sexta-feira, 31 de março de 2017

Análise: Bota ganha opções no 4-2-3-1, mas quebra cabeça na ponta esquerda


Joel e Camilo não conseguem render na função e deixam um dilema para Jair Ventura solucionar. Gilson e Fernandes entram bem e ganham pontos com o técnico alvinegro








O Botafogo antecipou o chocolate de Páscoa, deu show sobre a Portuguesa, mostrou evolução física e técnica, voltou a golear depois de um ano e meio... Mas nem tudo saiu a mil maravilhas. De volta ao banco de reservas após cumprir suspensão na rodada anterior, Jair Ventura mostra cada vez mais sua preferência por um esquema tático mais ofensivo e vai consolidando jogo a jogo o 4-2-3-1, formado por um pentágono no meio de campo, onde os pontas são atacantes quando estão com a bola e fecham as laterais no tempo em que o time está sem a posse.


Formação escolhida por Jair para 2017 tem pentágono no meio
 de campo. Falta uma peça (Foto: Arte Esporte)
É justamente ali, em uma lateral ofensiva do campo, que paira a maior dificuldade do técnico por enquanto. Quem escalar como ponta-esquerdo? Contra a Portuguesa, Jair escolheu Joel, que havia feito gol na vitória sobre o Bangu. Mas o camaronês destoou dos demais e não conseguiu render durante os primeiros 45 minutos da goleada por 4 a 1 sobre a Portuguesa (veja os lances no vídeo acima). No segundo tempo, com a saída do atacante, foi a vez de Camilo voltar a cair por ali. E novamente passar despercebido. O camisa 10 pouco participa do jogo com essa improvisação.


É nítida a preocupação de Jair em fazer Camilo e Montillo, grande contratação do clube para a temporada, renderem juntos. É o que todo alvinegro quer ver acontecer, o que deixa a tarefa com ar de obrigação. E a formação que vem sendo adotada é uma forma de se buscar isso, mas com o dilema de que os dois rendem melhor pelo meio, flutuando. Pimpão, que cumpriu suspensão e desfalcou a equipe nesta partida, é um dos jogadores do elenco com o perfil para atuar pelos flancos, porém, sempre jogou do lado direito do campo. E aí, o que fazer?

Joel e Camilo não conseguiram render na ponta esquerda no 4-2-3-1 (Foto: Arte Esporte / mapa de calor: Footstats)

Manter as peças e forçar um pouco mais o entrosamento? Continuar na formação e testar outros jogadores? Ou jogar a toalha e trocar de esquema? Por mais que pese a dúvida, o treinador ganhou novas opções para estudar. Fernandes e Gilson entraram muito bem no time e pediram passagem. O volante, que vem jogando mais perto do ataque, como um meia, substituiu Montillo, poupado: criou jogadas, acertou a trave e foi sempre uma ameaça de gol. Enquanto o lateral-esquerdo brilhou ofensivamente com duas assistências e o primeiro gol pelo Botafogo.


Talvez a solução do problema na ponta esquerda possa ser Gilson, que mostrou levar jeito no apoio. Optar por ele não seria algo inédito, já que o próprio Jair Ventura ousou ao armar o time no ano passado com dois laterais-esquerdos: Victor Luis e Diego Barbosa. A tática pode ser repetida com o mais novo garçom alvinegro, mas esta opção sem alterar o esquema forçaria o técnico a escolher entre Camilo ou Montillo, as suas duas maiores estrelas da equipe.


Mapas de calor de Gilson e Fernandes: dupla aproveitou bem a oportunidade e pede passagem no time (Foto: Footstats)


Com a vitória sobre a Portuguesa, o Botafogo entrou na zona de classificação da Taça Rio – em segundo lugar com 10 pontos, só um a menos que o Flamengo – e também na tabela agregada do Campeonato Carioca – em quarto lugar com 17 pontos. Os jogadores se reapresentam na tarde desta sexta-feira, no Estádio Nilton Santos, e voltam a campo no domingo, às 16h (de Brasília), em casa, para enfrentar o Resende pela última rodada da fase classificatória. O Alvinegro só depende de si para chegar às semifinais do segundo turno e do estadual geral.

TUA ESTRELA SOLITÁRIA NOS CONDUZ... FAÇA VOCÊ TAMBÉM PARTE DESTE TIME: CLIQUE AQUI! (Foto: Divulgação)


Fonte: GE/Por Thiago Lima/Duque de Caxias, RJ

Recuperados, Matheus Fernandes e Leandrinho ficam à disposição de Jair


Volante e meia trabalharam com bola nesta sexta-feira e viram opções para o técnico no jogo contra o Resende. Ambos vinham desfalcando o Glorioso desde o jogo com o Voltaço



Matheus Fernandes vinha recebendo chances na equipe titular alvinegra (Foto: Vitor Silva/SSpress /Botafogo)

Enquanto alguns jogadores ainda se recuperam no Departamento Médico do Botafogo, outros vão ficando à disposição do técnico Jair Ventura na sequência de jogos da equipe. E dois que voltaram a trabalhar com bola com todo o grupo nesta sexta-feira foram o volante Matheus Fernandes e o meia Leandrinho.


Ambos haviam se lesionado no jogo de estreia da Taça Rio, contra o Volta Redonda. Na ocasião, Matheus Fernandes teve um estiramento grau 1 na coxa direita, enquanto Leandrinho teve a mesma lesão, só que no músculo posterior da coxa esquerda. Desde então - o jogo foi no dia 8 de março - a dupla vinha desfalcando a equipe alvinegra na sequência de Libertadores e Carioca.

Na atividade desta sexta, no Nilton Santos, outro destaque foi a presença de Victor Luís e Rodrigo Pimpão em campo. Ambos estiveram suspensos no jogo contra a Portuguesa-RJ e podem retornar ao time titular diante do Resende. Quem foi a campo em Los Larios fez atividade leve nas dependências do clube.

Carli segue em tratamento e não apareceu no campo. O argentino deve seguir como desfalque no Botafogo para a última rodada da Taça Rio. Assim sendo, Renan Fonseca irá compor - provavelmente - a dupla de zaga com Emerson Silva atrás. Marcelo também ainda está em recuperação no DM alvinegro.
Fonte: GE/Vinícius Britto/Rio de Janeiro (RJ)

Jair Ventura destaca força do elenco e comemora primeira goleada do ano


Treinador elogia atuação alvinegra após vitória por 4 a 1 sobre a Portuguesa; para ele, atuações de Gilson na lateral esquerda e de Emerson na zaga foram satisfatórias







A vitória por 4 a 1 sobre a Portuguesa colocou o Botafogo nos trilhos das semifinais. O clube, agora, depende apenas de uma vitória sobre o Resende, no domingo, na última rodada da Taça Rio, para assegurar uma vaga na fase decisiva. Há, no entanto, mais motivos para comemorar. Nesta quinta, o Alvinegro conseguiu sua primeira goleada na temporada.

- Primeira goleada no ano, tem que comemorar. Placar elástico, isso é muito bom para o restante do ano. Tentar repetir sempre, claro, respeitando todas as equipes. A Portuguesa vinha de três jogos sem perder, ganhou do Madureira, que tem um time forte e já nos venceu - disse o treinador, após o jogo, no Estádio Los Larios, em Xerém.

Jair Ventura comemora a primeira goleada do Botafogo em 2017 (Foto: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)

Outro motivo para comemorar é a força do elenco. Mesmo sem alguns titulares, quem entrou foi bem e acirrou a disputa por vagas no time. Caso, por exemplo, de Gilson. Substituto do suspenso Victor Luis, o lateral deu duas assistências e ainda marcou seu primeiro gol com a camisa do Botafogo.

- Tem que deixar o grupo homogêneo, dar oportunidade a todos os atletas. É muito bom, você ver o Gilson, que era o reserva imediato do Victor (Luis), dar duas assistências e fazer um lindo gol. É aquela dor de cabeça boa, para cada posição ter jogadores do mesmo nível, é o sonho de todo treinador. Quero falar também do Emerson (Silva) que fez um partidaço. Zagueiro não costuma chamar muito a atenção. E o Montillo entrou bem, falou comigo que está se sentindo mais leve. Confio bastante nele, acabou a bola dele não entrando, mas daqui a pouco vai sair o gol dele.


Confira outros tópicos da coletiva de Jair

MARCINHO PRONTO PARA LIBERTADORES?

A gente tem que esperar (o Marcelo), mas o Márcio vem crescendo junto com a equipe. Temos que lembrar que o Márcio não era lateral, por isso tem um pouco de dificuldade em alguma situação. A gente senta, mostra vídeo, debate... A pessoa que sabe que tem que melhorar já está em um caminho grande para melhorar. E o Márcio me puxa, conversa, sabe onde precisa melhorar. Torço muito por ele, para que possa nos ajudar em todo ano.

VOLANTES ARTILHEIROS
Muito se fala do fim, da carência do camisa 10, aquele meia clássico, organizador. Mas é muito por conta dos volantes que têm hoje uma função ofensiva, que pisam na área. Você falou do Paulinho (da Seleção), o Bruno fez muitos gols ano passado, inclusive o gol da nossa classificação para a Libertadores. Por isso nem sempre quando se joga com três volantes a equipe é defensiva. É uma situação nova, o camisa 8 médio pisa muito na área e acaba fazendo muitos gols.

CLASSIFICAÇÃO PRÓXIMA
Hoje foi uma decisão, passei isso para eles, essa responsabilidade. Comecei mostrando a tabela, com o Botafogo fora das duas semifinais (Taça Rio e Carioca). Não pode. Ah, tem a Libertadores. A gente quer todo ano estar na Libertadores, mas tem que estar nos dois campeonatos bem. Claro que na vida não se consegue ter tudo, mas a gente luta para isso. É uma situação que incomoda por sermos uma equipe grande, temos que estar sempre nas finais.

OPINIÕES PESSIMISTAS

Não é só com o Botafogo, é com todos os clubes. A pressão é sempre grande para quem trabalha com futebol, é uma paixão nacional. Vai ter sempre essa pressão, é normal. Nós mesmos somos os primeiros, pela nossa família, pela torcida e pela instituição. Mas não podemos ficar aceitando o que as pessoas falam. Isso não incomoda, o que incomoda é olhar o time fora da zona de classificação. A nossa equipe é competitiva, se cobra muito.

A QUE ATRIBUI TANTOS GOLS?

Até poderia ter saído mais, o goleiro deles fez boas defesas. É assim o futebol, tem dia que você tem uma oportunidade e faz, em outros você tem um monte e a bola não entra, bate na trave. O gol do Montillo está na portinha. Tenho certeza que o dele vai sair na hora decisiva, assim são os grandes jogadores, deixam para serem decisivos na hora que tem que ser. É um jogador diferenciado com a bola no pé.

COBRANÇA POR GOLS DO BRUNO SILVA

A gente usa um pouco da psicologia dos atletas, até fica alfinetando ele em algumas situações. Não é o caso do Bruno, também não vou dizer de quem, mas a gente tenta fazer algo para deixar o cara nervoso, aí ele faz para mostrar para você e ajuda a gente. Brinco com o Bruno também. Quem sabe com o Montillo não possa ser assim? O Bruno rapidinho estimula (risos).

TUA ESTRELA SOLITÁRIA NOS CONDUZ... FAÇA VOCÊ TAMBÉM PARTE DESTE TIME: CLIQUE AQUI! (Foto: Divulgação)

]Fonte: GE/Por Thiago Lima/Xerém, RJ

quinta-feira, 30 de março de 2017

Botafogo goleia a Portuguesa e fica a uma vitória da vaga nas semifinais


Com gols de Bruno Silva (2), Roger e Gilson, time vence a Lusa por 4 a 1, sobe para 3º na classificação geral e avança à fase final com vitória sobre o Resende, domingo






O Botafogo está vivo no Campeonato Carioca. Na noite desta quinta, no Estádio Los Larios, em Xerém, o Alvinegro derrotou a Portuguesa por 4 a 1, conseguiu sua segunda vitória seguida e entrou na zona de classificação, a uma rodada do fim da fase classificatória da Taça Rio. Bruno Silva, duas vezes, Roger e Guilherme marcaram. William Amendoim descontou para a Lusa.


A situação no Carioca ainda não é tranquila, mas já é bem mais confortável. Com 17 pontos, na terceira colocação geral, o time assegura uma vaga nas semifinais do Carioca com uma vitória sobre o Resende, domingo, no Nilton Santos. Na Taça Rio, o Alvinegro se igualou ao Nova Iguaçu com 10 pontos, mas superou o time da Baixada Fluminense no saldo de gols (5 a 3). O Flamengo lidera o grupo C, com 11. A Portuguesa, que caiu para terceira no Grupo C, briga por uma vaga contra o Boavista, no domingo.

Bruno Silva marcou dois e ajudou o Botafogo a vencer a segunda seguida (Foto: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)

O Botafogo veio com uma escalação diferente. Fernandes entrou no lugar de Montillo, poupado. Gilson e Joel herdaram as vagas de Victor Luis e Pimpão, suspensos. Mesmo com as mudanças, o Alvinegro foi um time ofensivo em um primeiro tempo agitado. O time de Jair Ventura saiu na frente logo aos quatro minutos, com Bruno Silva. A Portuguesa, porém, não se intimidou e deu trabalho, especialmente com Romarinho pela direita. E foi ele que iniciou a jogada do empate. Aos 10, ele chutou forte, Gatito deu rebote, e William Amendoim empatou de cabeça. A Lusa até teve outras oportunidades, mas foi o Botafogo que perdeu um caminhão de gols. Fernandes acertou a trave, Camilo e Roger desperdiçaram boas chances, mas Bruno Silva, novamente, colocou o Alvinegro em vantagem, em belo chute de fora da área, aos 44.

O Botafogo voltou para o segundo tempo com Montillo no lugar de Joel. O argentino entrou bem, e o Alvinegro manteve o domínio. Aos oito, Gilson acertou belo cruzamento na cabeça de Roger, que ampliou. Quarto gol do camisa 9 no Carioca. Descansado, Montillo chamou o jogo e ainda quase marcou seu primeiro gol em jogos oficiais em chute de fora da área. Ele ainda teve outra grande chance após cruzamento de Marcinho, mas parou na grande defesa de Luciano. Mas foi Gilson quem marcou seu primeiro gol pelo Alvinegro, após receber de Sassá. No fim, Sassá ainda carimbou a trave, mas já estava de bom tamanho: 4 a 1.


Fonte: GloboEsporte.com/Rio de Janeiro

quarta-feira, 29 de março de 2017

Gatito volta e Carli segue fora: Jair dá indícios do time contra a Portuguesa


Paraguaio - que completa 29 anos nesta quarta - volta a treinar pela tarde e vai direto para a concentração. Ainda com dores, zagueiro argentino segue de fora em partida da Taça Rio


Depois de dois jogos na Seleção Paraguaia, Gatito retornará como titular nesta quinta (Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Depois de duas partidas servindo a Seleção do Paraguai - acabou na reserva nos jogos - o goleiro Gatito Fernández volta a equipe alvinegra no jogo contra a Portuguesa-RJ, nesta quinta-feira, em Los Larios, pela Taça Rio. O paraguaio - que completa 29 anos nesta quarta - é esperado pela tarde no Nilton Santos, para treinar à parte e se incorporar a delegação alvinegra na concentração.

- O Gatito volta ao time e já treina hoje. Vamos ver como vai chegar. Aniversário dele, aproveito aqui para dar um parabéns para ele. Deve concentrar e ir para o jogo. O mais provável que jogue. Será importante - disse o técnico Jair Ventura.

Em contrapartida ao retorno do paraguaio, o comandante alvinegro ainda não contará com o zagueiro Carli. O argentino - que segue com dores - não treinou com o grupo na semana e será preservado pensando a sequência de jogos.

- A pancada foi forte e a dor é subjetiva. Não temos porque precipitar uma situação. Não iremos correr riscos agora, falamos da integridade. Tem que dar o tempo para o Carli. Foi uma pancada, nada mais grave. Mas, de repente, no domingo, ele tenha condição de jogar - completou o técnico do Botafogo.

O treino do Glorioso nesta quarta, pela manhã, foi fechado para a imprensa. E o comandante alvinegro não descartou a possibilidade de poupar jogadores que estejam desgastados fisicamente. Contra o Bangu, no último domingo, Emerson Silva, Airton, Bruno Silva e Camilo ficaram de fora por precaução.


Fonte: Lancenet/Vinícius Britto/Rio de Janeiro (RJ)

terça-feira, 28 de março de 2017

Final da Taça RJ durante Libertadores? "Melhor do que estar fora", diz Lindoso


Botafogo marca viagem direta da Colômbia para Equador e poderá ter conflito de data com decisão do segundo turno do Carioca. Se chegar lá, Alvinegro deve ter time misto




Lindoso com jogadores em viagem pela Libertadores: time não
 volta para final da Taça Rio (Foto: Divulgação)
Disputando duas competições simultâneas, o Botafogo pode se ver obrigado a escolher entre Libertadores e Campeonato Carioca, ao menos na fase decisiva da Taça Rio. Como as próximas duas rodadas da competição sul-americana são fora de casa, contra Atlético Nacional e Barcelona de Guayaquil, e em jogos com só uma semana de diferença, o clube decidiu que irá direto da Colômbia para o Equador. A viagem já está marcada: embarcam dia 11 de abril e voltam ao Rio de Janeiro só dia 21. Porém, a final do segundo turno do estadual é dia 16.


Restando duas rodadas para o fim da fase de grupos da Taça Rio, o Botafogo está fora da zona de classificação para a semifinal do returno. O Alvinegro está em terceiro lugar com os mesmos sete pontos do Nova Iguaçu, mas atrás no número de gols pró, que é critério de desempate. Se o time de Jair Ventura avançar até a decisão, uma equipe alternativa será escalada para a partida. Questionado sobre como vai ser caso esse cenário se confirme, Lindoso preferiu ver o lado positivo e não abriu mão da taça.


– Não sei, mas a gente quer estar. Vai ser uma dor de cabeça de logística pelo lado positivo, melhor do que estar fora. É oportunidade, imagina jogarem quinta e voltar domingo para uma decisão de estadual. Se acontecer isso vai ser bom para outros jogadores aproveitarem o espaço, bom para o clube também. Isso é questão que já foi debatida bastante, não concordo muito com modo de disputa, mas está aí, não pode mudar agora. Cabe a nós jogadores entrar em campo e tentar ganhar. Estar na fase final é bom para quem não vem sendo titular na Libertadores mostrar seu trabalho. Se estiverem os times grandes lá, vai ser um bom teste – afirmou.


Outro modo de chegar à fase final do Carioca sem ser campeão da Taça Rio é pela classificação geral: os dois maiores pontuadores, tirando os vencedores de cada turno, também avançam para a semifinal. O Alvinegro atualmente é o quarto colocado no agregado, com 14 pontos.


Confira outros trechos da entrevista de Lindoso:

CHANCE DE CLASSIFICAÇÃO

Pela grandeza do Botafogo devemos sempre depender de nós, acabamos dando uma bobeada no Carioca, mas esse jogo contra o Bangu serviu para dar uma levantada na gente, com jogadores que não vinham sendo titulares, seguramos a vitória mesmo com um a menos.

PORTUGUESA
Toda equipe a gente tem que entrar com respeito, acontece muito isso no Carioca. O Madureira fez um bom primeiro turno, e agora tem só um ponto. Tem que respeitar bastante porque eles cresceram no segundo turno, já pagamos por isso outras vezes por não entrar tão concentrado.

MAL EM CLÁSSICOS

Clássico é 50% a 50%, não tem favorito. Contra o Vasco tivemos as melhores oportunidades, contra o Fluminense foi um jogo atípico... A concentração não foi a mesma dos jogos da Libertadores, nos cobramos para não acontecer isso, e demos resposta contra o Bangu. É um pouco de paciência, Jair vem cobrando isso de estar focado sempre.

AVALIAÇÃO CONTRA O BANGU

A minha avaliação foi positiva. Claro que vocês fazem a análise de vocês. Acho que fiz um bom jogo, procuro sempre atender o que o Jair pede. Às vezes passam despercebidas algumas coisas, existe o 'serviço sujo'. Eu, Airton, o Bruno... A gente não aparece muito, mas tem fator fundamental. Venho treinando, me dedicando bastante e fui coroado com esse jogo.

COM CAMILO E PIMPÃO, MELHOR 3 VOLANTES?
Quando falei em serviço sujo não é assim. (Marcar mais) Mas nem sempre acontece, é um jogo ou outro. Isso é meio chato de falar, o Jair é o nosso comandante, e a gente respeita os companheiros. Mas se eu falar que estou satisfeito no banco, não estou. Trabalho para jogar, desde que cheguei ao Botafogo tenho números positivos. Me sinto fazendo parte do grupo e procuro fazer o meu, cabe ao Jair achar que deve me utilizar ou não

JOGO CONTRA SEU COMPADRE
Sou padrinho do filho dele (Márcio, goleiro do Bangu). Foi algo inédito (enfrentá-lo). Ontem mesmo estava com ele, a gente sempre procura quando tem um tempinho ficar junto. Até quando teve o pênalti ele ficou meio assustado, achou que eu iria bater (risos). Foi legal, infelizmente pra ele não foi tão bom.

TUA ESTRELA SOLITÁRIA NOS CONDUZ... FAÇA VOCÊ TAMBÉM PARTE DESTE TIME: CLIQUE AQUI! (Foto: Divulgação)


Fonte: GE/Por Thiago Lima/Rio de Janeiro

Redução de dívida, déficit... Botafogo vota seu balanço de 2016 nesta quinta


Clube paga mais de R$ 20 milhões em débitos, lucra mais que o orçado com o futebol, mas altos gastos com Arena da Ilha impedem que setor financeiro feche o ano no azul


O Botafogo vota na noite desta quinta-feira, em reunião do Conselho Deliberativo, a aprovação de seu balanço do exercício de 2016. Cada área do clube fechou os seus respectivos relatórios, que foram enviados a todos os conselheiros na semana passada. O GloboEsporte.com teve acesso aos documentos e apresenta aos torcedores, nos próximos três dias, os principais pontos que serão apreciados pelos poderes internos do Alvinegro. Começando pelas finanças:




DÍVIDA TOTAL
Evolução da dívida do Botafogo nos últimos anos: expectativa é de igualar o débito de 2012 até 2020 (Foto: Reprodução)

Pelo segundo ano seguido, o Botafogo conseguiu reduzir sua dívida, que chegou a ser a maior do futebol brasileiro em 2014 com um débito de R$ 806.152.000,00. Em 2015, o montante já havia diminuído em cerca de R$ 100 milhões, graças aos refinanciamento junto ao Profut (Programa de modernização da gestão e de responsabilidade fiscal do futebol brasileiro). No ano passado, nova redução, agora de R$ 20.543.000,00, caindo o débito para R$ 685.486.000,00.


– Os resultados econômicos e financeiros de 2016 demonstram, portanto, uma situação econômica e financeira do Botafogo ainda extremamente grave, porém numa tendência de estabilização ou mesmo de melhoria. (...) Uma análise superficial permite projetar que em aproximadamente quatro anos, mantida a performance financeira alcançada em 2016 e sem considerar os efeitos da inflação, a dívida do Botafogo estará equacionada no mesmo patamar do ano de 2012 – escreveu o vice-presidente de finanças, Luiz Felipe Novis, em seu relatório.



FUTEBOL E DEMAIS ÁREAS


Carro-chefe do clube, o futebol foi bem em 2016 e arrecadou mais do que previa o orçamento com a campanha do vice-campeonato carioca e a trajetória de classificação à Libertadores. Foi a única área – junto com estádio, que é um capítulo à parte – a obter receitas maiores do que o esperado: R$ 18.665.049,00 acima do programado (veja no quadro abaixo). Vale lembrar que teve a venda de Ribamar para o TSV Munique 1860, da Alemanha, por R$ 9 milhões, e a segunda parcela do Olympique de Marseille, da França, por Dória, no valor de R$ 7,3 milhões.

Quadro mostra a comparação entre o orçamento em 2016 e o que foi obtido ao final da temporada (Foto: Reprodução)

Maiores receitas, porém, maiores despesas. Foram R$ 12.378.399,00 a mais de custos com o carro-chefe, somando R$ 92.432.624,00. Áreas como remo e esportes gerais também gastaram mais que o previsto, mas em números próximos, longe da diferença do futebol. O departamento teve um aumento de 51% em relação ao gasto com pessoal em 2015. Segundo relatório, o aumento foi pela necessidade de se reforçar a equipe para o Campeonato Brasileiro da Série A.


DÉFICIT X ARENA DA ILHA

Como mencionado antes, o item estádio é um capítulo à parte. Rendeu mais receitas que o esperado, só que ainda mais despesas fora do programado. Tudo isso devido ao projeto da Arena Botafogo no Luso-Brasileiro, que foi orçado em R$ 5 milhões, mas saiu muito mais caro. Com investimento em arquibancadas provisórias, gramado, reforma de vestiários e sala de imprensa, banheiros químicos, cabines de imprensa, pintura, acesso, roletas, instalação de refletores e outras obras emergenciais, a despesa total foi de R$ 12.964.000,00.

Arena Botafogo custou quase R$ 13 milhões aos cofres do clube e potencializaram o déficit (Foto: Divulgação / Botafogo)

A Arena da Ilha, que recebeu um total de 128 mil pessoas, com uma renda bruta de R$ 3.199.000,00, foi a maior responsável pelo clube não ter fechado o ano no azul. De acordo com o balanço patrimonial, o Botafogo apresentou em 2016 um déficit de R$ 9.243.000,00 causado, principalmente, pelos investimentos nas obras em diversas sedes (Luso-Brasileiro, Ginásio em General Severiano, Sede de Remo e personalização do Estádio Nilton Santos), além das atualizações monetárias dos impostos, dos parcelamentos e dos juros dos contratos de mútuos.


– No caso específico da Arena Botafogo, deve-se ressaltar a contrapartida do enorme ganho técnico do empreendimento, que permitiu ao Clube não apenas evitar o rebaixamento no Campeonato Brasileiro de 2016, como também garantir a sua participação na Copa Libertadores em 2017 – ponderou Novis em seu relatório sobre a análise de resultados.



EMPRÉSTIMOS

A maior parte da dívida do Botafogo está concentrada em débitos trabalhistas e fiscais, já equacionados pelo Ato Trabalhista e pelo Profut, respectivamente. Mas o clube ainda precisa lidar com os empréstimos via credores como por exemplo a CBF, a Ferj, o Banco BMG... No processo de renegociação, o total do endividamento teve uma redução de 1,06%.

Relação de credores e empréstimos do Botafogo: em 2016, clube assumiu dívida da Cia. Botafogo (Foto: Reprodução)

Porém, o endividamento líquido sofreu um aumento de 11,59% em relação ao valor em 31 de dezembro de 2015. Resultado decorrente, principalmente, pelo fato de o clube em 2016 ter assumido integralmente a dívida e as demais obrigações da Companhia Botafogo.



PREVISÃO PARA 2017


Dos seis tipos de dívidas, o Botafogo em 2016 diminuiu quatro: empréstimos, trabalhista, fiscal / tributária e de negociação de atletas (veja no quadro abaixo). Na contramão, os débitos da área cível e de fornecedores sofreram aumentos. O cenário ainda é considerado preocupante, mas a expectativa do departamento financeiro em 2017 – último ano da gestão de Carlos Eduardo Pereira – é manter o passivo do clube sob controle e melhorar o equacionamento da dívida total através das renegociações e operações de crédito.

Gráficos mostram a dívida total do Botafogo dividida por área: maiores quantias hoje são trabalhistas (Foto: Reprodução)

– Apesar de riscos visíveis e invisíveis, que surgem na gestão diária do clube, alguns fatores positivos, como a revitalização e o potencial de negócios do Estádio Olímpico Nilton Santos, os novos patrocínios, as novas receitas de premiação da Taça Libertadores, e a grande capacidade do futebol da base em gerar novos recursos pela venda de direitos federativos, permitem trazer o necessário otimismo e motivação em relação ao futuro do Botafogo em 2017 e adiante – analisou Novis no fim de seu relatório.


O orçamento, aprovado no último mês de dezembro, para 2017 tem previsão de receitas na ordem de R$ 191 milhões, quase R$ 40 milhões a mais do que ano passado. Carro-chefe, o futebol vai gerar cerca de R$ 166 milhões. A previsão de despesas do Botafogo para 2017 é de R$ 134 milhões. No orçamento, o futebol alvinegro vai gastar R$ 99 milhões, incluindo salários e encargos de jogadores e comissão técnica do elenco profissional e da base.

TUA ESTRELA SOLITÁRIA NOS CONDUZ... FAÇA VOCÊ TAMBÉM PARTE DESTE TIME: CLIQUE AQUI! (Foto: Divulgação)


Fonte: GE/Por Thiago LimaRio de Janeiro

segunda-feira, 27 de março de 2017

Em quatro jogos, Fernandes supera números da dupla titular no meio


Podendo atuar adiantado ou como terceiro homem no meio - já marcou dois gols e sofreu o pênalti de Sassá - atleta ganha moral e tem mais participação em gol que Camilo/Montillo 


Fernandes ainda busca mais oportunidades dentro do time do Botafogo (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Polivalente, Fernandes pode atuar em mais de uma posição no setor de meio-campo do Botafogo. Antes mais como volante - ou até terceiro homem da faixa central - o atleta alvinegro, em 2017, tem sido testado pelo técnico Jair Ventura mais adiantado, cumprindo a função de um meia. E, até então, tem agradado.

Nos quatro jogos da temporada em que participou, Fernandes marcou dois gols e sofreu um pênalti, sendo este na última partida do Botafogo, em Moça Bonita, que foi convertido por Sassá. Na comparação com os outros jogadores da sua posição dentro do elenco, os números ficam ainda mais relevantes.

Em 10 jogos, Montillo balançou as redes uma vez pelo clube: no amistoso de começo de temporada, contra o Rio Branco-ES. Enquanto isso, Camilo disputou oito partidas, tendo dado uma assistência no empate contra o Nova Iguaçu. Com muitos jogos a menos, Fernandes já ultrapassou a participação em gols da dupla principal do meio. E ele se coloca à disposição do técnico para o setor.

- O Jair fala bastante de meritocracia. Quem estiver melhor, ele vai colocar para jogar. Estou à disposição. Como falei, os dois jogos que eu atuei foram de meia, na mesma posição que eles vinham atuando. Se precisar de mim, estarei ali para ajudar o grupo - analisou o atleta alvinegro, em coletiva nesta segunda.

Esse bom momento do meia permite a ele sonhar até com a estreia dentro da Copa Libertadores. Fernandes foi um dos inscritos pelo Glorioso na fase de grupos, mas ele não entrou no time na vitória contra o Estudiantes-ARG, no Nilton Santos. Quem sabe uma oportunidade no compromisso da Colômbia.

- É um campeonato que eu nunca disputei, e agora pude ser inscrito. Vamos ver. Eu penso jogo-a-jogo e com sede de estar atuando - completou o meia.


Fonte: Lancenet/Vinícius Britto/Rio de Janeiro (RJ)

História de vida, meme, paternidade: o recomeço de Joel no futebol brasileiro


Surpresa na escalação contra o Bangu, camaronês aproveita chance, marca primeiro gol pelo Botafogo, dedica ao filho que nascerá e ressuscita apelido de "Cruel" na web






Na primeira vez que disputou uma Série A, o camaronês Diederrick Joel Tagueu Tadjo – ou simplesmente Joel – despertou a atenção do futebol brasileiro. Foram 20 jogos e oito gols pelo Coritiba no Brasileirão de 2014, com apenas 20 anos. Desempenho que fez o Cruzeiro apostar nele e comprar 50% dos seus direitos econômicos por R$ 2,5 milhões na temporada seguinte. Mas desde então o atacante não conseguiu engrenar e render o esperado. Passou ainda pelo Santos até chegar em janeiro ao Botafogo, onde tenta, aos 23, um recomeço na carreira.

JOEL NO BRASIL:

Londrina - 34 jogos / 12 gols
Coritiba - 20 jogos / 8 gols
Cruzeiro - 24 jogos / 3 gols
Santos - 35 jogos / 7 gols
Botafogo - 5 jogos / 1 gol


Com 1,78m e 76kg, Joel desembarcou em General Severiano com status de titular e motivação em alta pela Libertadores. Só que, na prática, a expectativa não se confirmou, e ele perdeu espaço. Não jogava há mais de um mês até virar surpresa na escalação de Jair Ventura. E não desperdiçou: jogando de titular, marcou o seu primeiro gol na vitória por 2 a 0 sobre o Bangu, em Moça Bonita, no domingo (veja no vídeo acima). E ganhou moral.

Comemoração do "papai Joel": atacante soube nos últimos dias que será pai (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

– Joel vem se destacando nos treinos, vem crescendo. É um jogador que veio com a confiança de todo mundo, tem uma expectativa grande em cima dele. O Jair optou em dar oportunidade para ele nessa partida – analisou Emílio Faro, auxiliar de Jair que comandou o time domingo.


Quis o destino que seu recomeço no futebol brasileiro fosse justamente em uma das regiões carentes do Rio de Janeiro, o que remete à sua infância. Joel nasceu em Nkongsamba, mas foi criado em Doula, um bairro pobre da maior cidade de Camarões. Muito novo, ele deixou a família para tentar a sorte no futebol no exterior. Passou por África do Sul, Egito, Bulgária e Bélgica, tudo antes de completar 15 anos. Até que, em setembro de 2009, aterrissou no Brasil.

Joel em recente visita à cidade natal de Nkongsamba, no Camarões: atacante é um exemplo por lá (Foto: Divulgação)

Chegou junto a outros meninos com potencial para virarem jogadores, todos trazidos pelas mãos de um mesmo grupo de empresários. Começou a aprender o português e a jogar bola no estado do Paraná, onde defendeu o Iraty e depois foi para o Londrina. Como a Fifa não permite a transferência internacional de menores de idade, ele só treinava e disputava amistosos até completar 18 anos. Nesse período, morou no alojamento do clube e era contratado como menor aprendiz, com uma ajuda de custo. Quando finalmente estreou em competições, levou o time ao título do Campeonato Parananese de 2014 e chamou a atenção do Coritiba.


"JOEL, O CRUEL" E A PATERNIDADE

Meme do "Joel, o cruel", bombou na web em 2014, quando foi artilheiro do Coritiba no Brasileirão (Foto: Divulgação)

Foi nessa época que o camaronês fez sucesso no futebol brasileiro e ganhou um apelido nas redes sociais pelo seu faro de gols: "Joel, o cruel" virou até meme (veja na imagem acima). Alcunha essa que foi ressuscitada por alvinegros no último domingo na internet.


Outro fator de inspiração para o atacante engrenar é a vida pessoal: justamente na semana em que fez as pazes com a rede é que ele soube que será pai. A esposa Jessica está grávida, e Joel publicou a notícia em seu perfil no Instagram. Por isso a comemoração com a bola debaixo da camisa e o dedão na boca, já homenageando o filho que está por vir ao mundo.

Alvinegros ressuscitaram o apelido assim que Joel desencantou pelo Botafogo no domingo (Foto: Reprodução)

– Existem coisas que são inexplicáveis, e uma delas é a noticia que recebi há alguns dias atrás... Filhos são anjos que Deus coloca em nossas vidas, obrigado senhor por tudo, obrigado meu amor @lima_jessicaa por essa bênção... Prometo cuidar de vocês! O papai ama vocês – escreveu ao postar uma foto formando um coração com as mãos na barriga da esposa.


O camaronês, que já defendeu a seleção de seu país na base e tem o sonho de um dia ser convocado para a principal, é o favorito para pegar a vaga do suspenso Pimpão e seguir como titular, mesmo com a volta de Camilo na quinta-feira, contra a Portuguesa em Los Lários.

Publicação de Joel no Instagram, há quatro dias, revelando a notícia de que terá seu primeiro filho (Foto: Reprodução)

Por um gol, a vitória pelo placar de 2 a 0 ainda não foi o suficiente para o Botafogo ingressar na zona de classificação para a semifinal da Taça Rio, mas serviu para passar o Nova Iguaçu e entrar no G-4 da classificação geral do Campeonato Carioca. Com o Fluminense, campeão da Taça Guanabara, e o Flamengo já garantidos na semifinal do estadual, restam duas vagas.

TUA ESTRELA SOLITÁRIA NOS CONDUZ... FAÇA VOCÊ TAMBÉM PARTE DESTE TIME: CLIQUE AQUI! (Foto: Divulgação)


Fonte: GE/Por Thiago Lima/Rio de Janeiro

Após parar Loco, Renan Fonseca desabafa: "Pessoal pega no meu pé"


Presente em 40% dos jogos que o Botafogo não sofreu gols em 2017, zagueiro busca recomeço e questiona críticas no Clássico Vovô: "Não tinha nada a ver com a história"




Aqui não! Renan Fonseca levou a melhor com Loco Abreu pelo
 alto (Foto: Vitor Silva / SS Press / Botafogo)
O domingo foi de Joel e Sassá, que encerraram seus jejuns ao marcarem os gols da vitória do Botafogo por 2 a 0 sobre o Bangu, em Moça Bonita (veja os lances no vídeo abaixo). Mas a partida também foi especial para um jogador de defesa: Renan Fonseca. Ao lado de Igor Rabello, formando uma dupla de zaga reserva, o zagueiro conseguiu parar o experiente Loco Abreu, de 40 anos, e completou com a equipe mais um duelo sem sofrer gols. Dos cinco jogos em que o time não foi vazado em 2017, ele esteve presente em dois, equivalente a 40%.


Números para dar um pouco de moral para quem vinha sofrendo com as críticas da torcida, motivo de um desabafo de Renan Fonseca. Na rodada passada, no Clássico Vovô, o zagueiro entrou no intervalo na vaga do machucado Carli com um placar favorável de 2 a 0, mas viu o Fluminense virar para 3 a 2 no segundo tempo. Mesmo sem o defensor ter falhado em algum lance capital, muitos alvinegros atribuíram a virada ao fato do jogador estar em campo.


– Todo jogo procuro fazer meu melhor, nem sempre as coisas dão certo. Quem está aqui me conhece, vê meu dia a dia. Hoje (domingo) fui privilegiado, a equipe ajudou, conseguimos a vitória. No último jogo teve uma situação que entrei no intervalo e acabou... Não tinha nada a ver com a história, e o pessoal vem pegando no meu pé. Mas muito trabalho uma hora dá certo. Vou encarar como recomeço, aproveitar as oportunidades que tiver para voltar a jogar bem. Sempre falo para o pessoal: conheço o lado bom, o ruim e o médio do Botafogo. Sou um dos que estou aqui há mais tempo, sei da responsabilidade. É olhar daqui para frente e respirar bons ares.




Com 102 jogos e três gols vestindo a camisa alvinegra, Renan Fonseca espera reviver os bons momentos, como por exemplo quando foi titular em toda a campanha do título da Série B do Campeonato Brasileiro de 2015. E para esse recomeço, nada melhor do que iniciar colocando um ídolo no bolso. Ele cortou praticamente todas as bolas aéreas, especialidade do uruguaio.

Muito trabalho uma hora dá certo. Vou encarar como recomeço, aproveitar as oportunidades que tiver para voltar a jogar bem. Sempre falo para pessoal: conheço o lado bom, o ruim e o médio do Botafogo. Sou um dos que estou aqui há mais tempo, sei da responsabilidade. É olhar daqui para frente e respirar bons ares"
Renan Fonseca, zagueiro do Botafogo


– É um ídolo aqui no Botafogo, jogador diferenciado, apesar da idade ele sabe cortar os caminhos, estava lá na frente sempre incomodando a gente. Procuramos dificultar o máximo para ele, mesmo assim ele arruma espaço, arruma situação para finalizar. Foi bonita a festa, o torcedor conseguiu brincar com ele, vencemos o jogo... Foi um grande dia.


Acima do rendimento individual, Renan Fonseca enalteceu o desempenho coletivo de um time que teve sete desfalques – Jefferson, Luis Ricardo, Gustavo Bochecha, Jonas, Leandrinho, Matheus Fernandes (DM) e Gatito Fernández (seleção) – e quatro poupados – Camilo, Airton, Bruno Silva e Emerson Silva. Para o defensor, o resultado mantém o time vivo no estadual.


– Momento difícil, uma partida que era o divisor de águas. A gente tinha que vencer de qualquer maneira, e nós conseguimos. Entramos com uma equipe mista, acho que todos dentro do coletivo procurou fazer o seu melhor, conseguimos um grande resultado, e isso dá uma força a mais para buscarmos a classificação no Carioca – frisou.


Por um gol, a vitória pelo placar de 2 a 0 ainda não foi o suficiente para o Botafogo ingressar na zona de classificação para a semifinal da Taça Rio, mas serviu para passar o Nova Iguaçu e entrar no G-4 da classificação geral do Campeonato Carioca. Com o Fluminense, campeão da Taça Guanabara, e o Flamengo já garantidos na semifinal do estadual, restam duas vagas.

TUA ESTRELA SOLITÁRIA NOS CONDUZ... FAÇA VOCÊ TAMBÉM PARTE DESTE TIME: CLIQUE AQUI! (Foto: Divulgação)


Fonte: GE/Por Thiago LimaRio de Janeiro

domingo, 26 de março de 2017

Bota vence Bangu e entra na zona de classificação para semifinal do Carioca


Time, contudo, ainda não tem vaga na fase decisiva da Taça Rio. Joel e Sassá (de pênalti) garantiram resultado em Moça Bonita. Pimpão foi expulso no primeiro tempo



Diante de um time que só venceu uma partida nos dois turnos até agora, o Botafogo sofreu para vencer por 2 a 0, com gol de Joel em bola dividida e de Sassá, em pênalti sofrido por Fernandes aos 41 do segundo tempo. Rodrigo Pimpão colaborou para esse panorama de dificuldade com duas faltas duras e desnecessárias em menos de três minutos - quando a equipe já vencia no primeiro tempo. Recebeu dois amarelos e foi expulso. O resultado incluiu a equipe entre os quatro melhores na classificação geral. O Bangu teve uma chance clara com Loco Abreu no início da partida, mas pouco criou no restante, mesmo com um a mais em campo.

Com a vitória, o Botafogo empata em sete pontos com o Nova Iguaçu, derrotado neste sábado pelo Volta Redonda, mas fica na terceira posição do Grupo B por conta dos critérios de desempate na Taça Rio. Na classificação geral, porém, o clube conseguiu ultrapassar o Nova Iguaçu e ocupa agora a quarta posição - dentro da zona de classificação para a fase final do Carioca. O Bangu, com três derrotas e um empate na Taça Rio, é o lanterna do Grupo C. Na classificação geral, a equipe alvirrubra está na penúltima colocação.

Na próxima quinta-feira, o time de Jair Ventura enfrenta a Portuguesa no estádio Los Larios, em Xerém. Já o Bangu receberá o Macaé em Moça Bonita. 

Joel comemora seu gol na vitória alvinegra ao lado de Pimpão, que acabou expulso, e Roger (Foto: Futura Press)

Logo aos quatro minutos, a zaga alvinegra cochilou e o Bangu partiu em contra-ataque pela esquerda com Guilherme. Ele cruzou para Loco Abreu, colocado atrás de Igor, cabecear livre na pequena área para grande defesa de Saulo. O lance serviu para acordar o time de Jair Ventura, que foi ao ataque. Aos 11, Pimpão cruzou um pouco acima da altura ideal para Joel, que finalizou livre, mas desequilibrado.

O Botafogo seguia com dificuldades na criação diante de um Bangu totalmente recuado. Mas, aos 19, Roger bateu forte da intermediária e Marcelo espalmou para o centro da área. Joel dividiu com a zaga e marcou seu primeiro gol com a camisa do Botafogo. Aos 35, Pimpão foi expulso - fez duas faltas duras e desnecessárias em um curto espaço de tempo. A partir daí, o Botafogo controlou o ritmo até o intervalo.

Com um a menos, Jair Ventura trocou Montillo por Fernandes. O Botafogo começou a tentar dominar as ações, com o Bangu buscando velocidade pelas laterais e jogo aéreo para chegar o empate. O jogo ficou truncado, sem chances claras para ambos os lados. Até os 17 minutos, quando Joel fez bela jogada, driblou um zagueiro e cruzou rasteiro para a área. O goleiro Marcelo conseguiu desviar com a ponta dos dedos antes da chegada de Roger.

Aos 21, Lindoso teve espaço para finalizar na entrada da área. Bateu colocado e sem direção. Jair Ventura então sacou Joel para entrada de Guilherme, e depois trocou Roger por Sassá. A partida ganhou em movimentação, mas pouco em qualidade. As chances continuavam escassas. Aos 38, Sassá fez tudo certo para Fernandes finalizar muito mal. Aos 40, o goleiro Marcelo fez pênalti em Fernandes. No minuto seguinte, Sassá cobrou e marcou: 2 a 0. Jogo decidido.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com/Rio de Janeiro, RJ

sábado, 25 de março de 2017

Botafogo poupa Camilo, Airton e Bruno Silva de jogo contra o Bangu


Com maiores desgastes musculares, trio é preservado para evitar lesões. Carli se recupera de pancada no pé direita e também está fora da partida em Moça Bonita




Camilo será um dos poupados para não correr o risco de sair
 lesionado (Foto: Vítor Silva/SSPress/Botafogo)
Fora da zona de classificação da Taça Rio, o Botafogo não jogou a toalha no Campeonato Carioca, mas se vê obrigado a abrir mão da força máxima em algumas rodadas. Como vai acontecer neste domingo, por exemplo. A comissão técnica decidiu poupar três jogadores: Camilo, Airton e Bruno Silva. O trio apresenta os maiores desgastes musculares e será preservado da partida contra o Bangu, às 16h (de Brasília) em Moça Bonita, para evitar lesões. Eles sequer se concentraram com os relacionados na noite deste sábado.


A ausência do trio abre espaço para Jair Ventura voltar à formação com três volantes, mais usada ao longo da temporada passada. Com isso, Lindoso, Dudu Cearense, Fernandes e João Paulo disputam as três vagas abertas na equipe. O jovem Yuri, de 21 anos, corre por fora em caso de o técnico decidir manter o 4-4-2. Quem também está fora é Carli, que se recupera de uma pancada no pé direito sofrida no clássico diante do Fluminense.


A provável escalação do Botafogo para enfrentar o Bangu tem: Saulo; Marcinho, Renan Fonseca (Igor Rabello), Emerson Silva e Victor Luis; Lindoso, Dudu Cearense (Fernandes), João Paulo e Montillo; Pimpão e Roger. Com quatro pontos e em terceiro lugar no Grupo B, o Alvinegro pode empatar com o Nova Iguaçu na zona de classificação em caso de vitória.


Fonte: GE/Por Felippe Costa e Thiago Lima/Rio de Janeiro

Ainda com dores, Carli não enfrenta o Bangu; Renan Fonseca será o titular


Perseguido por parte da torcida, zagueiro deve ter nova oportunidade no jogo em Moça Bonita. Enquanto isso, Marcelo segue machucado e Emerson não está inscrito no Carioca



Renan Fonseca deve fazer dupla com Emerson Silva na defesa alvinegra (Foto: Vitor Silva/Botafogo)

Na dividida com Richarlison no Clássico Vovô, Carli sofreu um trauma no seu pé direito. E como ainda se incomoda com as dores, o zagueiro argentino deve ser preservado do duelo diante do Bangu, neste domingo, em Moça Bonita. Com isso, Renan Fonseca deve ser o titular ao lado de Emerson Silva na defesa.

O zagueiro - perseguido por parte da torcida - entrou no intervalo do jogo com o Fluminense, quando o Glorioso vencia por 2 a 0, e substituiu o capitão do time do Botafogo. Agora, ele deve ter nova chance entre os titulares. A última vez que Renan Fonseca iniciou uma partida foi contra o Boavista, em fevereiro.

Vale lembrar que o Glorioso está sem Marcelo - segue machucado - e Emerson - este não foi inscrito no Carioca - para o jogo contra o Bangu. Igor Rabello seria a outra opção de Jair Ventura para compor o sistema defensivo alvinegro.


Fonte: Lancenet/Vinícius Britto/Rio de Janeiro (RJ)

sexta-feira, 24 de março de 2017

Bota renova contrato com Caixa por um ano: valor de R$ 10 mi mais bônus


Clube chega a acordo com principal patrocinadora para prorrogar parceria em mais um ano de contrato. Verba poderá quase dobrar de acordo com premiações por metas



Camisa do Bota continuará a contar com a Caixa como
 patrocinadora (Foto: Divulgação / Botafogo)
O Botafogo acertou a renovação de contrato com a Caixa Econômica Federal nesta sexta-feira. A assinatura ocorreu nesta manhã, em General Severiano. A continuidade da parceria com a principal patrocinadora era dada como certa no clube, tanto que o time seguia jogando com o símbolo da empresa na camisa. Porém, pendências contratuais fizeram o acordo final se arrastar desde o início do ano. O novo contrato é válido por um ano.

O valor fixo anual será na casa de R$ 10 milhões, um pouco menor do que os R$ 12 milhões previamente acordados, mas poderá quase que dobrar se atingir todas as metas estipuladas dentro e fora de campo. Há metas ousadas para os resultados de campo, como títulos nacionais e internacionais.

A expectativa inicial era assinar o novo contrato antes da estreia do time na Pré-Libertadores, mas o processo atrasou devido à discussão de valores e exigências, como por exemplo cessão de camisas e camarotes no Estádio Nilton Santos.

Em 2016, o Botafogo recebeu R$ 1,4 milhão da Caixa por pouco mais de dois meses de exposição. Atualmente, o banco vem estampando a sua marca no peito e nas costas do uniforme alvinegro. 2016.

Botafogo e Caixa celebram a assinatura do contrato de patrocínio do banco estatal (Foto: Vítor Silva/SSPress/Botafogo)


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Marcelo Baltar e Thiago Lima/Rio de Janeiro

Jair fala em início avassalador, mas lamenta virada: "Dois tempos distintos"


Treinador elogia atuação do Fluminense, evita criticar a arbitragem e minimiza primeira expulsão na carreira: "Faz parte do show"



A noite parecia ser do Botafogo. Grande atuação, vantagem de dois gols no primeiro tempo... Mas o Fluminense reagiu no segundo tempo, virou para 3 a 2 e saiu vitorioso nesta quinta-feira do Nilton Santos. O resultado – e a arbitragem – irritaram Jair Ventura, que foi expulso pela primeira vez na carreira e saiu de campo visivelmente nervoso. Mais calmo, após a partida, o treinador analisou a derrota.

- Fizemos um primeiro tempo avassalador. Você vai para o segundo tempo... O placar de 2 a 0 é perigoso. Não que é que você recua, mas o outro time precisa fazer os gols. Hoje tivemos dois tempos distintos. Foi minha primeira expulsão. Não falo de arbitragem, mas vamos deixar para eles que são especialistas analisarem o pênalti. O que reclamei foi em relação aos acréscimos. Faz parte do show. O futebol é assim há anos. Mas não temos que tirar os méritos da equipe do Fluminense.


MUDANÇA DE POSTURA EM CAMPO

Não é hora de falar quando a gente sai de cabeça quente. Hoje é um dia triste, pois ainda perdi meu sogro, que estava internado. Mas a gente tem que trabalhar. Estou triste duas vezes. Não gosto de perder, mas a gente sabe perder. A minha reclamação foi para uma questão do jogo não é o Fluminense, que fez um grande jogo.

Jair Ventura (Foto: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)


COISAS POSITIVAS
Quando você faz dois gols a tendência é vencer a partida. Mesmo assim, tivemos oportunidades no segundo tempo. As transições entraram, bola na trave, bola parada, mas não fomos felizes. Lógico que o resultado é ruim, mas precisamos tirar coisas boas. Para quem é profissional tem que ver que teve algo positivo.

PRIMEIRO TEMPO
A gente queria jogar sempre como foi no primeiro tempo, mas não foi o Botafogo que mudou. Não demos chances para eles. O Fluminense fez um grande segundo tempo. Foi eficiente e venceram.

LESÃO DO CARLI
Perdi mais uma substituição. É muito difícil para o treinador, quando você perde uma. Te quebra. Eu tinha uma condição de fazer uma mexida antes e acaba atrapalhando.

SITUAÇÃO NO CARIOCA
Nós priorizamos a Libertadores, mas não deixamos o Carioca de lado. Não temos que achar que está tudo perdido. Vamos lutar pela classificação e se tudo der certo estaremos entre os quatro.

Fonte: GE/Por Felippe Costa/Rio de Janeiro










  

Análise: Bota faz melhor 1° tempo do ano, mas sofre apagão e frustra torcida



Time consegue apresentação quase perfeita na etapa inicial, vai para o vestiário com o placar de 2 a 0, mas deixa o ritmo cair e acaba surpreendida no Nilton Santos




Os torcedores do Botafogo tinham tudo para ir dormir na noite desta quinta-feira festejando a maior apresentação da equipe na temporada. Mas, como o jogo de futebol não tem apenas 45 minutos, eles acabaram não tendo muito o que comemorar. Isso porque, o time fez o melhor primeiro tempo do ano, dominou o Fluminense e foi para o intervalo com o placar de 2 a 0. Até ai, tudo bem! Acontece que o Alvinegro parou na etapa final e acabou sendo surpreendido, sofrendo a virada frustrante no Estádio Nilton Santos: 3 a 2.


Realmente, o lado positivo foi o primeiro tempo. O Botafogo sobrou e viu Roger, que foi o grande destaque do time, balançar as redes duas vezes, chegando ao quarto gol com a camisa do Botafogo. Além dele, Bruno Silva esteve muito bem. Ao lado de Airton, não deixava espaços para o ataque do Fluminense e ainda foi responsável pelo inicio da jogada do primeiro gol, quando, de carrinho, desarmou um adversário ainda no campo de defesa e proporcionou o contra-ataque alvinegro.


Roger comemora seu gol contra o Fluminense
(Foto: André Durão)
Na verdade, o grande mérito pelos 2 a 0 foi o lado coletivo. Montillo e Camilo não tiveram uma grande noite, mas contribuiram. No esquema de Jair, Camilo fica mais preso no lado esquerdo e, aparentemente, ocupa menos espaços do que o argentino, que parece mais livre e com menos responsabilidade na marcação. Esse, talvez, possa ser um fator que tenha contribuído para a falta de gols de "Camito". O meia acaba os jogos visivelmente cansado.


Saída de Carli prejudicou o plenejamento


A defesa não comprometeu e também não havia sido tão exigida, como aconteceu após a saída inesperada do zagueiro Carli, que sofreu uma pancada no tornozelo direito e deu lugar a Renan Fonseca. Jair perdeu uma substituição e, consequentemente, um planejamento para a etapa final. O time foi sentindo, o Fluminense aumentou o ritmo e não perdoou.


O Botafogo sofreu com a velocidade do rival e, quando não parou a jogada fazendo pênalti, viu os atacantes tricolores levando vantagem na maioria das jogadas. Estreante nos profissionais, o goleiro Saulo até que fez uma boa defesa após cobrança de falta aos 26 da etapa inicial, mas acabou levando três, sendo que o segundo passou muito perto de sua mão e poderia ser impedido.

Saulo teve atuação regular no clássico contra o Fluminense, no Estádio Nilton Santos (Foto: André Durão)

Não foi o lado físico e nem o técnico, mas parece que o Botafogo não se imaginava perdendo o jogo. Como disse Jair Ventura na coletiva de imprensa, o "resultado de 2 a 0 no futebol é perigoso". E foi!. Agora é o Botafogo precisa se concentrar para a sequência do Campeonato Carioca e tirar de lição a virada no Estádio Nilton Santos para ainda sonhar com uma vaga nas semifinais.

TUA ESTRELA SOLITÁRIA NOS CONDUZ. FAÇA PARTE DESTE TIME. CLIQUE AQUI! (Foto: Divulgação)


Fonte: GE/Por Felippe Costa/Rio de Janeiro

quinta-feira, 23 de março de 2017

Polícia faz operação para prender suspeitos de matar torcedor do Bota


Cerca de 130 agentes cumprem 20 mandados de prisão temporária contra integrantes da Torcida Jovem Fla. Diego foi golpeado com espeto e morreu por hemorragia





A Polícia do Rio prendeu cinco suspeitos pela morte do torcedor alvinegro Diego Silva dos Santos, de 28 anos, na manhã dessa quinta-feira (23). Uma megaoperação foi realizada pela Polícia Civil do Rio para cumprir 20 mandados de prisão de integrantes da Torcida Jovem do Flamengo. Desses, oito teriam participado diretamente da morte do torcedor do Botafogo no dia 12 do mês passado no entorno do Engenhão, na Zona Norte da cidade e foram indiciados por homicídio e organização criminosa. Três suspeitos do crime estão foragidos.

Delegado Fábio Cardoso exibe camisa de Diego, torcedor do Botafogo assassinado (Foto: Reprodução / TV Globo)

Ao ser interrogado pelos policiais, um dos presos na operação disse que "a filosofia da Torcida Jovem é para atacar e ir para brigar".


- Ele deixou claro que a ideologia que prevalece na torcida não é ir para torcer, é ir para brigar - explicou o delegado Fábio Cardoso, ressaltando que os suspeitos ainda se vangloriam dos crimes que cometem.
 
Um dos integrantes da Torcida Jovem do Flamengo foi preso na Ilha do Governador (Foto: Reprodução / TV Globo)

Em uma das imagens obtidas pela polícia, o presidente da Torcida Jovem do Flamengo aparece com a camisa de Diego amarrada no tornozelo, como uma espécie de troféu.


- Isso aí a gente conseguiu apurar que é como se fosse um gesto de uma demonstração da vitória, que venceu o opositor. É como se fosse um troféu. Então, ele agride, faz a pessoa desmaiar ou mata a pessoa como foi o caso do Diego, arranca a camisa dele e depois amarra na perna, como um gesto, um significado, como se fosse um troféu pela vitória, naquela guerra, que nesse caso foi matar um botafoguense - prosseguiu o delegado.

Polícia Civil esteve em um condomínio na Barra da Tijuca à procura de Rafael Maggio Afonso, vice-presidente da TJF. No entanto, o suspeito deixou o local minutos antes (Foto: Thierry Gozzer)

Dos oito procurados por envolvimento na morte de Diego, três estão foragidos, segundo a polícia:

Wallace Motta, presidente da TJF
Rafael Maggio Afonso, vice-presidente da TJF
Fábio Pinheiro, o Playboy

Foram presos:
Rafael Camelo, diretor da TJF
Vitor Portencio
Adonai Santos
Rogerio Silva Guinard
Herbert Sabino de Paula

Dinheiro, explosivos e material da torcida organizada do Flamengo foram apreendidos (Foto: Cristina Boeckel / G1)

- O acusado Vitor permanecia com a camisa da vítima suja de sangue na casa dele, quarenta e cinco dias após o crime. Isso é uma prova muito importante. Esses integrantes de torcida guardavam camisetas, bandeiras e outros ícones como prêmios - destacou o delegado Daniel Rosa, um dos responsáveis pelas investigações da Divisão de Homicídios.


Em outra imagem obtida pela polícia, um torcedor da Jovem do Flamengo, identificado como Vitor Portêncio da Silva e conhecido como Gringo, aparece pisando na camisa.


- A investigação apontou que a perna que aparece na foto é do preso de apelido Gringo. Estava na casa do Gringo - disse Fábio Cardoso.


De acordo com o delegado, Rogerio foi um dos responsáveis por enfiar os espetos na vítima, após roubar os espetos de churrasco de ambulantes que trabalham na região.


Os oito suspeitos pela morte da vítima apontados pela polícia já tinham passagens anteriores por brigas de torcida.


- Investigamos 2,1 mil pessoas que integram a Torcida Jovem do Flamengo. Algumas delas já tinham mandados de prisão em aberto e estamos na rua a procura por eles, mas eles não têm relação direta descoberta com o crime por exemplo. São mandados em aberto por tráfico de drogas, homicídios, pensões alimentícias e outros crimes - destacou o delegado Daniel Rosa.


Cerca de 130 agentes e seis delegados das Divisões de Homicídios do Rio de Janeiro, Niterói, São Gonçalo, Baixada Fluminense, além da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), participaram da ação. Eles ainda cumpriram 14 mandados de busca e apreensão.


Segundo o delegado Fábio Cardoso, durante a investigação, foi possível perceber que a Torcida Jovem do Flamengo estava com a ideia de atacar a torcida do Vasco, no Maracanã, no próximo sábado. Ainda de acordo com o delegado Fábio Cardoso, como há uma ordem de que os jogos só podem ocorrer com uma única torcida, a partida foi transferida para Brasília e, por isso, a Divisão de Homicídios do Rio de Janeiro está comunicando o Ministério Público Estadual, a Ferj, a CBF, a Polícia Civil e a Polícia Militar de Brasília para que sejam adotadas medidas para evitar um possível confronto. "A gente está providenciando essa comunicação hoje, nesse momento, pra se evitar um confronto e um homicídio como ocorreu aqui no Engenhão", disse Fábio Cardoso.


Na casa dos suspeitos os agentes apreenderam uma grande quantia em dinheiro, porretes, soco inglês, morteiros e acessórios da torcida organizada do Flamengo. De acordo com a investigação, dos 2.100 integrantes da Torcida Jovem do Flamengo, pelo menos 12 estavam foragidos por crimes como homicídio, roubo e dano ao patrimônio. Os oito suspeitos de matar o torcedor alvinegro teriam golpeado a vítima com um espeto de churrasco roubado de um bar. Diego morreu de hemorragia interna e externa.


Fonte: GE/Por Do G1/Rio de Janeiro

quarta-feira, 22 de março de 2017

Jair esconde escalação para o clássico, mas confirma estreia de Saulo no gol


Ainda em fase de recuperação, Helton Leite começa no banco contra o Fluminense. Sobre a dupla Montillo e Camilo, treinador faz análise: “Falta o gol. Está na portinha”




Saulo fará sua primeira partida pelo profissional do Botafogo
 (Foto: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)
Jair Ventura não gosta de revelar o time na véspera de jogos, mas abriu uma exceção e confirmou que Saulo será o titular nesta quinta, contra o Fluminense. Sem Gatito (convocado), Helton Leite ficará no banco de reservas, apesar de ainda não estar totalmente recuperado de lesão muscular na coxa direita.


– Quem joga é o Saulo. Só podemos inscrever três goleiros no Carioca. É algo a se pensar. Em uma situação normal, temos o Jefferson, Gatito e Helton. Imagina se Jefferson e Gatito estivessem convocados, e o Helton lesionado. Como faríamos? Ficaríamos sem goleiro? O Helton não está 100%. Mas vai para o banco por necessidade. Porque não inicia? Porque não está 100%. Temos toda confiança no Saulo – disse o treinador, após treino fechado na manhã desta quarta, no Nilton Santos.


Oriundo da base alvinegra, Saulo, 21 anos, fará sua primeira como profissional no clássico contra o Fluminense. Situação que não preocupa Jair Ventura.


- O Saulo está há muito tempo sem jogar. Fizemos amistosos para ele. Temos que passar confiança. Desde que ele soube que ia jogar, cresceu nos treinos. Foi muito bem no treino hoje. Está confiante. Estava precisando da oportunidade, e ela chegou.


O resto do time, no entanto, segue um mistério.


- Vamos estudar. Não vou falar o time. Quem estiver 100% vai jogar. O único jogador que vocês sabem que vai jogar é o Saulo.


O Botafogo deve iniciar contra o Fluminense, nesta quinta, com Saulo, Marcinho, Carli, Emerson Silva, Victor Luis; Airton, Bruno Silva, Camilo, Montillo; Pimpão e Roger.


Outros trechos da entrevista


Abel Braga
O Abel é um profissional que eu sempre admirei. Vai ser legal enfrentar um professor que tem tanta historia e títulos. A gente cresce. Ano passado enfrentei o Levir, que tem uma historia linda no futebol. Primeira vez que vou enfrentar o Abel, um cara que sempre admirei. Depois do jogo vou lá dar um abraço nele.


Sassá
A maior virtude do ser humano é reconhecer o erro. Fico muito feliz pelo Sassá ter reconhecido. Nunca falei nada sobre o Sassá, mas ele veio a publico reconhecer o erro. Primeiro passo para melhorar. Gosto muito dele, estamos juntos há muitos anos. Ele tem chance de iniciar como os demais.


Clássico contra o Fluminense
O clássico dá um friozinho na barriga a mais. Coisas que acontecem ficam marcadas durante anos. Mas a importância de ganhar é a mesma. O João Paulo começou muito bem, como titular.... Mas naquele ditado. Você dá uma chance para outro jogador... No caso, ele entrou muito bem e ganhou a posição.

Confiante, Jair Ventura apostou na volta de Sassá e no sucesso da dupla Montillo e Camilo (Foto: Marcelo Baltar)

Pressionado para vencer um clássico?
No momento que alguém decide ser treinador, ele está pressionado. Treinador está pressionado sempre. Vencer é sempre bom, independe da ocasião e do adversário. Se tivesse vencido todos os clássicos, e tivesse perdido na Pré-Libertadores, eu também estaria pressionado. A gente quer sempre vencer.


Jair, sobre a Dupla Camilo e Montillo

Sabe o que está faltando? O gol. Quando um dos dois fizeram o gol... Se o Martin Silva não pega aquela bola do Montillo, ele estaria em todas as capas de jornais. Mas o jogador também pode ser importante sem o gol. Depois que a bola começar a entrar, será uma disputa boa. Tenho certeza que falarão que é uma das melhores duplas do Brasil. Está para sair. Está na portinha.


Botafogo vai contratar lateral?

Treinador, se deixar, quer contratar sempre. Mas tem uma realidade financeira que não podemos passar por cima. Nossa diretoria pegou um clube afundado em dívidas, e hoje está tudo em dia. Seria importante, mas como não conseguimos na questão financeira, temos que usar o que temos e confiamos. O Luis Ricardo está se recuperando bem. Mas temos sempre que nos reinventar, usar a base. Gosto muito do Fernando, do sub-20, mas não podemos inscrevê-lo.

TUA ESTRELA SOLITÁRIA NOS CONDUZ... FAÇA VOCÊ TAMBÉM PARTE DESTE TIME: CLIQUE AQUI! (Foto: Divulgação)


Fonte: GE/Por Marcelo BaltarRio de Janeiro

terça-feira, 21 de março de 2017

Botafogo bate Barcelona na Liga e tem maior audiência de TV paga no ano







A estreia do Botafogo na fase de grupos da Libertadores bateu recorde de audiência na TV paga no ano de 2017. A partida contra o Estudiantes, disputada na última terça-feira no Rio de Janeiro, registrou números maiores até do que a goleada do PSG sobre o Barcelona.

Exclusivo no Sportv, o jogo teve 6,7 pontos no Ibope se levarmos em consideração apenas os domicílios. Esse número equivale a 2,64 pontos de audiência no universo de indivíduos, o que daria 4 milhões de pessoas acompanhando a vitória por 2 a 0.

O número superou a vitória do PSG sobre o Barcelona, a maior audiência de futebol internacional em 2017. Naquela ocasião, o EI Maxx, com exclusividade do duelo, atingiu 4,95 pontos no universo de domicílios.

Além do Sportv, o Fox Sports também tem direito de transmissão da Libertadores. Mas os jogos têm sido divididos com exclusividade entre as emissoras, exceto quando a Globo também transmite os duelos.

Fonte: Leandro Carneiro
Do UOL, em São Paulo


segunda-feira, 20 de março de 2017

Sassá fala em ficar e admite erros: "Não dá mais para ficar nessa loucura"


Sincero, atacante revela diálogo com a consciência, admite ter "passado dos limites", promete ser mais polido e assegura que intenção é renovar: "Vou ser titular"




Encostado, em baixa e blindado: há tempos Sassá estava deixado um pouco de lado no Botafogo. Reintegrado ao elenco, o atacante voltou a jogar e nessa segunda-feira reencontrou a imprensa. E em sua primeira entrevista coletiva no ano, ele falou. E como falou. Reconheceu erros, disse que precisa colocar a cabeça no lugar e falou, pela primeira vez, que pretende renovar com o Botafogo.


- Eu parei, tive uma conversa comigo mesmo e decidi que era hora de botar a cabeça no lugar. Muita gente depende de mim, não dá mais para ficar nessa loucura. Chamei, falei: "Irmão, está muito burro. As coisas acontecendo aí e eu dando muito mole". Coloquei a cabeça no lugar, a gente não é santo, mas sei que passei dos limites. Espero conseguir me controlar para fazer um grande ano - disse o atacante, no início da noite desta segunda, no Nilton Santos. 

Sassá Botafogo (Foto: Twitter / Botafogoo)


Outros trechos da entrevista


Erros
As coisas que cometi ano passado não foram nada demais, coisas da idade. Eu fico seis meses sem jogar, do nada começo a fazer um montão de gol, um montão de coisas acontecendo... É normal. Tenho 22 anos, as coisas que eu fazia não tinha tanta repercussão, mas quanto mais eu fazia gol, mais repercussão tinha. Isso que atrapalhou um pouco. Sempre fui a mesma pessoa, só que com mais visibilidade depois. Agora já entendo que não dá para postar tudo, fazer o que a gente pensa. É ficar um pouco mais tranquilo (risos).


Hora de mudar?

Foi quando aconteceu a situação da Libertadores (ficou fora da lista da fase prévia). Aquilo eu não esperava. Depois, cheguei no Paraguai (viajou convidado pela diretoria), me vi voltando a sentir aquele frio na barriga, falei que não dava para ficar vendo jogo na TV, sem poder fazer nada

Arrependido?
De poder estar em uma melhor situação aqui no clube, o que não estou. Maior arrependimento que tenho é esse

Renovação
Aqui é minha casa, quero ficar no Botafogo. Gosto de estar aqui, minha família gosta, espero que eu e o clube nos acertemos o mais rápido possível


Briga pela vaga
Sim, preciso só de ritmo. Voltando a ter ritmo, vou ser titular, vou recuperar meu espaço

Sassá entrou bem no clássico contra o Vasco, neste domingo (Foto: Vitor Silva / SSprsss / Botafogo)

Libertadores x Carioca
São competições diferentes. Tenho certeza que a competição mais importante que a gente tem no ano (Libertadores), mas é o que o Jair fala, temos que entrar no Carioca com o mesmo espírito. A gente vai conseguir, entrar no foco para reverter isso aí


Posição
Eu quero jogar, falei para o Jair. Ele está me colocando pelo lado, estou entrando, mas minha briga é jogar de 9. Mas se tiver brecha ali também, vou querer jogar


Saudade de marcar?
Já tem quantos jogos que voltei? Uns três, e não estou dando nem um susto, nem um chute para o gol. Então quero jogar, voltar a balançar a rede que é o que eu mais gosto

100 jogos pelo Botafogo
Estou feliz, marca pessoal que queria realizar. Graças a Deus consegui realizar essa marca


Fonte: GE/Por Thiago Lima/Rio de Janeiro

Jair vê Botafogo superior ao Vasco e cita lição do jogo: "Ser mais cirúrgico"


Técnico alvinegro enaltece atuação do time e mostra preocupação com classificação







O Botafogo ficou no quase contra o Vasco e saiu de campo na noite deste domingo com um gosto amargo após o empate sem gols no Nilton Santos. Para Jair Ventura, o Alvinegro foi superior ao adversário e mereceu ter saído com a vitória (veja os melhores momentos no vídeo acima). Mas sem o resultado, o técnico mostrou preocupação com a classificação: o Alvinegro termina a segunda rodada com quatro pontos, dois atrás de Flamengo e Nova Iguaçu e fora da zona de classificação do Grupo B para a semifinais da Taça Rio. Questionado sobre o que faltou e qual a lição que fica, o treinador respondeu:


– A eficiência. Tivemos muitas chances, mas não fizemos gols. O Pimpão tem muito crédito, é o nosso artilheiro do ano. Acabou tendo a bola do jogo, mas perdeu. Paciência. Quando não cria, liga o sinal de alerta. Agora, nesse caso, é só ter paciência e ser mais cirúrgico na ultima bola para fazer o gol. (...) Um clássico equilibrado, mas se pegar os indicadores o Botafogo foi melhor. Mais posse de bola e finalizações. Na minha opinião, o grande destaque do Vasco foi o goleiro. Depois, o Pimpão ainda teve a chance no fim. O time criou bastante, nós fomos superiores, mas não vencemos. Não estamos na zona de classificação, mas foi um clássico. Vamos treinar para enfrentar a forte equipe do Fluminense – afirmou.

Jair gostou do que viu, apesar de a vitória não ter vindo no clássico contra o Vasco (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Confira outros trechos da coletiva de Jair:

MONTILLO
Ele vai ajudar ainda mais. É o preço que ele paga por jogar onde ele estava jogando (China). Mas a bola cai no pé dele e acontece algo diferente. A evolução física requer tempo. Mas tenho certeza que ele ainda vai dar muitas alegrias para a torcida.


DUPLA CAMILO E MONTILLO

Estou satisfeito, mas pode sempre melhorar. Buscamos a excelência. O Camilo fez um bom jogo. No outro jogo (contra o Estudiantes) tirei o Montillo. Mas o Camilo estava bem no jogo. É uma formação mais ofensiva. Jogamos ano passado todo com três volantes. Abrimos mão para jogar com formação mais ofensiva. Com essa formação estamos conseguindo os resultados. O Camilo está muito confortável, conversei com ele. Ele está entrando na área, como segundo atacante. Estamos no caminho.


PIMPÃO NO BANCO

É o jogador que teve o maior numero de ações em intensidade. A gente tinha que preservá-lo em algum momento. Mas preservar no clássico? Nossa prioridade é o atleta. Não adianta arriscar perdê-lo por mais tempo. Preservamos ele hoje para que esteja numa condição melhor contra o Fluminense


MARCINHO

É um garoto. Ele já havia jogado o clássico contra o Flamengo e fez hoje seu segundo clássico. Temos toda confiança nele. Conversei bastante com o Márcio antes do jogo. Dei bastante confiança, disse no que ele poderia melhorar. Só tem a crescer. Tem muita força, chuta muito forte. Vamos lá. Temos confiança em todos os atletas, e com ele não é diferente.


LEI CAIO JÚNIOR
Falei com o Antônio Lopes. Comentei com ele. Era para ter sido há muito tempo. Treinador não é reconhecido como profissão. Estamos reivindicando os nossos direitos, regulamentação da profissão. Um passo muito grande essa união, temos um grupo de "WhatsApp", todos se respeitam. Nossa classe tem que crescer e brigamos pela nossa regulamentação.

Tua estrela solitária nos conduz... Faça também parte deste time! CLIQUE AQUI E ASSOCIE-SE! (Foto: Divulgação)

Fonte: GE/Por Marcelo BaltarRio de Janeiro