segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Fator adverso: Botafogo completa um mês de derrotas e jejum de gols


Última vez em que um jogador alvinegro balançou a rede adversária foi em 25 de outubro, em vitória sobre o Flamengo, na Arena da Amazônia



Botafogo completa um mês apenas de derrotas e
um jejum de gols (Foto: Alan Pedro / Getty Images)
Além de torcer para derrotas de seus concorrentes diretos, o Botafogo precisa vencer seus dois últimos jogos para se manter na Série A em 2015. Mas, para isso, terá de quebrar o jejum de um mês somente de derrotas no Campeonato Brasileiro. Neste período, o Alvinegro não conseguiu marcar um gol sequer. A única vez em que balançou a rede adversária foi com um gol contra, nos 2 a 1 para o Cruzeiro, na 32ª rodada.

A derrota por 2 a 0 para a Chapecoense, no último domingo, fez o Botafogo chegar à quinta derrota consecutiva. A última vez que somou pontos foi na vitória por 2 a 1 sobre o Flamengo, dia 25 de outubro, em Manaus, pela 31ª rodada. O atacante Wallyson foi o último jogador alvinegro a marcar um gol na temporada.

O Botafogo também detém a marca de pior campanha do segundo turno. Foram apenas 10 pontos somados, em três vitórias, um empate e 12 derrotas. Além do Flamengo, o Alvinegro conseguiu vencer somente Goiás e Corinthians na segunda metade do Campeonato Brasileiro.

Para Vagner Mancini, a principal saída para que o Botafogo finalmente volte a vencer é não deixar que seu adversário marque o primeiro gol da partida, já que a equipe vem mostrando abatimento e nenhum poder de reação quando sai atrás no placar.

- O mais importante nesse momento seria sairmos na frente no placar. Usamos os jogos contra Corinthians e Flamengo como exemplo. O time sai na frente, se enche de brio e passa a ter a função de destruir a maioria das jogadas. Pior é quando você toma o gol e tem que construir as jogadas. Sair na frente do placar seria o ideal, não só para o Botafogo, mas para todos que estão no Z-4 - avaliou.

Na próxima rodada, o Botafogo enfrenta o Santos, na Vila Belmiro, às 17h (de Brasília) de domingo. Vencer é a única alternativa para o time.

Por Gustavo RotsteinRio de Janeiro