sexta-feira, 5 de maio de 2017

Pimpão comemora tempo livre para voltar aos 100%: " Venho jogando no sacrifício"


Atacante revela que ainda sente incômodo na coxa esquerda, minimiza jejum de gols e isenta formação com trio ofensivo de culpa por derrota na Libertadores: "A gente vinha jogando assim"




Jogando no sacrifício, Pimpão teve queda de rendimento nos últimos jogos (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Após a atividade desta sexta-feira no campo anexo do Nilton Santos, o elenco do Botafogo vai folgar sábado e domingo e, na reapresentação, terá mais uma semana cheia de treinos antes da estreia no Campeonato Brasileiro. Tempo raro em meio à maratona de jogos para recuperar as energias, e um dos que mais espera tirar proveito dele é Pimpão. Em entrevista coletiva, o atacante revelou que ainda sente do problema que sentiu na coxa esquerda, na vitória sobre o Atlético Nacional, na Colômbia, e que vem jogando no sacrifício. Mas que agora, com tempo para se cuidar, espera voltar aos 100% no dia 14, contra o Grêmio em Porto Alegre.


– Desde o jogo com o Atlético Nacional venho jogando as partidas com um incômodo desconforto, no sacrifício... Fiz exame, deu um edema (adutor da coxa esquerda) e venho trabalhando forte para estar apto a jogar. Agradecer o trabalho dos fisioterapeutas que estão conseguindo me colocar em campo. Não digo que estou 100%, mas espero estar depois dessa folga.


Até pelo desconforto, o atacante teve uma queda de rendimento nos últimos jogos e não marca há quase dois meses: seu último gol foi na vitória por 2 a 1 sobre o Estudiantes, da Argentina, na estreia da fase de grupos da Libertadores. Pimpão reconhece a cobrança, mas minimizou o jejum e isentou a escalação com o trio ofensivo de culpa pela derrota contra o Barcelona de Guayaquil.


Confira outros trechos da coletiva de Pimpão:

FOLGA
A gente vem de uma sequência grande de jogos. Agora, dos últimos jogos, com desgaste grande. Temos esse tempo para descansar e preparar. E pensar na Libertadores, podemos chegar. Além do Brasileiro, que tem primeiro dia 14.


LIÇÃO DA LIBERTADORES

Tem que ter muito cuidado porque é muito difícil, você vê outros grupos decidindo na última rodada. A nossa situação, apesar da derrota, não ficou muito complicada. Mas não podemos pensar assim, pensar em vencer e não cometer o erro que cometemos contra o Barcelona. O que a gente fez até aqui na Libertadores faz com que a gente esteja na segunda colocação. Pensar em ganhar esse jogo em casa para conseguir a vaga nas oitavas.



JEJUM DE GOLS

Desde quando cheguei jogo na mesma posição. 2015 fiz grande Brasileiro na Série B até minha saída. Retornei ano passado Série A na mesma posição. Atacante vive de gols, se não faz é cobrado. Mas meu pensamento é sempre ajudar marcando, dando assistência. Fico grato de ter ajudado da melhor maneira, mas somos cobrados sempre para fazer gol. As pessoas não veem o outro lado.


TRÊS ATACANTES
Não dou preferência, Jair que escala a equipe com quem está melhor no momento. Usa muito a meritocracia. Eu me adapto bem às quatro posições ali na frente. Joguei ano passado de centroavante, pela direita, esquerda e meio. A gente vinha jogando assim, mas com Camilo e Bruno Silva por fora, são jogadores que defendem mais que atacam.


O QUE DEU ERRADO NA TERÇA?

Não foi com relação à escalação. Foi muito vontade mesmo. Viu que foi um jogo atípico, normalmente a gente espera a equipe adversária, nesse resolveu ir para cima. Sabemos o poder de contra-ataque deles e tomamos dois gols assim. Foi esse o motivo.


BOTAFOGO 2016 PARA 2017

Time está mais maduro. Pelo fato de ter jogado a Pré-Libertadores, a Libertadores... São jogos importantes. Botafogo vai começar o Brasileiro mais maduro, e esperamos fazer um grande ano para dar muita alegria ao nosso torcedor.


Fonte: GE/Por Thiago Lima, Rio de Janeiro

Diretoria procura representantes de Camilo para iniciar processo de renovação


A um ano do fim do contrato, diretoria pretende começar a negociação com o jogador para não ter problemas com futuros assédios de outros clubes




Principal jogador do Botafogo na temporada passada e um dos destaques do clube na disputa da Taça Libertadores da América deste ano, Camilo já foi procurado pela diretoria para começar a conversar sobre sua renovação de contrato, que vai até maio de 2018.


Contudo, o encontro dos dirigentes com os representantes do meia ainda não foi marcado, mas pode acontecer a qualquer momento e não deve passar da próxima semana.



Camilo comemora gol contra o Atlético Nacional, pela Libertadores da América (Foto: EFE/Luis Eduardo Noriega A.)


Camisa 10, Camilo apareceu bem atuando pela Chapecoense, mas ganhou destaque mesmo após a bela campanha do Botafogo no Campeonato Brasileiro de 2016, tanto que ele chegou a ser pretendido por Atlético-MG, Santos e Flamengo, mas nenhum dos clubes apresentou proposta para contratá-lo. Atualmente, a multa rescisória é de R$ 10 milhões.


Aos 31 anos, Camilo tem 46 jogos com a camisa do Botafogo e sete gols. O mais bonito aconteceu contra o Grêmio, justamente pelo Campeonato Brasileiro, quando, de bicicleta, ele abriu o placar na vitória por 2 a 1, na Ilha do Governador.


Com a chegada de Montillo, no início desse ano, Camilo não teve o mesmo rendimento que o transformou em "Camito" para os torcedores. A mudança de função em campo para encaixar o argentino no time foi fundamental para isso. Insatisfeito, ele chegou ao limite quando treinou no time reserva que enfrentaria o Fluminense na semifinal da Taça Rio. No dia seguinte, teve uma conversa com Jair Ventura e mostrou seu descontentamento com a falta de critério do técnico. Mas depois tudo foi resolvido, como revelou o volante Dudu Cearense.



Na Libertadores da América, Camilo se destacou mesmo na vitória por 2 a 0 contra o Atlético Nacional, em Medellin, marcando o primeiro gol e comandando o time em campo. Na semana seguinte, diante do Barcelona de Guayaquil, chegou a perder um pênalti, mas depois se recuperou e também fez bela partida. O Alvinegro empatou em 1 a 1.


Na útima terça-feira, ele acabou substituído no intervalo da derrora por 2 a 0 para o equatorianos, no Estádio Nilton Santos. O exame de imagem realizado na noite de quarta apontou uma contratura no adutor da coxa direita o que deve afasatá-lo dos gramados por até 10 dias.


Fonte: GE/Por Felippe Costa e Thiago Lima, GloboEsporte.com, Rio de Janeiro

Bota aperta o cerco por lateral-direito: Madson, gringo e ex-Ituano na pauta


Vasco reluta em liberar ala; impossibilidade de inscrever jogador do Atlético Tucumán na Libertadores pesa contra argentino; e Arnaldo é quem está mais próximo



A 10 dias do início do Campeonato Brasileiro, o Botafogo aperta o cerco atrás de um lateral-direito no mercado. Depois de sondar Tiago Cametá (Ceará) e Nino Paraíba (Ponte Preta), e de descartar a contratação de Maicon, que vinha treinando no clube, o Alvinegro tem novos nomes em pauta. O GloboEsporte.com apurou três jogadores que interessam: Madson (Vasco), Di Placido (Atlético Tucumán-ARG) e Arnaldo (ex-Ituano).


Do trio, quem está mais perto é Arnaldo. O lateral, de 25 anos, foi campeão do interior no Campeonato Paulista pelo Ituano e ficou sem contrato ao fim da participação do time no estadual. Nos últimos dias, chegou a fechar com o Vila Nova para disputa da Série B do Brasileiro, mas o interesse do Botafogo pode melar o negócio. Ele pertence à Elenko Sports, que se reaproximou do Alvinegro após o desentendimento da época em que negociou com Lucca e Pottker.



Arnaldo em ação pelo Ituano: lateral é o mais próximo do Botafogo (Foto: Miguel Schincariol / ituano FC)


Madson é um nome que agrada mais e já havia sido alvo antes da contratação de Jonas, hoje lesionado. O lateral, também de 25 anos, está no Vasco desde 2015, mas perdeu espaço com as chegadas de Yago Pikachu e do ex-botafoguense Gilberto. O Cruz-Maltino, porém, reluta em liberar o ala para um rival – em fevereiro, também vetou uma negociação com o Goiás. Ele tem mais dois anos de contrato em São Januário e ainda será observado pelo recém-chegado Milton Mendes.



Madson está barrado no Vasco desde o ano passado (Foto: Paulo Fernandes / Vasco.com.br)



A dificuldade de negociações no futebol brasileiro fez o Botafogo procurar até nos países vizinhos. E na Argentina encontrou alguém com um perfil que agrada: Di Placido, lateral do Atlético Tucumán, que está no grupo do Palmeiras na Libertadores. O argentino, de 23 anos, está emprestado ao clube até junho e pertence ao também hermano All Boys. Porém, pesa contra ele o fato de não poder disputar a Libertadores pelo Alvinegro, uma vez que já foi inscrito por outra equipe.



Di Placido chamou a atenção em ação pelo Atlético Tucumán-ARG (Foto: SOL ALMIDEZ / EFE)


Após perder o prazo de inscrição de reforços na Copa do Brasil, o Botafogo deixou a urgência de lado, já que contratações para a Libertadores só serão permitidas a partir das oitavas de final, fase que começa em junho. Porém, a volta imediata ao mercado remete a Luis Ricardo. O lateral-direito se recuperou da cirurgia no tornozelo feita em setembro do ano passado e vem treinando normalmente com bola. Mas seu tendão ainda inspira cuidados, e ele precisa readquirir confiança em certos movimentos. Por isso, segue sem previsão de retorno ao time.


Fonte: GE/Por Felipe Schmidt, Felippe Costa e Thiago Lima, Rio de Janeiro