sábado, 29 de abril de 2017

Além de Fernando, meia Wenderson e atacante Igor Cássio ficam no profissional


Junto com lateral-direito, dupla do sub-20 é promovida ao time principal do Botafogo provisoriamente. Gerente geral das categorias de base elogia trabalho de transição dos jovens





Pimpão registrou a "apresentação" de Wenderson na concentração
 na Copa do Brasil (Foto: Reprodução)
Sem conseguir contratar um lateral-direito a tempo de ser regularizado para a Copa do Brasil, o Botafogo foi buscar reforços na base e promoveu no início da semana o ala Fernando Costanza, de 18 anos. Mas não foi só ele que subiu. Nos últimos dias, vários atletas do sub-20 treinaram com o profissional, e mais dois deles foram promovidos ao time principal provisoriamente: o meia Wenderson e o atacante Igor Cássio, ambos também de 18 anos. Wenderson já foi até "apresentado oficialmente" perante o elenco na concentração. O meia de velocidade é quem mais impressionou o técnico Jair Ventura até aqui, treinou entre titulares durante a semana e chegou a ficar no banco de reservas na vitória por 2 a 1 sobre o Sport, na quarta-feira, pela Copa do Brasil. Igor Cássio, por sua vez, tem fama de artilheiro na base, fez quatro gols na última Copa São Paulo e despertou interesse do Braga, de Portugal.


Novo gerente geral das categorias de base após a saída de Eduardo Freeland, que foi para o Cruzeiro, Bruno Lazaroni elogiou o trabalho de transição para o profissional que é desenvolvido no clube. Filho de Lazaroni, técnico da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1990, o profissional, que antes era coordenador técnico da base, valorizou a experiência para esses garotos.


– Um grande sinal desse bom desempenho foram três atletas, que momentaneamente foram incorporados ao profissional (Fernando, Wenderson e Igor Cássio). Kanu foi inscrito no Carioca, ficando no banco por três oportunidades, e o Diego (goleiro) foi inscrito na Libertadores e tem treinado com regularidade em cima. A comissão técnica do profissional tem auxiliado bastante nessa transição dos atletas, porque eles estão sendo constantemente observados e treinam com frequência no profissional, o que minimiza um pouco quando sobem de forma definitiva – avaliou Lazaroni, em entrevista ao site oficial do Botafogo.



Igor Cássio foi o artilheiro do Botafogo na Copinha com quatro gols (Foto: Sergio Pais)


O trio se junta a outros garotos que fazem parte do elenco principal. No início do ano subiram sete jogadores: Diego, Marcelo, Matheus Fernandes, Gustavo Bochecha, Yuri, Pachu e Renan Gorne. Na temporada passada, outros já haviam sido promovidos, casos de Leandrinho, Marcinho, Saulo e Ribamar, que foi vendido para o TSV Munique 1860, da Alemanha, por R$ 9 milhões.


– Estamos dando essa continuidade aos bons desempenhos do ano passado e não vamos economizar esforços para atingirmos a excelência na formação de atletas de alto nível. Realmente, tivemos um bom desempenho nessas competições, fruto do empenho da equipe toda de trabalho, do envolvimento de todos os departamentos e da eficiente interação entre as comissões técnicas, valorizando o trabalho e fazendo com perfeição a formação de atletas vencedores. O clube através de suas categorias de base quer formar jogadores de excelência, íntegros, comprometidos, com responsabilidade social e mentalidade vencedora. Ser referência no mercado nacional e internacional, além de entregar jogadores de alto nível ao futebol profissional.


Fonte: Por GloboEsporte.com, Rio de Janeiro