domingo, 19 de março de 2017

Goleiros brilham, Vasco e Botafogo empatam e seguem iguais na tabela


Fabuloso e Montillo tentam, mas passam em branco em clássico para oito mil pagantes. Times ficam em quinto lugar na classificação geral do Carioca







Vasco e Botafogo fizeram um jogo pobre tecnicamente na tarde deste domingo, no estádio Nilton Santos, e acabaram empatando sem gols em duelo válido pela segunda rodada da Taça Rio. Com poucas, mas grandes defesas dos dois goleiros para um público de 8.088 pagantes e 9.345 presentes, as equipes mantêm campanha parecida no Campeonato Carioca: agora somam 11 pontos na quinta posição da classificação geral. As duas de maiores pontuações, tirando os campeões dos turnos, vão para a fase final. Com dois pontos, o Cruz-Maltino, que foi comandado pelo interino Valdir Bigode após a saída de Cristóvão Borges, está em quarto lugar no Grupo C da Taça Rio, enquanto o Alvinegro ocupa o terceiro no Grupo B com quatro pontos.


O empate marca a manutenção de longo jejum do Botafogo, que não vence o Vasco há três anos e meio, sendo 10 jogos, quatro empates e cinco derrotas.


O próximo compromisso do Vasco é quarta-feira, contra o Madureira, em São Januário, enquanto o Botafogo, que só joga pela Libertadores em 13 de abril, tem pela frente o Fluminense, no clássico marcado para quinta-feira, no Nilton Santos.

Roger e Gilberto disputam bola na área (Foto: André Durão)

Primeiro tempo

A primeira etapa foi dos goleiros. O bom início do Vasco chegou a animar a torcida, mas o grito de gol ficou preso depois que Gatito Fernandez operou verdadeiro milagre em duas bolas difíceis. Primeiro, Evander cabeceou para o chão e o goleiro buscou. No rebote, Nenê, de frente para o gol, bateu à queima-roupa, mas o goleiro estava lá para espalmar antes de a bola parar no travessão. Luís Fabiano saía da área, Nenê tentava, mas faltava muito. Foi a deixa para que o Botafogo passasse a gostar do jogo. Mas de goleiro o Vasco também está muito bem servido. Martín Silva garantiu o zero do placar por duas vezes: na primeira, em chinelada de Montillo de longe. No segunda, bola ainda mais complicada em chute de Bruno Silva que desviou para mais uma boa intervenção.

Luis Fabiano e Victor Luis disputam bola (Foto: André Durão)

Segundo tempo

O Vasco tinha dificuldade na transição da defesa para o ataque. Não foram poucas as vezes que Luís Fabiano recebia a bola muito fora da área e acabava facilmente marcado. Já o Botafogo sentia a atuação apagada de Camilo e Montillo. O jogo foi ficando aberto, a arbitragem passou a distribuir cartões, alguns pênaltis inexistentes foram pedidos dos dois lados, e Luís Fabiano deu um susto ao cair sentindo dores no joelho esquerdo. Foi só um susto. Sassá entrou no Botafogo, Pikachu no Vasco, mas o jogo seguiu pobre tecnicamente. Sem ser notado em campo, Camilo deu lugar a Pimpão, que quase fez o gol da vitória aos 42, mas Jean tirou quase em cima da linha.


Destaques

Luís Fabiano (Vasco): ainda muito fora de forma e totalmente isolado em campo, lutou muito. Correu sem parar, saiu da área para buscar jogo, serviu de pivô, e ainda fez um gol bem anulado por estar em impedimento. Reclamou bastante com a arbitragem, uma das suas marcas registradas. Precisa ser mais bem servido e acionado para a conclusão dos lances.


Airton (Botafogo): o volante mostrou a saúde de sempre para ganhar quase todas as jogadas. Tem muita disposição, antecipa muito bem os lances e pareceu nesse jogo querendo mais que os companheiros.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com/Rio de Janeiro