domingo, 11 de junho de 2017

Jair lamenta empate e falta de opções no banco: "Sei quem vai pagar a conta"


Com peças experientes no departamento médico, como Camilo, Emerson Silva e Airton, treinador prevê sequência dos jogos com garotos









Melhores momentos: Botafogo 2 x 2 Coritiba pela 6ª rodada do Brasileirão 2017


O Botafogo está "no limite". Pelo menos assim enxerga Jair Ventura. Neste domingo, o treinador foi obrigado a recorrer aos garotos do elenco no empate em 2 a 2 contra o Coritiba, no Estádio Nilton Santos, pela carência de peças experientes à disposição no banco de reservas. Com jogadores importantes no departamento médico (casos de Airton, Camilo e Victor Luis), ele acabou, no segundo tempo, sacando Roger, única referência ofensiva relacionada para a partida.

O Botafogo está "no limite". Pelo menos assim enxerga Jair Ventura. Neste domingo, o treinador foi obrigado a recorrer aos garotos do elenco no empate em 2 a 2 contra o Coritiba, no Estádio Nilton Santos, pela carência de peças experientes à disposição no banco de reservas. Com jogadores importantes no departamento médico (casos de Airton, Camilo e Victor Luis), ele acabou, no segundo tempo, sacando Roger, única referência ofensiva relacionada para a partida.

- Estamos chegando na parte mais importantes com menos jogadores. No momento mais decisivo estamos com menos jogadores. Eu tinha Sassá e Joel e hoje só tenho o Roger. A conta vai chegar. Eu sei quem vai pagar essa conta, sou eu. Quando aceitei o desafio eu sabia. Vamos ver até aonde a gente consegue.

Sem alternativas no ataque, Renan Gorne ganhou oportunidade na vaga de Roger na segunda etapa. Além dele, muito outros foram relacionados. E a situação, segundo Jair, vai se repetir enquanto os jogadores com mais bagagem não estiverem em condições de jogo e não chegarem reforços para o elenco.

- Eu tinha 11 meninos relacionados. Se eu tivesse o Alecsandro na reserva o colocaria, mas ele joga com a camisa do Coritiba. Roger é o nosso único atacante e resolvi preservá-lo. Ele corre, cansa e optei por isso. Não posso ficar 90 minutos sem fazer uma substituição. Enquanto não tivermos nossos jogadores mais experientes em condições, vou colocar os meninos.

Os primeiros pontos perdidos pelo Botafogo em casa no Brasileirão não agradaram ao treinador. Jair destacou a necessidade de vitórias no Nilton Santos e aproveitou para elogiar a equipe do Coritiba.

- Vitória em casa é obrigação. Mais uma vez paramos no final. Nós criamos, lutamos, tivemos uma chance clara com o Montillo... Mas não fizemos. O Coritiba é uma equipe muito difícil e tem jogadores leves para o fim da partida

Confira outros trechos da coletiva:

Arbitragem
- Vejo os treinadores mais experientes falando de arbitragem, mas ainda não vou falar. Não sei até quando, mas vou seguir assim.


Oportunidades aos jogadores
- Tive a minha chance contra o São Paulo no Morumbi e agarrei. Todos vão ter oportunidades. O que eu tiver de jogadores vou usar. Não posso tirar um cara do departamento médico para jogar. Quem for mal vai para o final da fila


Bastidores do Botafogo
- Vocês não sabem o que passa por trás do elenco. O avô do João Paulo, por exemplo, faleceu nesta sexta-feira e eu cheguei a o liberar da concentração, mas ele fez questão de jogar. Mérito para esses jogadores que são muito profissionais.



João Paulo durante empate entre Botafogo e Coritiba (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)


Montillo

- O Montillo precisa de um ritmo melhor ainda. Ficou dois meses parado, veio da China e vamos com calma. Ainda não é o momento de ser titular. Se estiver bem fisicamente, não precisa de apresentações. Achei que o Coritiba cansou no segundo tempo e não conseguimos o gol. Prefiro usá-lo no final.


Dupla Camilo-Montillo

- Preciso de pelo menos um. Se tivermos os dois (Camilo e Montillo) serão titulares. Abro espaço para os dois, pode ficar tranquilo.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Rio de Janeiro

Dia de Carli: zagueiro faz dois pênaltis, um gol, e Bota fica no empate com o Coxa


Argentino comete duas faltas em Rildo na grande área - uma duvidosa -, Kléber e Henrique Almeida balançam a rede; Roger desencanta no Brasileirão



Joel Carli dividiu o torcedor presente no Nilton Santos neste domingo. No empate em 2 a 2 entre Botafogo e Coritiba, o zagueiro argentino cometeu dois pênaltis em RIldo - um deles duvidoso -, bem aproveitados por Kléber Gladiador e Henrique Almeida, viu Roger acabar com jejum de gols no Brasileirão e marcou no segundo tempo para se redimir e garantir um ponto em casa.

Com o resultado, o Botafogo chegou ao seu segundo empate na competição e oito pontos na tabela de classificação. Na quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), encara o Vitória no Barradão. O Coritiba confirmou a boa fase e foi a 13 pontos - mesma pontuação do líder Corinthians. Na quinta, às 16h, recebe o Bahia no Couto Pereira.



Carli foi a principal figura do jogo: dois pênaltis e um gol no empate com o Coxa (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)


O jogo

O Coritiba desenhou uma formação ofensiva no papel e executou a ideia em campo no primeiro tempo. A equipe de Pachequinho tomou a iniciativa e abriu o marcador aos sete minutos. Carli chegou atrasado e derrubou Rildo na área. Kléber, que já havia finalizado por cima da meta de Gatito, cobrou o pênalti para balançar a rede: 1 a 0. Dodô por pouco não ampliou, mas parou no goleiro paraguaio em chute de fora.

O Botafogo tentou equilibrar o meio-campo, mas abusou dos passes errados na transição da defesa para o ataque. A saída foi a bola aérea, eficiente aos 22 minutos. Gilson cruzou, João Paulo desviou de cabeça e viu Roger antecipar a marcação para empatar. O camisa 9 alvinegro ainda teve mais duas boas chances, mas mandou por cima de cabeça e perdeu tempo de bola na tentativa de chute de esquerda.

O clima foi quente na etapa complementar. Muitas faltas dos dois lados, cartões amarelos e reclamação, principalmente do lado alvinegro. Aos oito minutos, Rildo invadiu a área e caiu em novo lance com Carli. O árbitro marcou o pênalti - esse duvidoso -, Henrique Almeida cobrou com categoria e provocou na comemoração com o “chororô”. O ex-jogador do Botafogo foi punido com o amarelo após o segundo gol do Coxa.

Quis o destino que o mesmo Joel Carli aparecesse novamente, dessa vez para soltar o grito do torcedor do Botafogo. Após bobeira da defesa adversária, o argentino apareceu livre na área e deixou tudo igual. O Alvinegro teve duas chances para sair de campo a vitória, mas parou em Wilson em chute de Montillo, livre de marcação, e desperdiçou chance clara com Roger.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com, Rio de Janeiro

Rodada #6: tudo o que você precisa saber sobre Botafogo x Coritiba


Equipes se enfrentam às 11h (de Brasília) deste domingo, no Rio de Janeiro



FICHA-DO-JOGO_Botafogo-x-Coritiba (Foto: Infoesporte)


O jogo

O jogo entre Botafogo e Coritiba, na manhã deste domingo, promete ser muito disputado e traz muitos ingredientes. Muito forte atuando no Estádio Nilton Santos, o Botafogo conta com o apoio da torcida para se recuperar da derrota na última rodada. Por outro lado, recebe um time que vem de três vitórias consecutivas e busca a liderança do Campeonato Brasileiro.

Com 12 pontos, o Coritiba está apenas um atrás do Corinthians, que pega o São Paulo também neste domingo. Em segundo vem o Grêmio com a mesma pontuação do Coxa. O Botafogo chega na rodada com sete.

Transmissão: Premiere, Premiere HD. O GloboEsporte.com acompanha o jogo em Tempo Real, com vídeos dos principais lances, a partir das 11h (horário de Brasília).


Apresentação do brasileirão - escalações prováveis (Foto: Infografia )


Botafogo - Técnico: Jair Ventura

Depois de perder para o Santos com um gol aos 50 minutos do segundo tempo, o Botafogo tenta se recuperar apoiado no bom retrospecto no Estádio Nilton Santos. Em 2017, o time disputou 17 jogos em casa com 11 vitórias, dois empates e quatro derrotas. Para esse jogo, o técnico Jair Ventura não poderá contar mais uma vez com Camilo, que segue se recuperando de lesão no ombro. Por outro lado, ele terá o retorno de Bruno Silva, suspenso da última rodada.

O provável time para domingo é Gatito, Arnaldo, Joel Carli, Igor Rabello e Gilson; Rodrigo Lindoso, Bruno Silva, Matheus Fernandes e João Paulo; Rodrigo Pimpão e Roger.

Quem está fora: Camilo (lesionado), Emerson Silva (lesionado), Victor Luis (contundido), Airton (contundido).


Escalação prevista do Botafogo (Foto: GloboEsporte.com)

Coritiba - Técnico: Pachequinho

Cinco jogos, quatro vitórias. O terceiro lugar na tabela do Brasileirão empolga a torcida, mas a ordem no Coritiba é manter os pés no chão. O time tenta buscar a segunda vitória fora de casa no campeonato para não desgrudar do bloco dos primeiros colocados.

Contra o Botafogo, Pachequinho deve manter a base do time que venceu o Palmeiras, na última quarta-feira. O treinador não poderá contar com o volante Matheus Galdezani, um dos destaques da boa campanha do time alviverde, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. A tendência é que Jonas ocupe a vaga no setor. Com isso, a equipe deve entrar em campo com Wilson; Dodô, Werley, Márcio e William Matheus; Alan Santos, Jonas, Tiago Real, Henrique Almeida, Kleber e Rildo.

Quem tá fora: Anderson e Rodrigo Ramos (em recuperação); Matheus Galdezani (suspenso); Daniel (departamento médico); Léo (problemas particulares)


Coritiba campinho Botafogo (Foto: GloboEsporte.com)





Apresentação do brasileirão - arbitragem (Foto: Infografia )

Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza - SP (CBF) / Assistentes: Daniel Paulo Ziolli - SP (CBF) e Daniel Luis Marques - SP (CBF).


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com, Rio de Janeiro