quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Salário e proposta mexicana dificultam permanência de Navarro no Botafogo


Em negociação arrastada, jogador e clube estão distantes de denominador comum. Uruguaio quer ficar, mas oferta do Jaguares pode encurtar passagem pelo Brasil




Álvaro Navarro planeja ficar, o Botafogo tem interesse, mas o casamento ainda não tem data para acontecer. A questão salarial é o único, porém importante, impasse. As pretensões do atacante ainda estão distantes do que o clube pretende pagar. E, nesse caso, o tempo é inimigo da equipe carioca.

Valorizado pelos nove gols que marcou na Série B, Navarro tem propostas. A melhor delas vem do futebol mexicano. O Jaguares-MEX oferece salário robusto, em dólares. Milionários-COL e clubes do Uruguai e do Peru também estão dispostos a contar com o artilheiro alvinegro. A concorrência, por ora, não preocupa o Botafogo.


- Para os empresários, todo mundo tem propostas de todos os lados - disse um integrante da diretoria alvinegra. 

Com proposta até 2017, Navarro está insatisfeito com valores oferecidos pelo Botafogo (Foto: Vitor Silva / SSPress)

Navarro, no entanto, não esconde seu desejo de continuar no Botafogo. Além do carinho pelo clube, a adaptação da família ao Rio de Janeiro pode pesar na decisão. O filho de sete anos está entusiasmado com a cidade.

No entanto, apesar da vontade de seguir, a situação financeira do Botafogo aflige Navarro. O Botafogo ainda não pagou pelo empréstimo do atacante. Apesar de ligado ao Defensor-URU, os direitos econômicos do atacante pertencem a um empresário argentino, que o acompanha desde o início da carreira.

Outra questão que o incomoda vem desde a chegada ao Brasil, em julho. Navarro desembarcou no país com uma promessa salarial, mas se desapontou a descobrir que do valor seriam descontados impostos e encargos trabalhistas.

A negociação se arrasta. Há um mês, o Botafogo apresentou proposta de dois anos de contrato. O representante do jogador, o também uruguaio Gerardo Cano, demorou a responder, o que gerou certa apreensão. Quem conduz as negociações são o presidente Carlos Eduardo Pereira e o diretor jurídico Gustavo Noronha. Os dois também foram os responsáveis pela contratação do atacante.

O GloboEsporte.com tentou contato com Gerado Cano, mas não encontrou o empresário. Na semana passada, o agente deixou claro que iria buscar por parte do Botafogo uma valorização salarial de Navarro, que espera receber o dobro do valor atual. O Alvinegro, entretanto, estipulou um aumento inferior, mas garante que o oferecido é considerável.

Em relação ao tempo de contrato, existe consenso entre as partes. Caso ocorra, a renovação será até dezembro de 2017. Navarro, de 30 anos, chegou ao Botafogo em julho e marcou nove gols em 16 partidas disputadas. Liberado do jogo contra o América-MG, o uruguaio pode não jogar mais pelo Alvinegro.


Por Gustavo Rostein, Marcelo Baltar e Richard Souza Rio de Janeiro/GE