terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Camilo sente adutor e deve ficar fora da partida decisiva contra o Colo-Colo


Desde sábado, meia vem sentindo músculo da coxa direita e praticamente não treinou no Chile. Em coletiva nesta terça-feira, Jair Ventura disse que iria com "força máxima"




Camilo é assediado por torcedores no embarque para
 o Chile (Foto: André Durão)
Blefe de Jair Ventura? A torcida do Botafogo está muito perto de ter uma má notícia para a partida decisiva contra o Colo-Colo, do Chile, na noite desta quarta-feira, no Estádio Monumental, em Santiago. Camilo vem sentindo dores no adutor da coxa direita e está praticamente fora do confronto, que vale uma vaga na próxima fase da Libertadores da América.


As dores começaram no treino do último sábado. Camilo foi submetido a um exame de imagem que não constatou nenhuma lesão. Porém, o meia voltou a sentir no trabalho de domingo e, mesmo assim, viajou com a delegação para o Chile.


O jogador ficou fora do primeiro treino da equipe em Santiago na tarde desta segunda-feira e praticamente não treinou com bola até agora.

Curiosamente, Jair disse durante a coletiva de imprensa após as atividades na tarde desta terça-feira que usaria força máxima contra o Colo-Colo e em nenhum momento cogitou a possibilidade de perder o meia. Sem Camilo, ele pode fechar mais o meio de campo, colocando Rodrigo Lindoso ao lado de Bruno Silva e Airton.


O Botafogo joga sua vida na Libertadores da América nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), em Santiago, no Chile. Com a vitória por 2 a 1 na primeira partida, o Alvinegro pode empatar ou até perder por um gol de diferença, desde que com placar igual ou superior a 3 a 2, que volta ao Rio de Janeiro com a classificação garantida.

Fonte: GE/Por Felippe Costa, Marcelo Baltar e Thiago Lima/Rio de Janeiro e Santiago, Chile

Negociando contrato, Emerson se diz "triste e frustrado" fora da Libertadores


Afastado do elenco que viajou para a partida decisiva diante do Colo-Colo, na noite desta quarta-feira, zagueiro diz que ainda espera atuar na competição internacional



Afastado do time por questões contratuais, o zagueiro Emerson Santos vem esperando ansiosamente por uma definição quanto ao seu futuro. Criado na base do Botafogo e um dos principais jogadores da última temporada, ele diz triste e frustrado por estar fora do confronto diante do Colo-Colo, pela segunda fase da Libertadores da América. Dos 38 jogos do time no Campeonato Brasileiro do ano passado, Emerson participou de 29, sendo 27 deles como titular.
Enquanto não resolve sua situação, Emerson segue treinando no Botafogo (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Tenho esperanças de disputar esta Libertadores e, para isso acontecer, precisamos de um bom resultado no Chile
Emerson Santos

- Gostaria de desejar sorte aos meus companheiros e de lembrar que meu coração e meu pensamento estarão com eles em Santiago. Vou torcer muito pela classificação do Botafogo, tenho esperanças de disputar esta Libertadores e, para isso acontecer, precisamos de um bom resultado no Chile. Me empenhei, fiz o que pude para ajudar o time no Campeonato Brasileiro do ano passado e meu sentimento hoje é de tristeza e frustração por não participar destes dois jogos com o Colo Colo - disse através de sua assessoria de imprensa.

Em janeiro, o agente de Emerson, Jaílton Oliveira, se reuniu com a direção do Botafogo em General Severiano. A reunião terminou sem definição, e a solução parecia distante, uma vez que as duas partes falam línguas diferentes, e as negociações se arrastam desde março do ano passado. As propostas salariais feitas agradaram, mas o maior entrave é o valor exigido de luvas – cerca de R$ 1 milhão em duas parcelas –, considerado alto pelo departamento de futebol.


Durante a pré-temporada, em Domingos Martins, no Espírito Santos, Jailton enviou um contraproposta ao clube que analisa e não comenta abertamente o caso. Por isso, o zagueiro não foi inscrito para a disputa da Taça Libertadores, nem foi relacionado para os jogos do Campeonato Estadual até o momento.


Dentro de Campo, o Botafogo joga sua vida na Libertadores da América nesta quarta-feira, quando enfrenta o Colo-Colo, às 21h45 (de Brasília), no Estádio Monumental, em Santiago, no Chile. Com a vitória por 2 a 1 na primeira partida, o Alvinegro pode até empatar que volta com a classificação garantida.

Fonte: GloboEsporte.com/Rio de Janeiro

Botafogo fica muito perto de renovar o patrocínio da Caixa Econômica


Banco estatal deverá, muito em breve, firmar vínculo até dezembro com o Glorioso



Caixa estampa as logomarcas na camisa e no short do uniforme alvinegro (Foto: Jorge Rodrigues/Eleven)

Boas notícias a caminho de General Severiano. É questão de muito pouco - talvez horas - o acerto do Botafogo com a Caixa Econômica Federal, para ter o banco estatal como patrocinador master. O acordo será válido até dezembro, e o valor, apesar de ainda não divulgado oficialmente, deve ser inferior aos inicialmente desejados R$ 12 milhões.

A expectativa inicial era de que o caso se resolvesse apenas depois do Carnaval. Contudo, houve avanços consideráveis nas últimas semanas e as contrapartidas pedidas pela Caixa foram atendidas. O Glorioso deverá, portanto, manter a logomarca que já está presente no uniforme desde o fim do ano passado.

Em 2016, uma demorada negociação teve final feliz para o Botafogo - e para o Fluminense - mas o acordo previa, na prática, um montante somente para aquela temporada. Os números de exibição obtidos e desejados foram rapidamente colocados em acordo num ano em que Montillo e companhia disputam a Copa Libertadores da América.

Nos uniformes, a Caixa estampa as logomarcas na frente e nas costas da camisa, e no short. Tanto nas vestimentas de jogo, quanto de treino.


Fonte: Lancenet/Felippe Rocha/Rio de Janeiro (RJ)

Justiça dá nova decisão favorável a Willian Arão e frustra o Botafogo


Recurso do Alvinegro contra o volante foi negado em segunda instância no TRT-RJ




(Foto: Cleber Mendes)

A batalha entre o volante Willian Arão e o Botafogo, que se arrasta pelos tribunais, teve mais um capítulo nesta terça-feira e terminou com vitória do jogador. É que o Tribunal Regional do Trabalho do Rio (TRT-RJ) julgou, em segunda instância, o recurso do Alvinegro, que tenta, pelo menos, uma compensação pela saída de Arão para o Flamengo. O resultado da audiência desta terça foi a manutenção da decisão inicial, em primeira instância, que mantém o jogador livre, sem a obrigação de pagamento de qualquer multa rescisória ao Botafogo.

O recurso alvinegro foi julgado pela Primeira Turma do TRT. A decisão entre os três desembargadores que analisaram o assunto foi unânime. Apesar de mais um revés na Justiça na batalha com Arão, o Botafogo ainda pode recorrer, acionando, se desejar, o Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília.

A contestação do Botafogo se dá porque no contrato de Arão com o clube constava a previsão de renovação automática por mais um ano, caso a quantia de R$ 400 mil fosse paga ao jogador. Neste caso, a multa rescisória passaria para R$ 20 milhões. Só que Arão não aceitou os R$ 400 mil, após dois depósitos do Bota, e se transferiu para o Flamengo no começo de 2016.

A Justiça, por ora, tem dado razão a Arão por entender que a cláusula fere a nova resolução da Fifa que proíbe terceiros de ter direitos econômicos de jogadores. Neste caso, o "terceiro" seria o próprio Arão.

Os torcedores do Bota não esquecem a briga. No amistoso entre Brasil e Colômbia, no Nilton Santos, a torcida alvinegra vaiou Willian Arão, mesmo ele estando com a camisa da Seleção Brasileira.


Fonte: Lancenet/Igor Siqueira/Rio de Janeiro (RJ)