quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Que fim levará Sassá? Com atacante sem clima, Botafogo se abre a ofertas


Artilheiro do time em 2016 é avisado por Antônio Lopes que será vendido, mas clube tem recebido valores baixos. Agente promete apresentar proposta da China em breve



Do lado de fora: Sassá se filmou comemorando
um dos gols do Bota no Nilton Santos
(Foto: Reprodução)
Foi sem seu artilheiro de 2016 que o Botafogo começou a decidir a sua vida na Pré-Libertadores, ao ganhar do Colo-Colo, do Chile, por 2 a 1 na última quarta-feira, no Nilton Santos. Sassá até foi visto no estádio horas antes do jogo, só que era para treinar com outros não relacionados. E pelo visto, o Alvinegro continuará sem ele até o fim da competição, já que o atacante está completamente sem clima em General Severiano.


- Só joga a Libertadores se mudar muito - disse um dirigente alvinegro.


Tanto que ele sequer foi inscrito na primeira fase do principal torneio do Botafogo na temporada. Diante dos problemas extracampo do jogador de 23 anos, a diretoria se abriu a propostas e recebeu nos últimos dias a visita de um novo agente prometendo apresentar uma oferta do futebol chinês em breve – o time não foi revelado. E o clube aguarda.


Sassá ficou sabendo pela imprensa que estava fora da Pré-Libertadores. A lista foi fechada na noite de segunda, e o jogador seria avisado pessoalmente na terça. Ao se apresentar, o atacante foi cobrar explicações do gerente de futebol, Antônio Lopes, que respondeu que ele será vendido. Porém, ainda não há nada. Até porque os valores que chegaram foram considerados baixos, como por exemplo a oferta de R$ 2,5 milhões do Cruzeiro ano passado. Como a multa do jogador é de R$ 30 milhões, a diretoria recusou na época. Mas diante do atual cenário e por ser o último ano de contrato, há internamente quem admita aceitar uma venda bem mais barata.


>>> Sassaricando: ostentação e surto em vestiário minam atacante do Botafogo
>>> Discreto, cobrado, mas ainda com faro de gol: o blindado Sassá "versão 2017"
>>>Comportamento extracampo pesa, e Botafogo tira Sassá de lista da Libertadores



Sassá está com o "filme queimado" desde a reta final do último Campeonato Brasileiro e passou a ser reserva na reta final com Jair Ventura. Observado pelo Lokomotiv Moscou, da Rússia, ele esteve perto de ser negociado, mas diante dos problemas no fim de 2016 o clube europeu recuou. Sem boas propostas na virada do ano, o Botafogo resolveu dar um crédito a Sassá, mas tem se decepcionado. Logo na reapresentação do elenco esse ano ele chegou atrasado, no meio do discurso do presidente Carlos Eduardo Pereira para o elenco em General Severiano.

Sassá postou em seu Instagram: "Menos tempestade em copo d'água e mais pensamento positivo" (Foto: Reprodução)

As constantes presenças na noite carioca também preocupam a diretoria, que tem recebido fotos do jogador em baladas através de redes sociais. A gota d'água para sua barração da Pré-Libertadores foi na última sexta-feira, véspera do jogo contra o Nova Iguaçu. Ele se apresentou dizendo não ter condições de treinar e, à noite, chegou 1h30 atrasado à concentração. Quase foi tirado da partida, ganhou uma segunda chance e foi titular. Porém, jogou muito mal e voltou a se reapresentar atrasado na manhã de domingo. Na segunda-feira, alegou cansaço durante o treino funcional e deixou a atividade antes do fim.


Há tempos, suas atitudes são motivos de debates nos bastidores de General Severiano. Recentemente, ainda passou por um momento turbulento no casamento, buscou abrigo na casa de amigos e se envolveu em acidente de carro. Há relatos de ostentação e temperamento explosivo em jogos e no vestiário. Foi assim no clássico contra o Flamengo no ano passado. Irritado por ter entrado apenas no final e com o gol perdido por Pimpão, Sassá entrou no vestiário do Maracanã aos gritos, reclamando um tom acima e jogou a camisa longe. Outro episódio aconteceu após o jogo contra a Ponte Preta, quando discutiu e chamou torcedores para briga.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Marcelo Baltar e Thiago Lima/Rio de Janeiro