sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Jair confirma time misto do Botafogo contra o Cruzeiro: "Risco calculado"


Treinador, no entanto, não especifica quais jogadores serão poupados. De olho na Libertadores, maioria dos titulares não será relacionada. Gatito segue no gol





Em coletiva, Jair comenta sobre jogo contra o Cruzeiro, necessidade de preservar jogadores e estilo de jogar fora de casa. #VamosFOGO


Sucinto, de poucas palavras, cansado, mas sem perder o humor. Na linha de esconder a escalação da imprensa, Jair Ventura deu entrevista nesta sexta-feira. Pouco reveladora, mas com algumas pistas. O treinador confirmou um Botafogo alternativo contra o Cruzeiro. Gatito segue no gol.


- O Jefferson ainda está fora por conta do departamento médico (edema na coxa). Joga o Gatito. Os demais são dúvidas – disse o treinador.


Alguns nomes certamente serão poupados. Casos, por exemplo, de Matheus Fernandes, Pimpão e João Paulo. A tendência é que o Botafogo tenha um ou outro titular contra o Cruzeiro. Os reforços devem ganhar oportunidades.



Bruno Silva, Marcelo e Valencia devem ser titulares contra o Cruzeiro (Foto: Divulgação / Botafogo)


A provável escalação no domingo é Gatito, Luis Ricardo, Marcelo, Emerson Silva, Gilson; Dudu Cearense, Bruno Silva (Fernandes), Valencia, Marcos Vinícius; Guilherme e Brenner.


- Preocupa (time alternativo), mas é o preço que se tem que pagar. É um risco calculado, por conta da grande final que temos na quinta-feira– disse Jair, referindo-se à partida contra o Nacional, pelas outavas da Libertadores.


Jair ainda revelou que conversou com o elenco sobre a situação. O mais importante, segundo o treinador, é não perder o senso coletivo.


- O jogador que entrar vai querer mostrar que pode ser titular. Mas não pode deixar o coletivo em segundo plano. Falei isso para eles. Mas é claro que isso motiva os jogadores. A gente perde em entrosamento, mas ganha em motivação.


Com portões fechados para a imprensa, o Botafogo treina na manhã deste sábado, antes do embarque para Belo Horizonte. No domingo, o time enfrenta o Cruzeiro, às 16h, no Mineirão.


Confira outros trechos da coletiva:


REENCONTRO COM SASSÁ
O gostoso do futebol é rever amigos com quem trabalhamos por muito tempo. Aconteceu com o Cuca, agora com o Sassá. Vai ser legal reencontrar um grande amigo e uma pessoa que fez parte da minha história no Botafogo.


SASSÁ MAGOADO COM BOTAFOGO?

Essa pergunta tem que ser feita para ele. Se ele saiu magoado, tem que perguntar para ele


DERROTAS RECENTES
Temos que passar a borracha nessa situação (derrotas em casa). Foi ruim, mas já passou. Agora vamos buscar a vitória.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar, Rio de Janeiro

Missão finanças: Botafogo recebe última parcela de Dória e aciona Fifa por Lyanco


Ainda enforcado por dívidas, Alvinegro respira com R$ 3,7 milhões do Olympique e, como formador, cobra R$ 500 mil da negociação entre São Paulo e Torino. Mas terá que dar R$ 200 mil ao Palmeiras





Venda de Dória ao Olympique de Marseille levou quatro anos para ser paga (Foto: AFP)


Classificado para a semifinal da Copa do Brasil, perto de uma vaga nas quartas de final da Libertadores e disputando posição no G-6 do Campeonato Brasileiro, o Botafogo vai se reestruturando não só dentro, mas também fora de campo. Desde o ano passado, o clube equacionou suas dívidas, obteve novos patrocinadores, extinguiu os salários atrasados e passou até a pagar premiações ao elenco por metas, o tradicional bicho.


A corda afrouxou, só que ainda está no pescoço. Internamente em General Severiano, dirigentes reconhecem que o futuro segue preocupante, principalmente pelo fato de os valores das parcelas equacionadas aumentarem ano a ano. Por isso, fontes extras de receita ganham maior importância, seja com premiações em torneios ou negociações de jogadores. Sem vender ninguém na janela internacional, o clube mesmo assim lucrou.



Hoje no Torino, Lyanco rescindiu com o Botafogo por atraso de salários na base (Foto: Divulgação / Torino FC)


No mês passado, a diretoria recebeu a última parcela da venda de Dória ao Olympique de Marseille, da França, no valor de € 1 milhão (cerca de R$ 3,7 milhões). O zagueiro foi negociado em 2014 por € 6 milhões divididos em quatro pagamentos por três anos: € 1 milhão em julho de 2015; € 2 milhões em julho de 2016; € 2 milhões em dezembro de 2016 e € 1 milhão em julho de 2017. Alguns pagamentos atrasaram, e o Glorioso chegou ameaçar ir à Fifa no ano passado.



Em outra frente, o clube busca receber cerca de R$ 500 mil como clube formador de Lyanco, vendido em março pelo São Paulo ao Torino, da Itália, por € 6 milhões (aproximadamente R$ 20 milhões). O Botafogo, que tem direito a 2,5% pelo tempo que o jovem passou em suas categorias de base, aguardou para que lhe fosse repassada a quantia. Como não recebeu, entrou com uma representação na Fifa através do advogado Eduardo Carlezo.


Botafogo precisará pagar R$ 200 mil ao Palmeiras

Escalação de Victor Luis contra o Palmeiras deu dor de cabeça no Bota (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Em contrapartida, uma outra dívida já foi adquirida por uma falha de planejamento. A escalação de Victor Luis, emprestado pelo Palmeiras, contra o time detentor de seus direitos econômicos na última quarta-feira rendeu ao clube uma multa de R$ 200 mil e causou um certo desconforto internamente devido a difícil situação financeira do clube. A informação foi divulgada pelo "UOL" na quinta-feira e foi confirmada pelo GloboEsporte.com.


A permissão deste tipo de cláusula em contrato de empréstimo de jogadores chegou a ser proibida pela CBF nos últimos anos, só que a entidade voltou a incluí-la em seu regulamento de registro e transferências de atletas de 2017. Internamente, o Botafogo alega que o vínculo com Victor foi feito anteriormente à liberação da CBF, mas reconhece o erro e aguarda um contato do Palmeiras para tentar negociar. Em São Paulo, dirigentes alviverdes admitem que farão a cobrança em breve.



Fonte: GE/Por Felippe Costa, Marcelo Baltar e Thiago Lima, Rio de Janeiro*Colaborou: Felipe Zito