terça-feira, 8 de agosto de 2017

Ansiedade? Victor Luis pede Botafogo leve contra o Nacional: “Momento único”


Lateral diz que time está colhendo frutos do que vem sendo plantado desde o ano passado. Jogador fala sobre a filha recém-nascida e de seguir no próximo ano: “Desejo é fazer uma grande história”






Victor Luis, Botafogo (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Não que seja novidade, mas a atmosfera no Botafogo está diferente nessa semana. Os dias que precedem jogos da Libertadores costumam ser assim. Jogadores, comissão técnica, funcionários, torcedores... todos comparam a ideia e respiram a competição.


Nesta terça-feira, 48 horas antes do duelo contra o Nacional, pelas oitavas de final, não foi diferente. Ansiedade? É claro que sim. Mas também momento para desfrutar tudo o que vem acontecendo. O Botafogo está próximo de retornar às quartas de final do torneio após 44 anos.


- Temos os pés no chão, mas sabemos que plantamos desde o ano passado tudo isso que estamos colhendo hoje. Sabemos que será uma partida muito difícil, mas é um momento único Não sabemos, individualmente, quando teremos outra oportunidade na Libertadores. Temos que aproveitar, ser felizes, jogar com alegria e fazer uma grande partida – ressaltou Victor Luis.


O lateral está há pouco mais de um ano no Botafogo, mas poucos jogadores no elenco são tão identificados com o clube como ele. Em janeiro, Victor se esforçou para ter seu empréstimo renovado junto ao Palmeiras e, após algumas reviravoltas, conseguiu ficar até dezembro. O futuro? Está nas mãos dos clubes, mas o atleta não esconde seu desejo.


- E não deixo interferir dentro de campo. Mas estaria mentindo se falasse que isso não passa pela cabeça. É difícil eu falar. Quem resolve essas partes são as diretorias de Botafogo e Palmeiras. Tenho certeza que isso não interfere, mas é claro que passa pela minha cabeça. Meu desejo é continuar fazendo meu trabalho e fazer uma grande história no Botafogo.


Libertadores e renovação, no entanto, não são os únicos assuntos que vêm tomando a atenção de Victor Luis. A recém-nascida Isis, de cerca de 10 dias, também tem uma atenção especial do papai.


Nos primeiros dias fiz um bate volta para São Paulo. Chegava aqui igual a um zumbi (rs). Mas corro muito porque agora são três bocas para alimentar. Ela (filha) vem sendo um fator a mais pare eu me doar em campo. Agora tenho mais uma pessoa a mais especial para representar. Sempre foi um sonho. Olhar o rostinho dela é inexplicável. Mas ela está em São Paulo nesses dias e estou conseguindo descansar bem.


Confira mais tópicos da coletiva:


Time copeiro
Começamos o ano com duas problemas de vestibular. É claro que isso amadureceu a equipe, amadureceu os jogadores. Isso trouxe confiança, eliminamos grandes clubes. Isso ficou na memória como positivo, mas seguimos levando da mesma maneira, com os pés no chão e muita humildade


Recorde de público

Sabemos que a Libertadores tem uma atmosfera e um ambiente diferente, mas a torcida vem comparecendo em todos os campeonatos. Isso é essencial. Vem fazendo a diferença. Acho que com certeza vai bater o recorde nesse ano. E queremos dar uma resposta para todos esses torcedores que virão prestigiar e vamos em busca de uma grande vitória


Muda decidir em casa?
A torcida é um fato especial. Isso que muda, apesar de os torcedores terem comparecido nos jogos fora. Isso acaba nos motivando ainda mais.


Ansiedade
Acho que é uma ansiedade positiva. Não é algo negativo. Sabemos o quanto é difícil enfrentar o Nacional. Foi muito difícil lá. Eles vão vir diferente, tiveram mudanças. Mas o importante é o nosso ambiente leve e um grupo muito unido. Isso tem feito a diferença em campo


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar, Rio de Janeiro

Botafogo x Nacional: alvinegros esgotam carga, e Nilton Santos terá recorde no ano


Restam apenas ingressos para camarotes e Setor Sul, de visitantes. Carga total é de 44.661 bilhetes para jogo que vale vaga nas quartas de final da Libertadores






Com dois dias de antecedência, estão esgotados os ingressos de arquibancada para os alvinegros no jogo Botafogo x Nacional-URU desta quinta-feira, às 19h15 (de Brasília), no Estádio Nilton Santos, valendo uma vaga nas quartas de final da Libertadores. Após comercializar quase toda a carga disponível com check-ins de sócios-torcedores e vendas pela internet, os últimos bilhetes acabaram nesta terça, dia em que o clube abriu as vendas em pontos físicos do Rio de Janeiro.


Restam só alguns poucos camarotes e ingressos do Setor Sul, destinado à torcida do Nacional-URU. São esperados cerca de 1.500 uruguaios, mas como a área comporta até quatro mil pessoas, há uma recomendação para que alvinegros não comprem esses bilhetes. O Gepe está orientado a retirar botafoguenses se identificados junto aos torcedores rivais.



Filas em pontos físicos agora é só para troca do e-ticket pelo ingresso físico (Foto: Thiago Pinheiro)


O Botafogo terá seu maior público no ano, superando os 38.357 diante do Colo-Colo, do Chile, na estreia da Libertadores. Mas a carga total é de 44.661. Se todo o Setor Sul for vendido, o clube pode ainda quebrar o recorde do estádio: 43.810 presentes na inauguração em 2007, no Botafogo 2 x 1 Fluminense. Para isso, o Glorioso está fazendo campanha para os sócios que fizeram check-in e não vão mais para desbloquearem seus lugares e permitirem que o clube venda os seus ingressos.


Além disso, a diretoria alerta para os bilhetes de meia-entrada vendidos por cambistas. Segundo comunicou, a fiscalização estará mais rigorosa, e quem não tem direito ao benefício terá que ir na bilheteria pagar a diferença para o preço da entrada inteira. As gratuidades para menores de 12 anos e maiores de 65 nos setores Leste Superior e Oeste Superior também estão esgotadas.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Marcelo Baltar e Thiago Lima, Rio de Janeiro

Saída, chegadas, voltas e vaga... O que mudou desde o 1º jogo contra o Nacional?


Durante pouco mais de um mês da partida em Montevidéu, clube perdeu Camilo, contratou reforços, viu Jefferson e Luis Ricardo voltarem, teve altos e baixos no Brasileiro e brilhou na Copa do Brasil



Não é novidade que o mundo do futebol é dinâmico. Na atual temporada, no entanto, com um calendário insano, um mês pode proporcionar muitas mudanças. Ou alguém imaginaria que o Botafogo chegaria ao jogo de volta contra o Nacional sem Camilo? Ou que Valencia e Brenner seriam novas opções de Jair?


Com 35 dias de distância para o jogo de ida, o Botafogo volta a campo pela Libertadores nesta quinta-feira. A vantagem é boa (vitória por 1 a 0 em Montevidéu), a base titular é a mesma, mas a equipe de Jair Ventura chega à partida decisiva com algumas mudanças de nomes e cenários.


Breve passagem pelo G-6



Gol Roger Fluminense x Botafogo - Campeonato Brasileiro 2017 (Foto: André Durão)


O cenário no Brasileirão é semelhante. No início de julho, o Botafogo era o 10º colocado, com 15 pontos. Hoje, nove rodadas depois, o Alvinegro está em 11º, com 25 pontos.


Durante o período, no entanto, o time de Jair chegou a entrar no G-6 (zona de classificação para a Libertadores) na 14ª rodada e passou outras três rodadas em sétimo. Entretanto, derrotas em casa para São Paulo e Palmeiras e a sequência de cinco jogos sem vitórias no Brasileirão derrubaram o Botafogo na tabela.


Vaga na Copa do Brasil



Os gols de Botafogo 3 x 0 Atlético-MG pelas quartas de final da Copa do Brasil


Se o período foi de altos e baixos no Brasileiro, na Copa do Brasil o Botafogo só teve motivos para comemorar. O Glorioso conseguiu reverter a vantagem do Atlético-MG (1 a 0 em Belo Horizonte) com uma bela vitória por 3 a 0 no Nilton Santos. O resultado garantiu o Alvinegro nas semifinais após nove anos. A partir da próxima semana a equipe de Jair duela com o Flamengo por uma vaga na decisão.


Camilo


Sem espaço, Camilo aceitou proposta do Inter e deixou o Botafogo (Foto: Satiro Sodré / SSPress)


Foi justamente contra o Nacional, em Montevidéu, que Camilo perdeu definitivamente espaço. Na ocasião, Jair surpreendeu e optou por Matheus Fernandes. O que ninguém imaginava é que o antigo camisa 10 não estaria mais no elenco no jogo de volta.


Preterido da equipe titular, Camilo decidiu buscar novos ares e aproveitou o interesse do Inter para deixar o Rio de Janeiro. Com o jogador em baixa, o Botafogo não viu motivos para se esforçar para mantê-lo e aceitou a vinda de Brenner na negociação.


Jefferson x Gatito

Curiosamente, Gatito machucou no primeiro jogo contra o Nacional e abriu brecha para Jefferson retornar aos gramados após 13 meses afastado por conta de lesão no braço. A volta, contra o Atlético-MG, foi triunfal, com direito a defesa de pênalti.



Alternância de lesões vem adiando decisão sobre quem será o titular do gol do Botafogo (Foto: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)


Foram seis jogos seguidos até Jefferson sofrer um edema na coxa. A lesão coincidiu com a volta de Gatito do departamento médico. O paraguaio participou dois últimos três jogos e deve ser o titular contra o Nacional. Até o momento, Jair não teve de optar por um dos dois.


Arnaldo fora; Luis Ricardo recuperado



Luis Ricardo retornou aos gramados após 10 meses (Foto: Vitor Silva / SS Press / Botafogo)


Titular no jogo de ida, Arnaldo praticamente não jogou após a partida de Montevidéu. Devido à lesão muscular na coxa contra o Sport, em 17 de julho, o lateral ficou no departamento médico. Ele iniciou a transição na semana passada e já está liberado para a preparação física. Luis Ricardo, que estava há 10 meses parado por conta de lesão, retornou na vaga. Fica a pergunta: quem joga contra o Nacional?


Emerson Silva x Igor Rabello

Arnaldo deixou o time por lesão. Emerson Silva, por opção. Titular no jogo de ida no Uruguai, o zagueiro perdeu a posição para Igor Rabello. Os dois, no entanto, vêm travando uma boa disputa na zaga. Não está descartado o retorno do mais experiente na quinta-feira.


Reforços



Leo Valencia é uma das novas opções do Botafogo, mas deve começar no banco contra o Nacional (Foto: Twitter Botafogo)


No período entre o primeiro e o segundo jogo, o Botafogo enfim encerrou sua busca por reforços. O Alvinegro venceu a disputa com o Vasco e fechou com o chileno Leo Valencia. Envolvido na troca por Camilo, Brenner chegou por empréstimo do Inter até o fim de 2018. Nenhum dos dois deve começar contra o Nacional, mas são novas opções para Jair.


Fonte: GE/Por Felippe Costa e Marcelo Baltar, Rio de Janeiro
<