quinta-feira, 2 de março de 2017

Fim do atrito? Botafogo faz oferta para renovação e espera resposta de Sassá


Recém-reintegrado ao grupo após levar puxão de orelha, atacante tem contrato só até dezembro. Tendência é que seja inscrito na Libertadores e receba chances se renovar



Sassá vem demonstrando vontade nos treinos à espera de chance
(Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)
A relação Botafogo e Sassá caminha entre "tapas e beijos", mas para um final feliz. Depois do afastamento por problemas comportamentais, de se abrir a sondagens no mercado e da recente reintegração após levar um puxão de orelha da diretoria, o clube fez uma proposta para renovar o contrato do atacante, de 23 anos. O Alvinegro apresentou na semana passada a oferta ao jogador e seu empresário, Lucas Mineiro, por mais dois anos e aguarda uma resposta. Seu atual vínculo termina em dezembro, e a partir de julho ele já poderia assinar pré-contrato com outro clube.


Sassá foi afastado do Botafogo no final de janeiro após seguidos episódios extracampo. Internamente, alguns desvios comportamentais foram os motivos apontados, e a diretoria tentou negociar o jogador. Quando vazou na imprensa que ele estava fora da lista de inscritos na Pré-Libertadores, o atacante foi questionar o gerente de futebol alvinegro, Antônio Lopes, que o avisou de que "já estava vendido". Isso não aconteceu.


>>> Camilo aposta em volta por cima de Sassá: "A gente acredita muito nele"
>>> Botafogo recusa proposta de R$ 5 mi do Lokomotiv Moscou por Sassá
>>> Sassá bomba nas redes sociais com fantasia de "Negão do Whatsapp"



O Botafogo na época havia sido procurado pelo empresário uruguaio Juan Figer, que prometeu apresentar uma proposta de um clube da Segunda Divisão do futebol chinês. O agente, no entanto, não retornou. Recentemente, houve oferta de € 1,5 milhão (cerca de R$ 5 milhões) do Lokomotiv Moscou, da Rússia, apresentada pela Traffic, que representa o atleta. Mas a diretoria, que planeja vendê-lo por aproximadamente € 3,5 milhões (R$ 11,8 milhões), recusou.

Segundo o GloboEsporte.com apurou, Sassá foi reintegrado para não se desvalorizar ainda mais. Porém, diante da falta de ofertas, a diretoria resolveu dar nova chance ao jogador – a decisão não foi unânime entre os dirigentes, mas pesou a palavra final do presidente Carlos Eduardo Pereira. Em reunião com o mandatário e Antônio Lopes mês passado, o atacante recebeu um "puxão de orelhas" e foi alertado que seria a última oportunidade. A tendência é que o artilheiro do time em 2016, com 14 gols, seja inscrito na fase de grupos da Libertadores se renovar.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Marcelo Baltar e Thiago Lima/Rio de Janeiro