quarta-feira, 8 de março de 2017

Jair indica força máxima com Voltaço e garante Montillo, mas "não os 90 min"


Técnico do Botafogo diz que após "segunda pré-temporada" vai focar mais no Carioca e despista sobre lista final para fase de grupos da Libertadores: "Podem ter surpresas"





Sorridente, Jair garantiu foco dividido com Carioca e
Libertadores (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)
Depois de duas semanas sem jogos, o Botafogo volta a campo nesta quinta-feira contra o Volta Redonda, às 20h30 (de Brasília) no Nilton Santos, pela estreia da Taça Rio. E ao que Jair Ventura indicou, o time vai com força máxima para a partida, mesmo tendo na próxima terça sua estreia na fase de grupos da Libertadores, contra o Estudiantes, da Argentina. Inclusive com a presença de Montillo, recém-recuperado de lesão na panturrilha direita. Após os 15 dias de preparação que classificou como a "segunda pré-temporada" de 2017, o treinador alvinegro garantiu que vai buscar a classificação para a semifinal do Campeonato Carioca.


– Tivemos uma planejamento, conseguimos cumprir, isso foi bom para dar rodagem a todo elenco. Praticamente todos os jogadores, tirando o Gorne, tiveram chances em jogos oficiais. Estamos marcando mais amistosos para dar rodagem. Fomos o único time grande que não entrou na semifinal da Taça Guanabara, mas fomos o único na Pré-Libertadores. Não vamos abandonar o Carioca, vamos lutar. Sei como é ser campeão carioca (2010, auxiliar de Joel Santana), e quero ser de novo – disse o técnico, que apesar do treino fechado "escalou" Montillo.


– De repente não jogar os 90 (minutos), vamos ver como vai se comportar no decorrer da intensidade. A gente estuda de repente não jogar os 90, mas pode ser. Tem todas as possibilidades (risos) – despistou, sem garantir a titularidade do argentino.

Já "escalado", Montillo pode voltar a jogar com Camilo, dupla ainda pouco testada (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Foco no estadual, mas dividido com a Libertadores. Nesta sexta-feira, diretoria e comissão técnica irão decidir os outros cinco nomes que poderão ser inscritos na fase de grupos do torneio. Canales, por exemplo, é nome certo após definir sua permanência com garantias de mais oportunidades. Mas ainda há vagas abertas, podendo até mesmo serem ocupadas por alguma contratação – com a incerteza sobre Sassá, o clube busca um centroavante no mercado. Questionado sobre o tema, Jair não descartou a possibilidade e falou em "surpresas".


– São cinco nomes, nós temos algumas ideias, algumas situações que podem não acontecer também. Vocês vão ter que esperar mais um pouquinho, mas lógico que temos algo em mente. Podem ter surpresas (risos).


Confira outros trechos da entrevista de Jair:


ESCALAÇÃO
Não posso falar, senão não teria sentido fechar os treinos. Todos tem condições. Conversei com eles hoje, a equipe que vai iniciar. Tem que encarar todos os jogos como uma Pré-Libertadores.


PERÍODO DE TREINO
Foi a nossa segunda pré-temporada. Já que perdemos uma semana da pré-temporada e com a Libertadores foi tudo muito rápido. Se me perguntar se o time está pronto, ainda não. Time ainda precisa de muito ajustes, equipe totalmente nova, três jogadores que permaneceram de 2016. Esse tempo foi bom por quê? A gente aprimorou nossa parte física, nosso pico é para o dia 14.


DISPUTA NA ZAGA

Você ganha em velocidade com Marcelo e em experiência e técnica com o Carli. Jogador com jogo aéreo mais forte, mas com Marcelo ganha na recuperação. Quem ganha é o Botafogo. Conseguimos trazer essa jovem promessa, entrou numa situação muito difícil, não sentiu, teve adaptação muito rápida. Agora depende do treinador.


POR QUE NÃO CARLI E MARCELO?
(Marcelo) Hoje ele é central, pode ser quarto zagueiro. A gente pode treinar em uma situação, mas vale a pena adaptar? Podemos fazer uma adaptação, mas Emerson hoje está muito bem. Pode acontecer, requer um tempo maior, não é o ideal.

Jair fechará os cinco nomes a mais do Botafogo da fase de grupos nesta sexta-feira (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


EMERSON SANTOS
Já conversei bastante, mas tudo tem um limite. Tenho que respeitar o jogador, o que ele pensa, passo para ele minha opinião. Ele sabe o que eu penso, a decisão que vai tomar cabe a ele. Espero que ele tome a melhor decisão para a carreira dele.


CRITÉRIOS PARA LISTA
Um dos grandes motivos de não antecipar é o que ganho do dia a dia. Quando todos sabem que realmente têm chances, aumenta a qualidade do treino. Todos têm condições de estar. Aquele que estiver melhor momento vai jogar, meritocracia. Pessoas podem questionar: 'Um monte que te ajudou ano passado nem foi relacionado?' Outros em melhor momento.


ELENCO
Estou satisfeito com meu grupo, sim. Contratações pontuais sempre são boas, mas temos uma realidade. Temos que entender. Botafogo tem uma realidade financeira. Quando o presidente assumiu o clube estava afundado em dívida, tínhamos seis jogadores para iniciar os trabalhos em 2015. Hoje estamos disputando a Libertadores, trabalho gradativo. Se a gente conseguir manter isso, com pés no chão, tendência é que suba de patamar. Não posso ser egoísta, a gente conversa bastante. Trabalho dessa gestão é muito bom, tudo em dia, regularizado, prêmios... Isso facilita nosso dia a dia. Lógico que a torcida quer grandes nomes, mas tem que entender a realidade e o momento do clube.


ESPIÃO NO JOGO DO ESTUDIANTES?
Está indo, mala está pronta desde o dia 4, só esperando. Acredito muito no trabalho do observador, eu já fui um. A gente prepara e monta a equipe, importante para ter uma ideia do que vamos enfrentar.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Marcelo Baltar e Thiago Lima/Rio de Janeiro