quinta-feira, 19 de março de 2015

Botafogo rebate presidente do Flu: "Declarações ofensivas e levianas"


Presidente alvinegro fala em postura oportunista de Peter Siemsen, acusando o Tricolor de "desagregador e irresponsável" diante dos problemas no Carioca




Presidente Carlos Eduardo Pereira fala em postura oportunista
e declarações levianas do Flu (Foto: Luciano Belford / SSPress
Na guerra envolvendo o Fluminense e a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), sobrou para o Botafogo. Em entrevista ao jornal "Extra", o presidente do Tricolor, Peter Siemsen, criticou o Alvinegro por sua aproximação com a entidade. Segundo ele, o "Botafogo está totalmente alinhado com a federação, não sei o que eles querem com isso. Talvez uma conta bancária mais alta."

A revolta de Siemsen aumentou com a decisão da Ferj de estabelecer umpreço fixo para o custo operacional do Maracanã, o que foi rechaçado pelaconcessionária que administra o estádio e também por Fluminense e Flamengo, clubes com os quais tem contrato. E o imbróglio também respingou em General Severiano.

– Para o Botafogo, hoje parece conveniente apoiar essa medida. Mas isso pode se voltar para o Engenhão também. A não ser que eles saibam que serão amigos da Ferj para sempre. Hoje atinge o Fluminense, mas amanhã poderá atingir outro filiado.

Em nota publicada no site oficial e assinada pelo presidente Carlos Eduardo Pereira, o Botafogo repudiou as declarações do mandatário tricolor, consideradas "ofensivas e descabidas". Para o Alvinegro, "nenhum dirigente de qualquer outra entidade, opinar ou julgar os atos da direção do Botafogo. (...) As levianas declarações (...) demonstram, claramente, a postura oportunista do Fluminense."

Leia a íntegra do comunicado do Botafogo.
O Presidente do BOTAFOGO DE FUTEBOL E REGATAS lamenta e repudia as referências feitas à conduta do Clube em sua relação com a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, pelo Presidente do Fluminense Football Club, em entrevista ao Extra Online.

Foram declarações ofensivas e descabidas, uma vez que não compete a nenhum dirigente de qualquer outra entidade, opinar ou julgar os atos da direção do BOTAFOGO.

Ao buscar discutir e reduzir os custos do novo Maracanã, o BOTAFOGO é quem verdadeiramente está buscando a melhoria do futebol carioca e a proteção do interesse de todos os torcedores, enquanto quem segue olhando apenas para seus próprios interesses é o Fluminense.

As levianas declarações que nos foram lançadas demonstram, claramente, a postura oportunista do Fluminense, pseudo engajado com os problemas, mas, de fato, desagregador e irresponsável. A alegação de que o BOTAFOGO se posiciona em troca de dinheiro é mentirosa e inaceitável.

Ao fazer acusações e suposições sobre a atuação dos representantes do BOTAFOGO, esqueceu-se o Presidente do Fluminense, das regras mais elementares de polidez e convivência democrática no âmbito do esporte e que sirva a presente como interpelação pública para que se retrate de suas declarações.

O futebol carioca e também o brasileiro precisam de dirigentes capazes de dialogar de forma construtiva, urbana e habilidosos o bastante para conciliar o contraditório com suas posições, o que, infelizmente não ocorreu neste caso. Se o objetivo final do Fluminense é a criação de uma Liga e a união dos clubes do Rio, certamente que lançar mentiras contra um desses clubes é uma atitude pouco inteligente e avessa aos seus interesses comuns.

Por fim, reitero que os tempos são outros. A nova Diretoria do BOTAFOGO DE FUTEBOL E REGATAS tem como fundamentais compromissos a defesa inarredável dos interesses do Clube e a melhoria das práticas no futebol.

Carlos Eduardo da Cunha Pereira
Presidente
Botafogo de Futebol e Regatas


Por GloboEsporte.com Rio de Janeiro/GE