domingo, 19 de fevereiro de 2017

Fernandes e Leandrinho comandam virada do Botafogo contra Boavista


Com dois gols do primeiro e participação do camisa 10 em todos os tentos, reservas do Glorioso encerram a Taça Guanabara com dignidade em vitória por 3 a 2 em Bacaxá



Veja imagens da vitória do Botafogo em Bacaxá (Vítor Silva/SSPress/Botafogo)


Se a Taça Guanabara não foi das melhores para o Botafogo, ela serviu para moldar o elenco e encontrar nomes que possam contribuir no time principal alvinegro. Marcelo e Matheus Fernandes foram casos que agradaram Jair Ventura e receberam chances na Libertadores depois. Agora, Fernandes e Leandrinho aproveitam a oportunidade na vitória de virada por 3 a 2 contra o Boavista, neste domingo, no Elcyr Resende, em Bacaxá, pelo Carioca.

O primeiro tempo foi para lá de apático. Nem mesmo o retorno de Carli - que fazia seu primeiro jogo na temporada - colaborou para maior organização da defesa alvinegra. Com Marcinho e Igor Rabello batendo cabeça, o time de Joel Santana logo achou o primeiro gol, com Pedro Botelho aparecendo livre na área. Em quatro minutos, a vantagem era logo aumentada por Marcelo Nicácio.

Enquanto isso, o lado ofensivo do Botafogo pouco aparecia, com Joel - este ainda mais enrolado - e Vinícius Tanque pouco criando. Foi aí que a dupla de meias entrou em ação para reduzir o dano do placar: Fernandes recebeu linda bola de Leandrinho, fintou o ex-botafoguense Antônio Carlos e levou o 2 a 1 para o final da primeira etapa de um futebol abaixo da crítica do Botafogo.

Sabe-se lá o que foi conversado no vestiário alvinegro, mas a postura foi outra na segunda etapa. Dominante e chegando a frente com volume, o Glorioso logo empatou aos 4, em bela trama que envolveu Leandrinho, Vinícius Tanque e passe de Lindoso para Fernandes, que balançou as redes pela segunda vez.

Dando início aos dois primeiros gols, Leandrinho não queria ficar fora da festa. Aproveitou sobra na área aos 17 e chutou prensado para marcar a virada do Botafogo. Depois, o alívio do jovem que, contra o Flamengo, havia acertado duas vezes o travessão. Desta vez, foi decisivo, assim como no ano passado, quando marcou o gol do triunfo em Bacaxá. No laboratório para a temporada, os comandados de Jair Ventura terminam a Taça Guanabara com sete pontos somados. Agora, virar a chave para a principal competição: a Libertadores.

FICHA TÉCNICA
BOAVISTA 2 X 3 BOTAFOGO


Local: Estádio Elcyr Resende, em Bacaxá (RJ)
Data-hora: 19/02/2017, às 17h (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ)
Assistentes: Daniel do Espírito Santo Parro e Flávio Manoel da Silva (RJ)
Renda/Público: R$ 19.620,00 - Público pagante: 1.009
Gols: Pedro Botelho (27'/1ºT), Marcelo Nicácio (31'/1ºT), Fernandes (39'/1ºT), Fernandes (3'/2ºT) e Leandrinho (17'/2ºT)
Cartões amarelos: Fernandes e Marcinho (BOT)

BOAVISTA: Felipe, Thiaguinho, Gustavo Geladeira, Antônio Carlos e Maicon (Lucas Perdomo - 31'/2ºT); Lucas Rocha, Willian Maranhão (Fellype Gabriel - 30'/2ºT), Pedro Botelho e Erick Flores; Mosquito e Marcelo Nicácio (Tiago Amaral - 21'/2ºT) - Técnico: Joel Santana.

BOTAFOGO:
Helton Leite, Marcinho, Carli, Igor Rabello e Gilson; Rodrigo Lindoso, Dudu Cearense, Fernandes (Pachu - 25'/2ºT) e Leandrinho (Yuri - 33'/2ºT); Joel e Vinícius Tanque (Sassá - 20'/2ºT) - Técnico: Jair Ventura.


Fonte: Lancenet/Vinícius Britto/Rio de Janeiro (RJ)

Jair Ventura festeja gols de jogadores formados na base em vitória de virada


Eliminado da disputa da Taça Guanabara, técnico do Botafogo lamenta calendário que o forçou a poupar jogadores no Campeonato Carioca




Em alta, técnico Jair Ventura fez "selfie" com torcedores após a vitória de
 virada em Bacaxá (Foto: Vitor Silva /SSPress/Botafogo)
Após a vitória de virada sobre o Boavista na última rodada da fase de grupos da Taça Guanabara, o técnico do Botafogo, Jair Ventura, lamentou o calendário que o forçou a poupar jogadores no Campeonato Carioca. Eliminado no primeiro turno, o treinador evitou usar a palavra teste ao ser questionado se aproveitou a partida para avaliar os atletas que estão fora da equipe titular. Ele ressaltou o fato de os três gols da equipe terem sido marcados por jogadores formados na base do clube - Fernandes fez dois e Leandrinho marcou o gol da virada.

- Me perguntaram antes do jogo se serviria como um teste, mas acho que é muito pesado usar o Campeoanto Carioca como teste. Nós tivemos que poupar alguns jogadores por conta dessa loucura de calendário. Hoje, a estreia do Fernandes no ano e ele acaba fazendo dois gols. Três dos nossos gols foram de meninos da base e ficamos muito felizes por isso - disse Jair Ventura.

O técnico aproveitou ainda para elogiar Leandrinho, que disse ter um "potencial gigante":

- O Leandro colocou duas bolas na trave no clássico. Falei com ele hoje que estava no caminho certo, que a bola entraria. Ela entrou. É um menino com potencial gigante, uma qualidade técnica muito boa.

Confira os melhores trechos da entrevista coletiva de Jair Ventura:

Primeiro tempo

Fizemos um primeiro tempo muito ruim. Um time apático, que não condiz com a característica da nossa equipe. Voltamos para o segundo tempo com outra postura. Estão todos de parabéns pela reação. Tivemos forças e conseguimos conquistar nosso objetivo.

Presente para o presidente?

Então. Queria aproveitar a oportunidade, já que hoje é aniversário do nosso presidente. Liguei para ele antes da partida e na verdade eu é que ganho o presente. Ele me deu essa responsabilidade de ser o comandante do time do Botafogo e quero dar os parabéns, desejar essa vitória para ele e agradecer pelo meu trabalho.

Sassá


Eu costumo dizer que o jogador é que se escala, com os treinamentos e conduta. O Sassá tem as mesmas chances dos demais. Cabe a ele treinar bem, fazer os gols, ajudar a equipe. Assim, vai ter chance como os outros. Fica muito claro isso de dar oportunidade para todos.

Fonte: GE/Por Felippe Costa/Bacaxá, RJ

Na volta do zagueiro Carli, Botafogo pega o Boavista; Sassá fica no banco


Desde ano passado se recuperando de lesão, argentino começará a partida, buscando retomar ritmo para jogar na quarta, pela Libertadores da América



Sem chances de classificação para as semifinais da Taça Guanabara, o Botafogo visita o Boavista, neste domingo, às 17h (de Brasília), apenas para cumprir tabela. Mas quem pensa que a partida perde importância por isso está muito enganado. O torcedor tem motivos de sobra para acompanhar o duelo em Bacaxá. Fora desde o ano passado, o zagueiro Carli,por exemplo, foi escalado como titular pelo técnico Jair Ventura, que ainda terá Sassá à disposição no banco.


Se a vitória não levará o clube para as semifinais da Taça Guanabara, ela pode servir para outro importante objetivo: ser um presente de aniversário ao presidente Carlos Eduardo Pereira, que completa 59 anos neste domingo.

Carli e Jair Ventura conversam durante o treinamento do Botafogo (Foto: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)

De olho na partida da volta contra o Olimpia, na próxima quarta-feira, no Paraguai, Jair Ventura resolveu poupar seus titulares e só colocará em campo o goleiro Helton Leite, que vem substituindo Gatito Fernándes e precisa pegar mais ritmo de jogo.


Por falar em Libertadores, Jair terá uma boa oportunidade para ver mais uma atuação do lateral Marcinho. Sem Jonas, que recebeu o terceiro cartão amarelo, o jovem tem grandes chances de substituí-lo no confronto de quarta que definirá o clube classificado para a fase de grupos.


Sendo assim, o sistema defensivo ainda terá Igor Rabello e Gilson. O restante do time não muda muito do que o comandante vem usando nas partidas do Campeonato Carioca. O Botafogo deve entrar em campo com: Helton Leite, Marcinho, Carli, Igor Rabello e Gilson; Matheus Fernandes, Dudu Cearense, Lindoso e Leandrinho, Guilherme e Joel.


Outra grande novidade no jogo é a volta de Sassá. Após quase um mês sem ser relacionado pelo técnico Jair Ventura, o atacante retorna neste domingo. 

Sassá volta a ser relacionado e ficará no banco de reservas diante do Boavista (Foto: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)

Do outro lado, o Botafogo terá um adversário bastante conhecido: o técnico Joel Santana. Dudu Cearense fala da experiência da equipe do Boavista e do carinho especial pelo treinador.


- O Joel é um pai para mim. Foi ele quem me lançou. Depois do Mário Sérgio, que já nos deixou, que foi quem me puxou da base. Eu sou grato eternamente ao Joel. Vou dar um abraço nele e minha camisa do jogo com certeza será dele. O Boavista tem jogadores experientes, respeito todos que estão lá, mas aqui no campo, eles que tem que nos respeitar. Somos o Botafogo. Será um jogo duro e que vença o melhor.


Ficha

Data: 19/02/2017
Horário: 17h (de Brasília)
Local: Moacyrzão (Bacaxá)
Trio de arbitragem: Carlos Eduardo Nunes Braga / Assistentes: Daniel do Espírito Santo Parro e Flávio Manoel da Silva

Possível escalação do Botafogo: Helton Leite, Marcinho, Carli, Igor Rabello e Gilson; Matheus Fernandes, Dudu Cearense, Lindoso e Leandrinho, Guilherme e Joel.


Fonte: GE/Por Felippe Costa/Rio de Janeiro