terça-feira, 15 de novembro de 2016

Menos posse, mais eficiência: meias e força pela esquerda são trunfos de Jair


Treinador deve abrir mão de três volantes e promover volta de Diogo ao meio de campo para ajudar Camilo na armação. Invicto há sete jogos, time não marca há dois





Jair e Diogo conversam. Lateral deve voltar ao meio contra
 a Chape (Vitor Silva / SSpress / Botafogo)
Jair Ventura ainda não confirmou o time para o jogo contra a Chapecoense. Porém, se repetir o que treinou ao longo de toda semana, o Botafogo voltará a atuar com dois meias, com Diogo Barbosa auxiliando Camilo na armação. A formação não é novidade, mas não é usada desde a vitória sobre o Corinthians, há 40 dias, quando o lateral se lesionou.

Laterais de origem e concorrentes naturais, Diogo Barbosa e Victor Luís são entrosados dentro e fora de campo. Juntos, começaram quatro partidas como titulares. Os números comprovam a eficiência da dupla. Em quatro jogos, foram três vitórias (Cruzeiro, Vitória e Corinthians) e uma derrota (Santos). O aproveitamento é de 75%.

- Com a volta do Diogo, o time não perde nada. Só acrescenta por conta da ofensividade dele. Isso facilita muito. O Sidão até brincou, pelo fato de os dois serem laterais, um procura o outro. Temos entrosamento, e espero que possamos fazer grandes jogos juntos. O Jair nos dá total liberdade. Sabe do nosso potencial e confia em nós – disse Victor Luís, após o treino do último sábado.


Com oito treinos até o jogo contra a Chapecoense, Jair Ventura está tendo tempo para trabalhar e se desapegar do esquema com três volantes. A ideia é dar mais poder de fogo ao ataque, que não marca há dois jogos. Bruno Silva e Rodrigo Lindoso disputam uma vaga no time.


Ofensividade e entrosamento
Com liberdade para avançar, Diogo transforma-se numa espécie de ponta-esquerda e forma com Camilo e Neilton uma terceira linha para municiar o ataque, que não marca há dois jogos. Victor Luís é um lateral mais defensivo, mas é eficiente quando avança. Por vezes, eles inverte com Diogo, confunde a marcação e chega ao ataque como elemento surpresa. Foi assim na vitória por 2 a 0 sobre o Cruzeiro, no Mineirão, quando Victor deu assistências para os gols de Canales e Camilo.

Menos posse, mais contra-ataques
Com Victor Luís e Diogo Barbosa em campo, o Botafogo fica menos com a bola. Com a dupla, o time teve menos posse do que Cruzeiro, Vitória e Corinthians, mas venceu as três partidas. O Alvinegro ganha, no entanto, nos contra-ataques. Foram nove jogadas construídas dessa forma.

Marcação dupla

Com a dupla, o lado esquerdo do Botafogo fica muito forte. Com características mais defensivas, Victor Luís marca melhor e dá uma proteção maior à defesa. Diogo, porém, também volta para ajudar a defesa e reforça a marcação pelo setor. Com os dois em campo, o Alvinegro sofreu apenas um gol em quatro partidas.

Fonte: GE/Por Marcelo Baltar/Rio de Janeiro