sábado, 22 de abril de 2017

Carlos Eduardo abre o jogo sobre o Bota e espera reforços até terça-feira


Presidente alvinegro participa de evento "Abrace o Botafogo" em Friburgo e fala sobre problemas financeiros do clube, situação de Sassá e conversa com três novidades



Crise financeira, reforços e até mesmo a reintegração do atacante Sassá. Para cerca de 100 torcedores do Botafogo de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, a tarde do feriado de Tiradentes foi especial e dedicada a um bate-papo com o presidente do clube do coração. Carlos Eduardo Pereira esteve na cidade ao longo do dia para conversar com os botafoguenses, tirar dúvidas sobre a administração do clube e ouvir os participantes da iniciativa "Abrace o Botafogo". O movimento, que busca aproximar gestores e ídolos da Estrela Solitária dos torcedores do município serrano foi realizado em um complexo esportivo.


Carlos Eduardo Pereira participa de palestra em Nova Friburgo (Foto: Felipe Basilio/GloboEsporte.com)


Um dos temas de maior interesse por partes dos alvinegros foi a crise financeira do clube. Sem esconder o jogo, Carlos Eduardo Pereira foi franco e passou detalhes da gestão do clube. De acordo com o presidente, as más administrações passadas estão fazendo com que o Alvinegro sofra principalmente com as sucessivas penhoras, que acabam afetando diretamente o orçamento destinado ao futebol. Segundo ele, o clube não tem recebido nenhum tipo de "alívio" de nenhuma parte para tentar se reestruturar financeiramente.


- A situação é difícil, sem dúvidas. Estamos vivendo, hoje, a principal crise, depois de termos vencido, na última quinta-feira, no TRT-RJ, a questão do ato trabalhista. Tem a situação das penhoras cíveis, que vêm de várias origens. São dívidas feitas fora da nossa gestão, e os credores tem sido muito rigorosos com o Botafogo, têm atuado duramente. Com as penhoras, eles têm conseguido criar algumas dificuldades. Só neste ano, apesar de todo empenho do nosso departamento jurídico, tivemos um impacto significativo em nosso orçamento - disse.

Tem negociações em andamento... Não dá para falar em nomes, tem três sendo tratados. Vamos ver aquele que chega em nossas condições"
Carlos Eduardo Pereira

Outro ponto de muita relevância para os botafoguenses no encontro foi a questão dos reforços e a até mesmo a manutenção de jogadores como o atacante Sassá - um dos destaques da equipe no momento após passar por problemas extra-campo.


E a notícia foi boa. De acordo com o homem forte do Glorioso, o clube vive a expectativa de anunciar nos próximos dias novidades para o elenco - vale lembrar que o time busca um nome para a lateral direita, já que Luis Ricardo, Jonas e Marcinho estão lesionados.


- Tem negociações em andamento. Estamos correndo, pois o nosso prazo pra inscrição é a próxima segunda-feira. Estamos tentando agilizar essas conversas para que na segunda a gente possa finalizar esse processo e anunciar na terça-feira. Vamos ver se a gente consegue. Não dá pra falar em nomes, têm três sendo tratados. Vamos ver aquele que chega em nossas condições. Não dá para contratar aquele que você gostaria, mas aquele que junta as capacidades de jogador com a nossa de pagamento - disse o presidente Carlos Eduardo Pereira, em entrevista sobre o Botafogo que você confere outros trechos abaixo.


Botafogo na Libertadores

- Estou confiante, a avaliação é a melhor possível. As pessoas achavam, em um primeiro momento, que o Botafogo tinha chegado à Libertadores pelo acaso. Depois, que não passaríamos pelo Colo Colo, em seguida, não íamos passar pelo Olímpia. Jogamos quatro decisões, quatro clássicos importantíssimos no mês de fevereiro. Passamos. Mas "aí vem a fase de grupos, vem o grupo da morte, não vai dar". E o Botafogo é o líder do grupo. Temos, na sequência, dois jogos em casa dos três restantes, e fizemos uma viagem internacional para dois jogos. Conquistamos quatro pontos. A expectativa é a melhor possível, para que obtenhamos a classificação para as oitavas de final.


Aproximadamente 100 torcedores estiveram presentes no evento (Foto: Felipe Basilio/GloboEsporte.com)


Situação do atacante Sassá

- O Sassá é um ótimo rapaz, é um garoto formado no Botafogo. Sempre demonstrou interesse em continuar jogando. É natural, para um jovem, é normal que a noite, algumas amizades, um pouco mais de empolgação (atrapalhem o desempenho)... A gente confia muito na capacidade profissional dele, é um grande talento. Não podemos esquecer que foi vice-artilheiro do Brasileiro em 2016. Vamos fazer o possível para que ele continue no Botafogo por muito tempo


Sassá recebeu elogios do presidente do Botafogo em
Nova Friburgo (Foto: Alexandre Durão)
Situação do futebol carioca

- O Campeonato Carioca é fundamental para nós. É o nosso estado, e os clubes de menor investimento devem ser valorizados. São clubes formadores, e possuem uma capilaridade que vai muito além do que os clubes da capital conseguem atingir. Deve ser sempre uma prioridade da Federação atender esses clubes, realizar campeonatos que permitam a eles ter uma constância nas atividades durante o ano. Neste ano, foi feita uma tentativa de aumentar o número de clássicos. Infelizmente, parece que os resultados não foram os melhores. Isso tudo está sendo analisado. Ano que vem teremos um campeonato melhor.



Clássico com o Flamengo

- Vai ser muito importante avaliar o grupo após a chegada de Guayaquil. Vamos ver com quem o Jair (Ventura) vai poder contar. Certamente, ele vai colocar a equipe em melhores condições. É um clássico regional, o nosso de maior rivalidade. A gente não vai colocá-lo de lado, não, é uma vitória muito importante para nós.


Evento em Nova Friburgo

- Eu acho que é um reconhecimento do clube por esse grupo fantástico, que vem realizando grandes eventos e grandes mobilizações na região serrana. Eu mesmo sou morador de Itaipava, e vejo que é muito importante o clube interiorizar as suas ações. O morador das cidades do interior está bem próximo da capital, e é importante que a gente leve o clube até ele, e não fique em uma situação passiva. Então, esses eventos vão se reproduzir, e clube tem o interesse de estar cada vez mais próximo dos torcedores.


Botafogo na Serra

- É sempre possível. A gente tem um calendário muito rigoroso, o Botafogo vive um ano de grandes competições. A Libertadores tem sido um grande sucesso de público, sempre reunindo entre 30 ou 32 mil pessoas em nosso estádio. E existe a questão de prestigiar o sócio torcedor que compra os planos. Mas, eventualmente, em amistosos ou a presença da equipe na cidade pode ser considerada, é só uma questão de oportunidade.


Carlos Eduardo Pereira conversa com torcedores em palestra em Nova Friburgo (Foto: Felipe Basilio/GloboEsporte.com)


Fonte: GE/Por Felipe Basílio e Gustavo GarciaNova Friburgo, RJ