sexta-feira, 20 de maio de 2016

Octávio azeda de vez relação com a torcida e fica com clima ruim no Bota


Meia, que já teve sua dispensa pedida por organizadas no início do ano, é hostilizado após provocação e vê ambiente no clube piorar. Ricardo puxa orelha, mas o defende









O que era para ser um momento de comemoração virou de reclamação. E o papel de herói por ter construído a jogada do gol de Neilton (veja no vídeo acima) deu lugar ao de vilão, vaiado e hostilizado. A noite terminou triste para Octávio em Los Lários, mesmo com a vitória do Botafogo por 1 a 0 sobre o Juazeirense e a classificação garantida na terceira fase da Copa do Brasil. O motivo? Um gesto de provocação logo após o Alvinegro estufar a rede. O meia, que entrou aos 31 minutos do segundo tempo e vira e mexe é alvo de críticas dos torcedores, correu direto em direção às organizadas e bradou repetidas vezes: "Grita mais alto!". A resposta foi imediata:


- Octávio, vai se f..., meu Botafogo não precisa de você - entoavam as organizadas.


- Tira essa camisa, Octávio! Você não merece vestir ela - gritavam torcedores após o jogo.

Octávio provocou torcedores após o gol e foi hostilizado nos minutos finais do jogo (Fotos: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Fora uma enxurrada de palavrões que o jovem de 22 anos precisou ouvir no caminho até o vestiários. Vários torcedores se aglomeraram na grade que separa a arquibancada do campo para ofendê-lo. A relação entre os dois nunca foi boa desde que ele voltou de empréstimo da Fiorentina, da Itália, no ano passado. Em fevereiro, em encontro com a diretoria, líderes de organizadas cobraram a dispensa do meia, junto com Lucas Zen, atualmente afastado do grupo principal, e Gegê, único do trio que deu a volta por cima. Agora, o clima azedou de vez.


A diretoria ainda não se pronunciou sobre o caso. Mas se a bronca da torcida persistir, Octávio pode ficar sem clima para seguir em General Severiano. Como tem contrato longo, até o fim de 2017, uma eventual medida neste caso seria reemprestá-lo. Um fato parecido, embora de maior indignação, aconteceu ano passado com Fabrício, do Internacional. O lateral-esquerdo perdeu a cabeça após tantas vaias e fez gestos obscenos para a torcida colorada, que comemorou sua expulsão. Sem ambiente depois disso, ele posteriormente foi negociado com o Cruzeiro.

Octávio usou as redes sociais para pedir desculpas para a torcida do Botafogo (Foto: Reprodução / Instagram)

Se as coisas caminharem no sentido de uma permanência no Botafogo, Octávio vai precisar mudar sua imagem com os torcedores. A começar por admitir o erro, o que fez ainda na madrugada de quinta para sexta. Se no estádio ele não encarou os microfones, em casa o meia usou as reses sociais para pedir desculpas:

Quero pedir desculpas para torcida alvinegra pelo que ocorreu no jogo, em nenhum momento xinguei a torcida, sei que exagerei na comemoração, sou cria da base e sou grato por tudo que vocês e o clube fez e faz (sic.) na minha vida, desculpa aos torcedores que estavam no estádio, sei que é um sacrifício sair do trabalho e ir nos prestigiar, desculpa às organizadas que sempre estão ao nosso lado!"
Octávio, meia do Botafogo, no Instagram


- Boa noite, quero pedir desculpas para torcida alvinegra pelo que ocorreu hoje no jogo, em nenhum momento xinguei a torcida, sei que exagerei na comemoração, sou cria da base e sou grato por tudo que vocês torcedores e o clube fez e faz (sic.) na minha vida, desculpa aos torcedores que estavam hoje no estádio, sei que é um sacrifício sair do trabalho e ir nos prestigiar, desculpa às organizadas que sempre estão ao nosso lado! - escreveu.


Ricardo Gomes também já deu um puxão de orelhas nele e programou uma conversa com o jogador nesta sexta-feira, quando o elenco se reapresentará durante a tarde em General Severiano. Mas o treinador saiu em defesa de Octávio, que internamente é conhecido por ser um cara alegre e de muitas brincadeiras e não tem perfil de rebeldia.


- É uma pena porque ele trabalha muito bem, fez a formação no Botafogo, só que hoje (quinta-feira) não foi bem. Torcedor vem, compra ingresso, ele quer o melhor para o time. E se o time não está jogando bem, tem que aceitar a crítica. É um garoto, errou, mas acho que vai conseguir encontrar o melhor caminho. A cabeça é boa, mas ainda de jovem, rebeldia, não aceita situação de crítica. E nessa profissão é mais isso. Vou conversar com ele, espero que compreenda e absorva. Essa atitude em relação à torcida não pode se repetir.


Octávio foi revelado nas divisões de base do Botafogo e lançado pelo técnico Oswaldo de Oliveira nos profissionais. Ele atuou em 11 jogos do Campeonato Brasileiro de 2013, marcando um gol, contra o Criciúma. Em 2014, porém, perdeu espaço entre os profissionais e foi emprestado ao ABC no primeiro semestre, antes de seguir para o futebol italiano. Ao todo, o meia defendeu o Alvinegro em 32 partidas, sendo quatro em 2016.

Fonte: GE/Por Thiago Lima/Duque de Caxias, RJ