terça-feira, 11 de abril de 2017

1º brasileiro em Medellín pós-tragédia da Chape, Bota chega após 9h de viagem


Alvinegro desembarca no Aeroporto José María Córdova cinco meses depois do maior acidente aéreo da história do esporte e enfrenta o Atlético Nacional nesta quinta






A viagem foi longa, mas após pouco mais de nove horas o Botafogo chegou a Medellín como o primeiro time brasileiro na cidade colombiana após a tragédia com o avião da Chapecoense, em novembro do ano passado. Os jogadores saíram do Rio de Janeiro às 8h27 desta terça-feira, fizeram escala na capital Bogotá e aterrissaram no Aeroporto Internacional José María Córdova às 17h36 (de Brasília) e 15h36 no horário local. O Alvinegro enfrentará o próprio Atlético Nacional, que seria o adversário da Chape na final da última Copa Sul-Americana, nesta quinta-feira, pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores, cinco meses após o maior acidente aéreo do esporte.


Ônibus que buscou o Botafogo no aeroporto e levou para o hotel chamou atenção (Foto: Felippe Costa)


Pimpão registrou o momento da chegada do Botafogo a
Medellín (Foto: Reprodução)
O Botafogo foi recebido pela imprensa colombiana, curiosa sobre a equipe, e seguiu para o hotel em um ônibus mais parecido com um trio elétrico na frente por causa da chamativa iluminação – o veículo chamou a atenção dos jogadores, jornalistas e torcedores brasileiros presentes, mas é comum no país. Artilheiro do time de Jair Ventura na temporada ao lado de Roger e Sassá, com cinco gols, Pimpão registrou os momentos da viagem e foi quem falou no desembarque.


– O Nacional perdeu muitos jogadores, mas se manteve forte. Vamos estudar o time para chegarmos bem na quinta.O Botafogo faz ainda nesta terça um trabalho na academia do hotel, e na tarde desta quarta realiza o treino de reconhecimento no Estádio Atanasio Girardot, local da partida contra o Atlético Nacional às 21h45 (de Brasília) de quinta-feira. Confira a lista dos relacionados abaixo:


Goleiros: Gatito Fernández, Helton Leite e Saulo
Laterais: Gilson e Victor Luís
Zagueiros: Carli, Emerson Santos, Emerson Silva e Igor Rabello
Volantes: Bruno Silva, Dudu Cearense, Fernandes, João Paulo e Rodrigo Lindoso
Meias: Camilo e Leandrinho
Atacantes: Guilherme, Rodrigo Pimpão, Roger e Sassá







Fonte: GE/Por Felippe Costa, Medellín

'Temido', Roger, força física... Botafogo é respeitado na Colômbia


Técnico do Atlético Nacional e site de Bogotá exaltam virtudes da equipe alvinegra


Roger se tornou importante no comando de ataque do time de Jair Ventura (Satiro Sodré/SSPress/Botafogo)
O Botafogo chega a Colômbia nesta terça-feira e joga contra o Atlético Nacional, em Medellín, nesta quinta, pela Copa Libertadores. O Alvinegro vai encarar o atual campeão do continente, multicampeão nacional e sabe a dificuldade que terá. Mas também está sendo respeitado pelos locais.


O site colombiano "El Periódico Deportivo", em texto da última segunda-feira, classifica o Glorioso como "temido" e "sempre complicado". A publicação indica também a equipe de General Severiano como favorita a avançar no grupo ao lado do Atlético. Estudiantes (ARG) e Barcelona (EQU) são os outros do grupo.

O centroavante Roger é visto como a referência da equipe alvinegra. O centroavante, apesar do início instável pelo clube, é o artilheiro da equipe na temporada, e marcou um gol de bicicleta contra o Estudiantes, na primeira rodada da fase de grupos.

Por sua vez, o técnico do Atlético Nacional, Reinaldo Rueda, declarou que os visitantes "jogam bonito e tem força física".


Fonte; LANCE! Rio de Janeiro (RJ)
 

Na gangorra do Jair: saiba quem ganhou pontos para a Libertadores


Desde o último jogo pela competição, há quase um mês, muita coisa mudou no Botafogo. Boas atuações na Taça Rio e lesões abrem brechas na disputa






Lá se vai quase um mês do último jogo do Botafogo na Libertadores, em 14 de março, na vitória por 2 a 1 sobre o Estudiantes. Desde então, muita coisa mudou. O Alvinegro voltou as atenções para o Carioca, fez a melhor campanha da fase de classificação e está na final da Taça Rio.


Além disso, Jonas, Marcinho, Carli, Marcelo, Airton e Montillo machucaram e abriram brechas para a concorrência. Neste período, Jair Ventura fez testes, experiências e improvisações. Novos nomes ganharam força e acirraram a disputa por vagas. Abaixo, o GloboEsporte.com lista alguns atletas que ganharam pontos e podem ser importantes em um futuro próximo na Libertadores.


Sassá
Sem dúvida foi quem mais aproveitou a parada de quase um mês na Libertadores. Reintegrado após um período de ostracismo por conta de problemas disciplinares, já é um dos artilheiros do Botafogo na temporada com cinco gols. Foi destaque nos dois últimos jogos, contra Resende – com direito a golaço de bicicleta – e Fluminense. Entrou forte na disputa por uma briga no ataque.


Gilson

Outro que aproveitou bem os jogos da Libertadores. Titular contra Portuguesa e Fluminense, deu quatro assistências em dois jogos e tornou-se o maior “garçom” do Botafogo na temporada. Com a forte concorrência de Victor Luis na esquerda, pode virar opção no meio de campo. Jogou assim no segundo tempo contra o Olimpia.


Igor Rabello
Foi bem no domingo contra o Fluminense. Além de firme na defesa, marcou, de cabeça, o primeiro do Botafogo no clássico. Ganhou pontos com Jair, mas deve voltar para o banco com o provável retorno de Carli, na quinta-feira.

Igor Rabello comemora gol - Botafogo x Fluminense (Foto: Alexandre Durão)

Dudu Cearense
Andava esquecido, mas voltou com moral ao time contra o Fluminense. Além de ganhar a braçadeira de capitão, marcou um gol e pode voltar a receber oportunidades.


João Paulo e Lindoso
Foram muito bem contra o Fluminense e devem enfrentar o Atlético Nacional, como substitutos de Airton e Montillo, machucados. Como Jair Ventura deve voltar a usar o esquema com três volantes, os dois devem formar a trinca de volantes ao lado de Bruno Silva.

Jair Ventura e Dudu Cearense (Foto: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)

Fernandes
Vem se desdobrando improvisado na lateral-direita, uma vez que Jair Ventura não tem disponível nenhum jogador da posição. Contra o Fluminense, evoluiu e deu assistência para o gol de Sassá. No entanto, foi mal no pênalti cometido em Richarlison no fim. Tem boas chances de ser titular na quinta.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar e Thiago Lima, Rio de Janeiro

Gatito defende volta dos três volantes e alerta para o 10 do Atlético Nacional


Preocupado com meia Macnelly Torres, goleiro projeta que formação de 2016 deixará Alvinegro mais protegido para jogo desta quinta, na Colômbia, na volta da Libertadores



Cuidado com ele! Macnelly Torres am ação pelo Atlético Nacional (Foto: Luis Eduardo Noriega/EFE)


Acostumado com a Libertadores, o goleiro Gatito Fernández mostrou certa preocupação para o jogo contra o Atlético Nacional, na quinta-feira, às 21h45 (de Brasília), em Medellín. O paraguaio alertou o Alvinegro sobre o camisa 10 da equipe, Macnelly Torres. Tanto que, perguntado sobre o esquema com três volantes - o mesmo da arrancada que garantiu a vaga no torneio continental - admitiu que o time fica mais seguro e prevenido para conter o jogador.


- Acho que esse esquema com três volantes dá mais segurança à defesa, também porque fechamos esse espaço que o Macnelly (Torres) flutua, nas costas dos volantes. Com três marcando pelo meio, nós conseguimos fechar melhor, jogar na frente deles para se movimentar e reter a bola no nosso pé - declarou.


Número 1 do mundo no ranking da IFFHS (Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol), o time colombiano perdeu algumas peças em relação ao elenco que venceu a Libertadores na última temporada. Do meio para a frente, saíram jogadores como Guerra, Berrío e Borja, todos para o futebol brasileiro. Mas, mesmo com as mudanças, Gatito alertou para a qualidade da equipe de Medellín.


- Até agora eu nao tive muito tempo para conversar sobre o adversário com a comissão. Eu assisti os jogos anteriores, vi contra a Chapecoense. Eles perderam muitos jogadores, mas continuam com muita qualidade. A estrutura é muito parecida. Eles tem um meia bom, como falei, o Macnelly Torres, que sabe jogar, é um cara que costuma enfiar bolas perigosas, temos que ficar atentos com ele, para que ele não consiga fazer isso - destacou.

Gatito deu coletiva na noite da última segunda-feira (Foto: Botafogo)

E mesmo com um esquema em tese mais defensivo, com um jogador a menos do meio para a frente, Gatito acredita que o Botafogo deve sair para o jogo no Atanasio Girardot.


- Esses dois jogos da primeira fase da Libertadores deram bastante experiência para o grupo. Jogar fora de casa é mais difícil, ainda mais tendo que manter o resultado por ser eliminatório. No caso da partida contra o Olímpia, precisávamos matar o jogo para garantir a classificação. Ganhamos muita experiência nesses dois jogos, são dois times importantes, campeões de Libertadores. Agora, jogando contra o Atlético Nacional, temos que sair para buscar o jogo, se ficar esperando lá atrás vamos sofrer porque eles tem muita qualidade, temos que propor o jogo, será melhor para a gente - finalizou.


Fonte: GE/Por Caio Filho* e Thiago de Lima, Rio de Janeiro

Camilo se reúne com jogadores antes do treino e espanta mal-estar no Bota


Depois de faltar a dois dias de treinos, camisa 10 se desculpa com companheiros que se sentiram prejudicados: "Ele passou o respeito que tem pela gente", diz Igor Rabello





Primeiro, a conversa foi com Jair Ventura e Antônio Lopes. Depois, com os mais experientes e líderes do grupo. E por último, com todos os jogadores. Após a insatisfação com o treinador e a ausência em dois dias de treino, Camilo reuniu o elenco na tarde desta segunda-feira no vestiário do Nilton Santos para passar tudo a limpo e espantar qualquer mal-estar interno. O papo foi antes da atividade, que estava marcada para às 16h e começou com 30 minutos de atraso devido à reunião. O camisa 10, que se reapresentou na concentração no sábado e jogou o Clássico Vovô domingo, desculpou-se com quem se sentiu prejudicado e garantiu estar fechado com o plantel.


– O Camilo só passou o respeito que tem pela gente, explicou a situação dele. A situação dele particular não vem até a gente. Só tenho elogios a ele, é um cara excepcional, que está sempre ajudando. A gente sempre vai receber o Camilo da melhor forma aqui dentro – contou Igor Rabello, em entrevista coletiva após o treino desta segunda.


A bronca de Camilo deixou alguns jogadores incomodados com a situação. Em entrevista ao "Seleção SporTV" nesta segunda-feira, Dudu Cearense admitiu que houve um descontentamento e que ele mesmo desaprovou a atitude do camisa 10. Mas que conversaram depois, apararam as arestas e passaram a borracha no que aconteceu.


– A gente conversou. Estavam os mais velhos, os mais experientes, os líderes do grupo, cada um deu uma palavra. Não gostamos do que ele fez. Falei com ele pessoalmente. É meu amigo, gosto muito dele. Esperei dois dias para ele acalmar, esfriar um pouco. Nesse dia, a conversa foi mais pela questão de ser um exemplo para o grupo. Para isso não acontecer outra vez e causar um mal-estar no grupo. O Camilo é nosso, vamos resolver isso, vamos conversar com ele. Foi um caso isolado. Conversei com ele. Na concentração, já fiquei brincando com ele. Foi bem resolvido (...) Resolvemos ali, em casa, sem passar para a imprensa para a torcida que tinha algo ruim no grupo. Passou aquele momento e vai morrer ali. Foi um caso isolado, agora é pensar para a frente.


Camilo se acerta com Jair e diretoria e avisa: "Estou feliz aqui"


Um dos protagonistas do Botafogo em 2016, Camilo atuou domingo em um time quase todo reserva. Motivo que culminou seu descontentamento inicial com o técnico, que dividiu o grupo para os jogos do Carioca e Libertadores. Com a lesão de Montillo, o camisa 10 seguirá como titular da equipe de Jair Ventura e terá a missão de comandar o Alvinegro nas partidas contra Atlético Nacional, na Colômbia, e Barcelona de Guayaquil, no Equador.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar e Thiago Lima, Rio de Janeiro