segunda-feira, 27 de junho de 2016

Análise: 1º dos três reforços muda cara do Bota, que vê margem para evoluir


Com Camilo comandando o time, Alvinegro faz no primeiro tempo sua melhor atuação no Brasileirão e aumenta expectativa para as próximas estreias, de Pimpão e Canales





Números da estreia de Camilo
- 1 gol
- 1 assistência
- 4 finalizações em 15
- 21 passes certos em 125
- 4 passes errados em 28
- 1 falta cometida em 18
- 1 falta sofrida em 35
- 4 bolas levantadas em 7
- 1 roubada de bola em 14


Em tempos de crise, Ricardo Gomes sempre defendeu a seguinte tese: com a recuperação dos lesionados e as estreias de Camilo, Rodrigo Pimpão e Canales, o Botafogo ganharia corpo para reagir no Campeonato Brasileiro. E até mesmo os mais céticos tiveram que dar o braço a torcer depois do último domingo. A vitória por 3 a 2 sobre o Internacional no Beira-Rio (veja os melhores momentos no vídeo acima) mostrou um time muito mais competitivo em campo do que se tinha visto até então. Foi um primeiro tempo quase perfeito do Alvinegro, que abriu 2 a 0, evitou a maioria dos sustos na defesa e teve a sua melhor atuação na competição nos 45 minutos iniciais. Isso só com um dos três reforços, que ainda não está no melhor da forma física, e sem quatro titulares, machucados. Cenário que deixa a equipe com margem para evoluir mais.


Do trio recém-contratado, por enquanto só Camilo está à disposição do técnico, mas quem disse que uma andorinha só não faz verão? O experiente meia de 30 anos não sentiu o peso da camisa 10 e regeu o time em campo, mostrando também a sua faceta de líder. Além do belo gol e da assistência para Neilton, enquanto teve perna ele orientou o posicionamento dos companheiros, cadenciou e acelerou o jogo nos momentos certos, ficou acompanhando tudo mesmo após ser substituído na etapa final e depois do jogo foi à beira do campo cumprimentar um a um os alvinegros na saída. Os números também ajudam a comprovar sua importância: foi quem mais acertou passes do time, com 21 toques, e um dos que mais finalizou com quatro arremates, só um atrás de Fernandes (veja nos campinhos abaixo o local de cada ação).


Campinho da esquerda mostra de onde Camilo acertou cada passe, e o da direita, cada finalização (Foto: Arte Esporte)

Mas o duelo que tinha tudo para ser tranquilo no segundo tempo, com o Botafogo em vantagem de gols e numérica de jogadores - Fabinho foi expulso -, acabou em sufoco por dois motivos:
1) Porque o ataque perdeu várias chances de matar o jogo em contra-ataques, aumentando a urgência por Pimpão e Canales - o primeiro deve ser regularizado nos próximos dias e estrear contra o Atlético-MG na quinta-feira, enquanto o segundo tem previsão para jogar em 15 dias. Para ajudar na tarefa de criação e execução de jogadas, a torcida também está na expectativa para ver Leandrinho ao lado de Camilo. O meia de 19 anos se recupera de uma lesão na coxa esquerda e vai iniciar a transição para o campo nesta semana.


2) A defesa ficou exposta no segundo tempo. Coincidentemente, depois que Airton saiu com dores na coxa esquerda após receber uma bolada na cicatriz da recente cirurgia que passou - já repararam que todos os gols sofridos pelo Botafogo no Brasileirão saíram quando o volante não estava em campo? Falando em volantes, o esquema com três no meio de campo, com Fernandes no lugar de Gervasio "Yaca" Núñez, voltou a ser usado e a funcionar, fórmula do sucesso no Campeonato Carioca. Mas o time ainda vem sofrendo na bola aérea. O Internacional foi de chuveirinho 32 vezes no jogo, marcou um gol de cabeça com Ernando e só não fez mais porque Sidão não deixou. A tendência é o jogo aéreo melhorar com a volta de Carli ao setor.

Mudou a cara: estreia de Camilo deu novo gás ao Botafogo no Campeonato Brasileiro (Foto: Divulgação / Botafogo)

Os jogadores retornam ao Rio de Janeiro no início da tarde desta segunda-feira e vão direto para General Severiano, onde farão um treino regenerativo. O Botafogo volta a campo na quinta-feira, às 21h (de Brasília), para enfrentar o Atlético-MG no Mineirão. Com a vitória sobre o Internacional, o Alvinegro ainda não saiu da zona de rebaixamento, mas subiu para o 17ª lugar com 12 pontos, mesma pontuação do Sport, o primeiro fora do Z-4.


Fonte: GE/Por Thiago Lima/Porto Alegre