quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Tudo ou nada! Botafogo joga a vida na Liberta em "Guerra fria" com Colo-Colo


Em meio a clima de inimizade entre os técnicos, Alvinegro encara Monumental lotado com vantagem do empate para seguir vivo na Pré-Libertadores. Camilo não deve jogar



"Guerra fria" foi como ficou conhecida a disputa pela soberania mundial entre Estados Unidos e a extinta União Soviética durante mais de 40 anos, que deixaram o planeta sob a tensão de uma batalha iminente que jamais aconteceu diretamente. A palavra "guerra" ganhou o mundo do futebol e veio parar no Colo-Colo x Botafogo pela Pré-Libertadores nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília) no Estádio Monumental, em Santiago e em meio a um clima de inimizades entre os dois treinadores. Sem que um ataque o outro diretamente, como se fosse uma "Guerra fria".

Pablo Guede e Jair Ventura vivem clima de "Guerra fria" para o mata-mata Colo-Colo x Botafogo (Foto: Arte Esporte)

Tudo começou quando Jair Ventura foi justificar o fato de poupar jogadores no Campeonato Carioca para priorizar a "guerra" no jogo de ida contra o Colo-Colo. Comandante dos chilenos, o argentino Pablo Guede foi questionado em entrevista no dia seguinte sobre a declaração e a condenou, dizendo que não concordava em usar tal termo para uma prática esportiva. O técnico alvinegro ficou sabendo do comentário e, em nova coletiva, afirmou que o treinador adversário parecia estar mais preocupado com o seu time do que com o dele.


Camilo ao que tudo indica será um "soldado"
 a menos na "guerra" do jogo
(Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)
Fato é que os dois não se cumprimentaram após o jogo no Estádio Nilton Santos na semana passada, quando o Botafogo venceu por 2 a 1, que é um gesto tradicional entre os treinadores. Depois da partida, Guede trocou o discurso e falou que a "guerra continuaria em Santiago". Na última terça-feira, o argentino foi questionado em coletiva sobre o que aconteceu para mudar de ideia. Preferiu não revelar, mas deixou claro o clima de inimizade no ar.


– Muitas coisas (aconteceram), que é melhor não falar. São muitos pequenos detalhes de tirar vantagens que não são esportivas. Se eles ganharem, lhe darei a mão e o felicitarei.


Depois de Guede, Jair também deu coletiva na sala de imprensa do Colo-Colo, Do mesmo microfone do técnico rival, respondeu ao ser questionado se a guerra continuava.


– Claro, continua até o final da partida.


E para esta "guerra", Jair está prestes a perder um "soldado". O GloboEsporte.com apurou que Camilo vem sentindo dores no adutor da coxa direita e está praticamente fora da batalha, que vale vaga no último mata-mata da Pré-Libertadores contra Independiente Del Valle, do Equador, ou Olimpia, do Paraguai. Para avançar, o Botafogo joga por qualquer empate ou revés de um gol de diferença, com placar igual ou superior a 3 a 2. O Alvinegro ainda leva a melhor no confronto direto com os chilenos: são cinco vitórias, três empates e três derrotas em 11 partidas.

Provável escalação contra o Colo-Colo tem volta dos três volantes e Montillo como figura principal (Foto: Arte Esporte)


COLO-COLO X BOTAFOGO


Local e horário: quarta-feira, às 21h45, no Estádio Monumental (Santiago)
Time provável: Gatito Fernández, Jonas, Marcelo, Emerson Silva e Victor Luís; Airton, Bruno Silva, Lindoso (João Paulo) e Montillo; Pimpão e Roger
Desfalques: Carli, Luis Ricardo, Jefferson e Gustavo Bochecha (departamento médico)
Transmissão: TV Globo para RJ, RS, MG (menos Varginha), ES, TO, MS, MT, SE, PB, RN, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF (com Luis Roberto, Junior, Juninho Pernambucano e Arnaldo Cezar Coelho)
Arbitragem: o trio de arbitragem é argentino, formado pelo juiz Patricio Loustau e seus assistentes Ezequiel Brailovsky e Iván Núñez


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Marcelo Baltar e Thiago Lima/Rio de Janeiro e Santiago, Chile