segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

De: Gervásio. Para: Gervasio. Meia do Bota ganha padrinho dos quadrinhos


Xará de personagem brasileiro, argentino reforço alvinegro para 2016 recebe visita de criador de seu homônimo na pré-temporada no ES e é homenageado com caricatura




Pense rápido: quantos Gervásios você conhece? O nome é comum em países como Itália e Argentina, só que no Brasil ele chega a ser raridade. Mas não é que o Botafogo tem dois? Um é o meia argentino de 27 anos, reforço do time para 2016. E o outro é um famoso personagem dos quadrinhos brasileiros, agora também padrinho do jogador que tentará no Alvinegro brilhar pela primeira vez por uma grande equipe. O encontro dos xarás - que têm a mesma pronúncia, mas se diferem na acentuação na forma escrita - aconteceu no Hotel Fazenda China Park, em Domingos Martins, região serrana do Espírito Santo, onde o clube realiza a sua pré-temporada, e foi registrado pela obra do caricaturista Gilberto Zappa (veja no vídeo http://globoplay.globo.com/v/4745644/). Na imagem, a camisa com listras azuis e brancas simbolizam o sonho do atleta em ser convocado pela seleção argentina, enquanto a estrela solitária no peito representa a chance de ouro no futebol brasileiro.


Caricatura de Gervasio Núñez, do Botafogo, ao lado do Gervásio mecânico, do Gilberto Zappa (Foto: Thiago Lima)


Gervasio Núñez, o jogador, recebeu o nome que é de seu pai e se encantou com a homenagem feita pelo artista. Os dois se encontraram antes do treino da tarde do último sábado, e o desenho foi produzido durante a atividade. Enquanto um trabalhava com a bola nos pés, o outro fazia o mesmo com o lápis e o pincel na mão. E o resultado deixou o meia admirado. Mas seja sincero, argentino, quantos xarás você conhece?


- Muito poucas pessoas. Conheço outras duas com esse mesmo nome que moram na Argentina, mas somente as conheço pela televisão. Na verdade me surpreendeu encontrar no Brasil uma caricatura com meu nome. O meu pai, que também se chama Gervasio, vai ficar muito contente. É muito lindo. Vou falar com ele hoje para comentar do desenho - emocionou-se o meia, que não conhecia a expressão "xará", muito usada no Brasil.

Tira de jornal de "Gervásio e Jandira" na época em que Romário buscava o milésimo gol, jogando pelo Vasco em 2007: futebol vira e mexe é tema dos quadrinhos dos personagens de Gilberto Zappa (Foto: Reprodução / Gilberto Zappa)

Gervásio mecânico, o personagem, recebeu a alcunha pela sonoridade e excentricidade do nome. Zappa havia conhecido apenas dois Gervásios até hoje: um político e um funcionário da cantina da universidade onde estudou. O caricaturista de 42 anos criou o protagonista em 1994 para tiras de humor em jornais com o título "Gervásio e Jandira" - ele também já apareceu em vinhetas do "Plim Plim", da TV Globo, nos intervalos de filmes da programação. As publicações continuam até hoje diariamente no jornal Gazeta, do Espírito Santo, mas recentemente passaram a se chamar "Sociedade LDTA" para o autor ingressar outros personagens nas histórias.


- Para você dizer a palavra Gervásio expande uma respiração, abre bem a boca, é um nome crescente. E a mulher dele, Jandira, é um nome decrescente, você fecha a boca. Fui muito pela sonoridade e por essa graça de ser um nome quase que incomum no Brasil. Gervásio veio da síntese do brasileiro sofredor. Antes de ser Gervásio mecânico, que é a profissão dele, veio o Gervásio sofredor, que era o cara que tudo o que fazia ia contra ele. Então ele tinha o espírito brasileiro de não desistir nunca. Gervásio é um cara que gosta de mulher, cerveja e futebol. É um milkshake, uma misturinha de cada um de nós - explicou.

Gervasio Núñez, ou "Yaca", recebe a homenagem das mãos do caricaturista Gilberto Zappa (Foto: Thiago Lima)


Apesar de flamenguista e fã confesso de Zico, Zappa garantiu que pegou uma admiração pelo Botafogo durante o encontro e que vai torcer pelo sucesso de Gervasio no Botafogo. E o artista já até imagina a torcida alvinegra gritando o nome do argentino nas arquibancadas pelo país a cada gol marcado pelo meia.


Para isso acontecer, além do sucesso em campo, vai depender de como a torcida vai chamar o jogador: "Gervasio", "Núñez", o sobrenome, ou "Yaca", abreviação do apelido de "Jacaré" - "Yacaré" em espanhol.- Uma coisa que vem da evolução humana é você destacar a irracionalidade de um torcedor para não pessoalizar as coisas. Eu conheci uma figura humana encantadora, um cara que está com a faca e o queijo na mão, no momento certo e com a camisa certa. Pelo que notei é um grupo muito bonito de ver, unido, educado, muito merecedor. Quero ver o Gervasio metendo gol mesmo, vendo a galera gritar "Gervasio".


- Não tenho problema que me chamem de Gervasio, mas estou acostumado que me chamem de "Yaca", é como todos me conhecem - admitiu o meia, que disse não ter muita diferença entre as culturas dos países e garantiu estar se adaptando rápido ao Brasil.



Por Raphael De Angeli e Thiago Lima/Domingos Martins, ES/GE