domingo, 12 de março de 2017

Uma vida de sonhos: agora dono de cafeteria, Jefferson fala na Copa 2018


Enquanto não volta aos gramados, goleiro e ídolo do Botafogo comanda uma cafeteria na cidade de São José do Rio Preto, em São Paulo, que conta com 70 funcionários




Afastado de jogos oficiais desde maio do ano passado, quando sofreu uma lesão no tríceps no braço esquerdo que o fez passar por duas cirurgias, Jefferson vem aproveitando o tempo de recuperação para pensar em seu futuro dentro e fora dos gramados. Aos 34 anos, o ídolo do Botafogo quer voltar o mais rápido possível para buscar realizar o sonho de disputar a Copa do Mundo de 2018, antes de encerrar a carreira no Alvinegro.

Jefferson em sua cafeteria em São José do Rio Preto-SP (Foto: Arquivo Pessoal)

A partir do momento que sentir que estou só pela história, vou para outro lugar. Mas a ideia é me aposentar no Botafogo
Jefferson

- Estou com objetivos. Meu ideal é voltar bem e ajudar o Botafogo. Tenho o sonho de ir para a Copa de 2018. Não posso ficar jogando por jogar. Enquanto o Botafogo estiver sonhando com coisas grandes, eu estarei junto. Independente se ganho x ou y vou estar no Botafogo para ganhar títulos. A partir do momento que sentir que estou só pela história, vou para outro lugar. Mas a ideia é me aposentar no Botafogo. Hoje tenho a necessidade de ser competitivo - disse ele, que já vem treinando usando as mãos e tem previsão para voltar a jogar em maio.

Fora de campo, o ídolo vira empresário

Enquanto não volta, Jefferson vai dando atenção a outra paixão: uma cafeteria. O empreendimento era um desejo antigo do goleiro, que aproveitou a rodagem pela própria seleção brasileira para pegar dicas ao redor do mundo. Aberta no final do ano passado, a Beato Cafeteria, localizada em São José do Rio Preto, São Paulo, hoje já tem 70 funcionários.


- A gente sabe que a carreira de jogador é curta e temos que ter sempre os pés no chão. Eu sempre tive vontade de abrir uma cafeteria e escolhi a minha cidade, pois pretendo morar lá assim que me aposentar no futebol e cuidar de perto da Beato. Passei uns quatro anos pesquisando, conhecendo lugares na Europa até que o filho saiu. Viajei bastante e peguei um pouco de experiência. Mas fiz questão de colocar um conceito próprio.

Inauguração da cafeteria do goleiro Jefferson, em São Paulo
 (Foto: Arquivo Pessoal)
Mesmo de longe, Jefferson gosta de acompanhar o rendimento do local. Para isso, conta com uma gerente de confiança e da ajuda do sogro e da esposa, que viaja de 15 em 15 dias para São Paulo. Mas sempre que pode, ele mesmo marca presença.


- O atendimento é diferenciado. Faço questão de quando estou por lá de ir nas mesas dos clientes e perguntar como está o serviço. Sou muito curioso nas coisas, quero saber o que está sendo aceito pelos clientes. Graças a Deus estamos recebendo convites de abrir em outros lugares, mas quero fazer as coisas devagar para ser bem feito. Sou exigente como no futebol.


Enquanto não volta aos gramados, Jefferson fica na torcida pela Botafogo, que estreia na fase de grupos da Libertadores da América na próxima terça-feira, às 21h (de Brasília), contra o Estudiantes, no Estádio Nilton Santos.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Marcelo Baltar e Thiago Lima/Rio de Janeiro