domingo, 16 de outubro de 2016

Com gol no fim e polêmica, Botafogo bate o Galo e vence quarta seguida


Dudu Cearense desvia cobrança de escanteio nos acréscimos e decreta o 3 a 2 na Ilha do Governador. Galo reclama de toque de mão de Bruno Silva no primeiro gol





Teve emoção, teve polêmica e, como virou hábito, teve vitória do Botafogo na Ilha do Governador neste domingo. Imparável, o Glorioso fez 3 a 2 sobre o Atlético-MG, pela 31ª rodada, e conquistou o quarto triunfo consecutivo no Brasileirão, consolidando-se no G-6. Os cariocas abriram 2 a 0 no primeiro tempo com Bruno Silva, em lance muito contestado, e Pimpão, permitiram a reação do Galo, com Fred e Leonardo Silva, mas a cabeçada certeira de Dudu Cearense, já nos acréscimos, deu números finais ao jogo. Ao apito final, muita reclamação dos mineiros com o trio de arbitragem.


Jogadores do Botafogo comemoram o polêmico gol de Bruno Silva (Foto: André Durão / GloboEsporte.com)

O resultado leva o Botafogo aos 50 pontos, na quinta colocação. Quarta-feira, o compromisso será contra o Santa Cruz, às 21h45 (de Brasília), no Arruda, em Recife. O Atlético-MG, terceiro colocado, viu as chances de título se reduzirem com a vitória do Palmeiras. Agora, a diferença é de oito pontos: 64 a 56. Domingo, o Galo recebe o Figueirense, às 19h30, no Independência.


Fred volto a marcar contra o Botafogo,
mas não conseguiu impedir derrota
do Galo (André Durão)
Chama a atenção como o Botafogo transformou a Ilha do Governador em sua casa. Se o Atlético-MG não sabia disso, não precisou de muito para tomar conhecimento. O Glorioso se mandou para o ataque, adiantou a marcação e abriu o placar aos quatro em lance polêmico. Após escanteio, Emerson Santos desviou no segundo pau e Bruno Silva fez o gol. O volante, no entanto, dominou com a mão. Mesmo em vantagem, os cariocas se aproveitavam de um adversário desorganizado e tinham Camilo em boa tarde. O Galo até tinha território, se mantinha no ataque, mas era incapaz de colocar Sidão para trabalhar. O Bota, do outro lado, foi mortal. Lindoso desarmou Urso, Alemão tabelou com Neílton e descolou linda assistência para finalização ainda melhor de Pimpão: 2 a 0 justo no intervalo.


O segundo tempo começou na mesma toada: o Botafogo no ataque com finalização de Camilo. Quem marcou o gol, no entanto, foi o Galo, em bela tabela de seus principais jogadores, aos cinco. Fred, Robinho, Fred, gol. Carrasco nos tempos de Flu, o artilheiro do Brasileirão reencontrou sua vítima preferida. O lance mudou o panorama do jogo. Os cariocas recuaram e apostaram no contra-ataque. Estratégia que só não deu certo porque Camilo chutou para fora com o gol vazio após furada de Victor fora da área. Quatro minutos depois, o castigo veio em forma de cabeçada de Léo Silva: 2 a 2. Nos 20 minutos finais, o a partida ficou aberta, com boas chances e finalizações ruins até os acréscimos, quando Camilo cobrou escanteio no primeiro pau e encontrou Dudu Cearense. Desvio certeiro, festa botafoguense. Na Ilha, quem manda é o Botafogo.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com/Rio de Janeiro