sábado, 12 de novembro de 2016

Victor Luis lembra entrosamento pela esquerda e destaca poderio ofensivo


Com Diogo Barbosa junto pela esquerda, Victor valoriza novas opções pelas jogadas de lado e comenta que, por serem dois laterais de ofício, ambos costumam se procurar em campo



Victor Luis em atividade na sede do clube, em General Severiano (Foto: Vitor Silva/Botafogo)

Com a possibilidade de Diogo ser titular na quarta, quem também comemora o retorno do lateral/meia é o seu "antigo" concorrente, Victor Luís. Antigo porque, com Jair, Diogo tem atuado mais como meia, sem ser na lateral-esquerda. Até por isso, surgiu a dupla entre os dois laterais, que tem dado muito certo, como destacou Victor Luís em coletiva em General Severiano, neste sábado.

- Com certeza, quero seguir jogando. Com a volta do Diogo, o time não perde nada. Só acrescenta por conta da ofensividade dele. Isso facilita muito. O Sidão até brincou, pelo fato de os dois serem laterais, um procura o outro. Temos entrosamento e espero que possamos fazer grandes jogos juntos - analisa.

A última vez que os dois iniciaram um jogo juntos foi na vitória por 2 a 0 contra o Corinthians, na Arena da Ilha. Na ocasião, Diogo marcou um dos gols, em lance exatamente pelo lado esquerdo do campo. Para voltar a balançar as redes - dois jogos em branco - Jair deve promover a volta do jogador na quarta.

Para continuar com o entrosamento entre os dois laterais esquerdos do elenco no ano que vem, o Botafogo terá que se movimentar. Ambos tem seu contrato se encerrando neste final de temporada. Enquanto Victor Luís está emprestado pelo Palmeiras até o final deste ano, Diogo Barbosa tem seus direitos federativos divididos pela metade, com 50% deles vinculados ao Coimbra Esporte Clube, parceiro do banco BMG, e outros 50% à empresa Villa Sport.


Fonte: LANCE! Rio de Janeiro (RJ)

Jair segue com Diogo no meio-campo em atividade técnica do Botafogo


Enquanto Bruno Silva e Airton não treinam, comandante mantém lateral no meio e deve ter formação mais ofensiva contra a Chapecoense. Para isso, terá que abrir mão da trinca 



Diogo Barbosa treinou durante toda a semana entre os titulares alvinegros (Foto: Armando Paiva/AGIF/Lancepress!)

Com o retorno de jogadores antes lesionados, o técnico Jair Ventura ganha novas opções para variar o esquema tático alvinegro. E a tendência é de que, contra a Chapecoense, ele abra mão da trinca de volantes e volte com Diogo Barbosa no meio campo, ao lado de Camilo. Na atividade deste sábado, em um treino técnico de três toques na bola - com o elenco dividido em três grupos - o lateral (que tem atuado de meia) treinou novamente com os titulares do time.

Eram três grupos de cinco para cada lado. Na ação ofensiva titular, treinavam Rodrigo Lindoso, Diogo, Camilo, Pimpão e Neilton. Na defensiva, Alemão, Carli, Emerson, Victor Luís e Dudu Cearense. Bruno Silva, com dores musculares, ficou na academia e Airton foi liberado da atividade por conta do casamento.

Ainda no final do treino - que durou cerca de duas horas e meia - o técnico colou o grupo para treinar finalizações. Nos últimos dois jogos, o ataque do Botafogo passou em branco. Até por isso, a entrada de Diogo no meio-campo pode ser uma solução encontrada por Jair para deixar o time mais ofensivo.


Fonte: GE/LANCE!Rio de Janeiro (RJ)

Por foco na Libertadores, Bota adota silêncio, mas age para se reforçar


Para não atrapalhar a concentração do time nas últimas quatro rodadas do Brasileiro, clube evita falar em reforços e renovações, mas já iniciou planejamento para 2017



Roger é o único reforço para 2017 confirmado
 (Foto: Fabio Leoni/ PontePress)
O segredo é a alma do negócio, mas é a vaga na Libertadores que faz o Botafogo evitar falar sobre o planejamento para 2017. O clube se movimenta no mercado, negocia renovações, mas a ordem em General Severiano, por ora, é não comentar sobre contratações. Tudo para não tirar o foco da equipe na reta final do Campeonato Brasileiro.


Há três semanas, o vice presidente de futebol, Cacá Azeredo, comentou, em entrevista à Rádio Globo, que o Botafogo iria trazer "jogadores cascudos" para a possível disputa da Libertadores. Internamente, a declaração foi considerada inoportuna, uma vez que o time vive momentos decisivos no Campeonato Brasileiro. Em reunião com o técnico Jair Ventura, a direção começou a traçar o planejamento para 2017, mas foi definido que o clube não se pronunciará sobre reforços até o fim da competição.


O que não quer dizer, no entanto, que o Botafogo não esteja agindo. Roger, da Ponte Preta, já assinou pré-contrato. O setor ofensivo, aliás, é prioridade. Com a indefinição sobre o futuro de Neilton - emprestado até dezembro - e a possível saída de Sassá - alvo de São Paulo e Cruzeiro -, o clube busca atacantes. Valorizado no Vitória, Marinho está na mira. Houve proposta por Keno, mas o jogador acertou com o Palmeiras. Para ajudar Camilo na criação, o Alvinegro abriu negociação por João Paulo, do Santa Cruz.

Apesar da blindagem ao elenco, é impossível não pensar no futuro. A quatro jogos do fim da temporada, alguns destaques da equipe ficam sem contrato em dezembro. Casos, por exemplo, de Sidão, Alemão, Victor Luís, Diogo Barbosa e Neilton. Os dois primeiros têm renovações encaminhadas, mas Diogo Barbosa dificilmente fica. O Cruzeiro é o provável destino do lateral, que vem atuando como meia nos últimos jogos. 

Marinho e João Paulo despertaram interesse do Botafogo (Foto: GloboEsporte.com)


Maior investimento

Certo é que o Botafogo projeta uma receita diferente para a próxima temporada. Ao contrário desse ano, quando contratou 11 jogadores somente em janeiro, o clube vai priorizar qualidade e não quantidade. Com mais bala na agulha para contratar, o departamento de futebol busca jogadores experientes, que possam dar peso à equipe na Libertadores.

O orçamento para 2017 ainda não foi fechado, mas é fato que a folha de pagamento - hoje na casa de R$ 3,5 milhões - será maior. Nos últimos meses já começou a entrar dinheiro nos cofres do clube: cotas de televisão; R$ 9 milhões da venda à vista de Ribamar para o TSV Munique 1860, da Alemanha; R$ 7,3 milhões da segunda parcela da venda de Dória para o Olympique de Marseille, da França; R$ 1,4 milhão da "Caixa Econômica Federal" que será pago até janeiro, fora os R$ 12 milhões do patrocínio para o ano que vem; R$ 5 milhões do Comitê Olímpico da Áustria pelo aluguel de General Severiano, e R$ 500 mil pelo show do grupo americano Guns N`Roses, além de variáveis em bares e estacionamento, por exemplo. Além, é claro, do alívio na folha que a saída de alguns jogadores, como Salgueiro e Lizio, trará.


Na últimos semanas, muitos nomes foram oferecidos. Capitão e destaque do Avaí, o zagueiro Betão, ex-Corinthians, entrou no radar, teve o nome levado para o departamento de análise de desempenho, mas as conversas, por ora, não foram adiante.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar e Thiago LimaRio de Janeiro