domingo, 12 de fevereiro de 2017

"Maior posse e duas bolas na trave": Jair exalta entrega de reservas do Bota


Poupando jogadores para a partida da Pré-Libertadores da próxima quarta, Alvinegro acabou superado pelo Fla no clássico e não tem mais chances na Taça Guanabara




De olho no confronto de quarta-feira pela Pré-Libertadores, o Botafogo entrou com o time praticamente todo reserva no clássico deste domingo contra o Flamengo, no Estádio Nilton Santos. Apesar da vontade mostrada em campo, o Alvinegro acabou derrotado por 2 a 1 e não tem mais chances de se classificar para as semifinais da Taça Guanabara. Apesar de ter poupado os titulares, o treinador Jair Ventura lamentou a eliminação, mas exaltou a entrega dos jogadores que foram a campo. Além disso, lembrou que o Bota, por pouco, não teve melhor sorte na partida.

- Quando você está em clube grande tem que sempre querer ir longe em todas competições. Ano atípico, planejamento por conta da Libertadores. Seguimos o planejamento. Ainda não conquistamos nada, ainda temos que chegar a fase de grupo. Ficar fora da final é ruim, mas seguimos o planejamento. Usamos cinco meninos da base. Pedi vontade e organização. Quando falo força máxima são aqueles que entram. A equipe teve maior posse de bola, duas bolas na trave, e sofremos dois gols de bola parada. Mesmo com a derrota, há coisas que tiramos de proveito. Mesmo tendo mais posse que o adversário - disse Jair Ventura.


Jair Ventura lamenta lance durante derrota do Botafogo para o Flamengo (Foto: André Durão)

Jair, porém, destacou que o Botafogo ainda não abriu mão do Campeonato Carioca. Ele prometeu que a equipe voltará com tudo para a Taça Rio, em busca de uma vaga na final.


- Não jogamos a toalha. Temos chances na próxima fase. Vamos lutar para chegar às finais.


Confira outros destaques da coletiva de Jair Ventura:

Camilo e Montillo jogam contra o Olimpia?
Eu espero contar com os dois. Mas é difícil cravar, a dor é muito subjetiva. Eu queria dar essa noticia para a torcida de que eles vão jogar. São dois jogadores importantíssimos. O Camilo não jogou e fez falta. Conseguimos nossa classificação e fez falta. Não posso cravar. Foge de mim é mais da parte médica. Mas espero ter os dois. Confio bastante no meu departamento médico.


Priorizar a Libertadores
Temos prioridades. Não podemos mudar o planejamento pelos resultados. Nosso objetivo era estar na fase de grupos. Temos dois jogos seguidos contra o Olimpia. Não podemos correr esse risco. Se fosse no meio do ano, teríamos um lastro físico. Perdemos um a semana na pré-temporada e pagamos o preço. Se fala muito da parte física, mas fomos muito bem fisicamente em Santiago. A gente vem numa crescente. Infelizmente, o lençol é curto.


Gatito
O Gatito já treinou hoje, acho que não será dúvida para quarta


Confusão
O que aconteceu hoje fora do estádio foi lamentável. Tivemos que esperar no ônibus para chegar ao estádio. Ouvimos bombas, tiros. Liguei para a minha família. Meu sobrinho já estava aqui. Muitas famílias e crianças. Nos preocupamos com todos que estão aqui, independente para quem torce. Lamentável, os anos vão se passando, e a violência não acaba. A gente preza tanto pela paz. Nós, os protagonistas do espetáculo, ficamos tristes. Acredito que foi um grande jogo, com gols, os dois times procuraram o jogo. Mas isso tudo acaba apagado por conta desse episodio lamentável fora do estádio.


Roger
Ele rescindiu o contrato com a Ponte antes. Estava desde outubro sem jogar. Atacante precisa de ritmo e gols. A gente sabe disso. Conversei com ele. Que bom que saiu o gol dele, num clássico, ele vai ficar mais leve. Fez uma partida muito boa. O Matheus Fernandes, o Gilson, o Igor Rabello também fizeram bons jogos. O Leandrinho entrou muito bem. Bola para frente. Vamos pensar no jogo de quarta


Garotada
Gostei bastante dos meninos. Depende muito da posição. Estão todos de parabéns pela luta e pela entrega. O Matheus Fernandes, um menino, jogando contra jogadores rodados como o Diego e não sentindo. Esse eu vejo como um legado do treinador. Não vejo problema algum em colocar esses meninos para jogar. Eles estão de parabéns. Não pelo resultado, mas sim pela performance.


Defesa
Nosso ponto forte, desde que assumi, foi a defesa. Tivemos a melhor defesa do returno de toda historia do Botafogo. Tomar gols em todos os jogos nesse início de ano não é bom. Estamos estudando, vendo vídeos. Bati muito na tecla da manutenção da equipe. E a gente começa o ano com apenas três titulares. Começamos do zero. Me incomoda bastante. Mas não temos culpados.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar/Rio de Janeiro

Fla supera reservas do Bota, garante vaga e elimina rival da Taça Guanabara


Com gols de Guerrero e Everton, Rubro-Negro vence clássico no Nilton Santos por 2 a 1 e segue 100% no Campeonato Carioca. Resultado garante Madureira nas semifinais






O Flamengo veio com força máxima para o clássico deste domingo no Estádio Nilton Santos, enquanto o Botafogo preferiu poupar seus titulares, de olho no jogo de quarta-feira pela Pré-Libertadores. O Alvinegro bem que tentou, mas não resistiu à pressão do Rubro-Negro, que saiu vitorioso: 2 a 1, gols de Guerrero e Éverton - Roger descontou. Com o triunfo, o Fla manteve-se 100% no Carioca, com quatro triunfos em quatro jogos e assegurou vaga nas semifinais da Taça Guanabara. O resultado tirou qualquer chance do Bota e garantiu o Madureira na próxima fase.


Líder, o Flamengo encara o Madureira no próximo domingo, às 17h00, em Volta Redonda, pela última rodada da Taça Guanabara para decidir a primeira colocação do Grupo C. No mesmo horário, o Botafogo vai a Bacaxá cumprir tabela contra o Boavista.

Observado por Guerrero, Everton comemora gol da vitória do Flamengo sobre o Botafogo (Foto: André Durão)


Confusão fora do estádio

Antes do início do clássico, clima de muita tensão no entorno do Estádio Nilton Santos. O Botafogo chegou a pedir a não realização do jogo alegando baixo efetivo policial para a partida. Barulhos de explosões e tiros foram ouvidos no local. Houve muita correria e pessoas saíram feridas. A Polícia Militar teve que entrar em ação para conter a confusão.


Um torcedor do Botafogo foi morto durante os confrontos. De acordo com o jornal "Extra", a vítima é Diego Silva dos Santos, de 28 anos, que chegou a ser levado ao Hospital Salgado Filho, mas não resistiu. Ainda segundo a reportagem, Jean Marques Ferreira Rocha, de 22 anos, e Pedro Henrique da Silva Rego, de 20, foram atingidos no braço esquerdo por ocupantes de um carro que passava pela rua.


Reclamações nos gols


Houve reclamações de irregularidades nos dois gols do Fla e no do Bota. Todos, porém, foram legais. Os Alvinegros acusaram mão de Guerrero no primeiro gol, mas a bola bateu na coxa do peruano, e reclamaram de impedimento no segundo, mas tanto Berrío quanto Éverton tinham condições de jogo. Os Rubro-Negros, por sua vez, também reclamaram de impedimento no gol de Roger. Tudo porque o auxiliar se precipitou e levantou a bandeira quando o atacante aparecia adiantado. Mas quem estava no lance era Guilherme que, em posição legal, cruzou para o mesmo Roger marcar.

Roger cabeceia para fazer gol do Botafogo contra o Flamengo (Foto: André Durão)

O jogo

O Fla começou melhor a partida, chegando duas vezes com perigo nos primeiros 15 minutos, com Arão e Diego. Enquanto o Botafogo tinha dificuldades em criar oportunidades, Éverton, pela esquerda, e Mancuello, pela direita, eram quem armavam as melhores jogadas para o Rubro-Negro. O jogo estava morno até que aos 35 Guerrero recebeu cruzamento de Diego e escorou para o fundo das redes. O Alvinegro acordou e reagiu rápido, empatando com Roger, após cruzamento de Guilherme. Os gols incendiaram a partida e os ânimos ficaram acirrados até o intervalo.


A segunda etapa começou tensa, assim como o fim do primeiro tempo. O jogo prosseguiu truncado, com muitas disputas no meio de campo. Pouco antes da parada técnica, o Fla desempatou a partida. Após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Rafael Vaz que mandou de bicicleta para a área. Berrío tocou de calcanhar e Everton emendou para as redes. O Botafogo tentou reagir e ficou muito próximo do empate com duas bolas de Leandro no travessão. A primeira em após boa jogada de Vinicius Tanque, a segunda já nos acréscimos, em um cabeceio.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com/Rio de Janeiro