segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Com Mancini longe da unanimidade, Botafogo deve buscar novo técnico


Tendência é que treinador, desgastado por causa da crise no clube, seja substituído na próxima temporada, embora afirme desejar permanência em 2015



Mancini entra de férias sem futuro definido no
 Botafogo (Foto: Beto Nociti / Agência Estado)
Após o empate em 0 a 0 com o Atlético-MG, Vagner Mancini deixou o Estádio Mané Garrincha, em Brasília, rumo às suas férias, que começam no interior de São Paulo. Mas também partiu rumo ao desconhecido, já que seu futuro é incerto. O técnico adotou um discurso de desejo de permanência, mas esta não é a vontade da maior parte da diretoria, que assumiu o clube no último dia 26. A questão será debatida internamente nos próximos dias.

Atualmente, quase todos os esforços dos dirigentes estão direcionados à volta do Botafogo ao Ato Trabalhista, principal meio para que o clube tenha suas receitas desbloqueadas. Está marcada para esta quarta-feira uma reunião da diretoria para traçar as estratégias. Até quinta, o Alvinegro precisa pagar três parcelas atrasadas da Timemania, sob pena de complicar seu retorno ao Ato.

Então, será discutida a situação de Vagner Mancini e, de maneira geral, a de quem será o treinador do Botafogo em 2015. A diretoria deve primeiramente analisar possíveis nomes no mercado, que tenham salários compatíveis à realidade do clube. Internamente o nome de Cristóvão Borges foi falado, mas sabe-se que a quantia pedida pelo treinador seria considerada alta, mesmo que deixe o Fluminense. Se decidir por manter Mancini, o Alvinegro pode pedir uma redução salarial.

Mas a julgar pela maioria das opiniões daqueles que serão responsáveis pela decisão, Vagner Mancini não deve ficar no Botafogo. Numa das primeiras conversas com integrantes da nova diretoria, o treinador se disse “sem clima” para permanecer, em virtude do desgaste sofrido ao longo dos últimos oito meses. Além disso, sua relação ruim com o diretor de futebol Wilson Gottardo foi um ponto decisivo para esse desgaste, também marcado por uma forte discussão com Jobson após a derrota para o Figueirense e muitas reuniões com jogadores, integrantes de torcidas organizadas e dirigentes por causa de maus resultados e salários atrasados.

- O Mancini é competente e leal. Levou uma situação difícil com muito profissionalismo. Mas tanto ele quanto o Botafogo estão precisando de novos ares - afirmou um integrante da diretoria alvinegra, resumindo a situação.

Após a partida contra o Atlético-MG, que encerrou a participação do Botafogo na Série A do Campeonato Brasileiro, Vagner Mancini reforçou sua intenção de ficar e reconduzir o time à elite, mas deixou claro que entra de férias sem que haja uma reunião agendada para definir seu futuro.

- Ainda não tem data marcada (para uma reunião). Tenho uma viagem marcada para fora do país, mas não houve tempo ou não houve interesse. Não sei. Não tem nada marcado - disse o técnico.

Treinador espera contato da diretoria para tratar de sua permanência ou não no Alvinegro (Foto: Vitor Silva / SSPress)

Por Gustavo Rotstein Brasília/GE