quarta-feira, 26 de julho de 2017

Com 1º tempo impecável, Botafogo faz 3 no Galo e avança na Copa do Brasil


Com gols de Carli, Roger e Gilson, equipe carioca elimina o Atlético-MG, após derrota por 1 a 0 no primeiro jogo, e se classifica para a semifinal





Com um jogo praticamente perfeito no primeiro tempo, o Botafogo carimbou sua vaga para a semifinal da Copa do Brasil. Jogando no Estádio Nilton Santos, nesta quarta-feira, o time da estrela solitária venceu o Atlético-MG por 3 a 0, após perder o primeiro jogo por 1 a 0 em Belo Horizonte, e, agora, terá pela frente o vencedor de Flamengo ou Santos, na próxima fase do mata-mata. O resultado complica mais ainda o momento vivido, que acabou de trocar de comando, mas que não mostrou mudanças.



Rodrigo Pimpão, Carli e Rodrigo Lindoso comemoram gol do Botafogo (Foto: Vitor Silva / SS Press / Botafogo)


O Fogão virou a vantagem que o Atlético-MG conquistou no Horto ao vencer por apenas 1 a 0. Na primeira etapa, Carli e Roger colocaram o Botafogo em uma situação bastante confortável. Quando o Atlético-MG apertou a pressão em busca do gol da classificação, nos minutos finais do segundo tempo, Gilson, em um contragolpe fatal, fez o terceiro dos donos da casa e garantiu a vaga.


O jogo

O Botafogo mostrou seu cartão de visitas logo aos cinco minutos. Depois de uma pressão inicial, Carli aproveitou chute errado de Bruno Silva e, sozinho na área, desviou para explodir de alegria o Estádio Nilton Santos pela primeira vez. Aos poucos, o Atlético-MG equilibrou às ações e segurou o ímpeto dos donos da casa. Usando o lado direito, o Bota criava suas principais chances de perigo e, justamente no setor, chegou ao segundo gol. João Paulo cruzou na medida para Roger, que ganhou de Gabriel e testou para o fundo do gol, dando a vantagem que o time precisava ainda na primeira etapa.



Victor não consegue segurar cabeceio de Roger, no estádio Nilton Santos (Foto: Vitor Silva / SS Press / Botafogo)


Disposto a ter melhor sorte em seu primeiro jogo no comando, Micale sacou Robinho e Yago, após o intervalo, dando lugares para Rafael Moura e Rafael Carioca. No entanto, o Atlético-MG mudou pouco seu jogo, com muitos toques de bola, mas sem chances de gol efetivas. Já o Botafogo contava com grande noite de Roger para puxar os contragolpes e levar perigo ao gol de Victor. A partir dos 20 minutos, o Galo aumentou a pressão e passou a chegar com mais força, principalmente em jogadas do lado esquerdo, com Fábio Santos e Cazares. No entanto, não obrigou Jefferson a fazer nenhuma defesa e ainda viu Gilson, em um contra-ataque perfeito, nos acréscimos, fazer o terceiro e jogar a pá de cal na vaga.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com, do Rio de Janeiro

Jair celebra primeiro tempo "impecável" e destaca importância do planejamento


Técnico diz que atuação na etapa final contra o Atlético-MG foi uma das melhores desde que assumiu a equipe: "Nosso time estava muito leve, descansado"





Os gols de Botafogo 3 x 0 Atlético-MG pelas quartas de final da Copa do Brasil


Após a boa partida contra o Atlético-MG e a vitória por 3 a 0 que garantiu vaga na semifinal da Copa do Brasil (confira os gols no vídeo acima), Jair Ventura celebrou o planejamento feito pelo Botafogo até o jogo decisivo. Para o técnico, foi importante o time chegar descansado para reverter a vantagem construída pela equipe mineira no jogo de ida.


- Planejamento. Poupamos os titulares contra o Atlético-GO (pelo Campeonato Brasileiro) e corremos riscos. Por causa do planejamento, vencemos. Nosso time estava muito leve, descansado. Isso foi muito bom para nossa grande performance. É logico que tem a entrega dos atletas, grandes responsáveis, mas dentro de um planejamento.


Jair ainda elogiou bastante a atuação de seus comandados na etapa inicial nesta quarta-feira no Nilton Santos.


- Um dos meus melhores primeiros tempos desde que assumi o Botafogo. Impecável. Os atletas estão de parabéns. No segundo, o time ficou mais com a bola. Não pedi para recuar, mas o Atlético-MG entrou no jogo. Entrei com o Guilherme e com o Gilson - reumiu.



Jair Ventura durante a vitória por 3 a 0 do Botafogo sobre o Atlético-MG no Nilton Santos (Foto: André Durão)


Confira outras respostas de Jair Ventura:


Formação do Atlético-MG
- Temos um estudo muito forte do adversário. Ficou essa dúvida com a mudança de treinador. A imprensa acabou ajudando com essa situação de que não entraria com o Rafael Moura. O Micale mudou um pouco o sistema. Foi uma situação que tivemos dois minutos para identificar e conseguimos. Criamos muito dentro dessa situação. Eles perderam em estatura. E aproveitamos as bolas paradas.


Motivação
- Nossa preleção foi em cima disso. Sempre tem um tema. Qual o tema? Falei: “Zagallo”. Faltam cinco. Estamos muito próximos. Nossa análise fez um vídeo maravilhoso. Campeonato começou com 92 equipes. Estamos no caminho. Temos limitações financeiras, mas não limitações de entrega e de vontade.


Opções na escalação
- Eu tenho o Luis Ricardo que é da posição e entro com o Emerson. Se eu perco, eu sei que terei uma conta para pagar. Mas não posso abrir mão do que eu penso. Mas é legal quando você faz o que não seria o mais comum e as coisas acontecem. Depois entrei com o Gilson no meio. É legal, é gratificante.


Superação
- Trabalhamos para não sofrer. Mas nem sempre dá. Às vezes a gente faz um gol e muita gente acha que a gente para de jogar. Derrubamos um dos melhores elencos do país. Jogadores na faixa de R$ 700 mil e R$ 1 milhão por mês. Dois jogadores desses pagam nossa folha salarial.


Poupar jogadores
- Temos nossos indicadores. Não podemos correr riscos. Se eu coloco o Luis Ricardo teria uma grande chance de lesões. Não posso ir contra a nossa fisiologia. Teremos que poupar. É uma pena. Teremos que abrir mão do Brasileiro, que é um campeonato que queremos ir bem. Mas ninguém consegue jogar na mesma intensidade segunda, quarta e domingo. Infelizmente, teremos que poupar em algum momento.


Fonte: GE/Por Felippe Costa e Marcelo Baltar, Rio de Janeiro