quinta-feira, 27 de abril de 2017

Jair exalta personalidade e entrega dos jogadores: "Sentimento de orgulho"


Com um a menos desde o primeiro tempo, Botafogo consegue a virada contra o Sport




Melhores momentos de Botafogo 2 x 1 Sport pelas oitavas de final da Copa do Brasil


A vitória do Botafogo sobre o Sport por 2 a 1, nesta quarta-feira, no Nilton Santos, foi uma daquelas para encher o torcedor e o time de moral. Com um a menos desde o primeiro tempo e em desvantagem no placar, o Alvinegro correu atrás do resultado e conseguiu a virada após Gatito pegar pênalti de Diego Souza e Guilherme marcar duas vezes. O técnica Jair Ventura exaltou a entrega dos jogadores após o jogo e disse como isso afetou o vestiário.


- Sentimento meu de orgulho de comandar um time desse de homens, de entrega, intensidade. Apesar de ser jovem na profissão, não lembro de uma virada um tempo inteiro com um jogador a menos, contra um time de Série A, forte como é o Sport. Não lembro. Sensação hoje de orgulho porque sei que tenho jogadores que vão no limite. Lógico que não está classificado, vamos lá - afirmou.



Jair ventura elogiou a intensidade do Botafogo (Foto: André Durão)


O técnico também elogiou Guilherme, que chegou desacreditado ao Botafogo, com apenas um gol como profissional, mas que evoluiu e tem evoluído no Rio de Janeiro.


- A situação do Sassá eu não vi. Quando saiu o gol eu abracei o Roger ali, brincamos da situação do Guilherme, que quando jogou contra a gente entrou muito bem. Estava precisando de jogadores de velocidade, liguei para pessoas para perguntar, e quando ele chegou falaram que era o pior do mundo, reserva do reserva. Estava falando isso. Quero que ele saia daqui melhor do que chegou. Tinha um gol como profissional, agora tem mais, assistências. Voltando à situação do Sassá, eu não vi, vou buscar as imagens, time está de parabéns. Que orgulho, cara.


Confira outros tópicos da entrevista


Vantagem para o jogo de volta

Minha preleção hoje foi em cima da Pré-Libertadores. Ninguém pegou tantas equipes difíceis quanto a gente, isso nos deu uma bagagem, de saber jogar um mata-mata. Hoje fizemos isso. Fizemos vantagem mínima, mas jogamos bem fora de casa. Ficou em aberto, lógico que a vantagem é pequena, mas por tudo que aconteceu hoje é uma grande vantagem.


Ataque titular com Guilherme e Sassá

A entrada do Guilherme com Sassá hoje é o que sempre falo na meritocracia. Jogadores que vêm entrando muito bem, então por que não dar uma chance para eles desde o início? Pimpão queria jogar, mas segurei para o segundo tempo. Qual foi minha ideia quando coloco o Pimpão? Jogador descansado que tem mais velocidade que o Camilo. Deu certo. Meritocracia, ninguém é titular.


Ney Franco

Eu chamo o Ney de padrinho. Falamos mais cedo por telefone, disse que a expectativa de grande jogo, como foi. Eu não queria ter sofrido tanto para não ganhar mais cabelos brancos como estou ganhando. Poderíamos não ter vencido, mas foi um grande jogo, como acho que vai ser lá. Equipe muito boa, não está nada definido não.


Virada

Achei que mesmo sofrendo o gol nós estávamos melhor no jogo e não sentimos. A gente continuou em cima, em cima, e voltamos no 2º tempo correndo riscos. A vida de treinador é assim, de vez em quando tem que arriscar. Fiz sem medo, sabia que Pimpão taticamente é fantástico, cara cumpridor de função, você pede, ele faz. Muito orgulho, acho que esse ano tem coisa boa.


Expulsão de Bruno Silva

De arbitragem não vou falar, não. Bruno é um cara muito competitivo, tem que conversar com ele, sim. Mas algumas coisas a gente trata internamente. Vou conversar com ele, lógico. Nem tudo posso falar aqui para vocês.


Gatito

Frio, né. O cara é um gelo, pegar o Diego Souza pela frente, cara vem com a paradinha ali ainda... Muito estudo, Diego bate muito bem, jogador que merece nosso respeito. Defender um pênalti de um jogador assim é algo a mais. Dei os parabéns para ele, vai guardar para sempre.


Dupla de ataque

Jogador que faz dois gols chama muita atenção, mas o Sassá também driblou, eles foram bem. A gente fica feliz quando os atletas entram e dão conta, fica aquela dor de cabeça boa do treinador. Temos que escolher agora para o próximo jogo.


Sobre expulsões no ano

Ano passado quase não tivemos, ligamos o sinal de alerta há bastante tempo. Temos conversado, tem que diminuir porque é muito difícil jogar com um a menos, todos os jogos são muito equilibrados. Preocupa, a gente já vem conversando, mas resolveremos internamente.


Carli

Foi física. Carli teve uma lesão e uma sequência de jogos muito difíceis, onde foi exigido muito. Contra o Flamengo campo pesado, hoje choveu, mas não sentiu lesão nenhuma, situação de desgaste, então preservamos.


Parte física


Queria dar parabéns para minha equipe de preparação física, tão questionada. Ganhar jogo com chuva, menos um desde primeiro tempo, se não estivéssemos preparados não conseguiríamos. Acredito muito nos meus profissionais, no invisível, pessoas que me cercam, sem eles não conseguiria nada. Eu sou só um grão de areia. Temos excelentes profissionais, grupo é fantástico.


Montillo

A gente está estudando, teremos uma reunião nessa semana, vamos sentar com a fisiologia, o DM, vamos estudar. É um jogador que faz falta. Se tem a possibilidade, não sei. Depois dessa reunião poderei falar.


Fonte: GE/Por Thiago Lima, Rio de Janeiro