sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Internet vira palco de discussões de dirigentes e torcedores do Botafogo


Presidente Carlos Eduardo Pereira responde ofensas de torcedor, e vice de finanças critica funcionária do marketing por se expor com camisa de organizada do Flamengo





Presidente do Botafogo responde ofensas
de torcedor (Foto: infoesporte)


A internet vem sendo palco de calorosos debates entre dirigentes e torcedores do Botafogo. Na quinta-feira, por exemplo, o presidente Carlos Eduardo Pereira repreendeu um torcedor, na página de comentários do site “Fogãonet”, que repercute notícias do clube.

Nos comentários de uma notícia de que o Botafogo, por ser um dos clubes formadores, poderia lucrar com a milionária transferência de Elkeson para o Shangai, da China, um torcedor criticou o clube, insinuou que a diretoria sumiria com o dinheiro e chamou os dirigentes da gestão de Carlos Eduardo Pereira de “Ali Babá e os 40 ladrões”.
Revoltado, o presidente alvinegro exigiu retratação e ameaçou levar as ofensas à Justiça.

- Essa é uma acusação muito séria e irresponsável. Se retrate ou apresente para que eu possa processá-lo, pois na Justiça você terá que provar aquilo que escreve, sem se esconder atrás de perfil de rede social – escreveu Carlos Eduardo Pereira.

Curiosamente, o Botafogo não terá direito a nenhuma porcentagem dos R$ 76 milhões da venda de Elkeson do Guangzhou Evergrande para o Shangai, pelo fato de não se tratar de uma transferência internacional. 

Vice de finanças do Botafogo critica funcionária do
marketing do clube (Reprodução / Facebook) 



As polêmicas na internet, no entanto, não pararam por aí. Nesta sexta-feira, uma torcida organizada do Botafogo descobriu fotos de uma funcionária do marketing do clube com a camisa de uma torcida do Flamengo.

O caso ganhou repercussão, e dirigentes do clube cobraram, na internet, uma posição do departamento de marketing e da própria direção. O vice de finanças, Bernardo Santoro, afirmou que levará o caso para a próxima reunião do conselho diretor.

- Para uma profissional de marketing que trabalha no Botafogo, ela se mostrou uma pessoa sem senso de ridículo. Como ela quer manter uma imagem de profissionalismo vestindo a camisa de torcida organizada adversária: Pelo amor de Deus. Essa questão será discutida na próxima reunião da diretoria. É um compromisso meu com os sócios que frequentam esse espaço.

A página oficial de uma torcida organizada do Botafogo também cobrou providências.

- Falta de tudo hoje em dia... dinheiro, patrocínio, fornecedor de material, contratações, etc...Isso tudo nós aceitamos por entendermos que o momento é difícil para todos. Mas o que não aceitamos é a falta de ideologia, respeito e cuidado com a imagem do clube. Uma funcionária do marketing do clube é de uma torcida organizada do Flamengo? Isso nós não vamos aceitar. Esperamos providências imediatas para essa situação. O vice de comunicação do Botafogo, Márcio Padilha, não quis comentar o assunto.


- Temos outras prioridades. Esse é um problema administrativo interno do Botafogo. Não tenho nada a falar sobre esse assunto - ponderou Padilha.

 

Por GloboEsporte.com/Rio de Janeiro/GE