sábado, 28 de janeiro de 2017

Jair mira Libertadores e minimiza início ruim no Carioca: 'Quarta-feira é guerra'


Técnico defende planejamento e time misto contra Nova Iguaçu, atribui novo tropeço à parte física mais uma vez e não condena as vaias da torcida: "Eu também não gostei"





O foco do Botafogo é a Pré-Libertadores. Isso sempre ficou evidenciado pelo clube, e os tropeços no início de Campeonato Carioca são encarados com naturalidade pela comissão técnica. Na tarde deste sábado, o Alvinegro só empatou por 1 a 1 com o Nova Iguaçu no Estádio Nilton Santos (veja os melhores momentos no vídeo acima) e completou dois jogos sem vitória. Mas nada que abale Jair Ventura. O treinador defendeu o planejamento, que incluía usar time misto nesta rodada do estadual, não condenou as vaias da torcida nos minutos finais e levantou o clima de tudo ou nada para o mata-mata contra o Colo-Colo, do Chile.


- A torcida tem todo o direito de não gostar. Eu também não gostei. Mas sabemos que nosso maior objetivo é na quarta. Cumprimos a programação. Quarta-feira é guerra!

Jair minimizou tropeços no início do Carioca e quer primeira vitória na Libertadores (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Jair voltou a atribuir o resultado ruim à parte física, assim como alegou na derrota por 2 a 0 para o Madureira, na estreia do Carioca. Com apenas um ponto e um jogo a mais que todos os concorrentes do Grupo B, o Alvinegro começa a ver sua classificação ameaçada para a semifinal da Taça Guanabara. Porém, o técnico diz ter aproveitado para avaliar seus jogadores para a lista que vai entregar na segunda-feira dos inscritos na Pré-Libertadores.

Fizemos o que era programado, consegui ver todos os jogadores. Agora tenho uma relação de 25 jogadores para entregar na segunda. E com o jogo consegui ver as coisas de maneira mais clara e evidente"
Jair Ventura, técnico do Botafogo


- Temos um planejamento desde o ano passado, quando conseguimos a classificação. Tivemos um resultado ruim na estreia em virtude da parte física. Não poderíamos mudar o planejamento. Claro que queríamos ganhar, mas mudamos o time todo para dar oportunidade para todos. Sete garotos da base. Começamos muito bem no primeiro tempo, ritmo intenso. Mas pagamos o peso da questão física como no primeiro jogo. De maneira gradativa vamos evoluir. Fizemos o que era programado, consegui ver todos os jogadores. Agora tenho uma relação de 25 jogadores para entregar na segunda. E com o jogo consegui ver as coisas de maneira mais clara e evidente.


Botafogo e Colo-Colo se enfrentam na próxima quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), novamente no Nilton Santos. Pelo Carioca, o Alvinegro volta a campo só no próximo sábado, às 19h30, para encarar o Macaé, também no Niltão.

Camilo
Foi bom porque ele pegou ritmo de jogo, que a gente não consegue em treino. Vimos que ele precisa melhorar a parte física, mas foi importante para ele entrar no ritmo dos demais.


Lista de 25 para Libertadores

Tivemos um período curto de treinos, mas temos que estar melhorando sempre e tentamos não cometer injustiças. Os jogos serviram para avaliar. Tivemos algumas gratas surpresas. Não estou avaliando os resultados, mas as performances. Foi bom para esclarecer dúvidas e tirar conclusões.


Canales fora da lista?
Ele ainda não está treinando com bola, está fazendo treinamento espacial. Mas temos que ver como vai ser com bola também. Vamos no tempo dele, o tempo do jogador. Quando ele estiver bem, vamos ver, vamos esperar.


Libertadores e cobranças
Libertadores é tão importante quanto foram os jogos do ano passado. Se não tivéssemos vencido os jogos do ano passado, não estaríamos na Libertadores. Somos os grandes culpados ou merecedores de estarmos na Libertadores. Meu psicológico está o melhor possível. Estamos felizes, mas tristes pelos resultados. Mas não são resultados ruins que vão tirar nosso foco. Futebol é assim, céu e inferno. Estamos aqui para apanhar e para bater. Foi o que eu escolhi para a minha carreira. Faz parte.


Confiança no elenco
Acho que não podemos ter dúvida. Sabemos do nosso potencial, confio bastante nos nossos jogadores. A gente perde, empata e queremos ganhar. Temos sinal de alerta. Falta a vitória. Vamos em busca dela. O bom no futebol é que tem sempre o próximo jogo para reverter uma situação. Tenho certeza que a torcida vai nos apoiar.


Colo-Colo

Eles estão na metade do campeonato deles. Eles têm a parte física a favor, mas temos nosso poder técnico e nossa confiança de fazer um grande jogo. Não trabalhamos com desculpas. Estamos sempre estudando. Nosso observador técnico ficou lá uma semana, viu dois jogos. A equipe deles é boa, muda de sistema no decorrer da partida. Tem o Paredes, que tem 18 gols e chama a atenção.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar/Rio de Janeiro