segunda-feira, 19 de outubro de 2015

De Ronaldinho a Guardiola: documentário retrata Loco Abreu


Diretor uruguaio viaja ao Brasil e a outros países do mundo para ouvir pessoas próximas e traçar um perfil de atacante que é ídolo do Botafogo




Diretor Javier Serradilla entrevista Ronaldinho para
 documentário sobre Loco Abreu (Foto: Arquivo pessoal)
Aos 39 anos, Loco Abreu está perto da aposentadoria. Mas sua carreira ficará eternizada com o documentário “A lo Loco” (expressão que, em tradução livre, significa fazer algo de maneira louca), previsto para estrear nos cinemas do Uruguai em março do ano que vem. Na última semana o diretor do filme, o uruguaio Javier Serradilla, esteve no Rio de Janeiro para filmar depoimentos sobre o ídolo do Botafogo. Um dos entrevistados foi Ronaldinho, companheiro do camisa 13 no Grêmio, em 1998.


No Rio de Janeiro, além do depoimento de Ronaldinho, o diretor procurou entender o impacto da passagem de Loco Abreu pelo Botafogo, de 2010 a 2012. A ideia de Javier Serradilla é mostrar a personalidade do atacante dentro e fora dos gramados, por se tratar de uma figura marcante no futebol do Uruguai, principalmente depois do pênalti cobrado com cavadinha na vitória sobre Gana, na quartas de final da Copa do Mundo de 2010.


- No Uruguai, Abreu é um ídolo, um dos maiores jogadores da história do país. Alguém que fez o gol mais importante da seleção nos últimos 30 anos. E não foi um gol comum. Uma cavadinha, algo que sempre pensamos que ele poderia, ou não, fazer. É uma pessoa de caráter impressionante, com uma forma de ser única. Então me seduz retratar sua vida esportiva e pessoal - explicou.

Loco Abreu dá cavadinha e sai para comemorar vaga na semifinal da Copa do Mundo de 2010: personagem do futebol do Uruguai (Foto: AFP)

Ao lado do cinegrafista Waldo Melgar, o diretor ouviu jogadores, treinadores, jornalistas, amigos e estudiosos para conhecer um pouco mais de Sebastián Abreu e ir além.

Serradilla com cinegrafista Waldo Melgar no Rio:
 busca por personagens relativos à história de Abreu
 (Foto: Gustavo Rotstein)
- Sempre pensei em fazer um documentário sobre um jogador de futebol. E cada peça que juntava me levava a Abreu. É um atleta que defendeu diversos clubes, rodou o mundo e viveu várias culturas. O filme não será somente sobre ele. Também lanço a questão: o que acontece quando um jogador se aposenta?


Além de Ronaldinho, o filme “A lo Loco” terá depoimentos de Luis Suárez, Pep Guardiola (companheiro de Abreu no Dorados, do México), Hugo de León, Óscar Tabarez, técnico da seleção do Uruguai, e do ex-presidente do país Jose Mujica, entre outros.


Por Gustavo Rotstein Rio de Janeiro/GE