sexta-feira, 7 de abril de 2017

Barrado fora de posição no Botafogo, Camilo cobra Jair e vai embora sem treinar


Cotado para o time misto que vai jogar Taça Rio, meia se reúne com técnico e auxiliar Emílio Faro, e saída não está descartada. Com clima pesado, jogadores fazem reunião






A sexta-feira amanheceu com o clima pesado no Botafogo, mas não tanto pela demissão do coordenador médico do clube, Luiz Fernando Medeiros. Antes do treino, uma reunião de aproximadamente 20 minutos aconteceu entre jogadores à beira do campo, de frente para a imprensa. O GloboEsporte.com apurou que o motivo tinha nome e número: o camisa 10 Camilo, que não estava presente naquele momento. O meia, principal jogador do Alvinegro na campanha de classificação para a Libertadores, está insatisfeito. E não é pouco.


Com a decisão de escalar um time misto contra o Fluminense, pela semifinal da Taça Rio, para evitar maior desgaste e ter novas baixas de jogadores, Camilo estava cotado para jogar neste domingo. Inclusive, treinou com a provável equipe para o Clássico Vovô na quinta-feira. Mas nesta sexta decidiu expor sua insatisfação pela barração, ainda mais por considerar que tem sido prejudicado por atuar como um ponta-esquerda, fora de sua posição, na formação escolhida por Jair Ventura para tentar encaixar o camisa 10 ao lado de Montillo, principal contratação para 2017.


– A gente conversa. Inclusive com a chegada do Montillo nós mudamos o esquema para ele continuar jogando. Mudamos uma situação para ele jogar. Beleza não faz gol, mas tem sua importância dentro do grupo. Ele saiu de um jogo da Seleção dizendo que gostou de jogar pela esquerda. Acho que todo mundo quer jogar. Não o estou colocando na lateral. A gente também estuda os adversários e talvez possamos mudar. Não definimos quem vai sair, depende muito do jogo – despistou Jair, em coletiva.


Camilo se reuniu com Jair e o auxiliar Emílio Faro antes do treino. Demonstrou seu descontentamento com a falta de critério e deu a entender que, se for para ser reserva, preferia ser negociado – seu contrato é até maio de 2018 e a multa rescisória é de R$ 10 milhões. E foi embora antes do treino fechado. A reunião à beira do campo teve a presença do técnico em um primeiro momento, depois ficaram só os jogadores. Um dos líderes do elenco, Jefferson foi quem mais falou, gesticulou e procurou agregar o grupo, que sempre teve a união como ponto forte.

Jogadores tiveram reunião de 20 minutos antes do treino: tema principal foi Camilo (Foto: Felippe Costa)

Para evitar que uma crise exploda às vésperas da volta da Libertadores, o Botafogo decidiu se blindar e anunciou que neste sábado o treino será completamente fechado e sem entrevistas para a imprensa. Além da situação de Camilo, a semana termina com clima ruim no departamento médico após as demissões do coordenador Luiz Fernando Medeiros e do ortopedista Alexandre Sales. Fora isso, o zagueiro Marcelo ainda é acusado pela ex-namorada de agressão e será intimado a depor na 10ª Delegacia de Polícia, em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Marcelo Baltar e Thiago Lima, Rio de Janeiro