sábado, 31 de outubro de 2015

Apesar da vitória, Ricardo Gomes reprova atitude do Bota depois do gol


Treinador elogia o time, mas afirma que time ficou ansioso depois de abrir o placar contra o Bahia e passou a se preocupar mais em defender do que em atacar






O Botafogo venceu o Bahia na tarde deste sábado, no Estádio Nilton Santos, por 1 a 0 (veja os melhores momentos no vídeo acima), e está muito próximo de confirmar matematicamente seu retorno à Série A. Mas o que parecia ser uma noite exclusivamente de comemoração, acabou tendo um outro discurso do técnico Ricardo Gomes. Ele elogiou o time, mas não gostou da atitude da equipe depois que abriu o placar com Neilton. A ansiedade teria levado o time a abdicar do ataque e se preocupar apenas com a defesa, na leitura do técnico.


- A partida foi tensa, o segundo tempo foi muito tenso. Estávamos bem, mas... Aconteceu a ansiedade no segundo tempo. O Botafogo foi bem, mas nos últimos 30 minutos o time parou de movimentar. Tinha contra-ataque, mas já mais preocupado em defender do que atacar. O primeiro tempo foi muito bom. Perdemos o Navarro, o Sassá, o Neilton saiu, foi um jogo difícil, um clássico.


Ricardo Gomes ainda elogiou bastante a torcida do Botafogo, que compareceu em bom público na tarde deste sábado - 20.038 presentes - e o meio-campo Daniel Carvalho. Para Ricardo, o jogador sofreu durante o ano na questão física, por conta do longo tempo de inatividade, mas agora está recuperando a força e vem se destacando.


Confira outros tópicos da entrevista de Ricardo Gomes:

Meias

O Daniel, esse ano, pagou o preço. Agora que está entrando em forma. E tem uma qualidade que faz diferença. Vem bem no segundo turno, mas agora está realmente em forma. Camacho também foi muito bem. A falta de movimentação pareceu ansiedade. O nosso meio de campo, não é time de segunda divisão. Como o Bahia também não. Foi um bom jogo. Se fizéssemos o segundo gol, ficaria mais aliviado. Só tenho a aparência de calma, não é nada disso.

Ansiedade

Vamos trabalhar isso, sim. Recusei essa proposta na última coletiva, o jogador do Botafogo tem de estar preparado. Mas são seres humanos. Continuamos bem até o gol, aí o time caiu e vamos trabalhar isso nessa semana. Temos outros objetivos, primeiro a classificação, mas o ano não termina ainda.

Finalizações perdidas

Depois do gol é que achei que o time parou. Não tem jeito, o jogo está muito mais rápido, difícil para encontrar o toque certo. A criação hoje foi bem, o time criou bastante, até o gol. Todos os jogadores com nível de Série A, querendo sair dessa situação.

Ricardo Gomes disse que a ansiedade atrapalhou o time do Bota após o gol marcado (Foto: Satiro Sodré / SSPress)
Torcida

Tem de ser sempre assim. Ela também precisa do time. A atuação no último jogo contra o Náutico deu confiança à torcida, ela quer o time jogando bem. Esses dois jogos foram cruciais para essa motivação e apoio da torcida, que é algo extremamente importante. Sem isso, não estaríamos aqui. Trabalhamos bastante para dar o melhor à torcida.

Sassá

Claro que sim (faz falta). Não só o Sassá. O Navarro também. O ataque está funcionando. O elenco é de bom nível, vamos pensar mais na frente para o outro ano, mas o grupo é muito bom. Fico preocupado pela lesão do Sassá, mas tenho aqui o Ronaldo, o Lulinha, o Vinícius... Eu tenho um bom elenco.

Daniel Carvalho

O jogador que para dois anos, não tem jeito de voltar como antes. Não tem como. O Daniel, apesar da idade, tem velocidade, técnica, faltava o corpo. Ele pagou o preço nesse ano, mas nesse final está sendo muito importante. Não tem como o cara se entregar sem estar bem fisicamente. Ele tenta o melhor. Agora ele está no seu melhor. É bem diferente.

Festa antecipada da torcida e relaxamento


Não quero relaxamento, não quero ansiedade, isso vai ser trabalhado. Acho que a torcida está assim pela qualidade do jogo. Dos dois jogos, contra o Náutico, e agora. Por isso o Nilton Santos encheu. Temos a oportunidade de subir jogando bem. Isso é importante.

Defesa

Em relação à defesa, o Roger e o Renan foram muito bem. Os dois laterais são muito ofensivos, consequentemente existe esse espaço, a formação é muito importante. O ponto forte é a parte ofensiva, então de vez em quando acontece, principalmente jogando em casa.

Por Vicente Seda Rio de Janeiro/GE