quarta-feira, 4 de maio de 2016

Kleber Gladiador fica distante, e Júnior Dutra volta a ser opção no Botafogo


Centroavante do Coritiba faz contraproposta considerada alta, e diretoria praticamente desiste de contratação. Novela de atacante ex-Santos e de Gegê terão capítulos finais



Júnior Dutra vem mantendo a forma física enquanto
espera acerto com um clube (Foto: Arquivo Pessoal)
Depois de Alex, mais uma tentativa de contratação do Botafogo ficou distante. A diretoria apresentou uma oferta salarial porKleber Gladiador e cogitou até pagar a multa rescisória diante da recusa do Coritiba em abrir negociação, mas a contraproposta feita pelo centroavante foi considerada alta pela diretoria, e dirigentes já dão o negócio como encerrado. E William Pottker, destaque do Linense ao lado de Anderson Aquino e que era uma opção no lugar de Kleber, já está a caminho de outro clube, possivelmente a Ponte Preta. Com isso, o Alvinegro vai retomar as conversas com Júnior Dutra, com quem abriu diálogo há quase três meses e está livre no mercado. Só que as tratativas ficaram congeladas com a viagem do vice-presidente de futebol, Antonio Carlos Azeredo, o Cacá, para resolver assuntos particulares em Portugal nos últimos dias.


Após se desvincular do Al Arabi, do Catar, com a ajuda do advogado Breno Tannuri, o atacante de 27 anos, ex-Santos, voltou para o Brasil e vem mantendo a forma física em um centro de performance de Barueri, em São Paulo. No mundo árabe, ele começou marcando cinco gols em sete jogos, mas acabou perdendo espaço ao precisar tratar de uma caxumba. Recuperado, mas insatisfeito no clube e com salários atrasados, rescindiu seu contrato na Justiça e chegou a ter encaminhado um acerto com o Botafogo, porém, os altos valores de luvas e comissão esfriaram a negociação. Como o jogador vê com bons olhos um retorno ao futebol brasileiro depois de seis anos entre Japão, Bélgica e Catar - por onde marcou 50 gols em 200 jogos desde 2010 -, seus representantes já diminuíram a pedida. Considerado experiente, ele agrada ao técnico Ricardo Gomes e é visto internamente como opção tanto para jogar pelos lados do campo quanto para fazer a função de centroavante.


Há, porém, um receio na contratação: o Botafogo teme uma possível ação na Fifa, mesmo motivo que o a desistir de Larrea. Em janeiro, a diretoria exigiu um documento da Federação Equatoriana de Futebol atestando que o volante equatoriano estava livre para se transferir a outro clube, mas as declarações obtidas foram consideradas em caráter liminar. Larrea vem jogando normalmente pelo El Nacional, do Equador, só que isso não muda o pensamento em General Severiano. Principalmente porque o Al Arabi pertence à família real do Catar. Para a contratação se Júnior Dutra se concretizar, dirigentes e o empresário do atacante, André Cury, cogitam acionar a Associação de Futebol do Catar para resguardar o Alvinegro no futuro.


Quarta-feira de Marquinho e Gegê

A volta de Cacá de viagem também fará o clube retomar as conversas sobre a renovação de Gegê. Nesta quarta-feira, o dirigente terá uma reunião com o empresário do meia, Cláudio Guadagno, para tentar dar um fim à novela que se arrasta desde março - o vínculo do jovem, de 22 anos, vai só até a próxima segunda. A intenção da diretoria é prorrogar, mas as partes não chegaram a um acordo financeiro, e a negociação pode terminar sem final feliz. O dia também será de cara nova: o meia Marquinho antecipou sua rescisão com o Macaé e se apresentará para exames médicos em General Severiano.


Até o momento, o Botafogo já acertou com quatro reforços para o Campeonato Brasileiro: o lateral-esquerdo Victor Luís, os atacantes Anderson Aquino e Geovane Maranhão, além do próprio Marquinho. O clube ainda busca nomes de peso para fechar o elenco.

Fonte: GE/


Por Marcelo Baltar e Thiago Lima/Rio de Janeiro