libertadores. Como o primeiro jogo terminou empatado sem gol, o Alvinegro joga por um empate com gols para avançar.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar, Rio de Janeiro

Dobradinha na esquerda, Lindoso no meio... O que Jair viu contra o Santos?

Gilson e Victor Luis ao mesmo tempo em campo, volante com 100 jogos, confiança como opção e gringo entrosado; Botafogo chega com alternativas para decisão contra o Grêmio




Jair Ventura usou seis titulares na vitória por 2 a 0 diante do Santos e deixou o Nilton Santos com mais certezas e alternativas visando ao duelo contra o Grêmio, na quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), em Porto Alegre, na decisão por uma vaga na semifinal da Libertadores da América.


O GloboEsporte.com resolveu listar o que de melhor o treinador viu no sábado e que pode virar opção para o jogo de volta das quartas, de acordo com o panorama encontrado na Arena do Grêmio.


Meio reforçado com Lindoso

No primeiro jogo do mata-mata, Jair escalou o Botafogo com três volantes: Matheus Fernandes, João Paulo e Bruno Silva. Contra o Santos, Lindoso entrou na vaga de Matheus e saiu como um dos melhores em campo. Além do gol marcado, o volante deu consistência no setor defensivo e apareceu por vezes na área para finalizar as jogadas. Para um jogo decisivo, pode sair na frente também pela experiência – só pelo Alvinegro são 100 jogos.



Comemoração de Lindoso: com bom chute, volante abriu o placar no sábado (Foto: André Durão)


Dupla de laterais pela esquerda

No 0 a 0 com o Grêmio, Gilson aproveitou bem a ausência do titular Victor Luis e teve atuação de destaque. Contra o Santos, Jair usou o jogador no segundo tempo, mas no meio, na vaga de Guilherme. Para aproveitar o bom momento dos laterais, o treinador tem na manga a alternativa de fazer uma dobradinha pelo lado esquerdo. Jair já chegou a fazer isso até mesmo em 2016, quando Diogo Barbosa atuou mais avançado.



Victor Luis desfalcou o time no jogo de ida contra o Grêmio, mas volta na próxima quarta (Foto: Vítor Silva/SSPress/Botafogo)


Liberdade para Leo Valencia


O chileno foi uma surpresa de Jair na escalação contra o Grêmio. Foi discreto, mas ganhou nova oportunidade contra o Santos. Centralizado, Leo Valencia ainda apareceu bem na bola parada e fazendo dupla com Bruno Silva pela direita. Também deu opção de jogo para Guilherme na esquerda e participou das tabelas com João Paulo e Roger. Pareceu já mais entrosado e confiante. É a peça mais ofensiva para o meio-campo.



Leonardo Valencia durante jogo contra o Santos (Foto: André Durão)

Segurança no banco

Pelo alto nível de atuação na temporada, dificilmente Jair vai mexer na dupla de zaga. Porém, o treinador pode ficar tranquilo com as opções no banco para os lugares de Carli e Igor Rabello. Contra o Santos, Marcelo fez mais um jogo seguro pelo Botafogo. Saiu de campo aplaudido pela torcida. Emerson Silva também não deixou a desejar e mostrou segurança ao lado do garoto da base.


Na frente, assim como os torcedores já se acostumaram, Guilherme voltou a ser peça importante. Foi o 48º jogo do atacante na temporada e o sexto gol pelo Alvinegro. Tudo isso rendeu elogios do comandante durante a coletiva.


- Guilherme é meu atleta com maior número de jogos. Teve uma chance muito parecida na semifinal contra o Flamengo, hoje entrou. Futebol é assim. Ele está sempre nos ajudando, é um menino com potencial enorme. Foi uma indicação minha, gostei muito. Liguei para pessoas, tive boas referências. Fico feliz dele estar ajudando. Por vezes titular, por vezes sendo o 12º jogador.



Guilherme comemora gol (Foto: Vítor Silva/SSPress/Botafogo)


Fonte: GE/Por Igor Rodrigues, Rio de Janeiro


sábado, 16 de setembro de 2017

Jair explica escalação e diz que ideia foi dar ritmo para João Paulo e Lindoso


Técnico do Botafogo utiliza seis titulares na vitória por 2 a 0 sobre o Santos em casa e diz porque alguns foram poupados: "Preservar jogadores que tinham risco de lesão"




Melhores momentos de Botafogo 2 x 0 Santos pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro


Depois da vitória por 2 a 0 do Botafogo sobre o Santos em casa, pela 24ª rodada do Brasileiro (veja os melhores momentos no vídeo acima), o técnico Jair Ventura falou sobre a estratégia utilizada antes do jogo decisivo contra o Grêmio, pelas quartas de final da Libertadores. Explicou os motivos para utilizar alguns titulares e para poupar outros.


- O Brasileiro é equilibrado. A gente sempre fala, mas é verdade. A ideia era dar ritmo para alguns atletas, como João Paulo, que sentiu um pouco contra o Grêmio. Lindoso, voltando de lesão. E também preservar jogadores que tinham risco de lesão. O importante é que estamos pegando a parte de cima da tabela. Já jogamos com equipe alternativa também, quando perde é o Botafogo - disse, em entrevista coletiva.


Em relação ao time considerado titular nesta temporada, começaram jogando contra o Santos: Gatito Fernández, Victor Luis, Rodrigo Lindoso, Bruno Silva, João Paulo e Roger. Luis Ricardo, Marcelo, Emerson Silva, Valencia e Guilherme substituíram Arnaldo, Carli, Igor Rabello, Matheus Fernandes e Rodrigo Pimpão.


O Alvinegro chegou a 37 pontos no Brasileiro e dorme na quinta posição. Flamengo e Cruzeiro jogam no domingo e podem ultrapassar após o fim da 24ª rodada. A equipe de Jair Ventura encara o Grêmio pela Libertadores, na quarta, em Porto Alegre, e depois visita o Coritiba, no Couto Pereira, no próximo domingo, pela competição nacional.



Jair Ventura durante entrevista coletiva no Nilton Santos (Foto: Igor Rodrigues)


Confira outras respostas de Jair


Jogo contra o Grêmio

- Equilíbrio. Vamos para o segundo tempo do jogo. Torcida do Grêmio vai lotar, a equipe deles é forte, a gente sabe, vice do Brasileiro no momento. Dois jogadores de Seleção, Arthur e Luan. Mas estamos otimistas, entendemos o espírito da Libertadores. Começamos antes, perdemos na parte física, mas estamos mais maduros. Penso muito no gol qualificado. O Grêmio tem que jogar, precisa do gol também, e todo mundo sabe a força do Botafogo. Hoje perdemos vários gols, poderia ser um placar elástico, mas a equipe foi fantástica.


Postura na Arena do Grêmio

- Tem que ter momento de marcar pressão, outro de marca baixo. Não podemos ir e jogar por uma bola. Ouvi muita gente dizendo que contra o Flamengo a gente queria empatar o jogo por causa do Gatito. Isso não existe. Vamos jogar para vencer lá, dentro da nossa estratégia. O Renato terminou o jogo aqui com três zagueiros. Não conseguimos vencer o Grêmio, mas estamos vivos.


Outra decisão no ano

- Estou desde janeiro assim, não é algo que apareceu no meio do ano, no fim do ano, mais uma decisão. Estamos acostumados. Colo-Colo, Olimpia, fase de grupos, agora com o Nacional. Cada grande jogo você ganha uma experiência fantástica. Uma coisa que mostra que estamos focados é o nosso rendimento hoje. Bati nessa tecla, importância do hoje, viver o hoje.


Chances perdidas

- Nós tivemos muitas chances hoje. Perdemos no 4 contra 2, 3 contra 1, não fizemos. Lá teremos que ser cirúrgicos, um gol abre dois de vantagem praticamente. No jogo pode acontecer tudo, o Grêmio sabe nossa força na transição, nós sabemos do jogo apoiado deles. Estamos confiantes, vai ser um grande jogo.


Dúvidas para quarta-feira?

- Dúvidas em todos os setores, mas se eu falar aqui vocês vão saber quem eu vou escalar (risos). Então não vou falar nada. Viu como a gente vai amadurecendo? (risos).



Guilherme
- Guilherme é meu atleta com maior número de jogos. Teve uma chance muito parecida na semifinal contra o Flamengo, hoje entrou. Futebol é assim. Ele está sempre nos ajudando, é um menino com potencial enorme. Foi uma indicação minha, gostei muito. Liguei para pessoas, tive boas referências. Fico feliz dele estar ajudando. Por vezes titular, por vezes sendo o 12º jogador.


- Ele entendeu isso, é o espírito de equipe. Emerson Silva fez uma grande partida, o Luis (Ricardo), tão criticado contra o Flamengo, hoje foi bem. Esse é o equilíbrio que a gente precisa na vida. O bom que no futebol a gente sempre pode dar uma nova chance no próximo jogo.


Fonte: GE/Por Igor Rodrigues, Rio de Janeiro

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Jair faz mistério, fecha treino, mas pode preservar peças contra o Santos


Titulares vão a campo, mas alguns não devem começar jogando neste sábado, às 19h (de Brasília), no Nilton Santos




O Botafogo fez nesta sexta-feira, no campo anexo do Nilton Santos, o último treino antes da partida contra o Santos, neste sábado, às 19h (de Brasília), pelo Campeonato Brasileiro. Para não perder o costume, Jair Ventura fez mistério, fechou a atividade e não confirmou a equipe.


Porém, a tendência é que as principais peças sejam preservadas para o jogo de volta das quartas da Libertadores contra o Grêmio, na quarta, às 21h45. Com isso, o provável Botafogo que vai a campo pela 24ª rodada do Brasileirão tem Gatito; Luís Ricardo, Marcelo, Emerson Silva e Victor Luís; Rodrigo Lindoso, Dudu Cearense, Bruno Silva e Marcos Vinícius; Guilherme e Brenner.



Possivelmente poupado contra o Santos, Matheus Fernandes mostra confiança no elenco: "estarão preparados" (Foto: Igor Rodrigues)


- Está todo mundo bem focado. Todos querem uma oportunidade. Com essa sequência de jogos todos estão tendo a chance de mostrar a qualidade. Se eles entrarem, estarão preparados para fazer uma boa partida – destacou Matheus Fernandes, em coletiva após a atividade.


Do outro lado, Levir Culpi relacionou apenas dois titulares: Vanderlei e David Braz. Para Matheus, a responsabilidade segue sendo a mesma, independentemente de quem entrar em campo pelo time paulista.


- Não temos que entrar no jogo com pensamento que é time reserva, porque é o Santos. Para estar lá tem que ter qualidade. Tem que pensar em ganhar do Santos, sendo reserva ou não - encerrou o volante.


O Botafogo é o 7º colocado na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, com 34 pontos – fora do G-6 pelo número de gols marcados (27 contra 28 do Cruzeiro).


Fonte: GE/Por Igor Rodrigues, Rio de Janeiro

Confiante, Carli minimiza possível volta de Luan no Grêmio: "Sozinho não vai ganhar"


Capitão do Botafogo já conseguiu parar o atacante tricolor no único encontro entre eles e prega otimismo na classificação à semifinal da Libertadores mesmo após o empate sem gols no jogo de ida





Carli conseguiu parar Luan no único duelo entre eles (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


O Botafogo segue otimista na Libertadores. Após o empate sem gols diante do Grêmio no jogo de ida das quartas de final, no Nilton Santos, o discurso do técnico Jair Ventura foi de confiança. Assim como as palavras de Carli no vestiário. Em entrevista coletiva após o treino desta quinta-feira, o capitão alvinegro reforçou a aposta em sua equipe até mesmo com a possível volta de Luan. O xerife conseguiu parar o atacante, que se recupera de lesão, no único duelo entre eles.


– É um jogador que vive um momento muito bom, sendo procurado por muitos times da Europoa. Mas está acompanhado de jogadores bons, ele sozinho não vai ganhar uma partida. Futebol passa por um time coletivo, e nisso o Botafogo está muito forte. Se o Luan joga ou não, claro que vamos ficar ligados a isso. Mas eu acredito muito nos meus companheiros – afirmou o argentino.


Carli e Luan se enfrentaram na primeira e única vez em setembro do ano passado, em jogo da 19ª rodada do Campeonato Brasileiro: vitória alvinegra por 2 a 1 na antiga Arena Botafogo. Naquele jogo, o atacante foi anulado e teve só duas finalizações, ambas bloqueadas. Nas quatro partidas seguintes entre os times, não se encontraram:

Grêmio 0 x 1 Botafogo: Tricolor jogou com time reserva
Grêmio 2 x 0 Botafogo: zagueiro estava machucado
Botafogo 1 x 0 Grêmio: atacante foi poupado
Botafogo 0 x 0 Grêmio: atacante estava machucado


Confira outros tópicos da coletiva:


JOGO CONTRA O SANTOS

É difícil (não pensar no Grêmio), mas somos profissionais, sabemos que temos um jogo muito importante sábado. Também, pelo que a gente lê, Santos está focado na Libertadores e na mesma situação que a gente. Nós pensamos.


CHANCE DE ENTRAR NO G-6

Sem dúvida pensar em G-6 dá uma motivação, isso é muito bom. Brasileiro é muito importante, não pode dar mole. Jair vai escalar o melhor time para sábado e continuar nessa briga.


POUPAR JOGADORES?

Isso é tarefa do Jair. Acho que vai ser o melhor time, vamos ver o que tem a dizer.


OTIMISMO CONTRA GRÊMIO

Nossa torcida e eu com meus companheiros saímos com essa frustração de não conseguir ganhar em casa. Mas sabemos que faltam 95 minutos. Não vai ser fácil, mas estamos muito confiantes na classificação. O Botafogo enfrentou na Libertadores times com muita historia, jogadores importantes, e conseguiu classificar. Está dando prova de que não vai ter limitações.


DISCURSO NO VESTIÁRIO

Não posso falar o que falei com meus companheiros (risos), mas penso que hoje, mais tranquilo... A gente não ficou com a sensação de poder ter feito algo mais. Tem coisa para corrigir, claro, sempre tem, mas não ficou com essa sensação. Foi um jogo difícil, no segundo tempo melhoramos o posicionamento, controlamos mais o jogo. O Grêmio tem jogadores muito experientes, e conseguimos fechar bem esse seu lado.


TORCE PARA JOGADOR FICAR FORA?
Não. Claro que fico olhando quem vai jogar ou não, mas não vou ficar torcendo para um jogador continuar machucado. O futebol dá muitas surpresas. Às vezes você torce para um não jogar, e o que entra acaba sendo o melhor em campo. O futebol é assim, então para a gente não muda.


Fonte: GE/Por Thiago Lima, Rio de Janeiro

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Análise: cinco desafios do Botafogo para passar pelo Grêmio na Libertadores


De mudança de postura à pressão externa, Alvinegro tem metas a serem batidas para conquistar a vaga para a semifinal da competição dentro da Arena do Grêmio na próxima quarta-feira: confira!






Melhores momentos: Botafogo 0 x 0 Grêmio pelas quartas de final da Libertadores 2017


O placar em branco não foi visto como ruim pelo técnico e jogadores do Botafogo. Mas para muitos torcedores, o desafio de chegar à semifinal da Libertadores ficou mais difícil após o empate por 0 a 0 com o Grêmio no Nilton Santos, na última quarta-feira (veja os lances no vídeo acima).


A ladeira sem dúvidas ficou mais íngrime, mas não interditada. Para poder passar por ela, o Alvinegro precisará se superar. O GloboEsporte.com apontou os cinco desafios que o time de Jair Ventura terá na próxima quarta, às 21h45 (de Brasília), se quiser voltar ao Rio de Janeiro classificado.


Adotar postura menos defensiva



Time apostou na defesa e abdicou do ataque contra o Flamengo (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Com o placar em branco no Nilton Santos, foi inevitável a comparação com a semifinal da Copa do Brasil: o Botafogo também ficou no 0 a 0 no jogo de ida, diante do Flamengo, e na volta perdeu por 1 a 0, sendo eliminado da competição. Para não ter o mesmo final na Libertadores, o time precisará adotar uma estratégia diferente.


Contra o maior rival, abdicou de atacar, confiou na sua marcação para levar a disputa para os pênaltis e acabou castigado com o gol sofrido na reta final do segudo tempo. Obviamente, o Botafogo vai ter que priorizar a defesa fora de casa, mas sem deixar de contra-atacar. Um gol na Arena obrigará o Grêmio a ter que fazer dois.


Aumentar o poder de fogo fora



Roger, Pimpão & Cia. têm média menor do que um gol por jogo fora (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)


E para conseguir estufar a rede na Arena do Grêmio, o Botafogo terá que melhorar seus números fora de casa nesta Libertadores. O fato de não ter sido vazado no Nilton Santos foi exaltado por Jair Ventura e seus jogadores, e o gol qualificado parece ser o melhor caminho para a classificação. Mas a eficiência ofensiva como visitante na Libertadores ainda é algo que precisa evoluir.


Embora tenha vencido dois jogos fora de casa (Atlético Nacional-COL e Nacional-URU), o Alvinegro não costuma marcar muitos gols como visitante. Ao longo da campanha, foram cinco em seis partidas, média inferior a um gol por jogo. Os poucos chutes de fora da área agravam a situação. O único gol dessa forma foi de Airton, na estreia em casa, contra o Colo-Colo.




Recuperar o meio de campo


João Paulo jogou recuado demais e abriu meio de campo (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafog)


Toda segunda bola foi do Grêmio no Nilton Santos. Jair reconheceu que seu time ficou muito espaçado na quarta-feira, o que enfraqueceu principalmente o seu meio de campo. João Paulo ficou muito recuado, Valencia isolado ao lado de Roger, e Matheus Fernandes e Bruno Silva se viram sozinhos em meio a um povoado meio de campo gremista.


A tendência é que a escalação seja mantida para a partida de volta, só com o retorno do titular Victor Luis para a lateral esquerda. A única dúvida é se Valencia continuará na armação, se João Paulo será adiantado mais uma vez, ou se Guilherme ou Marcos podem entrar na função (o atacante para um esquema mais de contra-ataque).


Anular Luan (& Cia.)


Cotado para voltar, Luan infernizou a defesa em maio (Foto: PEDRO H. TESCH/ELEVEN/ESTADÃO CONTEÚDO)


Outra comparação inevitável é com o único duelo anterior nesta temporada, em que o adversário teve força máxima. Na estreia do Campeonato Brasileiro, o Botafogo foi dominado pelo Grêmio na Arena e perdeu por 2 a 0, mas podia ter sido bem mais. Luan e companhia colocaram o time de Jair (sem Carli) na roda e ainda perderam um caminhão de gols.


Desfalque no Nilton Santos por conta de lesão, Luan pode já estar recuperado para o jogo da volta. E aí o grande desafio alvinegro será anular o incisivo atacante, que tanto aparece para criar quanto finalizar as jogadas. Além dele, a velocidade de Fernandinho e a presença de área de Barrios são outros perigos a serem marcados por Carli, Igor Rabello e companhia.


Suportar pressão externa


Para quem já calou um Defensores del Chaco lotado, a Arena não assusta (Foto: Marcelo Baltar)


A torcida empurra, e a pressão será grande em Porto Alegre. Em seu estádio, o Grêmio tem 100% de aproveitamento nos quatro jogos disputados nessa Libertadores na Arena. Em casa, os gaúchos costumam ser avassaladores. Foram 13 gols como mandante: média superior a três gols por partida. Po outro lado, o Botafogo já mostrou que sabe lidar bem com pressões externas.


Passou sobre o Colo-Colo-CHI em um acanhado e lotado Monumental; eliminou o Rei de Copas Olimpia-PAR dentro do histórico e abarrotado Defensoes del Chaco; e surpreendeu o atual campeão Atlético Nacional-COL em um Atanasio Girardot cheio. Em seis jogos como visitante, o time de Jair sofreu só quatro gols e duas derrotas (com final feliz, sem atrapalhar a classificação).


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar e Thiago Lima, Rio de Janeiro

Jair vê Bota vivo e promete luta na Arena: "Não vamos deixar essa classificação"


Treinador espera roteiro diferente do que aconteceu com o Flamengo, na Copa do Brasil; partida decisiva é na próxima quarta-feira, em Porto Alegre




Melhores momentos: Botafogo 0 x 0 Grêmio pelas quartas de final da Libertadores 2017


Diante de mais de 36 mil torcedores no Nilton Santos, o Botafogo ficou no empate por 0 a 0 com o Grêmio na noite desta quarta-feira, no jogo de ida das quartas da Libertadores (veja os lances no vídeo acima). Se o resultado não foi o mais esperado, a entrega dentro de campo foi digna de elogios do comandante.


Em coletiva após o jogo, Jair Ventura fez questão de dizer que a equipe vai "viva" para Porto Alegre. E, de acordo com o treinador, não vai deixar escapar a classificação para a próxima fase da competição.


– A gente sempre joga para vencer. Vamos sempre fazer nosso máximo, nem sempre é suficiente. Fizemos o nosso máximo, deixamos tudo dentro do campo. João (Paulo) foi assim, pediu para sair. Mas estamos mais do que vivos. Agora só tem gol qualificado para uma equipe. Grêmio queria levar o jogo para decidir em casa. Pode fazer um comparativo com o Flamengo? Queremos levar para fazer um final triste ou diferente? Vamos tentar fazer diferente. Contra o Colo-Colo passamos com um empate. Estamos vivos e não vamos deixar essa classificação, não.



Jair acredita num Botafogo forte pela vaga na Arena do Grêmio (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


O próximo compromisso do Botafogo é pelo Campeonato Brasileiro. Nesta sábado, às 19h (de Brasília), no Nilton Santos, a equipe encara o Santos pela 24ª rodada. A decisão por uma vaga na semifinal da Libertadores é na próxima quarta-feira, na Arena do Grêmio, às 21h45.


Veja outros trechos da coletiva:


PECADO DO TIME
Nosso time estava muito espaçado, conversamos no vestiário e foi unânime. Falo da compactação, quando está na defesa e ataque tira espaços do adversário. Estava perdendo muito a segunda bola, com dois lados muitos distantes. No segundo tempo aproximamos e conseguimos criar algumas oportunidades, melhoramos. Teve um lance do Gilson, uma do Guilherme. Mas jogo equilibrado


OPÇÃO PELO VALENCIA

No último mata-mata o Valencia não tinha condição de jogar, tive que fazer uma adaptação do João para meia. Hoje não, tinha jogador da posição. Você tem jogadores recuperando de lesão, o João pediu para sair. Isso já era mais ou menos previsto. Não mudou nossa maneira de jogar, continuamos com três volantes. A opção foi porque tinha opção, na Copa do Brasil não.


O QUE EVOLUIR?

Não só neste jogo, mas em todo jogo a gente quer sempre mais. Esse é o nosso pensamento. Vestiário com clima leve, teríamos que fazer dever de casa? Teríamos, mas nem sempre é possível. Se fizer um gol lá, adversário terá que fazer dois.


BRUNO SILVA E MATHEUS FERNANDES MAL?

Discordo que eles foram mal, achei que fizeram boa partida. Difícil manter, mas não acho que foram tão abaixo assim. Meu pensamento foi mudar menos possível da ótima atuação contra o Flamengo. Tive duas situações forçadas na outra, agora só troquei Gilson pelo Victor e a volta do Carli.


LADO PSICOLÓGICO
Trabalho do treinador não para, não só o meu como o deles. Se o mais pessimista quiser levar pelo lado ruim, pode levar. Mas a gente quer levar pelo bom, o empate do Colo-Colo e a classificação.


LIÇÃO CONTRA FLAMENGO NA COPA BR

A gente não jogou igual, hoje foi disputada, contra o Flamengo foi amarrada. Começa pela nossa performance, Botafogo jogou melhor. Se pensar que vai pra lá e perder nem viaja. Vamos para lá para vender caro. Como foi contra o Olimpia, o Colo-Colo. Não duvide muito dessa equipe do Botafogo porque pode se surpreender.


PESO DE CLASSIFICAÇÃO NO SUL
Esse peso não vai ser para mim, estou no primeiro ano. Mas esse clube merece, e esse grupo que é maravilhoso, pelo profissionalismo deles. Por eles que a gente merece.


LIÇÃO DA ESTREIA NO BRASILEIRO

Foi outro jogo, outra competição, não tinha gol qualificado. Lógico, que o Grêmio estava com todas as peças mais forte, mas não duvide da gente, não. Sabe aquele ditado, não mexe com quem está quieto? Então (risos). Quem sabe a gente não ganha por 1 a 0 lá de novo com um gol do Bruno Silva.


RENATO GAÚCHO VIU GRÊMIO MELHOR
Ele tem que defender o pão de cada dia dele. Não gosto de falar dos outros, não. A gente trabalha em um país livre, não estou aqui para concordar nem discordar.


POUPAR CONTRA O SANTOS?
Tem que estudar ainda, ainda não posso falar. Mesmo que pudesse, não falaria (risos).


SER TÉCNICO ENVELHECE?
Não é saudável isso aqui não. Fica como repórter mesmo, pensa em ser treinador não (risos). Mas quando a gente faz o que ama, paga o preço. Mas envelhece bastante mesmo (risos).


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar e Thiago Lima, Rio de Janeiro

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Quartas da Libertadores: tudo o que você precisa saber sobre Botafogo x Grêmio


Times iniciam no Nilton Santos primeiro jogo do confronto e decidem na próxima semana em Porto Alegre uma vaga nas semifinais. Equipes têm desfalques. Veja quem joga






(Foto: Infoesporte)


Após mais de um mês de espera, Botafogo e Grêmio iniciam nesta quinta-feira, às 21h45, no Nilton Santos, duelo pelas quartas de final da Libertadores. Estilos diferentes, mas igualmente elogiados. Ambos chegam com méritos.


Curiosamente os times atuais fogem um pouco das respetivas tradições. O Botafogo de Jair Ventura é uma equipe copeira, de muita marcação, mas geralmente fulminante nos contra-ataques. O Grêmio de Renato Gaúcho é ofensivo, vistoso e eficiente. Quem leva a melhor? O jogo de volta acontece na próxima quarta (20), em Porto Alegre.


Transmissão: TV Globo para RJ, RS, SC, MG, ES, MS, MT, BA, SE, PB, RN, CE, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF (com Luis Roberto, Junior, Mauricio Saraiva e Leonardo Gaciba) e SporTV (com Milton Leite e Mauricio Noriega)




(Foto: Infografia)


Botafogo - técnico Jair Ventura

Apesar da eliminação na Copa do Brasil, o Botafogo chega curado da ressaca após vitórias sobre Bahia e Flamengo no Brasileiro. E também chega reforçado. Carli, Lindoso, João Paulo e Marcos Vinicius foram liberados pelo departamento médico e estão relacionados. A dúvida é se Valencia, após boa atuação no clássico, terá chance. O chileno foi testado no treino da véspera. A tendência, no entanto, é que Jair repita a escalação tradicional. Gilson substitui o suspenso Victor Luis.



(Foto: GloboEsporte)


Quem está fora: Victor Luis (suspenso); Leandrinho, Airton, Jonas e Marcinho (DM).
Pendurados: João Paulo.


Grêmio - técnico Renato Gaúcho

Em busca do Tri da América, o Grêmio está desde a última quinta-feira no Rio de Janeiro. Mas a incursão gremista não apresenta, até o momento, boas notícias para o Tricolor. Além de Luan não ter treinado e estar fora do jogo, Pedro Geromel é dúvida - a tendência é ficar fora -, e o time titular foi derrotado no sábado, pelo Vasco. Mas há muita confiança, após trabalho de bastidores, que o desempenho não será parecido com o de São Januário.




(Foto: Reprodução)


Quem está fora: Michel (suspenso); Luan, Maicon, Geromel e Marcelo Oliveira (DM).
Pendurados: ninguém.




(Foto: Infografia )


O venezuelano José Argote apita o jogo, auxiliado pelos compatriotas Luis Murilo e Carlos Lopes.
Fonte: GE/Por GloboEsporte.com, Rio de Janeiro

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Artilheiro, Roger faz lobby por renovação no Bota: "Espero ficar dois, três anos aqui"


Em grande fase no Alvinegro e com contrato até dezembro, centroavante diz que ainda não foi procurado pela diretoria, mas respeita tempo do clube: "Hora ou outra vamos sentar para conversar"






Roger deu coletiva de imprensa após o treino desta segunda-feira (Foto: Divulgação / Botafogo)


Artilheiro do Botafogo na temporada com 16 gols, maior goleador dos clássicos no Brasil este ano, com oito, e referência do time de Jair Ventura, Roger vive grande fase na carreira. Um dos mais experientes do elenco, Já foi até capitão e é a esperança de gols nos duelos com o Grêmio nas quartas de final da Libertadores. Mas ainda não sabe se estará no clube no ano que vem.


+ 8x Roger: atacante se torna o artilheiro dos clássicos no Brasil


Com contrato até dezembro, o centroavante comentou em coletiva de imprensase na tarde desta segunda-feira que ainda não foi procurado pela diretoria alvinegra. Porém, diz estar tranquilo, que respeita o tempo do planejamento do clube, e que cedo ou tarde irão sentar para conversar. Mas não esconde o desejo de ficar.


– Eu ainda não fui procurado pela diretoria. Respeito a ideia deles de esperar um pouco mais. O Botafogo está em uma fase de planejamento que não pode errar. Respeito a ideia do clube de se planejar e achar que talvez eu tenha que mostra algo ainda para renovar. Tranquilo, eles sabem o que estou fazendo. Mas eu também sei o que estou fazendo. Venho trabalhando forte, competindo bastante – afirmou o camisa 9, que completou.


– Preciso trabalhar e espero sim renovar, ficar dois, três anos aqui. A gente sabe como é o futebol, existe um dinamismo muito grande. Hora ou outra vamos sentar para conversar.


Confira outros trechos da coletiva:


VOLTA DOS MACHUCADOS

Isso é ótimo não só para o treinador, mas para o grupo todo. Parte de um princípio de que três que estão retornando são titulares no momento. Jair ganha mais opções, enfim, é muito bom. Todo mundo preparado para um grande jogo na quarta, nesse momento precisa de força 100%. A gente fica triste pelo Leandrinho, vinha treinando forte, notícias que chegaram hoje de uma lesão grave.


ARTILHARIA

Fico feliz, de fazer o que eu amo, pelos gols, por ter vencido o clássico, precisávamos vencer esse adversário. Estava virando motivo de chacota. Traz muito alegria para mim.


LIÇÃO DA COPA DO BRASIL
A semifinal a decepção foi muito grande, da forma como saímos. Ficamos com a sensação de que poderíamos ter feito mais, de ficar com a bola de jogar um pouco mais. Garra, empenho, isso não falta. Às vezes corre um pouco de risco, mas quando sai com a bola dominada tem mais chances de criar mais oportunidades.


GRÊMIO
Acho que é o Luan, cara dinâmico, tem muita qualidade. Eles têm uma grande perda com o Pedro, que foi para fora, fase estava muito boa. Gosto também do Michel, volante, bom passador. É uma grande equipe, bem treinada, jogadores experientes, já rodados. Aqui também uma equipe rodada, malandra, que vai saber jogar o jogo.


GRÊMIO FORA DE CASA

Todas as equipes têm tido o fator casa determinante para uma campanha e se classificar nos mata-matas. Jogando fora você encontra dificuldade. Mas o jogo do Grêmio nos possibilita a fazer nosso melhor jogo, que é contragolpear com excelência. Grande equipe, com posse de bola, aproximação, mas dá espaço. Diante da nossa torcida, é fazer mais um grande jogo.


CONFIANÇA
Está lá em cima, essas duas vitórias trouxeram muita alegria, muita paz. Conseguimos nesses dois jogos o que não fizemos na semifinal. A gente está preparado, tranquilo, sabe que temos plenas condições de vencer o Grêmio e classificar. Não há favorito nessas quartas de final. A gente entra muito forte. Se vier uma desclassificação, vão ter que suar sangue.


A CARA DO BOTAFOGO

Equipe que criou uma identidade, que é se entregar. Nosso lema é treinar com seriedade, fazer seu melhor todos os dias. Eu cobro todos para treinar no limite, assim você vai jogar no limite. Virou uma característica. Não sei dizer a receita, de onde vem, mas nosso time não se entrega, luta por todas as bolas. Ano do Botafogo merece essa classificação. Podemos enfrentar qualquer um de igual para igual.



Roger é o maior artilheiro dos clássicos no Brasil em 2017 (Foto: Divulgação / Botafogo)


FASE RUIM DO GRÊMIO
Eu acho que a Libertadores é outra pegada, não sei como explicar. Mas atmosfera é outra, concentração é outra, a semana nos treinos é outra pegada. Não faz diferença, sabemos que vamos encontrar uma grande equipe. Não vejo vantagem. Talvez por eles terem perdido o Michel, cara que domina por trás, faz a bola girar. Mas não tem uma fraqueza, não. Grande rival.


RIVAL BRASILEIRO

Você começa a deixar 50% a 50%. Já nos enfrentamos no Brasileiro, uma vitória e uma derrota para casa. Eu já vou enfrentar esses caras há 10 anos, quantas vezes já enfrentei o Léo, o Bruno Rodrigo... A diferença é essa, você conhece bem a outra equipe, sabe as características a fundo de cada um. Isso deixa muito parelho. Não vejo vantagem, pois é clássico.


MOTIVAÇÃO
Sim, estou motivado, faz tempo que não marco na Libertadores. Esses dois últimos jogos foram bem legais, consegui marcar, ter boa performance. Essa semana de treinos foi ideal para tirar pressão, voltar forte. Estou pronto, confiante, alegre, leve. Vou botar essa bola para dentro se Deus quiser.


VALENCIA OU JOÃO PAULO?

As características são diferentes. João é mais passador, pensador, cara que ajusta o nosso time. Grande pensador do Botafogo. Valencia é um meia mais agudo, cara que joga para frente, tem o drible, finalização. Quem o Jair escolher vamos estar bem servidos. Leo fez grande jogo ontem, teve tempo para se adaptar. E o João está voltando.


PIMPÃO

Falar do Pimpa é fácil. É a cara do Botafogo. Dificilmente vem conseguindo acabar os jogos porque se entrega muito, ao extremo. Muitas vezes deixa de ser atacante para ser mais marcador. Tudo que ele está vivendo esse ano é merecedor. Cara que treina no seu limite, fico feliz com o sucesso dele. Está de contrato renovado, mais leve, tem mais 24 meses para cuidar das crianças (risos). Vou trabalhar para ele fazer mais um na quarta, está na briga pela artilharia, né? Ser artilheiro da Libertadores coroaria o ano dele e o nosso.


APELIDO "RAJADA"

Foi o Marcelão que colocou esse apelido aí. Fala que sou rajada, que faço gol, brincadeira nossa de vestiário. É um menino especial, com uma história bonita de vida, de superação, amizade bem bacana. Sempre falo das joias, e esse menino é uma. Precisa ser lapidado, mas tem mostrado que é um grande jogador, da conta do recado quando o Carli não joga.


Fonte: GE/Por Thiago Lima, Rio de Janeiro

Carli, Lindoso e João Paulo treinam e são liberados para enfrentar o Grêmio


Recuperado, trio reforça o Botafogo na Libertadores. Suspenso, Victor Luís será o único desfalque entre os titulares. Elenco se reapresenta após vitória no clássico



A vitória sobre o Flamengo ja seria motivo suficiente para o torcedor alvinegro sorrir. Nessa segunda-feira, no entanto, os botaguenses ganharam mais três razões: Carli, Lindoso e João Paulo.


O trio foi a campo, treinou normalmente e está liberado para o jogo contra o Grêmio, na quarta, pela Libertadores. O clube ainda não confirmou oficialmente, até porque a maior parte do treino foi fechada. No entanto, o GloboEsporte.com apurou que eles voltam.



João Paulo, Rodrigo Lindoso e Carli participaram do treino nesta segunda (Foto: Thiago Lima)


Com isso, o único desfalque entre os titulares será Victor Luis, suspenso. Gilson assume a posição.


Nesta segunda-feira, os jogadores que iniciaram o clássico contra o Flamengo ficaram na academia. Os demais foram a campo. A imprensa acompanhou apenas parte da atividade.



Titulares no clássico ficaram na academia (Foto: Botafogo)


Fonte: GE/Por Thiago Lima, Rio de Janeiro

Muito além dos 3 pts: Botafogo supera trauma e se enche de moral para Liberta


Time volta a vencer o Flamengo após mais de dois anos, deixa fantasmas da Copa do Brasil para trás e muda o astral antes do jogo contra o Grêmio. Valencia agrada e vira mais uma opção





Melhores momentos: Botafogo 2 x 0 Flamengo pela 23ª rodada do Brasileirão


O Botafogo conquistou três pontos, mas ganhou muito mais contra o Flamengo: confiança. No sexto e último clássico contra seu maior rival em 2017, o Alvinegro venceu por 2 a 0 e superou o trauma de não derrotar o Rubro-Negro há mais de dois anos e os fantasmas da eliminação na Copa do Brasil.


A impressão que fica é que o Glorioso chega inteiro (e cheio de moral) para o duelo contra o Grêmio, na quarta, pela Libertadores. Após semanas de abatimento, quando a recente derrota para o Flamengo ainda pairava no ar, os sorrisos voltaram, e ficou claro que time não desaprendeu a jogar.



Vitória do Botafogo sobre o Flamengo recuperou a confiança após eliminação na Copa do Brasil (Foto: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)


O fato é: o Botafogo voltou a ser Botafogo. Um time organizado, batalhador, com a defesa sólida, mas que também sabe atacar. Os números comprovam: foram 16 finalizações. Metade delas (oito) de Roger, autor dos dois gols do clássico.


- Traz alívio. É algo que incomoda não vencer nosso grande rival. Todo mundo falava. Ganhamos do Vasco e do Fluminense, mas não conseguíamos ganhar do Flamengo. É chato, é ruim. Estava engasgado. Tinha bastante coisa em jogo. Entramos decididos a mudar essa história. Tivemos muitos papos nesse período. O foco era muito grande para acabar com esse jejum e ganhar mais confiança para quarta - resumiu Roger, o sentimento alvinegro após a vitória.


Valencia ganha pontos


Leo Valencia jogou bem e teve participação nos dois gols do Botafogo (Foto: Vitor Silva / SS Press / Botafogo)


Confiança para o grupo e opções para Jair Ventura. O treinador, que provavelmente terá os retornos de Carli, Lindoso, João Paulo e Marcos Vinícius, "ganhou" mais um jogador.


Destaque contra o Flamengo, Leo Valencia deu velocidade e uma nova dinâmica ao Glorioso. Algo que faltou ao Botafogo na Copa do Brasil. DIficilmente o chileno será titular para o Grêmio, mas ganhou pontos com a torcida, colocou uma pulga atrás da orelha de Jair e tem tudo para ajudar o Alvinegro na sequência, especialmente na Libertadores.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar e Thiago Lima, Rio de Janeiro

domingo, 10 de setembro de 2017

Após quebrar jejum contra Flamengo, Jair admite: "Mudamos um pouco a estratégia"


Técnico evita comparações dos jogos contra o rival na Copa do Brasil, cita 16 finalizações para elogiar atuação da equipe e comemora proximidade com G-6: "Estamos brigando na parte de cima da tabela"






Melhores momentos: Botafogo 2 x 0 Flamengo pela 23ª rodada do Brasileirão


O Botafogo quebrou o tabu de dois anos e meio e voltou a vencer o Flamengo na noite deste domingo, no Nilton Santos, por 2 a 0 (veja os lances no vídeo acima). Após a eliminação para o rival na semifinal da Copa do Brasil, os jogadores comemoraram muito o fim do jejum, assim como Jair Ventura. mas o técnico evitou comparações com o torneio, embora admita que mudou a estratégia.


- Tivemos 16 finalizações. Não dá para comparar com a Copa do Brasil. Imagina se todos os jogos fossem iguais. Cada jogo é uma história. A gente não esconde o que passou na Copa do Brasil, mas já foi. Hoje jogamos bem, voltamos a vencer. (...) Tentamos uma estratégia de ficar mais com a bola. Mas foi difícil. Mudamos um pouco a estratégia. Criamos bastante. O Gatito fez uma grande defesa em chute do Guerrero e mais nada - analisou o técnico.



E aí, Jair? Gostou do jogo? (Foto: André Durão / GloboEsporte.com)


Com a vitória, o Botafogo deu um salto na tabela: é o sétimo colocado com 34 pontos, só um atrás do G-6, zona de classificação para a próxima Libertadores. O time agora vira a chave para a Libertadores. Nesta quarta, enfrenta o Grêmio às 21h45 (de Brasília), pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores.


Confira outros trechos da coletiva:


JOGO

Hoje teve a cara do nosso time. Ficamos aquém na Copa do Brasil. Voltamos a jogar bem. Foi um grande jogo, de entrega, de intensidade, confiança. Corremos riscos, mas fomos efetivos. Ainda tivemos mais chances. Poderia ter sido um placar ainda melhor. Mas o mais importante foi vencer.


SEGUNDA VITÓRIA SEGUIDA
Importante voltar a vencer em casa, segunda vitória consecutiva. Readquirir ritmo, após 15 dias sem jogar. Por isso o time titular. Mais uma vitória no Brasileiro. Demos um salto. Estamos brigando na parte de cima da tabela. Mostra que não abdicamos do Brasileiro. É claro que nossa grande competição é a Libertadores.


LIBERTADORES

Vamos enfrentar uma grande equipe, que é o Grêmio. Que a gente consiga a vantagem em casa para decidir na casa do adversário. (...) O Grêmio é muito forte com o Luan e sem o Luan. É uma equipe que joga um futebol vistoso. Também temos cinco problemas agora com o Leandrinho.


GRÊMIO CONTRA VASCO
Achei o Grêmio bem na partida, teve o controle da partida. Jogou dentro do campo do Vasco. O Grêmio teve várias chances. Não vi o mesmo jogo do Renato Gaúcho. Será mais um grande jogo, mais uma decisão, e que esse espírito de Libertadores continue com a gente. Que a torcida compareça para uma grande festa e que a gente consiga uma boa vantagem.


VALENCIA

Importante. No momento em que perdemos jogadores por lesão, você vê o Valencia performando. Tenho certeza que o Renato assistiu o jogo hoje. E se tivermos a volta dos 4 jogadores, ganhamos novas opções. Até para entrar durante o jogo.


ROGER
Tinha um torcedor atrás de mim: “Jair, Jair o Roger vai te derrubar”. Ele foi lá e fez dois gols. Tem média de 1 gol a cada dos jogos no Brasileiro. Jogador importantíssimo Ele teve duas chances e não se abateu. Cara importantíssimo, meu amigo, foi o capitão do time hoje. É um cara que merece.


ESCALAÇÃO

Eu fecho os treinos para vocês não terem a escalação. Mas dessa vez vazou, não teve jeito, vocês descobriram e estragaram toda a minha estratégia. E levei um susto quando vi a escalação do Flamengo. Veio totalmente diferente. Mas já tenho uma estratégia para pegar esse informante (risos). Vamos ver se vaza o time do Grêmio também.


LEANDRINHO
Vamos avaliar a situação do Leandrinho amanhã. E vamos avaliar a situação dos demais (Carli, Lindoso, João Paulo e Marcos Vinícius) amanhã também. (...) Todos em fase de recuperação. Não tenho como precisar. Alguns tem 40% de chance, outros 50%, outros 60%. Tomara que joguem os quatro.


GAROTOS NO TIME
É legal jogar com vários meninos da base contra uma equipe contra o Flamengo, que investiu bastante. Isso é legal. Foi o sexto jogo contra o Flamengo, mas foram jogos diferentes. Mas fomos muito surpreendidos pela escalação hoje. Não esperava isso. Mas acabou não mudando muito.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar, Rio de Janeiro