sábado, 11 de fevereiro de 2017

Roger espera jogar contra o Fla para chegar melhor contra o Olimpia


Centroavante está zerado em quatro jogos oficiais pelo Botafogo, e quer ganhar ritmo


Contra o Madureira, Roger teve atuação apenas discreta. Agora, quer mais (Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Roger chegou ao Botafogo credenciado pela melhor temporada da carreira e elogiado pela comissão técnica. Nos primeiros treinos da temporada, já era titular. Mas os compromissos decisivos do Glorioso começaram cedo. Os gols do centroavante, não. Ele começou no banco, na quarta-feira, contra o Colo-Colo. Foi importante quando entrou, mas ainda não desencantou. De olho na próxima quarta, também pela Libertadores, o camisa 9 quer entrar em campo no fim de semana e ganhar ritmo.

- O foco é a Libertadores, sendo que o jogo é quarta-feira. Precisamos nos poupar. Mas, no meu caso, preciso jogar para chegar à melhor forma física. E nada melhor do que um clássico - afirma Roger, fazendo lobby pela participação na partida contra o Flamengo, neste domingo, no Estádio Nilton Santos, pelo Campeonato Carioca.

A tendência é a de que Jair Ventura escale um time praticamente só de reservas no clássico, preservando os jogadores principais para o compromisso contra o Olimpia (PAR). Em tese, Roger está incluído. A questão é que o trabalho de pivô dele foi fundamental no gol que garantiu a classificação alvinegra.

- Fico feliz de poder ajudar no gol. Mantivemos uma boa postura no segundo tempo e nos classificamos não por qualidade - garantiu.

Ao que parece, Roger não está em baixa com Jair Ventura, apesar de ter começado no banco no último jogo. O próprio treinador admitiu, após o treino de ontem, que a questão, contra o Colo-Colo, no Chile, foi puramente estratégica.

- Acabamos jogando sem um atacante de referência. Foi uma estratégia. E vou confidenciar o papo que tive com ele: o chamei para conversar e falei que íamos jogar defendendo e que precisava mais de velocidade. Ele falou: "Pô, professor... eu faria a mesma coisa." Ele até falou do Lopes (Antônio, gerente de futebol), que queria estar dentro de campo. Assim você vê o jogador de grupo. Por vezes, dentro da estratégia, terei que mudar o time. Você joga de maneira limpa e tem que tomar as decisões - disse.

RESERVAS NÃO FAZEM SOMBRA AO CAMISA 9

É bom que Roger encontre logo a melhor forma física. Não há, à disposição de Jair Ventura, um jogador com as mesmas características no elenco do Botafogo. O que é algo totalmente inesperado, visto o cenário de poucas semanas atrás.
Acontece que, enquanto Roger treinava como titular, Sassá era a primeira opção como reserva. Mas o artilheiro da equipe no ano passado está em baixa. Não fica nem no banco, além de preterido na Libertadores.

Canales, sobre quem a diretoria depositava grande expectativa nesta temporada, pediu para não ser incluído na lista do Carioca. Também fora do torneio continental, ele deve voltar ao Chile.

Joel está na lista de inscritos para a Libertadores, mas não é exatamente um pivô como Roger. Na segunda partida contra o Colo-Colo (CHI), inclusive, ele sequer viajou.

Vinícius Tanque fez gol no último sábado, contra o Macaé, mas está longe de ser prioridade no clube, assim como Renan Gorne, que era do time sub-20 até o ano passado.

As opções não são poucas, mas o momento de cada um não faz sombra a Roger. Basta ele corresponder.


Fonte: Lancenet/Rio de Janeiro (RJ)