segunda-feira, 7 de março de 2016

Início empolgante, fim decepcionante: o "desfile" de 76 minutos de Salgueiro


Principal contratação do Botafogo, uruguaio fez o seu primeiro jogo como titular. Pênalti perdido e cruzamento bizarro mancham impressão inicial; Ricardo defende






Num jogo que o Botafogo cumpria uma mera formalidade de tabela no Carioca neste domingo, os olhos da torcida estiveram todos voltados para Salgueiro. Principal contratação neste início de temporada, o uruguaio fazia a sua primeira partida como titular do Alvinegro no duelo contra o Boavista. Um "desfile" que durou exatamente 76 minutos e foi visto por 1.374 jurados presentes na "avenida" de piso verde chamada São Januário. E se tívessemos uma apuração? Certamente a avaliação estaria longe do marcante e sonoro: "Nota 10".

Salgueiro perdeu pênalti em estreia como titular do
 Botafogo (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)
O início até chegou a empolgar. Esbanjando vontade e movimentação, Salgueiro tomou os holofotes da partida nos primeiros 10 minutos. O meia era o responsávei pela iniciativa de todas as jogadas do Botafogo, ainda que pecasse no último passe. Era também dono das cobranças de bola parada. Mas foi só. No intervalo, Salgueiro admitiu a falta de entrosamento.


- Primeiro jogo somente. Estou conhecendo os companheiros. É muito calor - resumiu..


Mas o pior ainda estava por vir. A etapa final foi terrível para o uruguaio. Sem a movimentação dos primeiros minutos de jogo, Salgueiro tinha menos posse de bola. Apareceu em raros momentos do segundo tempo. E justamente para ficar marcado negativamente.


Logo aos oito minutos, Ribamar foi derrubado na área. Pênalti. Pequena conferência entre Salgueiro e Neilton para decidir quem cobraria. Uruguaio na bola. A cobrança foi no canto direito, quase rasteiro. Porém, nada que fosse capaz de vencer o goleiro Vinícius, que fez a defesa e garantiu a manutenção temporária no placar. Salgueiro cabisbaixo.


Com o pênalti perdido pesando como um fardo nas costas, Salgueiro tentou forçar até alguns lances individuais. No pior deles, conseguiu se livrar do marcador no flaco direito. Espaço livre para o cruzamento... e bola atrás do gol. Salgueiro pegou muito mal e protagonizou o momento mais bizarro da partida. Logo em seguida, Ricardo Gomes o substituiu por Damián Lizio. Já sem o uruguaio em campo, o Botafogo chegou ao gol da vitória aos 46 minutos com Fernandes, este sim o melhor em campo.


Ricardo Gomes pede tempo para adaptação

Após o jogo, Ricardo Gomes tratou de sair em defesa de Salgueiro. O técnico avaliou a atuação do meia uruguaio convincente e pediu paciência para uma maior adaptação. Ricardo acredita que jogadores de setor de criação precisam de um tempo maior para ambientação e entrosamento com os companheiros.


- O Salgueiro esteve bem. Teve a infelicidade de perder o pênalti. Você traz um zagueiro estranheiro. O Carli, por exemplo. A zaga não tem problema de adaptação. Meia tem que perder um bom tempo de adaptação. Não estou com nenhuma preocupação. Isso vai acontecer - afirmou o técnico.


Por Chandy Teixeira/Rio de Janeiro/GE