quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Cirurgia de Jefferson termina após 3h, e goleiro deve receber alta nesta sexta


Seis meses após primeira operação, goleiro passa por um novo e longo procedimento cirúrgico no braço esquerdo. Expectativa é ficar no mínimo mais seis meses afastado




Após mais de três horas, chegou ao fim, na tarde desta quinta-feira, a nova cirurgia de Jefferson para reconstruir o tendão rompido do tríceps do braço esquerdo. O procedimento, conduzido pelo dr. Márcio Schiefer, especialista em ombro e cotovelo, aconteceu em um hospital da Zona Sul do Rio de Janeiro. Tanto o médico quanto o hospital, localizado na Zona Sul do Rio de Janeiro, ainda não passaram mais detalhes da operação, nem mesmo se correu conforme o planejado.

A esposa de Jefferson o acompanhou no hospital, e a previsão é que o goleiro tenha alta nesta sexta-feira. Sete médicos – quatro cirurgiões, dois anestesistas e um instrumentista –, participaram da cirurgia. Ainda não se sabe se foi necessário usar o banco de tecido do do Into (Instituto Nacional de Traumato-ortopedia) para fazer enxerto no braço de Jefferson, sem a necessidade de retirar de outra parte do corpo do atleta, como ocorreu no procedimento anterior.


Jefferson está fora desde maio, quando lesionou o tríceps do braço esquerdo e passou por uma cirurgia. A previsão inicial era de voltar a jogar em três meses, mas ele continuou sentindo dores no local. A constatação foi de que o tendão reconstituído não cicatrizou direito. A nova cirurgia causou enorme mal-estar em General Severiano. O goleiro se pronunciou pela primeira vez sobre o caso na última quarta-feira, em entrevista coletiva no Cefat, em Várzea das Moças, em Niterói (RJ), onde o elenco do Botafogo está concentrado até sábado. Ao lado do dr. Luiz Fernando Medeiros, coordenador médico alvinegro e responsável pela primeira cirurgia, desabafou, mostrou-se resignado e disse que eles chegaram no limite.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar/Rio de Janeiro

Com tornozelo ainda inchado, Alemão desfalca Botafogo contra a Ponte Preta


Lateral-direito segue sem treinar e faz apenas tratamento em Várzea das Moças. Marcinho e Emerson são os mais cotados para a vaga no jogo sábado, na Arena



Alemão ainda está com tornozelo direito
 inchado e trata para voltar contra o
 Grêmio (Foto: Davi Barros)
Além dos muitos desfalques por suspensão, Jair Ventura ganhou mais um problema para partida contra a Ponte Preta. Com uma entorse no tornozelo direito, Alemão não estará em campo neste sábado, às 20h (de Brasília) na Arena, pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro. O lateral-direito, que se machucou diante do Palmeiras no último domingo, fez exames e se juntou na quarta-feira ao grupo que está concentrado no Cefat, em Várzea das Moças, Niterói (RJ). Mas sua presença no local é só para tratamento, ele não tem participado dos treinos fechados para a imprensa.


O Botafogo ainda não confirma o desfalque, mas Alemão dificilmente terá condições de jogo. O lateral, inclusive, é dúvida para a partida contra o Grêmio, daqui a dez dias. Assim, Jair pode ter que improvisar outra vez. Para a posição, o treinador só tem Marcinho, integrado recentemente ao elenco profissional. Diego, que seria outra opção, não foi relacionado para o grupo que está concentrado. A alternativa seria escalar Emerson na função e usar outro zagueiro com Renan Fonseca, como Marcelo por exemplo.

Além de Alemão, Jair não conta com Carli, Emerson Silva, Leandrinho e Fernandes, todos suspensos. A equipe provável para o jogo contra a Ponte Preta tem Sidão, Marcinho (Marcelo), Renan Fonseca, Emerson e Victor Luís; Airton, Bruno Silva (Diogo Barbosa), Lindoso e Camilo; Neilton e Pimpão (Sassá). Com 55 pontos, o Botafogo é o sexto colocado e está na briga por uma vaga na Libertadores, a duas rodadas do fim do Campeonato Brasileiro.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar e Thiago Lima/Rio de Janeiro