sábado, 16 de julho de 2016

Em estreia de arena, Botafogo arranca empate com Flamengo na raça: 3 a 3


Após estar perdendo por 3 a 1, com rubro-negros dominando, time de Ricardo Gomes faz dois gols e surpreende. Tite compareceu e deixou estádio pouco antes da reação







O Flamengo quase estragou a festa de estreia da Arena Botafogo, nova casa do clube de General Severiano no Brasileiro. Quase. Na raça, o time da casa arrancou um empate depois de ficar duas vezes atrás no placar e levou a torcida, que não compareceu em peso, ao delírio. Nem Tite, técnico da seleção brasileira que compareceu ao clássico ao lado do coordenador Edu Gaspar, pareceu ter fé em uma reviravolta depois do terceiro gol do Flamengo e o placar de 3 a 1. Ele deixou o estádio depois do gol de Guerrero. Mas, pouco depois, Neílton e Salgueiro, lançados por Ricardo Gomes na etapa final, fizeram a alegria da torcida em mais um dia de violência e tristeza no Rio de Janeiro, com um torcedor morto em confronto de organizadas em Bento Ribeiro no início da tarde - mais de 20 foram pesos.

Salgueiro comemora seu gol pelo Botafogo (Foto: André Durão)
Com o empate, o Flamengo fica com 24 pontos e perde a chance de se firmar no G4. Santos, Ponte Preta e Atlético-PR, todos com 23, podem ultrapassar nesta rodada, e o São Paulo, com 21, pode alcançar o clube da Gávea. Para o Botafogo, apesar do final eufórico de partida, o resultado foi ruim e dois clubes da zona de rebaixamento podem igualar os seus 17 pontos ainda nesta rodada: Figueirense (15) e Santa Cruz (14). O Flamengo só joga de novo pelo Campeonato Brasileiro em 25 de julho, segunda-feira, contra o América-MG, no Kléber Andrade, no Espírito Santo, às 20h. No domingo, dia 24, a Chapecoense receberá o Botafogo na Arena Condá, às 16h.

A Arena Botafogo passou no teste em seu jogo de abertura. Alvinegros e rubro-negros elogiaram serviço de bar, banheiros e acesso. A distância da Ilha do Governador foi citada por alguns, mas apenas como observação. O gramado também não apresentou maiores problemas.

Jorge, Guerrero, Everton comemoram terceiro gol: Fla teve tudo para sair vitorioso da arena alvinegra (Foto: André Durão)

Crianças alvinegras entraram com uma bandeira da França, por conta do atentado em Nice, onde um caminhão atropelou dezenas de pessoas que comemoravam a queda da Bastilha, em 14 de julho. Elas permaneceram à frente dos jogadores com a bandeira francesa enquanto era tocado o hino brasileiro, em parte abafado por gritos hostis ao volante William Arão, que trocou o Botafogo pelo Flamengo em um processo cercado de polêmica. O jogador era vaiado sempre que tocava na bola.

O jogo começou a todo vapor. Aos 12 minutos, após cobrança de escanteio, Rodrigo Lindoso completou de cabeça, na trave. Mas o Botafogo não aproveitou o bom momento. Aos 23, o Flamengo saiu na frente, aproveitando falha generalizada da zaga rival. Mancuello cruzou, Guerrero dominou mal, Cirino se atrapalhou, e Everton apareceu bem: 1 a 0. A partida voltou a ficar truncada e, na insistência, o Botafogo chegou ao empate. Aírton deu lençol em Arão, a bola foi levantada na área e, em chute potente e certeiro, Diogo Barbosa marcou pela primeira vez com a camisa alvinegra: 1 a 1. Aos 44, o Botafogo ainda chegou em bom contra-ataque puxado por Camilo, mas a tentativa de Pimpão desviou e foi pela linha de fundo.

Na etapa final, não demorou para o Flamengo retomar a vantagem. Aos 12, Bruno Silva bobeou, Jorge roubou, deu para Evertou e apareceu na frente para receber e vencer Sidão, que ainda tocou na bola. Aos 16, o Botafogo respondeu com Neílton, que partiu em velocidade pela esquerda, passou como quis por Pará, mas finalizou em cima da zaga. Ricardo Gomes lançou então o estreante chileno Canales no lugar de Sassá. Quatro minutos depois, Guerrero perdeu o tempo da bola e um gol incrível, na pequena área, sozinho, após cruzamento de Mancuello. Mas se recuperou em seguida, após assistência de Everton, e bola na rede.

O Botafogo, porém, não se entregou. Em boa trama no meio, Aírton fez bela jogada, Luís Ricardo cruzou, e Neilton diminuiu: 3 a 2. Mais três minutos, e empate. Camilo avançou pela esquerda e tocou para Salgueiro girar em cima de Jorge e bater bonito: 3 a 3. Festa alvinegra, apesar do resultado de igualdade.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com/Rio de Janeiro